Medidas do legado Árabe

by

A civilização árabe chegou na península Ibérica com os berberes, que a invadiram em 711 e lá permaneceram por mais de cinco séculos.  A influência cultural sobre os povos que lá viviam  foi considerável.  Em Portugal, cuja formação como nação se deu em meio à dominação berbere,  a cultura árabe contribuiu fortemente na evolução do idioma português e, também, em inúmeras áreas do conhecimento teórico e prático até então pouco desenvolvidos na Europa. É preciso lembrar que, afinal de contas, a civilização árabe era muito mais sofisticada e tecnologicamente desenvolvida do que a Europa medieval.  Assim, não é de estranhar que boa parte das antigas medidas de peso e de capacidade tenha sido legada pelos árabes. Na época da formação de Portugal, o padrão de massa (peso) utilizado era o arrátel, uma medida de origem árabe geralmente construída em ferro forjado ou em granito. Ao longo do tempo, e em razão de diferentes usos e interpretações, o valor do arrátel em quilogramas variou muito. Apenas para se ter uma idéia, um arrátel oscilava entre 350 e 410 gramas, dependendo da época e região.  No século XV, com o desenvolvimento das trocas comerciais com o resto da Europa, D. João II decidiu adotar uma medida mais européia para padrão de peso – o marco de Colônia – que deveria ser feito em ferro forjado e servia para pesar “ouro, prata e outras coisas”. O arrátel passou então a valer 2 marcos. Na época de D. Manuel I, o peso mais utilizado na Casa da índia para pesar as especiarias vindas do Oriente era a arroba, que passou a valer a partir dessa altura 32 arráteis. A tonelada (não confundir com a tonelada de mil quilogramas de hoje) correspondia nessa época a 6 arrobas.

Almude, alqueire e arrátel.

Outra medida de origem árabe era o almude, usado como medida de volume para o vinho até ao reinado de D. Manuel I,  quando seu uso disseminou-se para qualquer tipo de líquido. Como sempre, o equivalente em litros dessa medida variou muito, de 6,7  L  por volta do século IX até 19,7 L  no século XIX.  Para medir grãos era usado o alqueire, também de origem árabe. Este era normalmente uma caixa de madeira com alças, e sua capacidade variou entre 13 e 17 litros.  É importante dizer que o alqueire que conhecemos, usado como medida agrária e que costumava ser citado para expressar o tamanho das fazendas, é outro. O alqueire de que falamos acima é uma media de volume para secos.  Essas medidas antigas eram, mesmo, bastante confusas! Ainda bem que, hoje, temos o Sistema Internacional de Unidades, não é?

Mas, voltando à cultura árabe, foi dela também que se originou o termo “almotacé” cujo significado moderno é metrologista!!!

Salaam Aleikum!

 

About these ads

4 Respostas to “Medidas do legado Árabe”

  1. Raianny Says:

    Valeu me ajudooou muitooooooooooooooo em um trabalho ! ESTÃO DE PARABENS !!!

  2. Bertha Says:

    mto obrigado me ajudou mtao

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 169 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: