Posts Tagged ‘Brinquedo’

Carnaval 2019

28 de fevereiro de 2019

Carnaval é festa, e a última coisa que a gente quer é estragar a própria festa e a festa alheia. Por isso, dê uma olhada nas dicas para se divertir com segurança:

Rasgue a fantasia! O Ipem-SP fiscaliza todos os produtos têxteis. Na hora de comprar a fantasia, veja a “composição têxtil” informada na etiqueta.  Essa informação é importante porque algumas pessoas são alérgicas a determinadas fibras. A etiqueta também exibe informações sobre o fabricante ou importador, o país de origem, cuidados de conservação do produto e uma indicação de tamanho.

Só dirija se estiver sóbrio! As leis brasileiras são bastante rígidas para os que dirigem alcoolizados, e quem quiser correr o risco pode ser pego pelo bafômetro…. E não vai adiantar comer cebola, chupar bala de hortelã, mascar chiclete, tomar vinagre ou qualquer outra “receita caseira”, pois os bafômetros usados pela polícia são verificados pelo Ipem-SP e nunca se enganam.

Vá de táxi!  Resolveu ir para a folia de táxi? Sábia decisão! O Ipem-SP verifica periodicamente os taxímetros para que estes registrem corretamente o valor da corrida.

Curta com responsabilidade! O preservativo de uso masculino, a conhecida camisinha, deve ter o símbolo do Inmetro na embalagem. Veja também o prazo de validade e não compre se a embalagem estiver danificada. O Ipem-SP fiscaliza  e retira de comercialização as camisinhas irregulares.

Crianças também brincam! No carnaval muita gente usa brinquedo, até as crianças. Antes de comprar brinquedos típicos de carnaval procure o selo de conformidade do Inmetro e observe a faixa etária indicada na embalagem do produto. Brinquedo sem o selo do Inmetro põe em risco a saúde da criança.

No caso de dúvidas, sugestões ou reclamações, fale com a Ouvidoria do Ipem-SP. O telefone é o 0800 – 013 05 22 e a ligação é gratuita.

Boa diversão!

Anúncios

12 de outubro – Dia das Crianças!

6 de outubro de 2016

 

objetos-para-criancaEmbora tenha sido criado, aqui no Brasil, em 1924, o Dia da Criança só pegou mesmo em 1960. Na época foi apenas uma estratégia mercadológica para alavancar as vendas de brinquedos e produtos para bebês. Hoje, entretanto, a data se tornou um marco! Ela nos lembra que as crianças são frágeis, que estão sujeitas a múltiplas ameaças e que precisam ser protegidas!

O IPEM-SP faz a sua parte na medida em que fiscaliza os produtos sujeitos à avaliação compulsória da conformidade utilizados por crianças: Artigos escolares; Berços; Bicicletas infantis; Brinquedos; Cadeiras para alimentação (cadeirões); Carrinhos para bebê; Chupetas; Dispositivos de retenção (cadeirinhas para automóvel); Mamadeiras e bicos.  Todos esses produtos devem ser fabricados, obrigatoriamente, de acordo com as normas técnicas aprovadas pelo Inmetro, e devem exibir o Selo do Inmetro. Veja alguns exemplos de selo abaixo:

selos-seguranca-inmetroNo caso dos brinquedos, além do selo de segurança observe também a faixa etária indicada na embalagem. Lembre-se: Retirar o brinquedo da embalagem, ler as instruções e fazer a montagem é tarefa para adultos. Ah! Nunca compre no comércio informal e sempre exija a nota fiscal.

Brinquedo sem selo do Inmetro não tem graça nenhuma!

20 de setembro de 2011

Sim, o dia da criança está chegando, e com ele um aumento considerável no consumo de brinquedos. Então, nunca é demais repetir que o brinquedo deve ser seguro, pois as crianças brincam com qualquer coisa e não têm o mesmo discernimento que os adultos têm, ou deveriam ter.

 Infelizmente, nem todo mundo que vende brinquedo pensa dessa maneira. Os brinquedos que entram ilegalmente no País não apresentam qualquer garantia de qualidade. Muitos são pintados com tintas tóxicas, têm peças pequenas que podem ser engolidas, quebram facilmente e deixam arestas cortantes e pontiagudas. Enfim, um perigo!

 Por isso, quem compra brinquedo de camelô, sem nota fiscal, sem conhecer a origem do produto e, principalmente, sem o símbolo do INMETRO, não está fazendo economia, está colocando a criança em risco.

 O adulto tem a obrigação de zelar pela saúde e pela segurança da criança, e isso inclui, também, escolher brinquedos adequados à sua faixa etária e que tenham sido fabricados de acordo com as normas aprovadas pelo INMETRO.

 Portanto, se você resolveu presentear com brinquedos, siga as seguintes recomendações:

1- Em primeiríssimo lugar, procure o Selo do INMETRO na embalagem. Ele garante que o produto foi fabricado de acordo com as normas técnicas obrigatórias. Não compre brinquedo sem o símbolo do INMETRO.

