Archive for the ‘Avaliação de conformidade’ Category

Dia das Mães: Fique de olho nas etiquetas

6 de maio de 2019

Impossível deixar de homenagear as mães no seu dia. Será em 12 de maio! Aqui no Almanaque, além de parabenizar todas as mães vamos dar uma dica na hora de comprar presentes para elas: Fique de olho nas etiquetas!

Resolveu dar roupa de presente? Fique de olho na etiqueta têxtil. Ela contém uma série de informações importantes sobre o tipo de composição do tecido, tamanho, dados do fabricante e cuidados para limpeza. A presença da etiqueta têxtil é obrigatória nas peças de vestuário, roupas de cama, mesa e banho, cortinas, colchões, travesseiros, linhas e mais um grande variedade de produtos! O Ipem-SP fiscaliza regularmente os produtos têxteis. Equipes especiais de fiscalização  visitam fabricantes e comerciantes e retiram de comercialização os produtos que estiverem irregulares ou que não apresentarem a etiqueta têxtil. Aliás, lembre-se de que a lã e a seda são fibras naturais. Não existem lãs e sedas sintéticas.

Resolveu dar um eletrodoméstico? Fique de olho na Etiqueta Nacional de Conservação de Energia – ENCE. Todos os eletrodomésticos devem apresentar a etiqueta do Inmetro que informa sobre o consumo de energia. As lavadoras e fogões devem apresentar, além disso, informações sobre o consumo de água e gás, respectivamente. O consumo de energia é indicado por uma escala colorida com letras de A a G, que apresentam os níveis de consumo do aparelho. Uma sete preta com a letra correspondente ao consumo daquele aparelho informa o seu nível de eficiência energética. Assim é fácil saber, por exemplo, que um produto classificado com letra A é mais eficiente (gasta menos) do que um com a letra C. O Ipem-SP fiscaliza a presença das etiquetas nesses produtos.

Anúncios

O Ipem-SP nos Transportes – Produtos

10 de abril de 2019

       Hora do rush na Avenida Prestes Maia – São Paulo – SP       foto: Bruno Takahashi Carvalhas de Oliveira (Domínio Público)

Além dos Instrumentos de medição verificados e fiscalizados pelo Ipem-SP que vimos na primeira postagem sobre o tema (O Ipem-SP nos Transportes – Instrumentos), também são verificados pelo Ipem-SP os produtos pré-medidos, cuja quantidade é definida sem que o consumidor acompanhe o processo de medição. Os aditivos, aromatizantes, ceras, fluídos para freios, fluídos e óleos lubrificantes, fluídos para radiador, massas e líquidos polidores, solução para baterias, xampus e muitos outros, utilizados na manutenção e conservação dos veículos, são verificados para saber se a quantidade de produto contida na embalagem corresponde, de fato, àquela informada no rótulo. Amostras dos produtos são coletadas, diariamente, nos pontos de venda e encaminhadas aos laboratórios do Ipem-SP para verificação metrológica.

fotos: divulgação

Além dos instrumentos e produtos sujeitos à metrologia legal, o Ipem-SP também fiscaliza os produtos e serviços sujeitos à avaliação da conformidade, ou seja, cuja fabricação, instalação ou manutenção só pode ser feita, obrigatoriamente, conforme as normas e os regulamentos técnicos aprovados pelo Inmetro. Capacetes para motociclistas, Cilindros para GNV, Dispositivo de retenção para crianças (cadeiras e assentos de segurança), Extintores de Incêndio, Inspeção em veículos de transporte rodoviário de passageiros, Líquidos para freio hidráulico, Pneus, Rodas automotivas, Vidros automotivos… A lista é realmente longa. São cerca de sessenta produtos e serviços voltados para a segurança no transporte. O Ipem-SP fiscaliza esses produtos (e muitos outros, das mais variadas categorias) e verifica se estes apresentam os símbolos de certificação (selo do Inmetro).

 

fotos: divulgação

 

 

7 de abril – Dia Mundial da Saúde

5 de abril de 2019

Cobertura universal de saúde é o tema do Dia Mundial da Saúde deste ano de 2019, da Organização Mundial de Saúde – OMS. O objetivo principal da OMS é assegurar que todos possam obter os cuidados de saúde necessários, quando for preciso, na sua própria comunidade. Infelizmente, isso ainda está longe de acontecer. Daí a necessidade de um dia especial para a tomada de consciência sobre essa questão tão importante.

De fato, quando nos referimos à saúde pensamos logo em médicos, hospitais, ambulatórios, vacinação, saneamento básico… Então, qual seria a participação do Ipem-SP nessa história?

O Ipem-SP trabalha em várias frentes que promovem o cuidado e a prevenção da saúde da população, quer quando verifica instrumentos de medição, quer quando fiscaliza produtos sujeitos à avaliação da conformidade.

Os termômetros clínicos, os medidores de pressão arterial (esfigmomanômetros) e as balanças antropométricas são instrumentos cujas medições precisam ser absolutamente confiáveis, pois delas depende, muitas vezes, o diagnóstico e o tratamento adequado. O Ipem-SP verifica esses instrumentos para que mantenham a confiabilidade metrológica esperada.

 

Dentre os muitos produtos sujeitos à avaliação compulsória da conformidade, vários deles estão diretamente vinculados à saúde e à segurança dos cidadãos. As seringas e agulhas hipodérmicas,  os equipos para infusão e transfusão, implantes mamários ou as luvas cirúrgicas dispensam maiores explicações.

No que diz respeito à prevenção, produtos como os preservativos masculinos (camisinha), mamadeiras, berços, andadores infantis, chupetas, entre muitos outros, também devem ser fabricados conforme as normas de segurança aprovadas pelo Inmetro, e são fiscalizados pelo Ipem-SP. Todos esses produtos podem comprometer a saúde ou a segurança dos usuários caso sejam fabricados de maneira inadequada.

A ação fiscalizadora do Ipem-SP é mesmo muito diversificada. Conheça melhor o campo de atuação do Ipem-SP acessando o post Ipem-SP – O que é e o que faz

Metrologia em Revista, a revista do IPEM-SP

2 de maio de 2017

clique na imagem para acessar a revista

O lançamento da publicação digital “Metrologia em Revista” faz parte das comemorações do 50º aniversário do IPEM-SP. De cunho técnico-científico, a revista com periodicidade trimestral pretende abordar temas voltados à metrologia e à avaliação da conformidade de maneira mais aprofundada. Embora dirigida a um público formado principalmente por estudantes, técnicos, especialistas e profissionais da área, a revista adota, sempre que possível, uma linguagem informal e livre de tecnicismos para tornar as matérias acessíveis a um maior número de leitores. Confira!

12 de outubro – Dia das Crianças!

6 de outubro de 2016

 

objetos-para-criancaEmbora tenha sido criado, aqui no Brasil, em 1924, o Dia da Criança só pegou mesmo em 1960. Na época foi apenas uma estratégia mercadológica para alavancar as vendas de brinquedos e produtos para bebês. Hoje, entretanto, a data se tornou um marco! Ela nos lembra que as crianças são frágeis, que estão sujeitas a múltiplas ameaças e que precisam ser protegidas!

O IPEM-SP faz a sua parte na medida em que fiscaliza os produtos sujeitos à avaliação compulsória da conformidade utilizados por crianças: Artigos escolares; Berços; Bicicletas infantis; Brinquedos; Cadeiras para alimentação (cadeirões); Carrinhos para bebê; Chupetas; Dispositivos de retenção (cadeirinhas para automóvel); Mamadeiras e bicos.  Todos esses produtos devem ser fabricados, obrigatoriamente, de acordo com as normas técnicas aprovadas pelo Inmetro, e devem exibir o Selo do Inmetro. Veja alguns exemplos de selo abaixo:

selos-seguranca-inmetroNo caso dos brinquedos, além do selo de segurança observe também a faixa etária indicada na embalagem. Lembre-se: Retirar o brinquedo da embalagem, ler as instruções e fazer a montagem é tarefa para adultos. Ah! Nunca compre no comércio informal e sempre exija a nota fiscal.

