Posts Tagged ‘Urânia’

26 de Junho, Dia do Metrologista e da Metrologista!

22 de junho de 2018

Urânia
Cópia romana restaurada, baseada em original grego do século IV a.C.

Urânia, uma das nove musas gregas, representa a astronomia, a geometria, as medições… Urânia é, talvez, a primeira entidade mítica cuja atividade era medir, e que é tradicionalmente representada com um compasso e com o globo terrestre. Os antigos gregos eram realmente sábios: não apenas criaram uma musa para a metrologia, criaram uma metrologista musa!

Em uma representação mais moderna, o globo de Urânia exibe meridianos e paralelos.

A metrologia está em toda a parte, e as atividades que exigem a presença de metrologistas não são poucas. Aqui no Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo, metrologistas são a própria alma da instituição, e trabalham duramente para que haja lisura nas transações comerciais, proteção ao consumidor, leal concorrência e suporte técnico metrológico às forças produtivas do Estado de São Paulo e do País.

O Almanaque do Ipem-SP, em cujas veias virtuais correm bits e bytes metrológicos, parabeniza a todos os metrologistas, de todas as áreas, de todos os tempos e de todos os cantos do planeta! Pede licença, entretanto, para registrar aqui um abraço especial aos Especialistas em Metrologia e Qualidade do Ipem-SP, homens e mulheres que são o esteio do Instituto. Parabéns, colegas! Que Urânia, a Celestial, nos inspire a todos.

Anúncios

O pitoresco selo do Bureau Internacional de Pesos e Medidas

1 de dezembro de 2017

O BIPM – Bureau International de Poids et Mesures (Escritório Internacional de Pesos e Medidas) é uma organização internacional estabelecida pela Convenção do Metro em 1875 e situada no histórico Pavillon de Breteuil, na cidade francesa de Sèvres. Os estados membros do BIPM, o Brasil inclusive, atuam em conjunto sobre matérias relacionadas às medições científicas e padrões de medição nas áreas da descoberta científica, inovação, produção industrial e comércio internacional, visando a melhoria da qualidade de vida das pessoas e a sustentabilidade do ambiente global. Veja tudo sobre essa importantíssima organização metrológica no site do BIPM (apenas em inglês e francês). Na verdade, quase tudo. Abaixo fazemos algumas especulações sobre o significado do pitoresco “selo do BIPM”, que não se encontra no seu site.

Ao observar o selo vê-se, imediatamente, três figuras vestidas à moda dos antigos gregos. A figura feminina central é sem dúvida Urânia (Ουρανία) “a celestial”, uma das noves musas, conforme indicam o globo terrestre e o compasso ao seu lado. É a musa da astronomia, da matemática e das medições. Ela segura o padrão do metro, dividido em dez partes, acima da cabeça.

Urânia, estátua do Observatório Astronômico da UFRGS

A figura à esquerda é obviamente Hermes (Ἑρμής), conhecido como Mercúrio entre os romanos, mensageiro do Olimpo, condutor de rebanhos e de almas. Na mão direita segura o caduceu, bastão onde se enroscam duas serpentes, e na cabeça traz o pétaso alado (o pétaso era um chapéu usado pelos viajantes na Grécia antiga), que representa ainda hoje as atividades comerciais, pois o deus é, também, protetor dos comerciantes. Senta-se sobre um mapa, a indicar a sua vocação de viajante.

Mercurio, de Giambologna, no Museo Nazionale del Bargello, Firenze

Quanto à figura feminina sentada à direita, é possível distinguir claramente ao seu lado a bigorna, o malho e a roda dentada, que a caracterizam como uma alegoria da indústria. Na dobra da sua perna esquerda, cruzada sobre a direita, repousa o que parece ser um feixe de rocas de fiar. Veja, abaixo, uma representação mais precisa da roca no belo quadro do pintor francês William-Adolphe Bouguereau.

La Fileuse (a fiandeira) – 1873

A personagem representada no selo do BIPM poderia muito bem ser Atena (Αθηνά), a belicosa deusa da civilização, da sabedoria e da justiça, e a quem se atribuía, entre muitas outras coisas, a tecelagem e as artes da indústria (tecné), embora os conhecidos signos de Atena (a coruja, as armas, a égide) não estejam presentes.

Atena, estátua na entrada da Academia de Atenas, Grécia.

Já o mote “ΜΕΤΡΩ ΧΡΩ” (pronuncia-se metro cro) é atribuído a Pítaco de Mitilene, um general grego que viveu entre 640 a 568 a.C. Pode-se traduzir μετρω χρω como “use a medida”. O termo  μετρω (metro) traduz-se por “contar, medir”, enquanto a tradução de χρω (cro) pode significar, como em χρωστώ (pronuncia-se crostó), “eu devo”. Então, numa tradução livre, o lema do BIPM pode ser entendido como  “Devo medir” ou “Deve-se medir”!