2- Verifique e respeite a faixa etária informada na embalagem. Muitos brinquedos trazem peças pequenas que podem ser engolidas por crianças de uma faixa etária inferior.

3- Peça a Nota Fiscal de compra.

4- Monte o brinquedo para a criança. Tirar o brinquedo da embalagem e montá-lo é tarefa para adultos. Não deixe a criança brincar com os sacos plásticos.

 E  já que estamos no assunto, se você está do outro lado do balcão, não fabrique ou comercialize brinquedos irregulares. Além de ser ilegal é um atentado à integridade da criança. Todo brinquedo comercializado no País, mesmo que seja importado, deve ser certificado no âmbito do Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade – SBAC, de acordo com o Procedimento de Certificação para Segurança do Brinquedo. Visite, no site do Inmetro, o link http://www.inmetro.gov.br/legislacao/ e digite, no campo de busca, a palavra chave brinquedo. Você terá acesso à toda a legislação pertinente.

Tira da dupla Pesado e Medido – brinquedos – II

17 de setembro de 2010

tira-brinq

Moral da história:  Os brinquedos precisam ser seguros, não podem ter peças cortantes ou pequenas que possam ser engolidas, ou serem pintados com tinta tóxica! Óbvio, né? Por isso, antes de comprar brinquedo é preciso estar atento à marca da conformidade do INMETRO. Ela demonstra que o produto foi fabricado de acordo com as normas de segurança e está adequado à faixa etária informada na embalagem. É sempre bom lembrar que o brinquedo, por incrível que pareça, será usado pela criança!

Dicas Padaria – Empresário e Consumidor

23 de julho de 2010

Nós, brasileiros, amamos as padarias! Aqui na cidade de São Paulo as padarias se esmeram para oferecer produtos e serviços cada vez mais variados, em espaços cada vez mais sofisticados. E para que o atendimento ao consumidor seja, ele também, cada vez melhor, aqui vão algumas dicas sobre o que o Ipem-SP fiscaliza em uma padaria:

As balanças são fundamentais para pesar os pães, bolos, frios e até comida por “Kilo”. É recomendável que as balanças para atendimento tenham divisão de escala entre 2 gramas e 5 gramas. Para pesar pão francês, por exemplo, a balança não pode ter divisão de escala maior do que 5 gramas. E por falar em pão francês, este só pode ser comercializado a peso. Veja a Portaria Inmetro nº 146, de 20 de junho de 2006, que regulamenta a matéria. A balança de atendimento deve ficar em local nivelado e bem visível ao consumidor. O Ipem-SP fiscaliza periodicamente (pelo menos uma vez ao ano) as balanças das padarias, a ver se estão medindo e sendo operadas corretamente. Veja Portaria Inmetro n° 236 de 22 de dezembro de 1994 a respeito. No caso de comida a peso, é preciso colocar um cartaz, em local bem visível, informando ao consumidor o peso do prato, que deverá ser descontado. Veja a Portaria Inmetro nº 097, de 11 de abril de 2000 a respeito.

Os produtos em embalagem, com peso e preço pré-definidos como panetones, bolos, biscoitos, farinha de rosca, torradas, tortas, pães e demais produtos comercializados sem que sejam pesados na presença do consumidor (produtos pré-medidos) são fiscalizados pelo Ipem-SP. As embalagens devem ter rótulo ou etiqueta onde conste o peso líquido do produto. Caso não apresente a indicação de quantidade, ou o peso esteja errado, o responsável pode ser autuado. A Portaria Inmetro nº 144, de 22 de julho de 2005 regulamenta a matéria. A regulamentação sobre produtos pré-medidos é extensa. Para mais informações, acesse a legislação do Inmetro a respeito.

Além disso, existem alguns produtos vendidos nas padarias que, por suas características de utilização, devem seguir normas rigorosas de fabricação de modo a preservar a segurança e a saúde do consumidor. Os isqueiros, fósforos e brinquedos são bons exemplos. Esses produtos são sujeitos à certificação obrigatória e devem exibir a Marca ou Selo de Conformidade do Inmetro ou de um Organismo de Certificação Credenciado pelo Inmetro (OCP). Produtos sem a marca de certificação são apreendidos pela fiscalização do Ipem-SP e a padaria pode responder solidariamente pela irregularidade. Por isso, jamais compre ou revenda produtos piratas! São mais de cento e cinquenta tipos de produtos sujeitos à avaliação obrigatória da conformidade. Veja a lista completa aqui.

Para outras informações acesse o site do Ipem-SP.

 

Tira da dupla Pesado e Medido – brinquedos

5 de julho de 2010

Moral da história: vuvuzelas, cornetas, apitos, jabulanis de brinquedo precisam ter o selo do Inmetro que atesta a qualidade desses produtos. Por isso, só adquira brinquedos com o selo de qualidade do Inmetro.