Para não comprar gelo por peixe

by

O Ipem-SP fiscaliza a quantidade dos produtos pré-medidos que adquirimos nos supermercados e pontos de venda. Produto pré-medido é aquele cuja quantidade, que vemos escrita na embalagem na hora de comprar, foi determinada quando produto foi embalado, sem que acompanhemos esse processo. Ora, “alguém” tem que verificar se o que está escrito na embalagem “vale quanto pesa” quando o produto vai para as prateleiras do supermercado. Esse “alguém” é o fiscal do Ipem-SP.

Mas não pense que o fiscal vai até a sua casa pesar o quilo de camarão congelado que você comprou ontem no supermercado e “ficou faltando” na hora da fritura. Primeiro, um fiscal deve coletar um determinado número de amostras. Isso é feito diariamente com todos os produtos pré-medidos e em operações especiais ao longo do ano.

Depois essas amostras são levadas para o laboratório do Ipem. As empresas fiscalizadas precisam ser previamente avisadas da hora do exame e mandar representantes até o Ipem para acompanhar o processo de medição dos seus produtos. Os exames também são abertos ao público em geral.

Só então, em horário predeterminado e após ter avisado um representante da empresa, os agentes fiscais do Ipem fazem a análise das amostras. Os exames são feitos de acordo com o Regulamento Técnico Metrológico em vigor. Quem define essas regras é o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), órgão federal que delega a atividade de fiscalização ao Ipem no Estado de São Paulo. Atualmente o regulamento, que você pode ler na íntegra e baixar do site do Inmetro, é a portaria Inmetro nº. 38 de 11 de fevereiro de 2010.

Pescado congelado, pelas suas próprias características de produto em baixa temperatura, exige uma série de cuidados, que vão desde o armazenamento e transporte ao laboratório, até o modo como vai ser verificado o peso.

Resumidamente, a metodologia utilizada pelo Ipem-SP para pesar o pescado congelado consiste nas seguintes etapas:

1 – Pesar o produto, ainda dentro da embalagem, para determinar o Peso Bruto (PB).

2- Retirar o produto e pesar a embalagem, totalmente limpa e sem resíduos, obtendo-se assim o valor do Peso da Embalagem (PE).

3- Determinar o Peso do Produto Glaciado (PPG), subtraindo-se o Peso Bruto do Peso da Embalagem.

PPG = PB – PE


4- Fazer o desglaceamento do produto. O produto já sem embalagem é colocado numa peneira e submergido na água à temperatura de 20º C por 20 segundos. Depois, a água é escoada por 30 segundos.

5- O conjunto peneira mais produto é pesado (descontado o peso da peneira), determinando o Peso do Produto Desglaciado (PPD).

Mas já acabou? Ainda não. Para o produto ser aprovado ou reprovado, o fiscal tem que fazer mais algumas etapas.

6- Determinar o Peso de Gelo (PG) contido no produto:

PG = PPG – PPD

7-Determinar a quantidade relativa de gelo (PGAR), que é feito por meio de uma fórmula matemática, após o exame de seis unidades do produto.

8- Calcular o Peso Efetivo do produto (PE) que é feito por meio de outro cálculo matemático, multiplicando-se o Peso do Produto Glaciado (PPG) por 1 menos a quantidade relativa de gelo na amostra coletada.

PE = PPG x (1-PGAR)

É esse o peso que deve constar na embalagem.

Fácil não? Ainda bem que existe um profissional do Ipem para fazer isso!

Anúncios

Tags: ,

15 Respostas to “Para não comprar gelo por peixe”

  1. Antonio Carlos Says:

    Na verdade a resposta é simples. estamos no Brasil e como não existem normas adequadas vamos continuar sendo roubados sem ter com quem reclamar.

    • Montini Says:

      Caro Antonio Carlos,
      Registramos a sua opinião. Entretanto, se você tem alguma reclamação a fazer, entre em contato com a Ouvidoria do IPEM-SP e relate o seu caso. O telefone é 0800.013.05.22 e a ligação é gratuita.

  2. Isaías Félix Says:

    Legal. Só não respondeu a pergunta. Qual o percentual de salmoura, gelo, conservante, seja lá o que for, o que não é peixe, qual o percentual permitido por lei?

    • Montini Says:

      Conforme esclarecemos no post e nos comentários, o regulamento não define percentuais ou tolerâncias. Recomendo leitura atenta do post e da legislação indicada. Dúvidas ou reclamações podem ser apresentadas à Ouvidoria do IPEM-SP (0800.013.05.22).

