Por que os instrumentos de medição precisam ser calibrados de tempo em tempo?

by

Calibração de padrões de massa em balança comparadora

As medições são feitas por comparação, isto é, pega-se uma medida padrão qualquer – um peso, por exemplo – e se compara com aquilo que se quer medir. Um instrumento de medição é um dispositivo que facilita essa comparação. A balança, por exemplo, é um instrumento que auxilia a comparação entre um padrão de massa (peso padrão) e o objeto que se está pesando.

Acontece que nenhum instrumento de medição, por mais sofisticado que seja, consegue apresentar um resultado exato. Quer dizer, por definição não existe instrumento de medição que apresente um resultado exatamente igual ao valor real do objeto que se está medindo.

Esses instrumentos  sempre trabalham dentro de uma faixa de incerteza conhecida. Quanto menor a incerteza, maior a qualidade metrológica do instrumento ou padrão, e vice-versa. Dessa maneira, caso alguém precise fazer uma medição extremamente precisa, deve usar padrões e instrumentos com alta qualidade metrológica. Dosar os componentes de um medicamento, por exemplo, requer instrumentos desse tipo. Ao contrário, uma medição doméstica não exige alta qualidade metrológica: Uma medida de volume usada em culinária, por exemplo.

Existem instrumentos de medição e padrões metrológicos adequados para cada finalidade. Porém, eles necessitam ser calibrados. O que é, então, a calibração? Para simplificar, calibração é o processo de comparação entre o instrumento a ser calibrado e padrões de qualidade metrológica adequada. O desvio existente entre o resultado apresentado pelo instrumento passa a ser conhecido e é levado em conta quando o instrumento é utilizado. Em muitos casos, após a calibração o instrumento pode ser ajustado, de modo a reduzir os erros de medição.

Com o passar do tempo e com a utilização, os instrumentos de medição perdem qualidade metrológica, ou seja, a incerteza  passa a ser maior. A calibração permite conhecer as discrepâncias apresentadas pelo instrumento e, eventualmente, ajustá-lo para reduzi-las.

Anúncios

17 Respostas to “Por que os instrumentos de medição precisam ser calibrados de tempo em tempo?”

  1. Sebastião Alves Says:

    Na minha opinião poderíamos resumir que o objetivo da calibração é garantir a rastreabilidade do instrumento ou da medição, identificar a incerteza, os desvios e os erros do instrumento para serem levados em conta no momento da medição de uma característica ou parâmetro e também na calibração de outro instrumento.

    • Montini Says:

      Caro Sebastião,
      Exatamente! Não abordamos esses aspectos mais técnicos no texto, pois ele se dirige a um público não especializado. Você, contudo, sintetizou a questão com precisão digna de um metrologista experiente! Obrigado.

  2. Flavio Says:

    Por favor . gostaria de saber qual é a lei que obriga a calibração de instrumentos.
    Grato

    • Montini Says:

      Caro Flávio,
      Não há lei que torne a calibração obrigatória. Instrumentos de medição precisam ser calibrados periodicamente para que permaneçam dentro dos parâmetros metrológicos aceitáveis para o tipo de processo onde são empregados. Uma balança analítica utilizada num laboratório farmacêutico, por exemplo, precisa manter um desempenho confiável. Por outro lado, os instrumentos utilizados em transações comerciais (ou que envolvam a saúde e segurança do cidadão) e que estão sujeitos à metrologia legal como as balanças, bombas de combustível, taxímetros e muitos outros devem obrigatoriamente, por força de lei, serem verificados periodicamente pela autoridade metrológica para ver se apresentam resultados de medição dentro das tolerâncias previstas na legislação. Nesse caso são regulamentados pela Lei federal 5966/73, Resolução Conmetro 11/88 e uma série de regulamentos específicos. Calibração e verificação metrológica são processos distintos. A calibração é de interesse do usuário do instrumento, enquanto a verificação metrológica é de interesse dos consumidores e da sociedade.

  3. O Jogo dos 7 erros metrológicos. | Almanaque do Ipem - SP Says:

    […] Aqui usamos como tema um laboratório de medição de massa onde os padrões (pesos) são calibrados.  Todo mundo sabe como funciona o jogo dos sete erros, mas não custa nada repetir. Deve-se […]

  4. Daniel Says:

    Excelente texto, assim fica mais fácil de entender.

  5. Renato Says:

    Que ótima explicação! Um amigo me disse que é importante eu fazer a calibração dos meus equipamentos mas eu não acreditei… ainda bem que vi essa matéria!!! Parabéns!!!

