Archive for the ‘Mascote’ Category

Não é de hoje

4 de março de 2011

Os quadrinhos acima foram criados em 1979 por Fábio Simas, servidor do IPEM desde 1968, e eram distribuídos nas feiras-livres pelos próprios fiscais para orientar os consumidores. O Fábio é o mais antigo metrologista em atividade na Autarquia, e desde aquela época (lá se vão 42 anos!) colocava a sua criatividade e habilidade artística a serviço do consumidor.

Atualmente o IPEM dispõe de uma equipe de comunicação e dos recursos necessários para produzir toda sorte de peças de divulgação. Nos idos de 1979, entretanto, nada disso existia, e o Instituto não contratava (como ainda hoje não contrata) agências de publicidade ou artistas profissionais. As iniciativas de divulgação eram feitas assim, à mão, nanquim sobre papel. A precariedade de recursos era compensada pelo talento e boa vontade de funcionários como o Fábio, para quem bastava o reconhecimento dos colegas e do público que lia os seus quadrinhos.

Não é de hoje, portanto, que o pessoal do IPEM-SP coloca, graciosamente, o seu talento a serviço do cidadão. E para que os bons hábitos permaneçam, as novas gerações de servidores terão em quem se espelhar.

Anúncios

Homenagem ao dia das mães!

7 de maio de 2010

 

Caso presenteie sua mãe com um produto têxtil como vestidos, lingeries, roupa de cama,  mesa e banho, sugerimos que antes  ouça as dicas da  diretora de Fiscalização de produtos têxteis do Ipem-SP. Não compre peça que não tiver etiqueta e procure sempre observar as informações contidas ali . É um direito do consumidor!

(more…)

O Mascote do IPEM – SP

6 de janeiro de 2010

Esse simpático robô é o mascote do IPEM-SP. Sua criação foi inspirada na principal atribuição do Instituto: A proteção ao cidadão nas relações de consumo que envolvem metrologia legal e avaliação obrigatória da conformidade de produtos.

O mascote do IPEM-SP representa a precisão tecnológica humanizada.  Sua missão é zelar para que os instrumentos de medir sempre apresentem medições corretas, e os produtos oferecidos aos cidadãos  sejam fabricados de acordo com as normas de qualidade obrigatórias.