Fiscalizar é fundamental!

21 de julho de 2015

.

O IPEM-SP fiscaliza a quantidade e a qualidade de inúmeros produtos e serviços adquiridos pelo cidadão!  Veja como funciona:

Os especialistas e técnicos do IPEM-SP agem em nome do Inmetro.  Eles fiscalizam o desempenho de todos os instrumentos de medir  (balanças, bombas de combustível, taxímetros, termômetros clínicos, tacógrafos, radares e muitos outros) usados nas transações de compra e venda ou na prestação de serviços, em todo o Estado de São Paulo! Os fiscais verificam se esses instrumentos  estão medindo corretamente, para que o consumidor não seja prejudicado.

Os produtos embalados e pré-medidos como arroz, feijão, açúcar, óleo, leite, detergente, desodorante, papel higiênico e mais uma infinidade de produtos cuja quantidade é determinada pelo fabricante sem que o consumidor acompanhe a medição, também são fiscalizados diariamente pelo IPEM-SP, para que o consumidor leve para casa exatamente a quantidade de produto que comprou.

Além disso, o IPEM-SP fiscaliza o selo de conformidade dos produtos sujeitos à Avaliação da Conformidade, como brinquedos, mamadeiras, carrinhos de bebê, preservativos, material elétrico, extintores de incêndio e muitos outros produtos que possam causar dano ao consumidor e ao meio ambiente, caso não sejam fabricados da maneira correta.

Ou seja, a atuação do IPEM-SP é fundamental para a sociedade, tanto na proteção dos interesses do consumidor, como na preservação do meio ambiente e na manutenção da leal concorrência entre produtores, comerciantes e prestadores de serviço. Afinal, de nada adianta termos boas leis se não tivermos instituições fortes e atuantes que fiscalizem o cumprimento e a aplicação dessas leis.

 

 

 

Fósforos.

25 de fevereiro de 2015

fosforo2

 

Os palitos eram muito curtos, rachados ou quebrados… As caixas, mal fechadas, tinham lixas de acendimento que não duravam nada… Os fósforos soltavam fagulhas, queimavam muito rápido, tinham as cabeças coladas umas às outras… Enfim, os problemas não eram poucos e nem eram desprezíveis.  Muita gente se feriu por conta da má qualidade dos fósforos ditos “de segurança”.

Por tudo isso os fósforos de segurança foram incluídos no programa de avaliação da conformidade do Inmetro. A partir da edição da Portaria Inmetro 624/2012 os fabricantes passaram a seguir critérios técnicos obrigatórios para que os fósforos deixassem de causar acidentes. Hoje, além de cumprir as normas de fabricação que tornam o produto seguro, os fabricantes devem apresentar, na embalagem, uma série de informações ao consumidor. Veja:

  1. Nome e marca do produto;
  2. Quantidade de palitos contidos na caixa;
  3. Composição do produto;
  4. Razão social e CNPJ do fabricante, importador ou distribuidor;
  5. País de origem ;
  6. Lote ou data de fabricação;
  7. Validade: “Produto não perecível”;
  8. Telefone do SAC e e-mail ou endereço do fabricante, importador ou distribuidor.

 caixafosforos

Os alertas “Mantenha longe de crianças, do calor e umidade” e “Não riscar na direção do corpo e nem com a caixa aberta” também devem ser obrigatoriamente exibidos na embalagem. Essa última expressão deve ser complementada por um desenho mostrando em que sentido a riscagem deve ser feita, semelhante à ilustração acima.

Nem todos os fósforos são certificados. Apenas os fósforos cujas hastes são feitas de madeira (palitos), e que só acendem se friccionados numa lixa especial na parte exterior da caixa é que estão sujeitos à avaliação da conformidade. Ao comprar fósforos de segurança, observe a presença do “Selo de Identificação da Conformidade” do Inmetro.

O IPEM-SP na construção civil.

13 de fevereiro de 2015

 

civil

No universo da construção, engenharia e arquitetura, o IPEM-SP atua na fiscalização das dimensões de materiais de construção como tijolos, canaletas e blocos cerâmicos, elementos vazados, entre outros. Fiscaliza, ainda, a quantidade dos materiais pré-medidos como sacos de cal, argamassa, cimento, pregos, tintas, fios etc.

(more…)

Acidente de Consumo e as baterias tipo botão.

18 de junho de 2014

 

No vídeo acima, produzido pelo Inmetro, o acidente de consumo é explicado de maneira muito criativa. Não deixe de ver. E por falar em acidente de consumo, o Inmetro e a ONG Criança Segura estão fazendo um alerta nacional sobre o risco provocado pela ingestão ou aspiração acidentais de baterias do tipo botão por crianças. A divulgação faz parte de uma campanha internacional de conscientização que se estenderá ate 20 de junho.

As baterias tipo botão.

Quando usadas em brinquedos, os compartimentos onde ficam essas baterias são projetados para impedir o acesso da criança. Em outros produtos, entretanto, isso não acontece, como é o caso de controles remotos, chaves de carro, pequenos objetos eletrônicos (calculadoras, relógios, cartões, MP3,  lanternas) e até tênis e roupas com pisca-pisca. Nesses produtos os compartimentos onde ficam as baterias são fáceis de abrir.

bateria-botao

Muitos pais ainda não se deram conta do perigo que essas baterias representam, ainda mais porque, quando ingeridas ou aspiradas,  os sintomas que a criança apresenta podem ser confundidos com doenças comuns como resfriados, viroses ou alergias. As consequências são danosas e podem ser fatais!

Por isso o Conselho Internacional de Segurança de Produtos de Consumo lançou a Semana Internacional de Conscientização para reduzir lesões e mortes de crianças por ingestão da “bateria botão”. Integram a ação, além do Brasil, a União Européia, Estados Unidos, Canadá, Letônia, México, Peru, Colômbia, Japão, Coreia do Sul, Austrália e Nova Zelândia.

Dicas de segurança:

– Mantenha equipamentos com baterias tipo botão fora do alcance das crianças.
– Se a criança engolir a bateria, procure imediatamente atendimento médico de emergência. Não deixe a criança comer ou beber e não provoque vômito.
– Os sintomas podem ser parecidos com os de outras doenças como tosse, desconforto e salivação intensa. O diagnóstico é difícil. Por isso, o melhor é prevenir.
– Relate o caso no Sistema Inmetro de Monitoramento de Acidentes de Consumo:
Site do INMETRO:
http://www.inmetro.gov.br/acidenteconsumo
Site do IPEM-SP:
http://www.ipem.sp.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1202&Itemid=459

Seringas e agulhas de injeção

19 de agosto de 2013

seringa e agulhaDesde o dia primeiro de julho deste ano de 2013 as agulhas e seringas hipodérmicas só podem ser fabricados em conformidade com os requisitos das Resoluções da Diretoria Colegiada (RDCs) nº 3, nº 4 e nº 5 da Anvisa e das Portarias Inmetro nº 501, 502 e 503/2011. Os produtos fabricados antes dessa data podem ser comercializados e utilizados até a sua data de validade, mesmo que não tenham o selo de identificação da conformidade.

O objetivo das certificações é proteger a saúde e segurança do consumidor. Caberá à Anvisa fiscalizar se os produtos trazem o selo do Instituto.

O Inmetro analisou, em fevereiro de 2010, 13 marcas de seringas e agulhas usadas para injetar medicamentos. Os principais problemas encontrados nessas agulhas estavam relacionados à possibilidade de ferimentos, de contaminação e desperdício de medicamentos, além do fato de a agulha não possuir resistência à corrosão na cânula (tubo de aço). No caso das seringas, o produto deve ser fabricado sob condições que garantam a ausência de contaminantes.

Fabricantes, importadores e comerciantes que apresentarem produtos não conformes estarão sujeitos às penalidades previstas na Lei.

(texto adaptado do site do Inmetro)