  6. isisabelho Says:

    É essencial que todos os novos itens passem pela calibração antes da primeira utilização e, posteriormente, para ter certeza de que os parâmetros do aparelho permanecem dentro da tolerância. Os parâmetros podem mudar ao longo do tempo, devido à manutenção negligente, uso incorreto e até mesmo desgaste geral.

  7. Luiz Gonzaga Furtado Cunha - OAB/CE, 2976 Says:

    Prezados engenheiros: Já a bastante tempo me contraponho às exigência IPEM-Fortaleza, em razão da exigida taxa de aferição da balança instalada no interior da empresa a permitir controlar a produção por equitare.

    O instrumento tem caráter puramento doméstico e não se presta atos de comércio, troca, permuta ou dação. Autoriza, sim, conhecer a produção em tonelagem por hectare, de simples interesse da Empresa a não exigir precisão absoluta. Presta-se a anunciar esta o solo em estado ideal ou não ao cultivo, oferecendo o máximo, ou exigindo correções e adubações em definidas e determinadas áreas.

    Meu posicionamento é no sentido de que o instrumento por sua natureza doméstica e objetivo exclusivamente privado e restrito aos interesses da empresa, não está sujeito a aferição oficial e exigida por lei para os instrumentos destinados aos interesses públicos do comércio e afins. Portanto, só se fará necessária a aferição quando de interesse pessoal do proprietário, em especial em razão de conserto ou manutenção; portanto particular.

    Em que podem os senhores me ajudar.

    Sou o advogado da empresa e estou desenvolvendo um trabalho para anular as notificações impostas, por não atendidas administrativamente, em busca da arrecadação.

    Fico grato.

    Fort. 11/março/2013.

    • ipemsp Says:

      Caro Advogado Luiz Gonzaga,
      Certamente é do seu conhecimento o teor da resolução Conmetro 11/88 a qual, no seu capítulo III, 8 estabelece: “Os instrumentos de medir e as medidas materializadas, que tenham sido objeto de atos normativos, quando forem oferecidos à venda; quando forem empregados em atividades econômicas; quando forem utilizados na concretização ou na definição do objeto de atos em negócios jurídicos de natureza comercial, civil, trabalhista, fiscal, parafiscal, administrativa e processual; e quando forem empregados em quaisquer outras medições que interessem a incolumidade das pessoas…”.
      Ou seja, a questão é eminentemente jurídica, um tanto controversa e refoge ao escopo deste blog, mais voltado a dirimir dúvidas técnicas da população. Trata-se, ao que parece, de demonstrar que a balança em questão não é utilizada em nenhuma atividade citada na referida resolução Conmetro. É difícil esquivar-se, por exemplo, do preceito “quando forem empregados em atividades econômicas”. Recomendo uma consulta ao Inmetro, Autarquia Federal de quem o IPEM-Fortaleza, a exemplo deste Ipem-São Paulo, obtém delegação para o exercício das atividades de controle metrológico. Desejo sucesso!

  8. Mauricio Says:

    Uau que debate legal e eu que estou varrendo a internet para achar matérias sobre instrumentação…muito bom mesmo. Valeu!

  9. Eng. Mec. Paulo L. Pastore Says:

    Discordo com esta afirmativa, que instrumentos de medição necessitam de tempos em tempos de calibração. O que ocorre é qualidade do instrumento de medição. Eu, projeto instrumentos de medição que atendem ao objetivo, devido que possuem um banco de dados e certeza da medição, por que existe um sistema de controle, que é um sistema via software do tipo field bus, e que dificilmente irá necessitar de calibração, por ter um sistema para esta finalidade. Já instrumentos de medição que necessitam de calibração de tempos em tempos, é de qualidade duvidosa e projeto mal feito, ao meu modo de ver.

    • pmontini Says:

      Caro Engenheiro Paulo,
      Antes de tudo, agradeço o seu comentário.
      A matéria que apresentamos no Blog é destinada ao público leigo, portanto prescinde de uma discussão conceitual mais aprofundada. Naturalmente, a incorporação de softwares sofisticados tem contribuído bastante com a qualidade dos resultados de medição. Entretanto, por mais sofisticado que seja o sistema de controle, este precisa ser referido aos padrões relativos às grandezas físicas com os quais trabalha, caso contrário a rastreabilidade e a confiabilidade metrológica ficam comprometidas. Recomendo uma visita ao VIM, Vocabulário Internacional de Metrologia, onde esses conceitos são tratados com a profundidade esperada pelos especialistas. Acesse o link : http://www.ipem.sp.gov.br/5mt/met-geral.asp?vpro=abe
      Quanto à sua sugestão relativa aos dispositivos elétricos, procuraremos encaminhá-la ao Inmetro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: