Archive for the ‘Instrumentos de medição’ Category

Caminhando e contando

28 de setembro de 2010

Muitas das antigas maneiras de medir ainda persistem entre nós, sobretudo aquelas que se baseiam em partes do nosso corpo. O passo é uma delas. Passo é uma antiga medida romana, abolida há muito tempo, que equivalia a 5 pés (mais ou menos 1,5m). Hoje em dia, só nos lembramos do passo como unidade de medir quando vemos, nos filmes de piratas, o capitão contar passos para encontrar o seu tesouro enterrado. (more…)

A grandeza da inteligência

24 de setembro de 2010

intelec

Medir é quase uma compulsão para os cientistas. A possibilidade de isolar as grandezas de um fenômeno físico para então quantifica-las é um dos pilares do método científico. Trocando em miúdos, a comprovação de uma teoria científica se faz, normalmente, por experimentos que envolvem medições. O Sistema Internacional de Unidades – SI estabelece toda uma gama de grandezas físicas passíveis de serem medidas e que dão conta dos fenômenos estudados pela ciência. Em sendo assim, ficamos um tanto surpresos quando uma estudante nos propôs que imaginássemos um instrumento de medir ainda não inventado, para quantificar uma grandeza física ainda não descoberta pela ciência. (more…)

Por que os sumérios contavam com base no doze?

26 de agosto de 2010

Escrita cuneiforme desenvolvidada pelos sumérios gravada numa escultura do século XXII a.C. (, Paris)

Medir é definir, numericamente, uma quantidade. Desde que tenhamos a unidade de medir definida, basta contar quantas dessas unidades são necessárias para medir o que desejamos. Por exemplo, podemos usar o metro para medir o comprimento uma peça de tecido. Digamos que, após comparar o metro com a peça, descobrimos que ela tem 8,5 metros, o que significa que contamos o metro oito vezes e meia. Portanto, o sistema de contagem que usamos é muito importante para determinar as medições.

 

Hoje usamos o sistema de contagem decimal, e o próprio Sistema Internacional de Unidades tem base decimal. Mas nem sempre foi assim, e ainda hoje existem grandezas que são contadas em base duodecimal (base 12). A medição de tempo é um bom exemplo.  O dia tem vinte e quatro horas, e cada hora tem 60 minutos ou 3600 segundos. Não é difícil perceber que a base de contagem é o doze e não o dez. Mas porque será que é assim?

 

Tudo indica que o sistema duodecimal começou lá na antiguidade, com os sumérios. Se os sumérios tinham dez dedos como todo mundo, porque não contavam as coisas com base no número dez, como fazemos hoje? É que eles tinham um jeito peculiar de contar. Quando contavam, eles moviam o polegar da mão direita sobre as falanges dos outros quatro dedos. Cada dedo tem três falanges, então era possível contar até doze em uma mão. Já a mão esquerda era usada para contar quantas mãos direitas tinham sido completadas na contagem. Cinco dedos da mão esquerda vezes doze falanges da mão direita, e temos o número sessenta, até hoje usado como base de contagem para medidas de arcos e ângulos, além de tempo!

 É claro que existem explicações mais pragmáticas, como o fato de o número sessenta ser divisível por um, dois, três, quatro, cinco e seis, o que facilitava os cálculos. Além disso, o ano solar tem doze ciclos lunares. Seja como for, essa antiga herança dos sumérios permanece até os nossos dias nas contagens comerciais, e sempre que comprarmos uma dúzia de qualquer coisa nos lembraremos deles.

A Metrologia da História

12 de agosto de 2010

Temos falado muito, aqui no blog, sobre história da metrologia. Afinal de contas a metrologia é o nosso mister. Neste post, porém, vamos abordar um aspecto pouco comum mas não menos interessante: A metrologia da história.  Isso mesmo, história também se mede, e a grandeza física mais indicada para isso é, naturalmente, o tempo. Estamos habituados a lidar com o tempo cotidiano, este que é medido em minutos, horas, dias, anos… A história, entretanto, utiliza uma escala consideravelmente maior de tempo, principalmente quando se refere à história do planeta, ou seja, àquilo que ocorreu ao longo das eras geológicas. (more…)

Conexões circulares

29 de julho de 2010

Imagem térmica do corpo humano

Temperatura é uma grandeza física das mais intuitivas! Nascemos com a capacidade de perceber as variações de temperatura e distinguir o frio do calor. Porém, como também precisamos medir essa grandeza de modo objetivo, os cientistas acabaram por desenvolver métodos e instrumentos para medi-la. O instrumento mais conhecido é o termômetro de mercúrio. (more…)

Instrumentos de medir incomuns – Massa

27 de julho de 2010

Coleção de padrões de massa (pesos comerciais)

A grandeza massa tem como unidade de medir o quilograma. É a única unidade de base do SI que ainda depende de um protótipo como referência. Todas as outras são definidas mediante conceitos da física. Além disso, o quilograma é a única unidade de base do SI que é um múltiplo, ou seja, um quilograma equivale a mil gramas, porém o grama não é a unidade de base… As esquisitices não param por aí. Sempre nos referimos ao peso das coisas, e não à sua massa. Entretanto, peso e massa não são exatamente a mesma coisa, pois peso é a massa de um corpo submetido à força da gravidade. E tem mais: a definição da física para massa não tem relação com quantidade de matéria, mas sim com inércia, ou seja, é um conceito difícil de ser apreendido. Estranhezas à parte, a medição de massa (ou de peso) é algo bastante familiar a todo mundo, e não há quem não tenha visto ou não saiba para que serve uma balança.  Por isso vamos mostrar, aqui, algumas balanças pouco comuns. (more…)

Instrumentos de medir incomuns – Volume

22 de julho de 2010

Medida materializada de volume para combustível

Para medir volume usa-se uma medida materializada de volume! Ou seja, pega-se o conceito físico de metro cúbico (ou de litro), seus mútiplos e submúltiplos e, com ele, se constrói um recipiente onde seja possível medir uma dada quantidade de líquido. Uma proveta, por exemplo, é uma medida materializada de volume. Existem, entretanto, muitas outras maneiras de se medir volume. Vamos ver algumas delas. (more…)

A praça Vendôme: o palco da Revolução Métrica

20 de julho de 2010
 

   

Muitas pessoas sabem que a praça da Bastilha foi o palco a Revolução Francesa. Mas não é muito conhecida a relação existente entre a praça Vendôme – o imponente largo onde estão instalados os mais luxuosos joalheiros do mundo – e a luta popular. De fato, é nessa praça, onde existem algumas das mais ricas habitações de Paris, que estão os vestígios de uma revolução mais calma,  no entanto tão importante quanto a de 1789 : a Revolução do Sistema Métrico. (more…)

Instrumentos de medir incomuns – Comprimento

14 de julho de 2010

 

Medida materializada. Metro padrão.

Para medir o comprimento das coisas usa-se, naturalmente, o metro. Mas o metro é a unidade SI para essa grandeza física, o comprimento, e portanto é intangível, ou seja, é um conceito da física. (more…)

Medidas extremas

12 de julho de 2010

Conheça a fascinante história das medidas, que acompanham o homem desde o tempo das cavernas.

Texto da Revista Superinteressante, ed. 186, mar. de 2003 

Da Pré-História aos dias de hoje, as medidas de comprimento, volume e massa foram de tal forma incorporadas às nossas vidas que é impossível imaginar a civilização sem elas. Conheça os bastidores dessa história de erros, acertos e acirradas disputas de poder.

(more…)


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 232 outros seguidores