  3. Izabel Says:

    Pois bem li e reli todas as perguntas e as respostas acima. Também comprei file de polaca 1 kg, e ao descongelar me sobrou apenas 0,710 gr com a embalagem. Me senti roubada pois pensando bem pagar R$ 15,26 o kg paguei deste valor quase R$ 5,00 de gelo, e esse na minha casa é de graça.Então realmente é muito caro para pagarmos em gelo. Sendo que fiz minha reclamação a empresa distribuidora e cfe. a resposta tem uma tolerância de até 80% no peso pela quantidade de água que o peixe contém. Pasme então na embalagem deveria ter o peso real e não 1 kg peso líquido. Porque o peixe não é pesado um quilo dele e natura e depois congelado? Assim seriamos menos roubados. Acho que todos os comércios deveriam ter uma balança ao lado dos freezer onde são expostos os peixes em geral. É muita roubalheira a população por um alimento que é saudável menos o preço.Em comparação a outros tipos de carne que tem que ter bem mais cuidados e muitos anos de tratamento para chegar ao peso para o abate.Fica aqui também minha indignação ao método usado para os peixes embalados ou a qualquer outros produtos que enganam o consumidor.Achei bem colocado o comentário do amigo Marcelo Says, Ainda bem que não é Santos, Atenciosamente Izabel C.B.Czerkus

    • Montini Says:

      Cara Isabel,
      De fato, essa questão tem causado celeuma. A informação obtida por você, de que existe tolerância de 80%, é descabida. Como citamos no post, não há tolerância definida. Ligue para a nossa ouvidoria no 0800.013.05.22 e formalize a sua denúncia.

  4. jovenil carlos moreno Says:

    COMPREI UM QUILO DE FILÉ DE POLACA CONGELADA AO DESCONGELAR O PRODUTO MEDI 400ML DE AGUA TA CORRETO? QUAL SERIA A IDEAL MEDIDA APO´S DESCONGELADO?.

    • Montini Says:

      Caro Jovenil,
      A legislação não define uma quantidade ideal de líquido remanescente do descongelamento. Para produtos glaciados (quando o produto já congelado é mergulhado em água fria, para que se forme uma camada de gelo sobre ele a fim de aumentar o prazo para consumo) a portaria Inmetro 38/2010 define condições ideais de descongelamento em laboratório, descritas no post. Se você adquiriu o produto no Estado de São Paulo, ligue para a nossa Ouvidoria (0800.013.05.22) e relate o caso, que será encaminhado a uma equipe de fiscalização.

  5. Paula Says:

    Olá! Gostaria de saber se este método também pode ser utilizados para peixes não glaceados,ou seja, apenas congelados.

    • Montini Says:

      Prezada Paula,
      Para pescado apenas congelado esse método é desnecessário. Para conferir se o peso líquido está correto basta retirá-lo da embalagem e pesá-lo numa balança adequada. A razão é a seguinte: O pescado em natura tem mais de 60% de água na sua composição. Quando congelado, é essa água que vira gelo. Existe, inclusive, alguma perda de água por evaporação durante o processo de congelamento, sobretudo quando este é feito por corrente de ar frio. No processo de glaciação, ao contrário, o pescado já congelado é imerso em água fria. Imediatamente forma-se uma camada de gelo sobre o produto a fim de aumentar o tempo de validade para consumo. Esse processo acrescenta água ao pescado, e é o peso dessa água que não pode e não deve ser incorporado ao peso do produto, daí o método que determina quanta água foi acrescentada em razão do processo de glaciação..

  6. rose scuro Says:

    para que colocam um site onde não se dá a resposta exata para qual a porcentagem de água, gelo pode conter um produto, pois comprei file de peixe 1 kilo e depois de descongelado tinha 520 gramas. queixo -me para quem o papa?
    a marca é la rioja.

    • ipemsp Says:

      Cara Rose,
      Antes de tudo, desculpe a demora em responder. Tivemos alguns problemas administrativos com o blog… Quanto à sua colocação, o que acontece é que não existe definição de percentual. O fornecedor pode colocar quanto gelo julgar necessário para conservar o produto desde que este, após descongelado segundo o procedimento que descrevemos no post, mantenha o peso informado na embalagem. Quanto à reclamação, não se queixe ao Papa. Se você mora no Estado de São Paulo formalize a sua reclamação na Ouvidoria do IPEM-SP. O telefone é (11) 0800.013.05.22 (ligação gratuita) e informe, além da marca, o local onde você adquiriu o produto. Uma equipe fiscal irá ao local para coletar amostras para análise. E se você desejar, será informada do resultado.

  7. Edvar Gonçalves Says:

    Bem simples mesmo!!!!!!!!!!!! e o percentual tolerável, 1, 3, 5, 8, 10, 12, 15 % ?????, não foi informado o percentual.

    • Montini Says:

      Pois é, Edvar, nem mesmo com relação à tolerância o procedimento é simples. Não existe tolerância fixa. A metodologia para aprovação ou reprovação do produto é função do tamanho do lote e da amostra coletada. O produto pode ser reprovado pelo critério dos erros individuais e média das amostras. A fórmula é um pouco complicada, mas você pode encontrá-la no Regulamento Técnico Mercosul sobre medição de massa e volume em produtos pré-medidos. Veja o link: http://www.inmetro.gov.br/legislacao/rtac/pdf/RTAC001339.pdf

  8. marcelo Says:

    Gostei da matéria, muito bem explicado. Realmente, ainda bem que tem fiscal, não é fácil saber o peso do peixe. (E não estou falando do Santos! Risos).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: