Botijão de Gás

Botijão de Gás – Parte Um – Como tudo começou

Você sabe tudo o que é preciso saber sobre o botijão de gás??  Bem, talvez não!  O GLP (gás liquefeito de petróleo) engarrafado, o popular gás de cozinha, é um produto de primeira necessidade utilizado como fonte de energia na maioria dos lares brasileiros. Porém,  há muito mais para se saber sobre ele. Vamos começar pelo começo…

Por incrível que pareça, o início do uso de GLP engarrafado no Brasil foi consequência direta do famoso desastre ocorrido com o dirigivel Hindenburg, também conhecido como Zeppelin, que pegou fogo no momento em que se preparava para descer em Nova Jersey, nos Estados Unidos, em 1937.

O Brasil, na época, tinha uma base para dirigíveis no Rio de Janeiro e um grande estoque de propano, que era o combustível utilizado nos motores dos zeppelins.  Esse trágico acidente abalou a confiança dos passageiros desse tipo de transporte, e o propano estocado para abastecer o Hindenburg acabou sobrando…

Em 30 de agosto de 1937, apenas quatro meses após o acidente, o imigrante austríaco Ernesto Igel bolou um jeito de aproveitar o estoque de propano  e criou a Empresa Brasileira de Gás a Domicilio Ltda. para vender o gás engarrafado. Surgia, assim, o botijão de gás!  Apesar das dificuldades iniciais e dos temores do consumidor com o novo produto, a idéia foi pegando aos poucos. Também pudera, para a maioria das pessoas a alternativa era cozinhar à lenha, carvão ou querosene… Nos anos 50 do século passado o gás em botijão já era muito disputado, e foi preciso aumentar a importação do produto e a fabricação de fogões a gás.

Botijão de Gás: Parte Dois – O que é?

Por pmontini

No primeiro post sobre Botijão de Gás falamos das suas origens aqui no Brasil. Agora vamos entender melhor o que é o GLP, ou gás liquefeito de petróleo, procurando evitar as questões muito técnicas. Como o nome já diz, GLP é um gás, ou melhor, uma mistura de gases derivados do petróleo. Existem dois gases dominantes dentro do botijão, o propano e o butano. O propano é mais leve que o butano e provoca aquela chama azul característica. O butano é mais pesado e queima por último. Por transportar partículas que se depositam no fundo no botijão, sua chama é amarelada. Por isso, quando a chama do fogão começa a ficar amarela é sinal de que o gás está acabando.

O GLP é, obviamente, inflamável, o que exige muita atenção no manuseio do botijão. Não tem cheiro, por isso um composto a base de enxofre é adicionado ao gás para revelar a sua presença caso haja vazamento. O GLP não é venenoso, mas é asfixiante. Por ser mais pesado que o ar, quando há vazamento de GLP num local fechado este vai se acumulando ao nível do chão e expulsa gradualmente o oxigênio do ambiente, causando asfixia em quem permanecer ali. Logo, botijão com vazamento precisa ser removido para um local aberto.

O GLP é engarrafado no botijão sob pressão, o que faz com que se torne líquido. Para suportar a pressão do gás, o botijão é feito de chapas de aço muito resistentes. Sua fabricação  obedece obrigatoriamente as normas técnicas do Inmetro, e estas são muito rígidas. No botijão de gás de 13kg, cerca de 85% do gás está em estado líquido e 15% em estado gasoso. Por isso nunca se deve deitar o botijão de gás, pois se o gás em fase líquida for expelido pode provocar acidentes muito sérios.

Existem  tipos diferentes de botijão em razão da quantidade de gás que comportam. Veja alguns deles: O P2 comporta 2kg e é geralmente utilizado em lampiões.  O P5 comporta 5 kg e é utilizado em fogões ou maçaricos. O P20, com 20 kg, é usado como combustível de empilhadeiras, e é o único botijão que pode ser utilizado na horizontal. O P45 comporta 45 kg e é utilizado, geralmente, em restaurantes. Finalmente o P13, que comporta 13 kg, é o mais utilizado nas residências.

No próximo post vamos falar sobre os cuidados na hora de comprar, instalar e utilizar o GLP engarrafado.

Botijão de Gás – Última parte. Cuidados.

Por pmontini

São muitos os aspectos que devem ser observados com relação ao botijão de gás. Já vimos, de passagem, alguns deles nos posts anteriores. Agora vamos abordar, mais detalhadamente, os cuidados com o botijão P13, ou de treze quilogramas, o mais utilizado nas residências.

Como comprar:

Ao comprar botijão de gás deve-se prestar atenção na identificação da distribuidora do produto. É importante que tanto o caminhão de entregas quanto o botijão tragam, claramente, a mesma marca  da distribuidora. Todo botijão de gás deve trazer um lacre sobre a válvula. Esse lacre não pode estar violado e deve apresentar, também, a marca da distribuidora. Recuse botijões muito amassados, enferrujados e com as alças soltas.

Sobre o peso do gás:

O botijão de gás de 13 kg deve ter, naturalmente, 13 kg de gás. Para conferir a quantidade de gás contida no botijão basta pesá-lo cheio e descontar o peso do botijão vazio (tara), que é informado na sua alça superior (colarinho).

O IPEM-SP fiscaliza diariamente as distribuidoras e os revendedores de gás em todo o Estado de São Paulo. A verificação da quantidade de gás contida nos botijões é feita por amostragem, e o tamanho da amostra depende do tamanho do lote presente no local de verificação. A fiscalização considera a média e o desvio padrão da amostra, além de erros individuais. O IPEM-SP também verifica se a tara corresponde, de fato, ao peso do botijão vazio.

Em caso de dúvida com relação à quantidade de gás contida no botijão, entre em contato com a Ouvidoria do IPEM-SP pelo telefone (11) 0800 0130522.

Na hora de instalar:

Instalar o botijão de gás no fogão é coisa relativamente simples, mas que exige cuidados. Em primeiro lugar, é preciso usar uma mangueira de gás e um regulador de pressão de gás aprovados pelo Inmetro. A mangueira é transparente com uma tarja amarela e traz a inscrição NBR8613 e a data de validade. O regulador de pressão tem a marca Inmetro gravada e é válido por cinco anos, após o que precisa ser substituído. Instale o botijão rosqueando a borboleta do regulador na válvula. Não use ferramentas para fazer isso, apenas as mãos. Para ver se há vazamento, faça espuma de sabão e aplique sobre a válvula. Se a espuma borbulhar é porque há vazamento. Repita a operação.  Não se assute com um pequeno vazamento, o gás não é venenoso e o botijão não irá explodir. Entretanto, caso o vazamento persista, é importante remover o botijão para um lugar ventilado e chamar a empresa distribuidora.

Coisas que você não deve fazer com um botijão de gás:

Nunca deite o botijão de gás e nem o coloque em local fechado. Não coloque qualquer tipo de dispositivo no regulador de gás como, por exemplo, manômetros para verificar a pressão. Nunca use mangueira de gás diferente da aprovada pelo Inmetro. O tamanho da mangueira também não pode ser aumentado, então nem pense em fazer extensões juntando várias delas. “Gambiarras” não combinam com GLP. Nunca passe a mangueira por trás do forno, o calor pode derretê-la e causar acidentes. Ao trocar o botijão, não deixe nenhuma chama acesa e nunca, jamais, em tempo algum tente ver se há vazamento usando um fósforo aceso, ok? Nunca aqueça o botijão para que ele “renda mais”.  Se, ao chegar em casa, você sentir cheiro de gás, não acione o interruptor de luz nem acenda qualquer chama. Vá direto para as janelas e abra tudo. Depois remova o botijão para um lugar ventilado e chame a distribuidora de gás. É bom ter o telefone da sua distribuidora sempre à mão.

797 Respostas to “Botijão de Gás”

  1. João Says:

    Tecnicamente, o que significa em relação ao botijão P-20 (utilizado em empilhadeira): botijão vazio e botijão desgaseificado? Ainda, estes botijões podem ser comparados a um botijão cheio no que tange risco?

    • Montini Says:

      Caro João,
      Considera-se vazio o botijão ou cilindro de GLP cujo conteúdo foi consumido ou decantado. Entretanto, o botijão vazio ainda contém gás residual, e para removê-lo é necessário desgaseificar o vasilhame, processo que é feito por lavagem com água ou vapor. A desgaseificação é obrigatória antes fazer manutenção nos cilindros (substituição de aros, soldas, puncionamento, etc.) para evitar explosão. Cheios ou vazios, cilindros de GLP são extremamente perigosos se manuseados inadequadamente. A mera troca de um cilindro P-20 numa empilhadeira, por exemplo, exige treinamento específico e não pode ser feita por uma única pessoa.

  2. Bartninja S Says:

    Bom dia,
    Gostaria de pedir uma orientação se for possível. Estou me mudando para um imóvel que tem a tubulação de gás embutida na parede e por ela passa uma mangueira de gás de alta pressão, ou seja, existe apenas uma saída de gás.
    Preciso usar 2 fogões, um de baixa pressão e outro de alta pressão, porém não tem espaço para as 2 mangueiras dentro da tubulação. 
    O botijão de gás utilizado, é o comum de 13 Kg.
    Estava pensando em conectar um “T” à saída de gás (já existente) que é uma mangueira de alta pressão, fazendo uma derivação. A partir daí conectar o registro de baixa pressão e o registro de alta pressão, com suas respectivas mangueiras. Isso resolve?

    Agreço muito a ajuda.

    Johnny

    • Montini Says:

      Caro Johnny
      A solução que você aponta parece boa. Entretanto, a utilização simultânea de dois fogões, dependendo do consumo, poderá exigir vaporização acima da capacidade de um único P-13. Se o sistema congelar, talvez seja interessante mudar para o P-45. Recomendo verificar o estado da mangueira embutida e, naturalmente, ficar atento à especificação do material.

      • Bartninja S Says:

        Sr. Montini, obrigado pela orientação.
        Surgiu mais uma dúvida, após o seu comentário: o congelamento do sistema pode acarretar que tipo de problema? É perigoso? É passageiro?
        Obrigado,

        Johnny

      • Montini Says:

        Caro Johnny
        Dentro do botijão o GLP permanece em estado líquido, sob alta pressão. Para passar ao estado gasoso ele necessita retirar calor do ambiente, o que é feito através das paredes do botijão. Em condições normais um botijão P-13 vaporiza cerca de 0,5 kg, em média, por hora. Um cilindro P-45 vaporiza o dobro, pois tem maior área para troca de calor. O congelamento provoca a interrupção do fornecimento de gás, é passageiro e não é, em si, perigoso, mas pode comprometer mangueiras e válvulas.

  3. Tiago Says:

    Gostaria de saber se a pressão de dentro do botijão e de saída do gás do P13 diminui a medida que o botijão esvazia com o uso. Além disso, este fato pode comprometer o funcionamento de um aquecedor de passagem (Lorenzetti LZ 1600 N – GLP) Obrigado!

    • Montini Says:

      Caro Tiago,
      Sim, a pressão interna do GLP dentro do botijão diminui na medida em que o gás é usado. Entretanto, a pressão interna num botijão cheio (entre 400 a 700 kgf/cm² dependendo das condições ambientais) é muito superior àquela utilizada pelos seu aquecedor de baixa pressão (a mesma do fogão, cerca de 0,03 kgf/cm²). Essa pressão é mantida constante por um regulador de pressão de gás. Portanto, o desempenho do aquecedor só é afetado quando o conteúdo do botijão estiver chegando ao fim.

  4. Márcio Martins Says:

    Olá Montini, estou terminando a construção da minha casa e pretendo fazer um PI de Gás na minha garagem, minha intensão é colocar 1 P45 e 1P13 de reserva, mas acho que são incompatíveis, outro detalhe importante, a garagem fica no térreo, o fogão cooktop 5 bocas no primeiro andar, devo ter uns 3m de elevação mais uma linha de aprox, 5m até o fogão, gostaria também de deixar uma previsão na cobertura (seria o 3º andar, T+3) para a churrasqueira e aquecedor da piscina, a cobertura fica a aproximadamente 9m de altura do butijão a tubulação será de cobre class A de 20mm, será que vou ter muita perda e terei algum problema na instalação? a garagem é bem arejada,

    • Montini Says:

      Prezado Márcio,
      É possível usar o P-13 como reserva instalando-o, por exemplo, com um pigtail (mais regulador, registros, etc.) ao encanamento a jusante do P-45. Instalações de P-45 superam bem 9 metros, mas sempre haverá alguma perda de carga. Recomendo consultar um técnico especializado. Quanto à garagem, lembro que o GLP é mais pesado que o ar e, num eventual vazamento, ficará acumulado junto ao chão. Lembro também que a Lei federal Nº 8.176, de 8/2/1991 proíbe o uso de GLP para aquecimento de piscinas, embora haja proposta de 2011 aprovada no Congresso para excluir essa proibição.

  5. Luciano Says:

    Caro Montini, bom dia! Moro num condomínio de baixa renda e não tem gás encanado de rua. Como não pode ter bojão no ap, colocaram nas casinhas lá em baixo. O problema é que nos apartamentos do 5º pavimento o gás não sobe direito. A pergunta é: Até que andar o gás vai subir direito sendo que o bojão é de 13 Kg? Não teriam que trocar o sistema para bojão de 45 kg? Ah! Tem alguma Norma ou Lei sobre isso? Preciso mostrar para o síndico! Obrigado pela atenção.

    • Montini Says:

      Caro Luciano,
      Sim. Nesse caso, o melhor é instalar uma bateria com cilindros P-45 (de 45 kg). A instalação pode, eventualmente, utilizar parte dos encanamentos já existentes. É necessário fazer projeto que contemple requisitos técnicos e de de segurança. O Projeto deve ser executado por pessoal qualificado. Por uma série de razões técnicas não é recomendável (e já foi proibido pela Portaria n° 10 do antigo DNC, atual ANP) o uso de P-13 em baterias. De resto, a legislação a respeito é municipal. No município de São Paulo o decreto nº 24.714 de 1987 regulamenta a matéria, mas não entra em detalhes técnicos. A Instrução Técnica Nº 028/2010 do Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo (em revisão) orienta e regulamenta acerca das questões de segurança no link http://www.corpodebombeiros.sp.gov.br/rev_it/IT28.pdf . Veja também as normas técnicas NBR 14.570 e NBR 13.523.

  6. Ana Says:

    boa noite , eu moro no 4º andar e fui estalar o gas (de 13kg) que fica no 1º andar e me informaram que deveria por um click especial, gostaria de saber se e verdade.
    obrigada.

    • Montini Says:

      Cara Ana,
      Ligações de gás a grandes distâncias com diferencial de nível elevado podem afetar a pressão do sistema. Os reguladores de pressão (click) para uso doméstico reduzem a pressão do gás dentro do botijão (entre 4 a 7 kgf/cm²) para cerca de 0,027 kgf?cm², que é a pressão de trabalho dos fogões comuns. Esses reguladores variam apenas com relação à vazão (1 kg/h ou 2 kg/h) para menor ou maior consumo. Para alterar a pressão seria necessário utilizar reguladores especiais de primeiro e segundo estágio para uso em baterias de botijões P-45, o que não é o caso. Se o gás estiver chegando com pouca pressão (chama fraca, dificuldade em acender os queimadores, muita retenção de gás no botijão, etc) recomendo consultar um técnico especializado e, quem sabe, instalar uma central de GLP para todo o prédio.

  7. Marcelo Bosquê Says:

    Gostaria de saber qual a durabilidade de um botijão de gás de P45, me refiro ao liquido e não ao colindro ??

    • Montini Says:

      Caro Marcelo,
      O GLP é uma mistura de propano e butano, gases derivados de petróleo. Esses gases não tem prazo de validade e, se armazenados corretamente, mantém as suas características por tempo indeterminado.

  8. Eduardo Martins Says:

    Boa tarde, estou instalando Aquecedor de Água à Gás Lorenzetti LZ 750, utilizando botijão de gás comum. Um tecnico apto que vai instalar para mim. Gostaria de saber qual a economia, mais ou menos, que eu teria de energia eletrica em minha residencia. São 3 pessoas tomando banho diariamente. Tomando banho normalmente sem excessos quanto tempo mais ou menos que um gás de um botijão irá demorar para acabar? Será que é perigoso? Eu achei interessante que ele utiliza pilhas. Como funciona este tipo de aparelho?

    • Montini Says:

      Caro Eduardo,
      Três pessoas que tomem banhos de 10 minutos, todos os dias, usarão em um mês um total de 15 horas de chuveiro.
      Um chuveiro elétrico com potência de 5.000 Watts consume, em 15 horas, 75 kW (5.000 X 15 h : 1000).
      O seu aquecedor à gás consume 0,86 kg/h (informação do fabricante), o que dá, em 15 horas, um consumo de 12,9 kg de GLP (um botijão P-13 comum).
      Basta comparar o preço de um botijão de gás com o custo de 75 kW (veja o preço do kW, com os impostos, na sua conta de energia).
      Um aquecedor de passagem funciona com uma chama alimentada por GLP ou GN, que aquece uma serpentina por onde a água circula. As pilhas servem para acionar o sistema de ignição eletrônica do gás. São bastante seguros, desde que instalados adequadamente. Veja maiores detalhes de funcionamento no manual que acompanha o produto.

  9. renilson santos Says:

    queria colocar o botigao na garagem que tem 3 metros abaixo ou na cobertura que tem a mesma metragem de altura o que o senhor mim recomenda

    • Montini Says:

      Caro Renilson,
      Três metros de diferença de nível não chega a ser um problema. Entretanto, prefira a cobertura se esta for um lugar seguro e se o botijão ficar em local abrigado e bem ventilado.Também é importante utilizar encanamento específico, como por exemplo os dutos de cobre.

  10. Renato Says:

    Sr, Montini, tudo bem?

    Fiz a instalação de um aquecedor à gás e o cano flexível (cerca de 2 metros) foi estendido por cima do gesso, até próximo a saída de uma antiga lareira (a lareira está desativada e permaneceu apenas o buraco da chaminé na laje). Minha dúvida é quanto aos canos corrugados, por onde passam alguns fios de luz, que estão próximos do cano do aquecedor. Visto que o cano flexível esquenta com a saída do gás queimado, quando o aquecedor está ligado.

    Poderia apenas jogar o cano para cima do gesso, sem precisar estendê-lo até a saída da lareira? A cozinha tem uma boa circulação de ar, com 4 janelas ao lado do aquecedor.

    Parabéns pelo trabalho!
    Um abraço.

    • Montini Says:

      Caro Renato,
      A instalação do sistema de exaustão de aquecedores à gás depende de muitos fatores, como o tipo de aquecedor (de passagem, de acumulação), tipo de combustão (circuito aberto ou fechado) tipo de exaustão (Natural ou forçada), etc. De todo modo, os gases da exaustão devem ser conduzidos para fora da residência por intermédio de uma chaminé. A instalação deve ser feita por técnicos especializados, que se baseiam em normas técnicas e manuais de instalação dos aquecedores. Não vale a pena improvisar. Quanto á proximidade dos eletrodutos, é recomendável afastá-los ou utilizar um sistema eficiente de isolamento térmico.

  11. MARGARIDA GUIMARAES Says:

    Instalei um fogao cooktop em uma cozinha planejada e a mangueira ficou com um pouco mais de um metro e o botijão p 13 teve que ficar dentro do armário fechado. Gostaria de saber se existe algum risco.

    • Montini Says:

      Cara margarida,
      Se você utilizou mangueira aprovada pelo Inmetro com até 1,20 m, não há problema. Caso o comprimento seja muito maior, é recomendável utilizar dutos específicos como encanamento de cobre ou PE-AL-PE. Por outro lado, o confinamento do botijão é um problema. O GLP poderá vazar e acumular no armário sem que ninguém perceba. Aí, bastará uma centelha para causar um sério acidente. Se não for possível colocar o botijão em lugar mais adequado, ao menos a porta do armário deverá permitir boa ventilação, principalmente na parte de baixo (o GLP é mais pesado que o ar e se deposita no chão).

  12. Adam Tavares Says:

    Montini, tudo bem? Primeiramente muito obrigado pela disposição em responder as nossas dúvidas. Espero que possa me ajudar também.

    Estou construindo uma casa no segundo pavimento, onde embaixo fica somente a garagem!

    Na casa terei os seguintes itens que serão abastecidos por gás:

    – cooktop 5 bocas
    – forno (estou na duvida se será eletrico ou a gas)
    – 2x aquecedores de passagem lorenzetti LZ 750 bp, um separado para cada banheiro! Esse Aquecedor consome se ligado no máximo 0,86kg/h cada!

    Não será utilizado tudo junto, eventualmente podemos ligar os dois aquecedores juntos!

    Minha intenção é de utilizar botijões P-13 ligando dois juntos!

    Tenho 4 pontos possíveis para instalar os botijões!

    São eles:

    1 – No piso inferior na garagem debaixo da escada (deixarei aberto para entrar ar) o piso inferior esta 3 metros abaixo e cerca de 7 metros lineares do cooktop, 8 metros do primeiro aquecedor e cerca de 16 metros do segundo aquecedor.

    2 – Na Area de serviço que fica no quintal, faria uma caixinha ao lado do tanque fechada com porta com respiros, esse local fica no mesmo nível a 7 metros lineares do cooktop, a 6 metros do primeiro aquecedor e a 15 metros do segundo aquecedor.

    3 – no Beiral que fica em volta da casa, possuo espaço suficiente para acomodar também 2 p13, protegidos de interperies, localizado no mesmo nivel dos equipamentos a 2,5 metros do cooktop, a 1 metro do primeiro aquecedor e a 9,5 metros do segundo aquecedor.

    4- Tbm no beiral mas em outro ponto, no mesmo nivel a 10 metros do cooktop, a 9,5 metros do primeiro aquecedor e a 1 metro do segundo aquecedor.

    Utilizarei tubos de cobre flexivel de 1/2′

    no caso de passar o tubo no contrapiso do segundo pavimento é possível? É seguro?

    Agora minhas dúvidas:

    Se ligar no pavimento inferior terei perda de carga?

    Por causa dos 3 metros de desnivel? e a distancia de 16 metros terei problema de pressão para o aquecedor?

    Li que o p13 não é totalmente aproveitado pelos aquecedores de passagem a gas. que falta pressão, confere?

    Posso separar todo o sistema também sem problemas acha necessário? Deixando o fogão/forno num sistema e os aquecedores em outro? Ou 1 aquecedor + fogão num sistema e outro aquecedor em outro? ou separar logo os 3 sistemas!

    Pensei na possibilidade também de utilizar os p13 no aquecedor e quando acabasse transfer para o sistema do fogão aproveitarei a sobra ou não?

    Ligando 2 p13 juntos terei uma vaporização maior que 0,6kg/h?

    Desculpe pelas inumeras perguntas é que realmente estou essas dúvidas.

    Agradeço muitissimo se puder ajudar!

    • Montini Says:

      Caro Adam,
      Respondo especulativamente, pois o ideal será chamar um técnico para dimensionar e projetar o sistema.
      1- Não é recomendável passar tubulação rígida de gás no contrapiso, pois ela pode se romper caso haja movimentação do piso. Entretanto, com a tecnologia das mangueiras PE-AL-PE (polietileno-alumínio-polietileno) para gás, talvez seja viável. Consulte empresa especializada na instalação desse produto.
      2- Um desnível de 3 m não chega a comprometer, mas associado a uma distância de 16 m poderá provocar perda perceptível nos dias frios. Exclusivamente sob esse aspecto, o local descrito na sua opção 3 parece ser o melhor.
      3- Sim, o aproveitamento do gás não é total, mas isso não ocorre apenas com o P-13. Já a vaporização depende de troca de calor com o ambiente e está relacionada à área dos botijões. Assim, dois P-13 vaporizam o dobro de um.
      4- Pela sua exposição, talvez seja melhor instalar um botijão para o fogão e o forno. Para os aquecedores (1,9 kg/h de consumo potencial), dois ou três botijões acoplados com regulador de 2 kg/h de vazão. Recomendo, novamente, que você faça um projeto antes de instalar o sistema. Boa sorte.

    • Adam Tavares Says:

      Montini, agradeço a ajuda! se possível me tire mais uma dúvida!

      Caso o gas que sobrou do p13 não seja usado pelo aquecedor posso utilizar o restante no fogão?

      Uma distancia de 16 metros em canos de cobre de 1/2′ estando no mesmo nível tem perda? no caso do aquecedor a gas?

      Muito obrigado

      • Montini Says:

        Caro Adam,
        Sim, a essa distância haverá alguma perda de carga e consequente retenção de produto no botijão. Entretanto, por estar no mesmo nível, não creio que essa retenção seja significativa. Sim, é uma boa ideia utilizar o P-13 no fogão para aproveitar o gás eventualmente retido. Bastará conectar o botijão ao regulador de pressão do fogão. Aliás, essa é uma boa maneira de avaliar se está havendo, de fato, retenção importante de produto no P-13 que alimenta o aquecedor.

      • Adam Tavares Says:

        Sr, Montini! Agradeço pela ajuda! Verei o que faço! Esses adaptadores para ligar 2 ou 3 botijões p13. Sãos eguros?

      • Montini Says:

        Caro Adam,
        Há diferentes maneiras de conectar botijões. Existem dispositivos confiáveis, já prontos, para conectar dois P-13. Entretanto, por não serem avaliados pelo Inmetro, não trazem selo de conformidade. Recomendo adquirir produtos de marcas conceituadas encontrados nas boas lojas do ramo, ou, melhor ainda, consultar um técnico especializado para projetar e fazer a instalação.

  13. Raimundo Borges Says:

    Meu caro Montini,
    Fui converter a pressao do botijão P13 média de média de 500Kpa e só deu aproximadamente 4,9 Psi. Achei muito pouco!!!??? Onde estou enganado?

    • Montini Says:

      Caro Raimundo,
      1 kPa (quilopascal) equivale a 0,145 psi (pound per square inch ou libra por polegada quadrada), enquanto 1 psi equivale a 6,895 kPa. Logo, 500 kPa equivalem, com arredondamento para a segunda casa decimal, a 72,52 psi.

  14. Raimundo Borges Says:

    Meu caro Montini, o que aconteceria se eu tentasse tranferi o conteúdo de p13 para um outro cilindro fisicamente falando. Iria passar apenas a metade? E se abrir uma válvura para baixar a pressao do cilindro recebedor conseguiria passar todo o conteúdo sem perdas? Considerando que o p13 deve ficar de ponta cabeça já que o gfas está liquido.

    • Montini Says:

      Caro Raimundo,
      O botijão de 13 kg tem capacidade volumétrica de 31,5 litros. A pressão do GLP no interior do botijão varia entre 390 a 690 kPa (4 a 7 kgf/cm²). Em tese é possível transferir a maior parte do gás de um botijão para outro de mesmo volume, desde que o ar contido no botijão de destino seja retirado, mas sempre haveria alguma retensão do produto no cilindro original. É sabido que existem “mangueiras de transferência de GLP” no mercado informal. Esse procedimento, entretanto, é extremamente perigoso e nada recomendável! Por favor, não tente fazer isso em casa, não vale a pena!

  15. Evandro Silva Says:

    Olá! Fiz uma instalação em um restaurante usando:

    2 Botijas P45;
    linha de 8 metros em uma tubulação de 22 mm;
    regulador 5 kg da aliança;
    para abastecer 1 forno 90 cm de baixa pressão e um fogão de 8 bocas também baixa pressão, sendo 4 bocas duplas e 4 simples;

    O problema é que o gás quando chega + ou – no meio ele congela, já tentei usar os 2 botijões abertos ao mesmo tempo, mas ainda assim continua congelando e o botijão cheio começa a encher o + vazio…

    Gostaria de saber como aproveitar todo o conteúdo do botijão, para não haver perda, e como esse evitar o congelamento???
    Se eu trocar o regulador pra um de 12 kg, resolveria o problema??
    O que eu quero é utilizar apenas um cilindro aberto, porque se os dois ficarem abertos o + cheio acaba enviando gás para o outro, e também o objetivo é o segundo ficar na reserva para quando o outro acabar..
    Att,
    Evandro

    • Montini Says:

      Caro Evandro,
      O GLP necessita trocar calor com o ambiente para passar da fase líquida para a fase gasosa. Quando a demanda de gás é elevada (alta vazão) em relação à área de troca de calor do sistema (superfície dos cilindros), o sistema acaba congelando, sobretudo no inverno. Por isso, não creio que trocar o regulador por outro de maior vazão resolva o problema. Talvez você tenha que redimensionar todo sistema em função do seu consumo. Como é complicado aquecer o ambiente onde ficam os cilindros, considere a possibilidade de instalar mais um ou dois deles. Considere, também, a possibilidade de utilizar equipamentos de alta pressão, mais eficientes em situações de consumo elevado. Recomendo consultar um técnico especializado ou o seu fornecedor de GLP.

  16. Lorenzo Says:

    Mudare para o Brasil e vou levar meus aparelhos de gas: um fogão de mesa e um aquecedor Eskabe Minimovil. Aqui na Argentina uso eles com o botijão de 10 kg e sua valvula e com torneira similar a maioria dos cilindros de 45 kg.

    Desejo saber se a adaptaçao para os botijões brasileiros e somente a troca dos reguladores. E tambem se suas mangueiras são permitidas,ja que o fogão tem mangueira de 1.5 metros e o aquecedor ainda tem a mangueira original,embora são bastante novas.

    • Montini Says:

      Caro Lorenzo,
      Antes de tudo, veja se os seus aparelhos trabalham com alta pressão ou baixa pressão. As distribuidoras de gás brasileiras não operam com cilindros de 10 kg. Se os seus aparelhos trabalharem com baixa pressão será necessário migrar para o botijão de 13 kg (o mais comum), ou de 5 kg, ou de 8 kg conectados aos aparelhos por intermédio de um regulador de pressão específico, conforme orientamos no post. Se forem de alta pressão, o regulador comum não poderá ser utilizado. Reguladores para alta pressão não são compatíveis com os botijões de 5 kg; 8 kg e 13 kg, de modo que será preciso usar adaptadores de rosca ou optar pelo cilindro de 45 kg. As mangueiras autorizadas no Brasil são aquelas aprovadas pelo Inmetro, conforme orientamos no post. Tanto a mangueira quanto o regulador para baixa pressão são baratos e fáceis de encontrar.

  17. Marcos Marcelo Says:

    Bom dia!

    estou instalando um fogão cooktop de 02 bocas na minha area de festas e pretendia utilziar um botijão P2 porem, após a insatalção o fogão não funcionou, fiz um teste do fogão com um botijão P13 e o mesmo funcionou corretamente. Por acaso o botijão P2 não é recomendado/utilizado em fogões cooktop? Pode ter haver com a pressurização do gás?

    obrigado!

    Marcos Marcelo

    • Montini Says:

      Caro Marcos,
      Botijões P-2 foram concebidos para serem utilizados em lampiões e fogareiros de alta pressão. Portanto, não são recomendados para uso em fogões de baixa pressão, pois exigem adaptações e não têm válvula de segurança (plugue fusível). Se o P-13 for inconveniente, você pode utilizar botijões P-5 (5 kg) ou P-8 (8 kg) com regulador de pressão normal.

      • adriano Says:

        Bom dia! Gostaria de saber se alguém saberia me dizer qual a média da quantidade de calor liberada numa boca de forno industrial alimentada por um botijão de 13kg?

      • Montini Says:

        Caro Adriano,
        A sua pergunta exige uma série de informações adicionais (e cálculos também). Primeiro é preciso saber qual a finalidade, características e dimensão do forno para fazer o cálculo de carga térmica (energia/volume). Também deve ser calculado o balanço de massa de combustão, onde são considerados a massa de GLP usada, o poder calorífico do GLP, seu calor específico…Como você vê, a questão não é simples, e é recomendável consultar um técnico especializado. Por outro lado, tendo o ar como comburente, a temperatura média de chama do GLP é de 1.900 °C.

  18. Fernando Fernandes Says:

    gostei desta pesquisa, aprendi Muito !!!

  19. Filipe Says:

    Dúvida. No condomínio onde moro, fiquei responsável pelas compras e pela leitura dos medidores individuais de gás. 3 botijões P45 renderam, do início ao fim, 39m³. Pelo que li em outros site esperava que cada P45 rendesse pelo menos 18m³ (3×18=54). 39 / 54 = 0,72. Ou seja, sequer o rendimento mais pessimista, que era de 18m³ por botijão foi atingido. Rendeu apenas 72% do esperado. Pergunto: achas que esse rendimento está dentro do normal? Devo exigir a pesagem dos botijões na próxima entrega? É normal ter algum disperdício na troca, mas 28% de perda me parece exagerado. Obrigado.

    • Montini Says:

      Caro Felipe,
      Você está utilizando um valor de densidade média de 2,5 kg/m³, cuja referência é 15 °C. Ou seja, os cilindros renderam, em média, 13 m³ de GLP cada um, o que dá uma retenção teórica de 5 m³ em relação ao volume esperado (18 m³). Mesmo considerando que estamos no inverno, e que baixas temperaturas dificultam a vaporização e aproveitamento do GLP, uma retenção de 12,5 kg (5 m³ x 2,5 kg/m³) por botijão é inaceitável. Ou seja, se os seus medidores de volume de gás forem confiáveis e os cálculos estiverem certos, recomendo que você peça a pesagem dos botijões vazios para ver se há, de fato, retenção. Se houver você pode pedir ressarcimento ou compensação. Se não houver, é possível que o fornecedor esteja entregando os cilindros com gás a menos (no caso, quase um P-13 opara cada P-45!).

  20. Welter Jr Says:

    Prezado sr. Montini. Bom dia ! leitor atento do seu blog, tenho (mais) uma dúvida… há necessidade/obrigatoriedade de existência de extintor de incêndio nas proximidades de centrais de gás condominiais compostas por botijões ? Caso afirmativo, qual seria a classe do mesmo ? Mais uma vez, parabens pelo trabalho e muito obrigado antecipadamente

    • Montini Says:

      Caro Welter,
      Prazer em tê-lo novamente aqui no blog.
      A Instrução Técnica 028/2010 do Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo (que está em revisão) estabelece:
      Até 270 kg (6 P-45), é preciso ter um extintor com capacidade extintora 20 BC.
      Acima de 270 kg até 1800 kg (40 P-45) são necessários dois extintores 20 BC.
      Acima de 1800 são necessários dois extintores 20 BC e um extintor 80 BC.
      Recomendo, entretanto, uma consulta ao Corpo de Bombeiros da sua cidade, pois são eles que estabelecem esses critérios.

  21. Moana Says:

    Olá! Gostaria de saber porque o gás daqui de casa faz um barulho, tipo vibrando. To com medo, preciso de orientações. É o registro? Qual marca/modelo devo comprar? Obg

    • Montini Says:

      Cara Moana,
      Essa vibração pode ter mais de uma causa: O ruído é recente? Ocorre com todos os botijões? Só acontece quando você acende o fogão? É audível no fogão ou no regulador de pressão (registro)? O regulador é antigo? Se o ruído for no regulador e este for antigo, troque por um de boa qualidade e vazão de 1 kg/h (desde que o seu consumo de gás seja normal). Veja orientação no post. Se o ruído for nos queimadores do fogão, talvez seja necessário regulá-los, e nesse caso será melhor chamar a assistência técnica do fogão.

  22. Giselle Mendes de Souza Says:

    Gostaria de saber quantos metros cúbicos (m³), tem em um botijão de gás de 13 kg?

    • Montini Says:

      Cara Giselle,
      O botijão de gás doméstico (P-13) tem capacidade volumétrica de 31,5 litros (0,0315 m³). Entretanto, o gás está confinado sob pressão dentro do botijão. Assim, os 13 kg de gás contidos num botijão correspondem a aproximadamente 5,2 m³ quando vaporizados na atmosfera a uma temperatura de 15°C. O valor é aproximado pois a densidade do GLP varia de acordo com outros fatores, como a composição do produto, por exemplo.

  23. Bruno Says:

    Pessoal,

    Tenho um aquecedor de gás com capacidade de 15,5l (novo), e geralmente ele para de funcionar antes que meu botijão (13kg) chegue ao fim. Logo, tenho que ficar usando esse botijão no fogão e e utilizar um novo para o aquecedor. Vocês sabem me responder se é um problema do aquecedor ou o botijão que não é apropriado?

    Desde já, obrigado.

    • Montini Says:

      Caro Bruno,
      A pressão dentro do botijão diminui na medida em que o gás vai chegando ao fim. Fogões domésticos trabalham com baixa pressão e conseguem aproveitar melhor o gás. Aquecedores, entretanto, costumam operar com pressão maior, de modo que não conseguem aproveitar todo o gás do botijão. Recomendo consultar o fabricante do aquecedor sobre a pressão de trabalho do aparelho.

  24. Patrícia Says:

    Olá. tenho certeza que todos neste site são muito gratos pela tua atenção!
    Tentei ler tudo para ver se minha questão já teria sido respondida, mas confesso que meus olhos embaralharam rápido.
    PERGUNTA: meu fogão é “temperamental”. Ele funciona normalmente até que de repente ele não acende mais, de jeito nenhum. Não adianta sacudir, trocar o gás, tirar e colocar a mangueira, assoprar. Só volta a acender no dia seguinte ou após algumas horas…(nunca ficou mais de 2 dias sem acender).
    Já abrimos a tampa de inox para tentar mexer… já desconectamos a mangueira da válvula que controla a pressão…daí assopramos este controlador e ao mesmo tempo abrimos e fechamos a passagem para ver se o ar passava: estávamos supondo que pudesse estar obstruído. Mas não estava. O Ar passava normalmente simulando o gás.
    O que poderia ser? Seria no distribuição geral do fogão? Isso poderia estar entupido? Mas então, por que na maioria das vezes funciona?

    MUITO GRATA!

    • Montini Says:

      Cara Patrícia,
      Os fogões modernos costumam ter: Sistema de admissão e condução do gás. Registro, que permite o controle manual da quantidade de gás; Válvula de Segurança ou Termostato, que controla automaticamente a quantidade de gás (solenoides; termopares); Injetor, que determina a potência de cada queimador (quanto maior o furo, mais forte é a chama) e onde ocorre a captação do ar a ser misturado ao gás; Tubo de Venturi, onde o gás é misturado ao ar para que haja queima; Queimadores, onde a queima é realizada. Ou seja, fogões têm muitos pontos que podem apresentar problemas. As causas costumam ser deformação de componentes pelo calor ou choque, entupimentos, composição da mistura gás/ar, pane eletromecânica e, até, defeito de fábrica ou falha no projeto. Pelo seu relato, talvez haja algum componente que impede a passagem do gás ou do ar por estrangulamento, talvez motivado por deformação provocada pelo calor. É difícil dizer. Recomendo consultar um técnico especializado.

  25. Michele Meletti de Sant'Ana Aimoli Says:

    Prezado de Marco, estou fazendo uma reforma na cozinha e gostaria de colocar um cooktop, só que tenho um problema, o gás vai ficar embaixo do cooktop, isso pode acontecer?

    • Montini Says:

      Cara Michele,
      Não conheço a pessoa a quem você endereçou a sua pergunta, mas tomo a liberdade em responder. É melhor evitar colocar o botijão sob o cooktop. Se isso for indispensável, vai depender do tipo de cooktop e da instalação. Leia com atenção as instruções do fabricante e verifique o que este recomenda a respeito. Não confine o botijão, ou seja, o local onde este ficará deve ser bem ventilado, com altura suficiente para instalar o regulador de pressão sem que a mangueira fique próxima da base do cooktop. Recomendo consultar o fabricante do cooktop ou um técnico especializado para avaliar as condições de segurança da instalação.

  26. Ferreira Says:

    Prezados,

    Qual a diferença de reguladores de gás com vazão de 1kg e 2kg. Ambos poderão ser usados em residências?

    • Montini Says:

      Caro Ferreira,
      O regulador de 2 kg/h para baixa pressão permite a vaporização do dobro de GLP quando comparado ao regulador de 1 kg/h para baixa pressão. Os reguladores de baixa pressão utilizados em residências costumam ter vazão de 1 kg/h pois são utilizados apenas para alimentar um fogão comum. Já os reguladores de baixa pressão com vazão de 2 kg/h são usados quando é necessário alimentar mais de um equipamento de baixa pressão simultaneamente, como mais de um fogão, forno, aquecedor de água etc. Ambos podem ser utilizados em residências.

  27. Maurício Says:

    Boa n gostaria de saber qual a diferença do botijao p13 para o gas encanado em condomínio. Pergunto isso devido que antes eu morava em casa e usava um p13 que geralmente dava para quase 2 meses e hoje moro em apartamento que usa gas encanado e fatura chega com a quantidade de kg consumido e geralmente em um mes da quase passa o que eu gastava com um p13

    • Montini Says:

      Caro Maurício,
      Não ficou claro se o gás encanado do seu condomínio é gás natural, ou se é GLP fornecido por uma estação central.
      Se agora você usa o Gás Natural, a equivalência é a seguinte: 1 botijão de GLP (13 kg) tem poder calorífico equivalente a 16,3 m³ de GN. Entretanto, se o condomínio utiliza GLP, então não há diferença de poder calorífico. Nesse caso, a menos que você esteja utilizando outros equipamentos à gás (aquecedor, chuveiro, etc.) que não usava antes, o consumo deveria ser semelhante ao que você já tinha anteriormente.

  28. danye Says:

    comprei uma casa e a distância entre o botijao (na lavanderia) e o fogão (na cozinha) já é maior que 1,25m e notei que a quantidade de gás que está saindo no fogão é muito pequena e não mantém a chama. Fiz um teste com o gás ligado diretamente no fogão (com distancia menor que 1,25) e nessa situação o gás ficou bom porém o fogão teria que ficar dentro de casa. Qual é a melhor solução? Existe forma de regular a pressão de saída pela válvula?
    Obrigado

    • Montini Says:

      Caro Danyel,
      O regulador de pressão utilizado em botijões P-13 para fogões domésticos não permite regulagem. Entretanto, a menos que o gás esteja no fim, a pressão de trabalho costuma ser suficiente para vencer 2 metros de distância. Creio que você tem razão ao supor que pode haver obstrução na tubulação.

  29. William Rocha Says:

    1) Por que o preço do botijão P45 é mais caro que o P13? Usando claro a proporção em quilos? Na minha cidade um P45 está em média R$165 e o P13 R$ 39.
    2) Possuo na minha casa um botijão P13 e um P45 com válvulas separadas, meu aquecedor de água é do tipo analógico e fui informado que para poder utilizer água quente em mais de um banheiro deveria trocar para digital, e também com relação a vazão minima especialmente para torneira da cozinha, evitaria ter que abrir bastante a torneira para ter água quente. Poderei utilizar os dois botijões da mesma maneira que utilizo hoje ou o aquecedor digital precisa de dois P45?

    • Montini Says:

      Caro William,
      Desconheço o motivo. Há muito tempo as distribuidores de GLP praticam seus preços livremente (não há controle do Estado) e desde 2002 o preço do botijão P-13 deixou de ser subvencionado.
      Quanto ao tipo de instalação, vai depender das características do novo aquecedor. Dificilmente será necessário colocar dois P-45 apenas para o aquecedor, entretanto é bom verificar a pressão de trabalho e o nível de consumo, de modo a evitar problemas com a vaporização do gás (congelamento do sistema). Recomendo consulta ao fabricante do aquecedor.

  30. Marcelo Morais de Paula Says:

    Bom dia Montini! Tenho em casa uma instalação com dois P45 conectados a um coletor com manômetro e um regulador. Esse final de semana troquei um dos p45 e quando utilizava o gás o regulador emitia um forte barulho (assuviu), além de vibrar acima do normal. Será problema na pressão do botijão? ou será problema no regulador? Tenho essa montagem desde janeiro de 2014, os produtos ainda estão novos. Grato pela atenção.

    • Montini Says:

      Caro Marcelo,
      Sim, é possível que o novo cilindro esteja com pressão acima da normal. Verifique o manômetro e tente fechar um pouco a válvula. Também pode ser problema no regulador, mas antes de substitui-lo converse com o seu fornecedor de GLP ou, de preferência, com o técnico que fez a sua instalação.

      • Marcelo Morais de Paula Says:

        Bom dia Montini!
        Grato pela atenção. Fiquei assustado a princípio, pelo barulho que fazia. Vou ajustar a válvula e também testar com apenas um deles que está quase vazio (menor pressão), desconectando o cheio… e aguardar a visita de um técnico. Abraços, Marcelo.

  31. Andressa Says:

    Boa tarde! Adorei o blog e tirei algumas dúvidas. Mas ainda tem uma que me encomoda, estou prestes a me mudar e a casa em q eu estou ja era mobiliada. Então terei que comprar um fogão novo, o botijão e as peças. Queria saber se posso comprar o botijão com o gás cheio (pois nao tenho o botijão vazio para retorno) e quanto custaria ?
    Obrigada desde já.

    • Montini Says:

      Cara Andressa,
      Ao comprar o fogão novo, veja a posição da entrada de gás (do lado esquerdo ou direito) em função da posição em que ficará o seu botijão. Sim, você pode comprar o botijão cheio diretamente da distribuidora (ou do caminhão de entrega) que atende o seu bairro. É mais fácil que comprar um botijão vazio. Os preços variam muito, dependendo de onde você irá residir. Recomendo consulta na internet ou nos revendedores de GLP. E boa sorte na casa nova!

  32. nilson santos da silva Says:

    bom dia preciso comprar botijão de gás vazio de 13 kilos vc pode me informar aonde eu encontro…

  33. Priscila Says:

    Boa tarde, troquei meu aquecedor de gás por um novo de 22l, o técnico disse que tenho pouca pressão no gás e sugeriu ligar 4 botijões em uma unica válvula isso é arriscado? nuca vi isso em lugar algum achei estranho.

    • Montini Says:

      Cara Priscila,
      Se o problema for pressão não vai adiantar ligar vários botijões em bateria. Talvez o técnico esteja se referindo à capacidade de vaporização do gás em relação ao consumo estimado. Nesse caso, antes de montar um sistema de botijões seria melhor testar reguladores de gás com maior capacidade de vaporização (2 kg ou 4 kg por hora, por exemplo). Entretanto, se a alternativa for mesmo uma bateria de botijões, dê preferência a dois cilindros de 45 kg (P-45), e consulte um outro técnico para dimensionar adequadamente o sistema.

  34. Carlos Henrique Says:

    Comprei um aquecedor a gás no Chile que usa um botijão de 5 kg, porém tem um bocal rápido fabricado em Portugal. Devo trocar o bocal por um nacional ou existe um adaptador seguro para uso?

    • Montini Says:

      Caro Carlos,
      Difícil dizer. Seria um engate rápido? De todo modo, vai depender das características técnicas do equipamento. Recomendo consultar o fabricante ou uma assistência técnica especializada em aquecedores à GLP.

  35. Paula Says:

    Olá, passei mais e uma hora lendo e nao consegui tirar minha dúvida, sera q vc pode me ajudar? Vc sabe se eu posso colocar um botijão de 13Kg em um local q fica +ou- 1,20m acima do nivel fogão? Vai ficar do lado de fora de costas pro fogão, a distancia é pouca só nao sei se posso colocar mais alto. Desde ja agradeço. t

  36. elizabete fidelis da fonseca Says:

    boa noite, troquei meu gás faz 12 dias e hoje quando acendi ele ficou muito vermelho por ums 5 minutos , depois foi voltando ao normal, o que aconteceu, tem algum perigo

    • Montini Says:

      Cara Elizabete,
      A mudança na cor da chama costuma acontecer quando o gás está no fim ou quando o queimador do fogão está desregulado ou parcialmente obstruído. Como você trocou o botijão a pouco tempo, o problema pode ser no queimador. Às vezes, na hora de limpar os queimadores, algum resíduo, detergente ou gordura obstruem os orifícios. Não há perigo, mas se o problema persistir, chame a assistência técnica do fogão ou um técnico especializado.

  37. Rogério Says:

    Estou realizando uma reforma, onde na cozinha terá um cooktop, preciso levar o botijão para uma area externa cerca de 5m de distancia, a tubulação teria que passar abaixo do contrapiso, seria possivel essa instalação? Qual material precisaria para a execução? Aonde encontro alguém para fazer esa instalação?

    • Montini Says:

      Caro Rogério,
      Sim, é possível. Para tubulação enterrada a vala deve ter profundidade mínima de 50 cm, com fundo compactado, nivelado e sem cascalho. Não pode ser feita em área com tráfego pesado. O encanamento pode ser de cobre (flexível ou rígido, com espessura de parede de, no mínimo 0,8 mm) revestido com fita de isolamento contra umidade tipo “scotchrap”, ou, melhor ainda, encanamento de alumínio multicamadas polietileno/alumínio/polietileno (PE-AL-PE). Na internet é possível encontrar empresas que fazem esse tipo de instalação.

  38. Eliane S Says:

    Bom dia Sr. Montini
    Parabéns pelo que faz tirando dúvidas a tanto tempo,
    Tenho uma dúvida,vou intalar o gas na minha casa pela primeira vez e comprei o registro de gas com medidor, de acordo com a vendedora da loja ele mede quando o gas ta acabando.ele é doméstico, gostaria de esse tipo é bom ou é melhor utilizar o convencional?

    • Montini Says:

      Cara Eliane,
      Esse medidor é, na verdade, um manômetro que indica a pressão interna do gás. Ou seja, a medição é indireta (menor pressão significa menos gás). Por isso a indicação da quantidade não é muito precisa e nem muito confiável. Se onde você mora for fácil substituir o botijão rapidamente, ou se você tiver um botijão de reserva, não vale a pena colocar regulador com manômetro. Entretanto, se você preferir comprar um regulador de gás com o manômetro acoplado, certifique-se de que o produto é aprovado pelo Inmetro. Procure o marca do Inmetro na embalagem e, também, no corpo do regulador.

  39. Walter Says:

    Boa tarde,estou montando uma cozinha industrial para fonecimento de quentinha,qual é o bojão mais indicado para o meu fogão,é um fogao industrial de 6 bocas com forno?

    • Montini Says:

      Caro Walter,
      Fogões industriais costumam operar com a alta pressão e elevado consumo de gás. Então, o ideal é utilizar botijões P-45 (de 45 kg) em bateria com pelo menos dois cilindros. Recomendo consultar um técnico especializado para fazer a instalação.

  40. Edmilson Dias Says:

    muito obrigado Montini, ajudou e muito vou fazer isto mesmo porque a parede não tenho problema com temperatura do sol porque a mesma não recebe sol na parte onde vou instalar mas chuva que vem de lateral isso sim bate na parede.muito obrigado e boa sorte com tudo que fizer na vida.

  41. Edmilson Dias Says:

    li todas as perguntas dos pessoas e suas resposta percebi que o Sr° entendi muito do assunto , achei muito interessante ao meu projeto de reforma aqui em casa, se poder me ajudar desde já agradeço.
    estou reformando e queria passar uma encanação de gás que sai da parede da minha cozinha e passe do lado de fora ate a areá 4mt de distancia e reto só terá curva para entrar nas paredes que breve vai ter uma casinha para botijão GLP 13 kg domestico e sera usado apenas para fogão , mas queria passar o cano exposto e fixado junto a parede e não chumbado ,minha duvida seria!,tem algum cano de cobre que pode ficar exposto a Intempérie ou só tem cano que fica chumbado dentro da parede. aguardo resposta,como disse desde já agradeço,valeu!!!
    obs. moro no 2° andar da minha residencia é um sobrado e outra coisa qual tipo de cano Sr° indicaria .

    • Montini Says:

      Caro Edmilson,
      Creio que o tubo de cobre flexível de 3/8″ (9,52 mm de diâmetro externo por 0,79 mm espessura) será suficiente. Por ser flexível, não é necessário utilizar conexões curvas. É importante não estrangular o tubo quando for curvá-lo. Quanto à exposição, o ideal será protegê-lo do ambiente externo. Verifique a possibilidade de passar o tubo de cobre por dentro de um cano de PVC, pelo menos na parte onde ficará exposto ao tempo. Na dúvida, procure um técnico especializado para fazer a instalação.

      • Welter Says:

        Prezado sr. Montini, boa tarde, estou fazendo uma obra semelhante ao sr. Edmilson e meu questionamento é sobre o tipo do tubo de cobre a ser empregado: aqui no Rio de Janeiro vende-se tubos classe E e classe I – verifiquei no site da empresa fornecedora ‘ELUMA” mas não consegui saber qual das duas classes se enquadra o tubo rigido de cobre (varas de 2,5 e 5 metros) para tubulação de gas domestico. Não quero usar o tubo flexivel, pois o acabamento não ficaria tao bonito quanto o tubo rigido,. Muito obrigado e aguardo sua resposta.]
        Resp. Welter Jr – Rio de Janeiro

      • Montini Says:

        Caro Welter,
        Os tubos rígidos de cobre são de três classes: “A”, “E” e “I”. Diferem em função da espessura da parede e pressão de serviço que deverão suportar. Os classe “A” possuem espessura de 0,70 mm até 1,50 mm, e são mais usados para água. Os classe “E” são mais usados para água e calefação (espessura de 0,50 mm a 1,20 mm). A classe “I” são usados para gás combustível, (espessura entre 1 mm e 2 mm). Normalmente usa-se o tubo flexível para instalação doméstica (de baixa pressão), mas se você preferir o tubo rígido, ele deve ser sem costura e com espessura mínima de 0,8 mm. A classe vai depender do diâmetro: Um tubo de parede 0,9 mm terá 54 mm de diâmetro de for classe E, e 22 mm ou 28 mm de for classe A. A classe I começa com espessura de 1 mm. Lembre-se de não entortar os tubos e procure um soldador experiente.

      • Welter Says:

        Prezado sr. Montini, mais uma vez muito obrigado pela ajuda e pelas informações.

        Entrei no site da ELUMA, e as especificações dos tubos são as seguintes (padronizei para o tubo de 15 mm de diametro nominal, por ser o mais discreto): na classe E a espessura da parede é de 0,50 mm e a pressão de serviço é de 41,0 KGF/CM2; na classe I a espessura da parede é de 1,00 mm e a pressão de serviço é de 88,0 KGF/CM2; e na classe A a espessura da parede é de 0,80 mm e a pressão de serviço é de 69,0 KGF/CM2;

        Num post anterior seu encontrei que a pressao de trabalho do GLP em butijão seria de 4 à 7 kgf/cm² (baixa pressao).

        Estaria correto eu afirmar que, para esse diametro de 15 mm , poderia ser empregado qualquer uma das tres classes?? . Eu insisto nesse ponto da classe pois aqui no Rio de janeiro há uma diferença muito grande no custo da vara de 5 metros, dependendo de cada classe.

        Mais uma vez, muito agradecido pelo maravilhoso apoio prestado..

      • Montini Says:

        Caro Welter,
        A pressão interna dos botijões transportáveis de GLP, (pressão de trabalho para o botijão ) é de 4 à 7 kg/cm². A pressão de trabalho dos fogões domésticos é muito inferior (cerca de 0,03 kg/cm²), ou seja, baixa pressão. A redução é feita pelo regulador de pressão. Quanto à especificação do tubo, para esse diâmetro dê preferência ao classe I (1 mm) ou, pelo menos, ao classe A (0,8 mm).

  42. joaovillela Says:

    como faço para ligar um cooktop e um forno a gás num só bujão de 13 kg, posso colocar um T depois da válvula, me ajude.
    Preciso de um cilindro para pequenas soldas prata, mas falaram que o p2 esta fora de linha por ser perigoso, e que lançaram um novo liquinho p2 com válvula de segurança??? Pode me esclarecer

    agradeco

    • Montini Says:

      Caro João,
      Se tanto o fogão quanto o forno forem de baixa pressão, utilize um regulador de pressão com capacidade para 2 kg de vazão de gás (aprovado pelo Inmetro). Conecte o “T” ao regulador por intermédio de uma mangueira aprovada e, em seguida, conecte um ramal do “T” ao forno e o outro ao cooktop usando mangueiras aprovadas. Não passe nenhuma parte da instalação por trás do forno. Se você não se sentir muito seguro, não faça. Chame um técnico especializado. Quanto aos botijões P-2, ainda são comercializados. Veja onde encontrá-los nos sites das grandes distribuidoras de GLP.

  43. Sildo Cavalho da Silva Says:

    Boa noite !
    Parabéns pelo Blog. Muito bom .

    Gostaria de tirar uma dúvida contigo. Qual a diferença entre um regulador de pressão de 2 kg de GLP por hora de um de 07 kg GLP por hora, ambos de baixa pressão. Será destinado para ligar um fogão doméstico a uma distância aproximada de 15 metros no andar acima de onde ficará o Regulador de pressão, ligado a uma central de Botijões p-45 no terreo, a 28 andares abaixo.Posso usar um regulador no hall e outro junto ao fogão e qual deles seria? São muitas duvidas, mas deste já agradeço pela atenção.

    • Montini Says:

      Obrigado, Sildo!
      O Regulador de 2 kg para baixa pressão tem vazão de até 2 kg de gás por hora. São desse tipo os reguladores comuns para botijão P-13, por exemplo. Já o regulador de 7 kg libera até 7 kg de gás por hora e é usado como regulador de segundo estágio em sistemas com central de P-45, para abastecer aquecedores ou equipamentos com grande consumo de gás. Para conectar o seu fogão à central verifique se o sistema instalado exige reguladores de segundo estágio para baixa pressão, ou se o regulador de primeiro estágio já atende essa necessidade. No primeiro caso, um regulador para 2 kg/h deve ser suficiente. No segundo caso o regulador adicional é desnecessário. Em todo caso, consulte a zeladoria do prédio sobre as características técnicas da central de GLP.

  44. Rita Says:

    Tenho uma dúvida, estou terminando minha área de laser e vou colocar um cook top de 5 bocas e estou pretendendo colocar o botijão de 13kg embaixo do cook top, tenho um botijão colocado do lado de fora de minha cozinha que fica cerca de 10m do local de instalação do cook top e fica ruim p quebrar a parede para fazer a ligação. Posso coloca-lo embaixo do cook top?

    • Montini Says:

      Cara Rita,
      Não é recomendável confinar o botijão. Contudo, não havendo alternativa, mantenha o local sob o cooktop sem portas, ou então certifique-se de que estas permitam boa ventilação (vão entre as portas e o chão, orifícios etc.). Utilize preferencialmente botijões P-5 (de 5 kg) ou P-8 (de 8 kg), que ocupam menos espaço.

  45. Tonga Says:

    Olá, tenho um criatório para aves de postura e o mesmo precisa de gerador de calor, o que possuo utiliza uma bateria com 4 botijas p 45 simultânea. Gostaria de saber se tem como utilizar o p 13 e quanta botijas preciso para conseguir a mesma pressão dos 4 p 45 ou se tem algum equipamento que aumente a pressão sem congelar as botijas.

    • Montini Says:

      Caro Tonga,
      O botijão P-13 foi concebido para uso doméstico. Existem leis que proíbem o seu uso para outros fins. Utilizar P-13 em bateria exige muitas adaptações que, se não forem bem feitas, podem ser perigosas. P-45 e P-13 têm a mesma pressão interna. Congelamento não é falta de pressão, mas baixa capacidade do sistema em trocar calor com o ambiente e vaporizar GLP suficiente para atender ao consumo. Cilindros P-45 são mais eficientes em trocar calor (vaporizam mais gás) do que botijões P-13. Recomendo consultar o seu fornecedor de GLP sobre a possibilidade de aumentar a eficiência, colocando mais cilindros P-45 ou substituindo por P-90 ou sistema estacionário.

  46. DIrceu Machado Jr Says:

    Ola, parabéns por tanto tempo auxiliando e esclarecendo tantas duvidas.
    Acabei de adquirir uma Central de Gas Komeco 22DI, lamento pelo conteudo do manual do usuario. Deixa aberto para mais questionamentos cada vez que leio.
    Gostaria de saber qual a melhor combinacao entre botijao de gas para ter o melhor custo beneficio.
    P13+P13?
    P45+P45?
    Regulardor de pressao ou Manometro, pressurizador?
    Quando usamos dois cilindros, existe um dispositivo que perceba o fim de um cilindro e passe para o proximo e avise que é necessario comprar um?

    • Montini Says:

      Caro Direu,
      A configuração depende do consumo. Quando se opta pelo GLP para aquecimento de água e também para fogão, forno, etc. geralmente é recomendável uma bateria com dois P-45. Os reguladores de pressão para P-45 dependem do tipo de instalação, consumo, distância etc. É possível acoplar manômetros, que apontam quando é necessário trocar o cilindro. Recomendo consultar um técnico especializado na instalação desse tipo de sistema.

  47. Gabriela Says:

    Olá! Estou fazendo uma varanda gourmet no meu apto e gostaria de tirar algumas dúvidas em relação a instalação de um cooktop de 2 bocas com botijão de 5 kg embaixo da bancada que é de granito. A base/laterais do armário embaixo da bancada também são de granito e as portas serão de vidro. O local pega todo o sol da tarde, então, nessas condições é possível fazer essa instalação? Tambem gostaria de saber, quais são os itens que devo comprar para fazer essa instalação com segura?
    Desde já, agradeço a atenção e a resposta!

    • Montini Says:

      Cara Gabriela,
      Do mesmo modo que um botijão de 13 kg, o P-5 também não deve ser confinado em local de pouca ventilação, e deve-se evitar expô-lo ao sol direto. O vidro não é o melhor material para as portas, pois deixa passar luz e ainda retém o calor no interior (efeito estufa). Dê preferência a material opaco. As portas devem ter orifícios de ventilação e um vão entre elas e o piso. Para a instalação basta seguir as recomendações do post (usar regulador de pressão e mangueira de gás aprovados pelo Inmetro). Se houver forno, a mangueira não deve passar próximo a ele.

  48. Camila Says:

    Olá! estou com uma dúvida, pois realizei minha mudança, contudo nao levei o fogao e o gas, pois ainda nao me mudei, o botijao está cheio, menos de um mes de uso. A cidade para qual me mudarei está a 100 km da atual, há alguma forma segura de transportar esse botijao de gas no meu carro de passeio?
    Obrigada.

  49. Rafaela Says:

    Olá, estou construindo uma residência e o gás ficará cerca de três metros de distância e passamos um cano com a mangueira do gás dentro. Há algum problema?

    • Montini Says:

      Cara Rafaela,
      Se o encanamento for enterrado, a vala deve ter profundidade mínima de 50 cm, com fundo compactado, nivelado e sem cascalho. Não pode ser feita em área com tráfego pesado. O encanamento pode ser de cobre revestido com fita de isolamento contra umidade tipo “scotchrap”, ou, melhor ainda, encanamento de alumínio multicamadas polietileno/alumínio/polietileno (PE-AL-PE). Ou seja, essas instalações não devem ser improvisadas. Recomendo consultar técnico especializado.

  50. Ivan Valente Says:

    Olá. Substituí meu aquecedor de passagem por um mais moderno (vazão de até 42 L/min), tenho na minha casa um botijão P-45 (+um de reserva) e o encanamento do gás até os pontos de consumo (aquecedor + fogão) é de cobre com 3/8″ de diâmetro. O instalador disse que eu deveria fazer algumas alterações. 1º) Mudar o encanamento do gás para 1/2″ de diâmetro; 2º) Usar dois botijões P-45 simultaneamente. Caso não fizesse isso, poderia ocorrer o congelamento do gás no interior do encanamento quando a demanda aumentasse (com temperatura ambiente baixa). Procede isso? O gás pode congelar dentro do encanamento? Não dei muito crédito ao técnico porque dias atrás parei de usar o aquecedor devido forte cheiro de gás no ambiente, ele disse que seria impossível vazar gás e que o cheiro era do monóxido de carbono. Até onde sei, monóxido de carbono não tem cheiro.
    PROCEDE ESSAS ORIENTAÇÕES DO TÉCNICO?
    Grato,
    Ivan Valente

    • Montini Says:

      Caro Ivan,
      Os Botijões, inclusive o P-45, precisam trocar calor com o ambiente para vaporizar o gás. Se o consumo superar a capacidade de troca de calor por tempo suficiente, tanto a parede do cilindro como parte do encanamento podem congelar, e aí o gás ira parar de fluir. Ou seja, o sistema pode mesmo congelar, mas não dá para afirmar que isso vá acontecer no seu caso. Recomendo consultar outro técnico para uma segunda opinião, sobretudo por causa de possível vazamento. O GLP (que é inodoro) é aromatizado com mercaptano, que lhe confere aquele cheiro característico e inconfundível.

  51. pedro Says:

    OLA BN FOI COMENTADO QUE NUNCA PASSE A MANGUEIRA POR TRAS DO FOGÃO,MAIS A SAIDA DO MESMO FICA DO LADO OPOSTO O QUE FAZER??DESDE JÁ OBRIGADO

    • Montini Says:

      Caro Pedro,
      Em alguns fogões é possível alterar o lado de entrada do gás. Verifique se o encanamento atrás do fogão tem duas entradas: Uma com o niple de entrada (onde é fixada a mangueira) e a outra fechada com um terminal rosqueado. Aí, bastará trocar o niple de lado. Use veda-roscas e faça teste de vazamento com espuma de sabão. Caso não haja essa opção, recomendo usar mangueira metálica flexível resistente ao calor, que pode ser encontrada nas lojas especializadas de acessórios para fogões.

  52. kleber Says:

    Qual tipo de botijão é o ideal para aquecedor de água a gás, p13 ou p45

    • Montini Says:

      Caro Kleber,
      A escolha do botijão depende do modelo do aquecedor e da sua utilização (chuveiros, duchas, sauna, piscina etc.). Ou seja, é preciso dimensionar o sistema de alimentação levando em conta o consumo específico (aquecimento de água) e o consumo associado (fogões, fornos etc.). Entretanto, quem opta por GLP para aquecimento doméstico de água costuma dar preferência aos botijões P-45, geralmente em bateria de dois cilindros. Ocorre que muitos modelos de aquecedor consomem mais GLP do que um botijão P-13 consegue vaporizar. Aliás, o P-13 não foi concebido para isso, embora possa ser adaptado.

  53. Aluísio Says:

    Bom dia! Gostaria que me informasse qual a distância mínima deve ser observada entre a “central de gás” de um condomínio residencial (são 04 botijões P-45) e os veículos. Grato!

    • Montini Says:

      Caro Aluísio,
      Os cilindros de gás devem ficar, no mínimo, a 3 metros de distância de qualquer fonte de ignição, inclusive estacionamento de veículos, a menos que a central seja isolada por parede à prova de fogo com resistência de 2 horas. Nesse caso, a distância pode ser reduzia a 1,5 metros. Recomendo vivamente consultar a norma NBR 13.523:2008. Essa norma regulamenta o assunto e estabelece uma série de outras exigências e restrições de segurança com relação à central de GLP. Recomendo, também, consultar o Corpo de Bombeiros da sua cidade.

  54. Rosely dos Santos Says:

    Ola bom dia, gostaria de fazer uma pergunta: Se eu estiver usando o fogão a gás com a porta aberta , o vento pode acelerar o consumo do gás? Já ouvi algo a respeito mas gostaria de ter uma confirmação de pessoas especializadas e aptas a me dar uma resposta correta e eficiente, porque sempre fecho a porta pois meu fogão fica perto da corrente de ar. Não sei se isto que ouvi é verdadeiro, foi o entregador de gás que me falou.Obrigada desde já pela resposta. Fico no aguardo. Um abraço.

    • Montini Says:

      Cara Rosely,
      A resposta é sim! A corrente de ar não aumenta o consumo diretamente, quer dizer, não “aspira” mais gás. Na verdade, quando o vento sopra diretamente sobre a chama do queimador, acontecem duas coisas: A chama perde contato com o fundo da panela e a ventilação a resfria, com a consequente perda de eficiência e aumento no tempo de cozimento. Mais tempo cozinhando significa maior consumo de gás. Além disso, uma corrente de ar muito forte pode apagar a chama e fazer com que o gás se espalhe pelo ambiente, o que é perigoso.

  55. jacqueline santana Says:

    ola tenho um fogao semi induatrial quando ligo ele apita. e as vezes quando desligo. faz um barulho como estorace. e normal

    • Montini Says:

      Cara Jacqueline,
      Isso não é normal. É possível que o problema seja na regulagem dos queimadores, ou então na válvula solenoide. Recomendo chamar a assistência técnica do fogão.

  56. Fábio Says:

    Uau, respondendo perguntas durante 4 anos. isso merece respeito.
    claro q tb tenho uma pergunta; se poder responder estaria grato:
    tenho um AP no 3o andar. la em baixo no porão cada AP tem dois P-45 para os fogões (no mesmo regulador com um T).
    acontece q acabou o gás hj e quero vender o AP. sendo q o P-45 é caro, mais caro até por kg que o P-13, e dura aqui quase 2 anos (e vou me mudar dentro de algums meses), eu tava querendo conectar um P-13. claro q percebi q não é tão fácil assim. pelo jeito tem q trocar o regulador e tudo ne? e parece q tem a questão da pressão tb ne? vc acha q vale a pena fazer a troca?

    Obrigado
    Fábio

    • Montini Says:

      Caro Fábio,
      Obrigado pelo comentário gentil! Sim, trocar o P-45 pelo P-13 (ou vice versa) não é tão simples. O P-13 é concebido para abastecer sistemas de baixa pressão.Já o P-45 é utilizado em sistemas de alta ou baixa pressão e podem ser conectados em bateria, como parece ser o seu caso, e necessita de reguladores de pressão especiais. A troca por P-13 exigirá, no mínimo, a instalação de um adaptador para a rosca a fim de conectá-lo ao sistema. Para fazer isso com segurança é recomendável chamar um técnico especializado. Acho que é mais seguro, menos trabalhoso (e talvez até mais barato) colocar um P 45 cheio.

  57. vladimir Says:

    Oi, boa noite, tenho um estabelecimento de 2 andares , e uma laje de cobertura, tudo com + ou – 8 metros de altura desde a garagem ,gostaria de saber se eu fizer uma tubulação de cobre de + ou – 10 metros de altura com um botijão de 13 kg p/ um fogão de 4 bocas vai funcionar normalmente ou se não , o que preciso fazer. obrigado.! o fogão vai ficar lá em cima junto á churrasqueira tenho um telhadinho.

    • Montini Says:

      Caro Vladimir,
      Enquanto o botijão estiver relativamente cheio e a temperatura ambiente for elevada, não haverá problema. Entretanto, na medida em que o gás for chegando ao fim (principalmente nos dias frios) pode haver redução na quantidade de gás fornecida ao fogão por perda de pressão. Talvez seja preciso substituir o botijão antes do gás se esgotar por completo, o que não é lá muito econômico… Nesse caso você pode usar botijão de 45 kg regulador de pressão específico, mas isso só valerá a pena se a instalação puder alimentar também outros equipamentos. Se o fogão da cobertura não tiver muito uso, talvez fique mais em conta usar um botijão de 5 kg ou de 8 kg ao lado do fogão.

  58. Kátia Says:

    Olá, Bom dia! Obrigada por essa ajuda que esse blog oferece.Vocês estão de parabéns!
    A casinha do gás em minha casa fica do lado de fora, feita de granito para proteção do sol e chuva. Existe alguma possibilidade de explosão do botijão de gás? Preciso tomar mais alguma precaução?

    • Montini Says:

      Cara Kátia,
      Obrigado pelas suas palavras gentis! Veja, o botijão de gás P 13 rarissimamente explode, pois é dotado de válvula de segurança (plug fusível) para o caso da temperatura ambiente ficar acima de 70 °C. Ou então caso sofra algum impacto muito intenso. Quanto à proteção que você providenciou, ela é suficiente (além de ser muito chique!). Não se preocupe!

  59. Camila Bastos Says:

    Boa tarde. Acabei de trocar o gás aqui de casa, veio o cara trocar normalmente, passou a bucha com sabão e disse que estava ok. Minha mãe tava olhando e tá saindo espuma do registro, a gente limpa e continua. Liguei pro moço da fornecedora e ele disse pra limpar pois só vai estar escapando gás se estiver saindo cheiro, eu não sinto o cheiro e nem minha mãe, só vejo a espuma. É normal?

    • Montini Says:

      Cara Camila,
      Limpe a espuma de sabão e coloque água. Observe se a água borbulha. Se borbulhar, desenrosque o regulador (registro) e recoloque. Não use nenhuma ferramenta para fazer isso, apenas as mãos. Aí, faça o teste da espuma (ou da água) novamente. Se continuar borbulhando, retire o regulador e exija a substituição do botijão.

  60. Alvaro Says:

    Por favor, me ajudem.

    No meu condomínio foi construída uma churrasqueira junto ao muro limítrofe com outro edifício, este muro tem 50 cm de espessura e atras dele existe uma central de gás com 6 botijas de GLP de 18 Kg, mas a tubulação que entra na parede esta fora da area da nossa chrrasqueira, ainda não tive a oportunidade de verificar se ocorre aquecimento na parede interna da central de gás. Desejo saber se ocorrer aquecimento temos o risco de explosão? Qualquer orientação será muito bem vinda.

    • Montini Says:

      Caro Alvaro,
      É difícil dizer, apenas baseado no seu relato, se há algum risco. Podemos especular que os botijões dificilmente estarão em risco dada a espessura da parede. Aliás, confirme se os botijões são, mesmo, de 18 kg. Desconheço botijões com essa capacidade. Normalmente centrais de GLP utilizam cilindros de 45 kg ou 90 kg. Por via das dúvidas, recomendo verificar se há aquecimento importante na central de GLP quando se utiliza a churrasqueira. Por outro lado, mesmo que haja aquecimento, dificilmente haverá risco de explosão: Essas centrais são normalmente construídas conforme normas técnicas e são vistoriadas pelo corpo de bombeiros. Os cilindros de GLP (pelo menos os de 45 kg e 90 kg) dispõem de dispositivos de segurança que liberam o gás na atmosfera caso haja aumento anormal de pressão, impedindo a explosão..

  61. Shan Says:

    Olá amigo se puder me ajudar ficarei grata…estou vendo que responde muitas perguntas vou fazer a minha também.
    Trabalho com o botijão pequeno, com maçarico. Mandei recarregar ontem, e fui buscar hoje. O moço disse que teria de esperar pois eles tinham de esfriar o botijão pra poder recarregar.
    O normal quando conectamos o maçarico é sair um pouco de gás, mas desta vez saiu muito, e em estado quase liquido, ou seja, ele está tão frio que dá pra ver a “fumaça” e congelou minhas mãos. Uma vez que eu terminei de enroscar o gás parou de vasar, mas quando abro o maçarico, o gás sai assim feito fumaça, não está transparente como de costume. Pelo raciocínio calculo que o gás está ainda muito frio e por isso sai assim feito fumaça, inclusive congelando a ponta do maçarico. E acho que eles devem ter sobrecarregado o botijão por isso saiu tanto gás na hora que fui conectar o maçarico.
    Queria saber se isto é comum, espero um pouco pra ver se fica normal ou levo de volta pra onde recarregaram…

    • Montini Says:

      Cara Shan,
      Dentro do botijão o gás dever permanecer, em boa parte, no estado líquido (cerca de 85%) e uma parte menor em estado gasoso(cerca de 15%).Se o botijão é preenchido além da capacidade recomendada, não sobra espaço dentro do botijão para vaporização e acontece aquilo que você relatou: O gás saí ainda na fase líquida. Isso é perigoso! Não o utilize assim. Exija que o seu botijão seja substituído. Enquanto isso, não o exponha ao sol nem ao calor.

  62. Carlos B. M. Says:

    Bom dia! Trabalho em meu apartamento com um maçarico e um botijão P2. Soldo metais e faço pequenas esculturas como hobbie.
    Adorei este blog e gostaria de saber se posso substituir o P2 pelo P5 devido a segurança e conexões e se há alguma lei quanto ao uso de botijoes deste tipo em apartamentos. Aqui na minha cosinha chega gás encanado.
    Grato desde já pela orientação.

    • Montini Says:

      Caro Carlos. Legal que você gostou do blog, obrigado!
      O P 2 trabalha com alta pressão (maçaricos, fogareiros, lampiões). Já o P 5 pode ser usado também para fogões e fornos domésticos de baixa pressão (e nesses casos é preciso usar regulador). Para usar o maçarico com o P 5 bastará um adaptador de rosca, pois o bocal do P 5 tem rosca diferente do bocal do P 2. Quanto à legislação, aqui na cidade de São Paulo está em vigor o DECRETO Nº 24.714, DE 07/10/1987, que diz: “Art. 5° – Não será permitida a utilização de gás em botijões ou cilindros nas edificações que disponham de instalação interna de gás canalizado…” Se entendermos ao pé da letra, nem o P 2 poderia ser usado. Porém, creio que o decreto se refere à utilização de gás para uso doméstico comum, para cozinhar. É uma questão de interpretação… Veja a íntegra do decreto em: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/habitacao/plantas_on_line/legislacao/index.php?p=11938

  63. Marcos Augusto Says:

    Bom, tenho 4 botijões P-90 para fazer instalação, por norma a tubulação teria que ser SCH 80, gostaria de saber qual as pressões exercidas no tubo considerando que os botijões estão em série.

    • Montini Says:

      Caro Marcos
      A pressão do sistema independe dos recipientes estarem em série. A NBR 13932 (Central predial de GLP) recomenda tubulação de aço galvanizado sem costura com espessura Schedule 40 para uma pressão de projeto de 1,7 MPa. Recomendo consulta à NBR citada e, também, à NBR 13932.

  64. Danielle Martins Says:

    Por favor me ajude!
    Meu fogão hoje quando liguei os acendedores fez um barulho forte e as trempes sopraram forte também. Porque isso aconteceu? Pode ser problema com o botijão do gás?

    • Montini Says:

      Cara Danielle
      Parece que o gás está saindo com muita pressão dos queimadores, o que pode ser problema de regulagem nesses queimadores ou no solenoide, peça que regula automaticamente a quantidade de gás. Entretanto, é mais provável que seja defeito no regulador de pressão, aquela peça que vai rosqueada no botijão. Recomendo substituir o regulador por um aprovado pelo Inmetro e de boa marca. Se não resolver, consulte a assistência técnica do fabricante do fogão.

  65. joão paulo Says:

    estou querendo tirar a botija de 13kg de minha cozinha e colocar na área, porém ela pega sol uma parte do dia, isso pode me trazer algum problemas?

    • Montini Says:

      Caro João Paulo,
      O botijão deve ser sempre protegido das intempéries (chuva, sol, umidade etc.). Entretanto, se a exposição ao sol não for muito longa, não chega a preocupar. A mangueira de PVC, contudo, pode ser afetada. Se não for possível colocar algo que faça sombra no botijão, tente proteger ao menos a parte superior, onde ficam a mangueira e o regulador.

  66. João Vítor Galo Esteves Says:

    Olá, boa noite.
    Eu tinha um fogão de duas bocas [de mesa] e, de repente, uma das bocas começou a sair com a chama amarelada e um forte cheiro [que me provocava dor de cabeça rapidamente]. Troquei por um fogão convencional novo, porém todas as bocas dele estão desse jeito. Pode ser o gás?
    P.S: meu gás ainda está razoavelmente cheio, mas não tenho muita certeza da procedência dele.

    • Montini Says:

      Caro João Vítor,
      Chama amarelada e cheiro forte indicam que o gás não está sendo queimado completamente. O problema pode estar na regulagem dos queimadores do fogão ou no regulador de pressão acoplado ao botijão. No caso, vale a pena apostar na segunda hipótese. Verifique, primeiro, o regulador de pressão e troque-o por um novo, de boa marca, e aprovado pelo Inmetro. São dispositivos baratos mas fazem toda a diferença. Isso deve resolver. Caso contrário, Chame a assistência técnica do fabricante para verificar a regulagem dos queimadores do seu fogão.

  67. Heitor Nelo Neto Says:

    Boa tarde, neste inicio de ano, colocamos um chuveiro com aquecimento a gás. O técnico que nós atendeu disse que dois P-13 bastariam para o aquecedor de passagem com vazão de 12 litros da Komeco, junto com um fogão a gás de 4 bocas. Não estávamos satisfeitos com o serviço, principalmente quanto a questão da pressão e chamamos um segundo técnico, o qual disse que um P-13 bastaria para aquecer a água do aquecedor e mais o fogão. Bem, passou um mês do atendimento do segundo técnico, um P-13 já não funcionou mais, fui e troquei para o outro P-13, passaram uns 8 dias, este segundo P-13 parou de funcionar. Liguei para o segundo técnico e contei o acontecido. Daí ele me disse que quando o P-13 fica menos da metade da carga a pressão do P-13 diminui e que seria interessante ligar os dois ao mesmo tempo para que a força de dois P-13 pela metade, fizesse a força de um inteiro.
    Isso é verdade?
    Qual a possibilidade de ser instalado um ‘manômetro’ na saída destes dois P-13?
    Pelo menos, acho eu, que poderia me prevenir quanto a ficar sem gás no meio do banho. Heitor Neto

    • Montini Says:

      Caro Heitor,
      O P 13 foi concebido para alimentar apenas fogões domésticos. Podem ser usados também para aquecimento, porém aquecedores de passagem costumam consumir mais gás do que um P-13 é capaz de vaporizar. Dependendo do modelo, trabalham com pressão superior àquela que um P-13, com regulador de pressão normal, pode proporcionar. Juntar 2 botijões P-13 aumentará a capacidade de vaporização, mas apenas adiará o problema da pressão, a menos que se instale regulador de pressão especial. É possível acoplar manômetro e regulador de pressão especial, mas instalações desse tipo exigem cuidados e muitas adaptações, pois o P-13 não foi concebido para essa finalidade. Recomendo verificar o manual de instalação do aquecedor e conferir as especificações. Na dúvida, entre em contato com a assistência técnica do fabricante (Komeco). O ideal seria instalar uma bateria com dois cilindros P-45, com manômetros e reguladores de pressão de primeiro e segundo estágios dimensionados para o consumo da sua residência.

  68. Adelaide Cunha Says:

    O botijão de gás esta transpirando e chega a molhar.
    Fechei a válvula de saída por medida de segurança
    Estou com receio de usar o fogão
    Por que esta ocorrendo isso?
    .

    • Montini Says:

      Cara Adelaide,
      Dentro do botijão o gás permanece na fase líquida sob alta pressão. Para passar para a fase gasosa (vaporização) e poder ser usado, o gás precisa trocar calor com o ambiente. Quando o consumo de gás é elevado, essa troca de calor resfria muito rapidamente as paredes do botijão, fazendo com que haja condensação da umidade do ar. É o que provoca essa aparente transpiração. Em casos extremos o botijão chega a congelar, mas isso só ocorre quando há um consumo de gás muito elevado, muito rapidamente. Ou seja, não há nenhum perigo, mas se o botijão congelar o gás irá parar de sair. Se você sempre consome muito gás, talvez seja aconselhável usar um botijão de maior capacidade de vaporização, como o de 45 quilogramas (cilindro P 45).

  69. Isac Soares Says:

    Estou fazendo trabalho para faculdade sobre o processo de fabricação de botijão de gás de 13 kg gostaria de saber se vc poderia me ajudar com dados medidas fotos de maquinas fazendo o processo muito obrigado

  70. MarceloC Says:

    Ola boa noite, moro um andar acima da central onde ficam os botijões de gás. Desde que moro neste prédio usei P-13, cada morador tem o seu próprio botijão. Tem algum problema usar o P-13 com desnível elevado? Eu posso continuar usando P-13 ou deveria necessariamente usar o P-45?

    • Montini Says:

      Caro Marcelo,
      O único inconveniente em usar o P 13 é uma eventual perda de carga (redução de pressão) e consequente redução da quantidade de gás disponível para o fogão ou aquecedor, principalmente no inverno. Porém, diferenças de altura de 3 a 4 metros não chegam a comprometer o fornecimento, embora haja risco de uma maior retenção de gás no botijão quando este fica vazio. Isso não acontece com os P 45, pois estes utilizam reguladores de pressão diferenciados e possuem maior área para a troca de calor com o ambiente. Sua instalação, entretanto, é bem mais cara e o manuseio mais complicado, a menos que o condomínio do prédio resolva migrar para uma bateria de cilindros P 45 com reguladores de primeira e segunda fase. Vale a pena estudar o assunto.

  71. Liliane Peixoto Says:

    Boa noite,
    Estou fazendo uma reforma na minha cozinha, e vou colocar o botijão de gás (13kg) na área. A tubulação será de 3m de distancia, minha dúvida é a seguinte, só posso usar o tubo de cobre, ou posso usar também o tubo de alumínio? Esta tubulação pode passar pela parede? É necessário alguma fita PVC, ou algum tipo de conduíte para proteção desta tubulação?
    Obrigada.

    • Montini Says:

      Cara Liliane,
      Os tubos e conexões de cobre são os mais usados, mas é possível utilizar tubos de aço galvanizado ou os modernos tubos multicamadas PE-AL-PE (polietileno-alumínio-polietileno) para gás, que são aprovados pela CONGÁS (companhia distribuidora de gás de São Paulo). O problema com os tubos PE-AL-PE é que não podem ficar expostos à luz solar. Sim, esses tubos podem passar pelas paredes. Os tubos metálicos precisam ser isolados do ambiente, principalmente se forem enterrados no solo. Isso pode ser feito por fita anticorrosiva tipo “Scotchrap”. Em qualquer caso, recomendo consultar um técnico especializado para dimensionar o sistema e projetar a instalação.

  72. Ana maria S. Simon Says:

    Bom dia,

    Sobre a botija P2, ela não possui valvula de segurança, correto? Diante disso, este tipo de de botija não deve ser utilizado em processo de corte a quente, com maçarico, correto? Para esta atividade, qual a botija que o Sr. recomenda a P5?

    desde já obrigada.

    Ana Maria

    • Montini Says:

      Cara Ana Maria,
      A válvula de segurança existente nos botijões de 5 kg, 8 kg e 13 kg é, na verdade, um plug fusível. Ele é feito de uma liga metálica de chumbo e bismuto que se funde a aproximadamente 70°C . Durante um incêndio esse plug derrete e libera o gás, evitando que o botijão exploda. Ou seja, a ausência de plug fusível no P2 não é problema. Ao contrário: O P2 foi concebido para ser usado em dispositivos de alta pressão como lampiões, fogareiros e maçaricos. O importante, nesse caso, é comprar o P2 de boa procedência e operá-lo com segurança: Recuse P2 engarrafado clandestinamente, enferrujado ou amassado; confira o lacre do distribuidor sobre a válvula; siga atentamente as instruções do fabricante para a operação segura do maçarico e use os EPIs adequados.

  73. Dani Says:

    Olá. Acabei de instalar o botijão de gás e percebi que há um pequeno vazamento na válvula do botijão. É um vazamento bem pequeno.
    Como devo proceder? Devo procurar uma nova válvula imediatamente? É muito grave? Ou tenho tempo para procurar uma nova válvula com calma?

    Obs: meu botijão fica do lado externo de casa.

    • Montini Says:

      Cara Dani,
      Vazamentos bem pequenos também são perigosos. Veja:
      Caso o vazamento seja na válvula do botijão: Essa válvula fica dentro do botijão e funciona automaticamente quando o regulador de pressão é rosqueado na abertura. Um vazamento nessa válvula indica que o botijão está com defeito. Coloque o botijão em local ventilado e chame imediatamente o fornecedor para fazer a troca
      Caso o vazamento seja no regulador de pressão: Retire e recoloque o regulador (não use ferramentas, apenas as mãos) e faço o teste da espuma. Se continuar vazando, retire o regulador e substitua por um novo (de modelo aprovado pelo Inmetro). Enquanto isso, não use o fogão com vazamento de gás, mesmo pequeno. O GLP é mais pesado que o ar e se acumula no chão, de modo que fica difícil de perceber.

  74. Bruno Says:

    Porque o P3 têm rosca a direita e não a esquerda já que ele é um gás combustível?

    • Montini Says:

      Caro Bruno,
      Desconheço que haja botijões de 3 kg fabricados no Brasil. Mas talvez você se refira aos botijões de 13 kg. Veja, os cilindros de gás combustível utilizados para solda têm rosca esquerda para diferenciá-los dos cilindros de oxigênio, que tem rosca direita. No caso do botijão de 13 kg, este foi projetado para uso exclusivamente doméstico. Não é por acaso que o GLP é conhecido como gás de cozinha. Aqui no Estado de São Paulo, por exemplo, é proibido por lei usar o botijão P 13 para qualquer outro fim que não seja doméstico. Por essa razão não é preciso, e nem conveniente, colocar rosca esquerda na válvula do P 13, pois a maioria das donas de casa nem conhece a existência desse tipo de rosca.

  75. Carlos Says:

    eu queria saber o por que uma cozinha industrial a onde se faz marmitaria tem 2 p 45 e ele congela e acaba em 2 a tres dias

    • Montini Says:

      Caro Carlos,
      Botijões de GLP congelam quando a vazão é superior à capacidade de vaporização do gás. Funciona assim: O Gás está em estado líquido dentro do botijão. Para passar ao estado gasoso (vaporização) os botijões precisam trocar calor com o ambiente. Se o consumo é muito elevado, muito calor é absorvido, o que acaba congelando o sistema e interrompendo o fornecimento de gás. Recomendo que você verifique os reguladores de pressão e, se for o caso, redimensione toda instalação.

  76. Jamilly Says:

    Olá meu gás está vibrando isso e normal??
    Ontem tava vazando aí comprei outra mangueira e outra borboleta como se fala aqui no bairro , mais ele fica com uma vibração forte gostaria de saber se e normal?

    • Montini Says:

      Cara Jamilly,
      O consumo elevado do gás pode provocar alguma vibração no botijão. A vibração se deve à vazão excessiva (sai muito gás, muito rapidamente). Entretanto, vibração muito forte não é normal. Verifique se o regulador de gás que você instalou é compatível com o seu fogão (alguns reguladores são dimensionados para vazões maiores). Veja também se os queimadores do fogão estão bem regulados. Na dúvida, chame a assistência técnica especializada.

  77. Vinicius Says:

    Vinicius,
    Bom dia,
    Posso usar fita veda rosca em conexão a gas?

    • Montini Says:

      Caro Vinicius,
      Sim, você pode usar fitas veda-roscas (mais conhecidas comercialmente como “teflon”), para vedar conexões de tubulação para GLP. O PTFE (politetrafluoretileno) é um polímero fluorado, excelente para vedar e revestir tubulações para diversos produtos químicos, inclusive o GLP.

  78. erlodis Says:

    Olá, Montini. Tenho uma botija P2 utilizando um regulador doméstico em um fogão de mesa de duas bocas (baixa pressão). Para instalar esse regulador, foi preciso colocar uma espécie de adaptador, como se fosse uma borboleta menor abaixo do regulador. Será que corro riscos? Esse uso do P2 com regulador de baixa pressão doméstico pode me causar problemas?

    • Montini Says:

      Caro Erlodis,
      O botijão P2 foi concebido, especialmente, para ser utilizado com lampiões e fogareiros de alta pressão. Ao contrário dos botijões P13, a rosca da válvula do P2 é incompatível com a rosca do regulador para baixa pressão. Por isso o adaptador é necessário. Acontece que gás não combina muito bem com adaptações. O botijão P2 não tem válvula de segurança (plug fusível), além de ser mais difícil de encontrar. Se você não puder utilizar um botijão de 13 kg, adote o botijão de 5 kg. O P5 aceita regulador de baixa pressão, tem plug fusível e o seu tamanho e custo não são muito diferentes do P2.

  79. Mariana Says:

    Olá, bom dia, moro em um edificio com encanamento a gás. Os botijões de 13 kg ficam numa área térrea tomando sol, chuva e muito vento, dia e noite. Já senti cheiro a gás quando estão usando, vindo lá de baixo. Moro no 2º andar e gostaria de saber se tudo isso é normal.

    Obrigada!

    • Montini Says:

      Cara Mariana,
      De fato, você tem razão em se preocupar. Pelo que você diz, a instalação para fornecimento de gás foi feita sem maiores cuidados. O correto é abrigar os botijões em local bem ventilado e protegido das intempéries (chuva, sol, umidade). Também é importante impedir o acesso a pessoal não autorizado (o ideal é manter os botijões em abrigo de alvenaria com portões de tela de arame). Além disso, dependendo do consumo do condomínio, é mais seguro e mais barato usar cilindros de 45 kg (P45). Recomendo avaliar a possibilidade de refazer a instalação da maneira correta. Consulte o seu fornecedor de gás, ou técnico especializado, a esse respeito.

  80. filipe da silva fernandes Says:

    eu trabalho com um maçarico record estalado no botijaõ de gás de 13kg,pois o mesmo ta vazando um oleo,o que será,e o que devo fazer.obs é um laboratorio de protese dentaria.

    • Montini Says:

      Caro Filipe
      Botijões P 13 contém apenas GLP, uma mistura de propano e butano. Ambos são gases. Dentro do botijão o GLP permanece em estado líquido e, parte dele, em estado gasoso. Não há (ou não deve haver) óleo no botijão. Desconecte o maçarico e verifique se a rosca da válvula foi lubrificada. Coloque espuma de sabão sobre a válvula do botijão para ver se há vazamento de gás. Verifique o regulador de pressão, os manômetros e o próprio maçarico, para ver se não há obstrução. Por via das dúvidas, recomendo substituir o botijão. Aproveite e troque o P 13 por um P 5 (de cinco quilogramas) ou um P 8 (de oito quilogramas), pois em alguns Estados, como São Paulo, é proibido por lei usar botijão P 13 para qualquer atividade que não seja uso doméstico.

  81. Rodrigo Says:

    Montini,

    já fiz todos os testes de vedação, e continua um leve cheiro de gás na cozinha – mesmo com o registro fechado. Reinstalei duas vezes, e o problema permanece.

    A única coisa que estranhei foi que, ao instalar o botijão, ouvi um pequeno zumbido, como uma espécie de “bexiga” se esvaziando. Isso durou alguns minutos, e depois não notei este barulho outra vez.

    Isso pode indicar algum furo no diafragma do regulador, que é uma peça feita de borracha? O regulador é novo, mas posso ter sido “premiado”…

    • Montini Says:

      Caro Rodrigo,
      Se o teste com espuma de sabão sobre a borboleta deu negativo, e se você testou as conexões (mangueira com o regulador; mangueira com a entrada do fogão) e os registros e queimadores do fogão, e tudo estava Ok, então o problema pode ser, mesmo, no regulador de pressão. Se for o caso, o melhor é substituí-lo por outro, de boa marca e aprovado pelo Inmetro.

  82. marcelo Says:

    quantos psi de pressão suporta um botijão de 13 kilos.

    • Montini Says:

      Caro Marcelo,
      A questão é um pouco complexa. Veja:
      A pressão de trabalho do P 13 é de 1,7 MPa (megapascal), o que equivale a cerca de 17 kg/cm² (quilograma força por centímetro quadrado) ou, se você preferir, 246 psi (pound force per square inch). Por outro lado, o GLP é armazenado a uma pressão que varia entre 0,4 MPa a 0,7 MPa (cerca de 4 kg/cm² a 7 kg/cm²), dependendo da temperatura ambiente. Vale lembrar de que o botijão P 13 é projetado, exclusivamente, para acondicionar 13 kg de GLP. Qualquer outro uso é ilegal e extremamente perigoso.

  83. sheila Says:

    Ola montini ja não aguento mais meu gás acaba todo mês já trocamos a mangueira nas nada adianta o que posso fazer me ajude por favor.

    • Montini Says:

      Cara Sheila,
      Dependendo do consumo, é normal que o gás acabe em um mês. Se não houver vazamento no sistema (botijão/mangueira/fogão) então é porque o consumo está, mesmo, elevado.

  84. Welter Says:

    prezado sr. Montini

    parabens pelo trabalho. Gostaria de deixar uma pergunta: sou sindico de um predio antigo de 3 andares e 6 apartamentos aqui no Rio de Janeiro, e fomos notificados pela Prefeitura para retirar os botijoes de 13 Kg de dentro das cozinhas. Não temos como instalar o gas da concessionaria (CEG), pois o mesmo passa pela rua de tras do predio e nao há acesso. A solução sera colocar os botijoes numa area comum no terreo do edificio que atende a todas as cozinhas. Minha pergunta é se o botijao de 13 Kg tem pressao para chegar ate o 3º andar – cerca de 8 metros de altura, o que facilitaria o controle de cada apartamento; ou se terei de instalar botijoes de 45 Kg e ratear periodicamente a compra de novos botijoes ….

    Grato desde já pela informação

    Respeitosamente

    Welter Jr

    • Montini Says:

      Caro Welter,
      Os botijões P 13 foram projetados para abastecimento em equipamentos de baixa pressão, e em unidades domiciliares singulares. Para abastecimento em condomínio, recomenda-se baterias de botijões de 45 kg ou, mesmo, reservatório estacionário. No seu caso, dependendo do consumo das unidades, uma bateria com dois (ou mais) cilindros P 45 proporcionariam a pressão necessária e a quantidade de gás suficiente. Lembro que instalações desse tipo exigem dimensionamento correto para que seja utilizada a tubulação e os reguladores de pressão (de primeiro e segundo estágio) adequados. Recomendo consulta a um técnico especializado nesse tipo de instalação.

  85. Gilberto Alves Amaro Says:

    pmontini

    Boa tarde. Agradeço as dicas. Troquei o regulador de pressão e descobri que o problema estava no P 45, que apesar de cheio só estava com 2kg de pressão. Troquei o P 45 e resolveu. Liguei e estou testando. Muito bom o trabalho prestado aqui. Vocês estão de parabéns. Obrigado.

    Gilberto Alves Amaro

  86. Marcio Haicki Says:

    Boa tarde
    tenho um equipamento para fabricação de cervejas com dois queimadores de alta pressão. Um deles é controlado por uma solenoide. O fogo nunca foi lá grande coisa, mas agora está muito fraco. Poderia melhorar se eu utilizasse um P45 e não o P13?
    As tinas que aquecem a água são de 90 Litros.
    obrigado

    • Montini Says:

      Caro Marcio,
      Sem dúvida, e por vários motivos. O botijão P 13 é projetado para uso doméstico em equipamentos de baixa pressão. Para alta pressão o melhor é o P 45, no qual é possível instalar um regulador adequado a cada tipo de queimador. Além disso, comparado com o P 13, o cilindro P 45 vaporiza mais gás por unidade de tempo. Ou seja, mesmo que você utilize o P 13 com regulador para alta pressão, correrá o risco do sistema congelar quando o consumo for elevado, principalmente no inverno de Serra Negra. E além de tudo, o uso do botijão P 13 para atividade comercial é proibido, por Lei, no Estado de São Paulo. Recomendo estudar a possibilidade de instalar uma bateria com dois ou três P 45. Afinal, queremos que a sua cervejaria tenha muito sucesso!

  87. Gilberto Alves Amaro Says:

    Olhas estou montando uma central de gás para sauna com 2 p45
    mas não consigo manter a pressão necessária o que pode ser ?
    será que tenho que usar um regulador de pressão mais forte?
    preciso ter 3kg no ponto de entrada da maquina.Quando ligo esta marcando 2,5 durante o uso cai vai caindo e chega a 1,5 e ai não consigo mais regular para cima somente para baixo.atualmente estou usando este regulador modelo record R121-GLP

    • Montini Says:

      Caro Gilberto,
      Um botijão P 45 cheio tem pressão de saída de aproximadamente 7 kg/cm². A perda de pressão do sistema pode ter várias causas: A primeira delas é o tipo de regulador. Verifique se o seu regulador permite pressão de saída superior a 3 kg/cm². Alguns reguladores, inclusive da marca que você usa, permitem pressões de saída próximas à 7 kg/cm². A distância de 18 metros deve ser considerada no cálculo de pressão do sistema, mas dificilmente responderia, sozinha, por uma perda de carga expressiva. É preciso considerar, também, a diferença de altura e o número de conexões ou curvas pelas quais o GLP passa até chegar na máquina, além da temperatura do local de armazenagem dos cilindros (se for muito frio, a vaporização do GLP fica comprometida). Se a substituição do regulador não der resultado, o melhor será consultar um técnico especializado para redimensionar o sistema.

  88. Adriana cicca Says:

    Olá meu botijão de gas fica na parte de tras da casa (nos fundos) o encanamento passa por baixo da terra, porém o fogão esta com a chama baixinha como se estivesse acabando o gas e até troquei o botijão para ver era esse o problemas, mas não resolveu…pode ser vazamento embaiso da terra? (daria cheiro?) ou problema no fogão, estou preocupada….grata

    • Montini Says:

      Cara Adriana,
      Isso pode ter várias causas, e é importante saber a quanto tempo essa perda de pressão vem ocorrendo. Antes de tudo verifique os queimadores do fogão. Podem estar entupidos ou desregulados. Também pode ser defeito no regulador de pressão, ou então a mangueira pode estar estrangulada em algum ponto. Se após limpar e regular os queimadores e substituir o regulador a pressão continuar baixa, então pode ser estrangulamento ou vazamento no encanamento enterrado. Dependendo da profundidade que os dutos estiverem, o gás penetra no solo e não chega à superfície. Se for esse o caso, não se arrisque. Chame um técnico especializado para substituir o encanamento.

  89. Airton Says:

    Olá. Pretendo fazer uma alteração no local do abrigo do gás em minha casa. Hoje tenho um fogão (6 bocas de uso doméstico) com o botijão localizado ao lado dele. Gostaria de levar o abrigo do gás para fora de casa, a uma distância de 5 metros, e num nível 1 metro mais baixo. Além disso, também vou instalar um aquecedor de passagem (para uso com GLP e capacidade de 18 litros/minuto). Minhas dúvidas são:
    1) O que seria melhor em termos de botijão (P13) ou cilindro (P45)? Um P45 para os dois, um P13 para cada equipamento ou P45 para o aquecedor e P13 para o fogão? Lembrando que, dependendo da opção, as tubulações devem ser independentes.
    2) Para a instalação entre o abrigo e os pontos de uso, além do cobre, lí que existe uma tubulação multicamadas flexível de Polietileno-Alumínio-Polietileno que atenderia as normas AS 4176, ISO 17484-1 e BS ISO 17484-1:2006. Já ouviu a respeito?
    Obrigado pela atenção!

    • Montini Says:

      Caro Airton,
      Vamos analisar alguns dados: Um botijão P13 vaporiza cerca de 25 litros de gás por minuto, enquanto um P 45 vaporiza cerca de 40 litros por minuto. O seu aquecedor consome 18 L/min (não sabemos se é de alta ou baixa pressão), e o seu fogão, em pleno funcionamento, tem consumo estimado de cerca de 14 L/min. Porém, para dimensionar o sistema de fornecimento de gás é necessário avaliar o consumo: Quantas pessoas usarão o aquecedor e com que frequência? Haverá uso concomitante do aquecedor e do fogão? Ou seja se o consumo for elevado, é melhor utilizar o P45 para alimentar fogão e aquecedor, pois tem maior capacidade de vaporização e maior quantidade de gás. Quanto à tubulação, os tubos PE-AL-PE para gás são aprovados pela CONGÁS (companhia distribuidora de gás de São Paulo) mas não podem ficar expostos à luz solar. Em qualquer caso, recomendo consultar um técnico especializado para dimensionar o sistema e projetar a instalação.

  90. César Roëntgen Says:

    Prezado Montini.
    Durante quanto tempo um botijão cheio pode ser estocado sem que haja prejuízo de sua pressão? O gás tem prazo de validade assim como a gasolina? Grato.

    • Montini Says:

      Caro César,
      O Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) é composto, basicamente, de uma mistura de dois gases: O Propano (C3H8) e o Butano (C4H10). Esses gases não se deterioram e nem atacam quimicamente o metal do botijão, de modo que o GLP não tem validade de consumo determinada. Também não há perda espontânea de pressão. O tempo de estocagem é limitado apenas pelas condições de armazenagem e prazos de requalificação dos cascos.

  91. Hariff Says:

    Muito bom seu artigo.

  92. Gilberto Cabral Says:

    Olá Montini, achei sua matéria muito interessante e gostaria que você me esclarecesse uma dúvida:
    – Tenho uma cozinha em U e o fogão fica a 4 metros de distância da área de serviço. Pretendo colocar o botijão nesta área externa e sei que o permitido é apenas 1,25 mt da mangueira.

    Posso usar a mangueira de cobre flexível neste caso, só que não pretendo passar por dentro da parede nem do chão?

    Penso em passar por um espaço entre a parede e o armário, isso é permitido?

    Vi em um post, em outro site, que uma pessoas passou rente o rodapé da parede e usou conexões nos cantos, mas prefiro fazer o que é mais seguro. Qual seria sua sugestão?

    • Montini Says:

      Caro Gilberto,
      Não há nenhum inconveniente em manter a tubulação de cobre exposta. O importante é que ela fique protegida de choques que provoquem amassamentos ou rupturas. Também é importante preservá-la de umidade, pois a oxidação que poderá causar estragos. Ou seja, desde que o local escolhido para passar a tubulação a proteja contra esses dois fatores (choques e umidade), e desde que a instalação do encanamento seja feita de maneira adequada, não haverá problema.

  93. Helio Says:

    Boa noite! Troquei meu fogão residencial e a entrada do gás está do lado contrário à posição onde fica o butijão (13 kg). Sei que o comprimento máximo das mangueiras é de 1,25 m, mas terei dificuldades em colocar a tubulação de cobre recomendada. Pergunto, então: há alguma mangueira especial, com revestimento metálico, própria para distância maior que 1,25 m, passando por trás do fogão?

    • Montini Says:

      Caro Helio,
      Existem mangueiras especiais que podem ser encontradas em lojas especializadas de artigos para fogões. Entretanto, nem mesmo essas mangueiras são recomendáveis e, além disso, não são baratas. Por outro lado, a maioria dos fogões permite que se altere o lado da entrada do gás. A alteração é bastante simples de ser feita. Verifique se o seu fogão tem esse recurso e entre em contato com a assistência técnica do fabricante. É mais seguro e, provavelmente, mais barato. Outra possibilidade é verificar, na loja, se eles têm outro fogão de mesmo modelo, porém com a entrada do lado oposto, e solicitar a troca.

    • Helio Says:

      Montini, como sempre, suas respostas são objetivas e esclarecedoras. Muito obrigado!

  94. Adriana Rossini Says:

    Boa Noite!, Por gentileza, eu mudei de residência e tenho um botijão vazio e quero leva-lo no porta malas do meu carro para minha nova residência em outra cidade, aproximadamente 130 km, na realidade não sei se o botijão esta realmente vazio, esta aqui em casa há uns 4 anos parado. Corro risco ao transportá-lo no porta malas do meu carro?
    Desde já agradeço!

    • Montini Says:

      Cara Adriana,
      Botijões são bastante seguros e podem ser transportados, desde que se tomem alguns cuidados. Coloque o botijão em pé e use almofadas ou algo semelhante para caçá-lo, de modo que ele fique bem preso e não se choque com nada. No seu caso, o problema maior consiste em que o botijão está parado há muito tempo. Verifique se o botijão está em boas condições de conservação. Não trasporte se estiver muito amassado ou enferrujado. Faça espuma de sabão e coloque sobre a válvula (por onde sai o gás)) para ver se esta vazando. Se estiver com vazamento, mesmo pequeno (o que é pouco provável dado o tempo que o botijão está sem uso) não o transporte. Na dúvida, procure trocá-lo por outro botijão, em boas condições e realmente vazio, num caminhão de revenda de GLP.

  95. Cristiano Says:

    Quando trocamos os botijões, os botijões vazios que damos em troca são realizados testes de segurança, como pressão… para atestar a segurança ou os testes apenas são realizados em botijões novos?

    • Montini Says:

      Caro Cristiano,
      Os botijões devem, obrigatoriamente, ser submetidos a ensaios periódicos de requalificação a cada cinco anos. Esses ensaios compreendem a identificação do botijão, inspeção visual, ensaio de perda de massa por corrosão, retirada e inspeção da válvula, inspeção da rosca e testes hidrostáticos (pressão).

  96. Tiago Says:

    Fiz o teste com sabao e notei que esta vazando na valvula. Retirei o gas para fora de casa e amanha irei comprar outra valvula nova. Sera que nao ha problemas de ele passar a noite aberto ao ar livre?

    • Montini Says:

      Não há problema, Tiago. O gás se dissipa na atmosfera. Entretanto, pelo que você diz, deduzo que o vazamento era no regulador de pressão. Se for assim, então é provável que o botijão não esteja vazando. Coloque espuma de sabão sobre a abertura da válvula do botijão para confirmar.

  97. Samya Nunes Says:

    Oieee alguem ai pode me ajudar?
    Levei um susto essa manhã, pois a válvula do meu gás deu defeito e começou a fugir gás cm muita intensidade corri e abaixei a trava mais continuava a fugir só que diminuiu um pouco a intensidade..foi questão de segundos
    Meu irmão que tinha acabado de sair de casa e ainda estava perto me ajudou e removeu a válvula de segurança mais estou cm medo pois o gás ainda está aki dentro de casa, por isso quero saber se corro algum risco ainda??
    Obs. Esse gás foi comprado recentemente! !
    Se puderem me ajudar ficarei grata!

    • Montini Says:

      Cara Samya,
      Se entendi o que aconteceu, ocorreu um defeito no regulador de pressão e o seu irmão o removeu do botijão, não é? Se foi isso, não se preocupe, já que o vazamento não ocorreu na válvula do botijão. Por via das dúvidas, faça espuma de sabão e coloque sobre a abertura do botijão, onde o regulador estava rosqueado.Se borbulhar, então será necessário remover o botijão para um lugar bem ventilado e entrar em contato, imediatamente, com o fornecedor do gás para substituição do botijão. Por outro lado, se o botijão não estive vazando, então bastará comprar um novo kit (o regulador de pressão mais a mangueira aprovados pelo Inmetro) e instalar nesse mesmo botijão.

  98. Alan Mangia Says:

    Boa noite, estou com um problema, sou técnico em segurança e vou realizar um trabalho em uma padaria, vou fazer algumas correções com relação a segurança do trabalho.
    Vou mudar um forno de lugar para poder isolar o botijão de gás, porém, segundo a norma, posso usar uma mangueira de até 1,25m e só com essa metragem não consigo colocar o botijão em lugar aberto e ventilado, mas sim dentro de outra sala, o que acho um grande problema, por ser tratar de uma sala sem ventilação.
    Sei da forma correta de usar o encanamento de cobre, mas rejeitaram por causa do custo.
    Então minha dúvida, usar uma mangueira fora da norma, e deixo com 3 m de comprimento, ou sigo a metragem e deixo o botijão em um local sem ventilação..
    Muito obrigado desde já.
    Vai me ajudar muito.
    Abraços.

    • Montini Says:

      Caro Alan,
      Se a padaria estiver localizada no Estado de São Paulo, é bom avisar os proprietários de que é proibido, por Lei, usar botijão P-13 em atividade comercial. Quanto ao seu dilema, o ideal seria convencer o seu empregador de que não compensa fazer economia em questões que envolvem segurança, muito menos quando se trata de GLP. O risco de manter o botijão confinado em lugar sem ventilação depende do tamanho do lugar. Se for uma sala ampla onde entram e saem pessoas constantemente, não chega a se um problema, pois qualquer eventual vazamento seria detectado rapidamente. Entretanto, se for um lugar pequeno e raramente visitado, é bom evitar de colocar um botijão de gás ali. Por outro lado, é possível encontrar mangueiras, nas lojas especializadas, dimensionadas para alta pressão e que poderiam ser utilizadas. Não sei dizer, contudo, se essas mangueiras seriam mais baratas que um encanamento metálico.

  99. Tony Moscato Says:

    Caro amigo. Tenho um fogão pequeno tipo industrial de 2 bocas que utiliza um botijão pequeno (acho que P2) sem regulador. Posso usar um botijão maior (P13)??. Existe diferença na pressão que sai de um botijão menor para um maior? Obrigado

    • Montini Says:

      Caro Tony
      A pressão de saída dos botijões é praticamente a mesma. Entretanto, a rosca de um botijão P-13 é dimensionada para acoplar um regulador de pressão para uso em fogões domésticos de baixa pressão. Fogões de alta pressão são concebidos para usar o gás sem o regulador. Usar um P 13 em fogão de alta pressão exigirá um adaptador de rosca e conexão com mangueira especial, para alta pressão. Embora seja possível, não recomendo, a não ser que a adaptação seja feita por profissional qualificado e o uso do fogão seja exclusivamente doméstico.

  100. jaqueline Says:

    muito obrigada, estou aliviada. foi de grande ajuda…

  101. jaqueline Says:

    ola..acabei de trocar m botijão e ele esta fazendo um barulho , nao é na valvula e sim nele o barulho é tipo ums leves pipocos, como bolhas estourando dentro dele.

    • Montini Says:

      Cara Jaqueline,
      Com exceção da válvula, o botijão não contém peças móveis. Os estalidos que se ouve no botijão se devem, geralmente, ao diafragma do regulador de pressão. Quando o botijão está cheio a pressão é maior e faz com que o regulador faça esses ruídos. Veja o prazo de validade do seu regulador e o substitua caso ele esteja vencido. Também existe a possibilidade de leves ruídos em razão da expansão ou contração do casco por troca de calor com o ambiente. Isso é normal. De resto, botijões são bastante seguros, mas, por via das dúvidas, faça um teste com espuma de sabão para ver se há vazamento. Se os ruídos aumentarem ou persistirem, entre em contato com a assistência técnica do seu revendedor de gás.

  102. ducisandra Says:

    bom dia e feliz natal eu gostaria de saber de voce coloquei uma mangueira de 6 mt no meu fogao e puxei obotijao para fora de casa motivo minha casa nao tem janela na cozinha pois nao tem espaco a mangueira passa por baixo no piso tem algumperigo a agradeco a sua ajuda desde ja um feliz ano novo e um abraco

    • Montini Says:

      Feliz Natal, Sandra, e obrigado pelos seus votos!
      Veja, não é recomendável utilizar mangueira com mais de 1,25 metros para fazer a ligação do botijão ao fogão. Quando é preciso colocar o botijão a uma distância maior, a ligação deve ser feita com encanamento específico, tipo canos de cobre. Além disso, enterrar dutos de gás exige uma série de cuidados já abordados aqui. É necessário compactar a terra da vala e passar o encanamento de metal dentro de um tubo protetor ou isolá-lo com fita adesiva especial. Recomendo consultar um técnico especializado no assunto.

  103. Marcella Freitas Says:

    Boa tarde, estou com uma duvida referente ao local de onde deixo meu gas, li algumas respostas e vi que nao é recomendado deixar o gas dentro de armarios, e o meu fica exatamente abaixo do cok top, queria saber se o risco diminuiria caso eu colocasse o botijao em outro armario, aumentando assim a mangueira dele!

    • Montini Says:

      Cara Marcella,
      O problema em confinar o botijão em um armário fechado não é a proximidade com o fogão, e sim a falta de ventilação. O motivo é que, caso haja vazamento de gás, será difícil detectá-lo pelo cheiro. Lembre-se de que o GLP é mais pesado que o ar e, portanto, o gás que vaza fica junto ao chão. Ou seja, o gás irá se acumular no armário, o que é muito perigoso. Recomendo que você deixe o armário sem porta, ou então coloque uma porta com muitos orifícios de ventilação e com um vão razoável entre esta e o chão.

  104. Rose Capellatto Says:

    Olá , gostaria de um esclarecimento , se possível. Toda vez q eu troco o botijão, na primeiras semanas ele faz um muito barulho, sempre quando ligo os acendedores, gostaria de saber a causa, pois já troquei até o fogão, achando que o problema era ele, mas ainda persiste o problema. Os senhores teriam uma explicação , por favor.

    • Montini Says:

      Cara Rose,
      Verifique se o barulho tem origem no botijão (mais precisamente no regulador de pressão). A pressão do gás é maior quando o botijão está cheio, e isso pode provocar uns estalos no diafragma do regulador de pressão. Recomendo que você substitua o regulador e, ao fazê-lo, opte por uma boa marca dentre aqueles aprovados pelo INMETRO.

  105. Vinicius Says:

    Olá!

    Gostaria de saber qual é a distância ideal entre o fogão e o botijão P13, pois pretendo comprar um cooktop e o botijão ficaria logo abaixo do mármore onde o cooktop será instalado.

    Obrigado

    • Montini Says:

      Caro Vinicius,
      A distância recomendada não deve exceder a 1,25 metros, que é o comprimento da mangueira aprovada pelo Inmetro. Distancias maiores do que essa não podem ser cobertas por mangueira, e sim por encanamento metálico. No seu caso, entretanto, parece que o botijão ficará bem próximo ao fogão e, portanto, não será necessário encanamento.

  106. Kelly Marta Says:

    Kelly Marta
    Boa Noite
    Comprei um fogão Cristal Aço alta pressão de uma boca, que já vem com a mangueira completa para uso em alta pressão, dúvida posso usar o kit regulador e mangueira de uso em fogão doméstico (baixa pressão) no mesmo?

    • Montini Says:

      Olá, Kelly
      Não é possível usar o regulador de pressão comum. A escolha do botijão vai depender do uso e do consumo de gás. Veja:
      Uso comercial e alto consumo: Cilindro de 45 kg (P45). Aqui no Estado de São Paulo é proibido por lei usar o botijão de 13 kg (P13) para fins comerciais. Não é usado com regulador de pressão ou, dependendo do caso, usa-se reguladores especiais de primeiro e segundo estágio.
      Uso residencial e baixo consumo: Botijão de 2 kg (P2). Esse botijão é projetado para fogareiros e lampiões de alta pressão. Não é usado com regulador.
      Uso residencial e consumo médio ou alto: botijões P5 (de 5kg); P8 (de 8kg) ou P13 (de 13 kg). O problema é que esses botijões são projetados para fogões de baixa pressão. Verifique se a conexão que veio com o seu fogão é compatível com as roscas desses botijões. Em caso afirmativo, basta acoplar sem usar regulador de pressão. Entretanto, recomendo vivamente a leitura atenta das instruções de fabricante ou contato com a assistência técnica do seu fogão.

  107. anderson Says:

    o botijão p13, p8 e p5 tem a mesma pressão?

  108. João Says:

    Boa tarde, posso utilizar o P2 com um lampião, mesmo não tendo válvula de segurança?

    • Montini Says:

      Caro João,
      O Botijão P2 é projetado especialmente para ser utilizado em lampiões e fogareiros que trabalham a alta pressão. Esses botijões são acoplados diretamente ao equipamento (fogareiro, lampião, etc.) sem que seja necessário utilizar regulador de pressão. Botijão P 2 não dispõe de válvula de segurança acessória (plugue fusível). Recomendo que você adquira o botijão de empresa idônea e não aceite botijão amassado, enferrujado ou que tenha sido envazado domesticamente (isso acontece, por incrível que pareça). Ao utilizar o lampião, leia com atenção as recomendações do fabricante.

  109. CELSO M. Says:

    Bom dia Pmontini,

    Seu conhecimento é notório no que se refere a botijões, e percebendo tal façanha, gostaria de saber se a mangueira do botijão pode dobrar? A mangueira que sai do bujão esta com uma dobra, mais ou menos com uma distância de 70 mm… Esta me preocupando,pois eu nunca vi uma mangueira de gás dobrar, geralmente elas são rígidas. O que devo fazer?
    Obs.: Quem instalou todo os equipamentos do botijão, foi o próprio rapaz do gás.

    Att,

    Celso M. Araújo

    • Montini Says:

      Caro Celso,
      A mangueira aprovada pelo Inmetro é suficientemente flexível para permitir o seu manuseio na hora de acoplar o botijão ao fogão e para substituir o botijão. Entretanto, ela não dobra facilmente e nem deve permanecer dobrada. Recomendo que você verifique se a mangueira está sendo pressionada contra alguma superfície (parede, fogão, etc.). Observe, também, se a mangueira é aprovada pelo Inmetro (veja as características no post) e se o comprimento é adequado. A mangueira para GLP só pode ser comercializada em três tamanhos (0,80 metro; 1 metro ou 1,25 metro) e talvez a mangueira instalada seja muito longa.

  110. Rodrigo Pessoa Says:

    Boa Noite Montini!

    Primeiramente gostaria parabenizá-lo por esta matéria com relação aos botijões de gás.

    Gostaria também, por favor, que me esclareça uma dúvida:

    Além de cozinhar com o botijão P13, eu posso utilizar o mesmo para aquecer o chuveiro? Tem que fazer algum tipo de adaptação para ligar no aquecedor?

    • Montini Says:

      Obrigado, Rodrigo!
      O uso do P 13 vai depender do tipo de aquecedor que você tem. Verifique se é compatível com GLP e, principalmente, qual é a pressão de trabalho. Não é recomendável utilizar P 13 em aquecedores que funcionam com alta pressão ou consumo elevado. Ou seja, em princípio você pode conectar o GLP à instalação de gás já existente, mas as adaptações (na instalação e, talvez, no aquecedor) certamente serão necessárias. Recomendo consultar um técnico especializado.

  111. verisyury Veris Says:

    Montini, parabéns pelo trabalho de vocês. Em um aquecedor em nossa casa, utilizo um botijão P13. Sei da recomendação de não deitá-lo quando cheio em razão do estado líquido, mas percebi que quando ele já não apresenta pressão suficiente na posição vertical, ainda posso obter algum rendimento se o deitar. Considerando que ele já se encontra praticamente vazio, é correto pensar que já não existe mais o risco de expelir o conteúdo líquido? Porque então é possível obter mais rendimento do mesmo na posição horizontal? Obrigado. Abraço

    • Montini Says:

      Obrigado!
      De fato, quando o gás está no fim, a possibilidade deste ser expelido em sua fase líquida fica bastante reduzida. Entretanto, é difícil avaliar quanto GLP ainda permanece no botijão. Por isso, é sempre arriscado deitar ou, pior ainda, inverter o botijão.

  112. Filipe Campanhola Says:

    Boa tarde,

    Se tenho um equipamento em um laboratório funcionando com um botijão de 45 kg, posso substituir por um de 13 kg sem nenhum problema? As conexões e válvulas são compatíveis?

    Grato.

    • Montini Says:

      Caro Filipe,
      Não. Botijões P 45 são mais versáteis, ou seja, podem ser instalados em bateria, alimentar equipamentos que trabalham com alta ou baixa pressão e consumo elevado. Geralmente operam com dois reguladores de pressão, um de primeiro estágio e outro de segundo estágio. Já o P 13 foi concebido para uso doméstico, ou seja, para ser usado em fogões e fornos de baixa pressão e baixo consumo. Por isso, utiliza um único regulador de pressão (certificado pelo Inmetro) embora possam ser encontrados outros modelos no mercado. Em tese você poderá adaptar o P 13, mas dependendo do tipo de instalação existente terá que substituir reguladores e verificar se o equipamento opera com baixa pressão e tem consumo compatível. Além disso, lembre-se de que, pelo menos aqui em São Paulo, é ilegal usar P 13 para uso comercial.

      • Cristiano S da Silva Says:

        Montini, Aprendi muito aqui com as dúvidas e suas respostas. Eu vi há algum tempo em uma residência aqui no Rio de Janeiro, o P13 instalado da seguinte forma: do lado de fora em uma gaiola pequena com piso elevado com grades de ferro e trancado com cadeado. e a mangueira atravessando a parede por um orifício suficinte para sua passagem. e próximo do outro lado da parede na cozinha o fogão. E ainda como eles tinham dois botijões o vazio ficava na mesma gaiola. É viável essa instalação ou há quebra de alguma norma ou de segurança?

      • Montini Says:

        Caro Cristiano,
        Não há nenhum problema em manter os botijões numa gaiola, desde que haja suficiente ventilação, como parece ser o caso. Também não há problema em passar a mangueira por um orifício na parede, desde que a esta não seja muito espessa. Recomendo, apenas, evitar que os botijões fiquem expostos diretamente ao tempo.

  113. Joabe Saraiva Says:

    Joabe saraiva.

    Boa noite!
    Caro amigo,pmontini,eu quero saber de você a pressão interna que sai do botijão p-2o para empilhadeira e a temperatura em contato com o ar atmosférico é de quantos graus centígrados Cº.
    Obrigado pela sua atenção..
    Atenciosamente,
    Joabe.

    • Montini Says:

      Caro Joabe,
      A pressão de serviço do P 20 é de 17 kgf/cm², ou seja, 1,67 MPa. Empilhadeiras trabalham com GLP na fase líquida, com o gás à temperatura ambiente. Se a válvula for acidentalmente aberta ao ambiente (o que deve ser evitado) a rápida conversão da fase líquida para fase gasosa poderá reduzir abruptamente a temperatura do botijão, podendo causar congelamento do casco e válvulas.

  114. Ialane Rocha Says:

    Meu tubo de cobre está passando por baixo da terra em área descoberta, ainda sem piso. Está por dentro de uma mangueira amarela, daquelas de fiação elétrica, tanto na parte da terra quanto na parte de alvenaria. Há algum risco nessa instalação? Ouvi que a mangueira amarela não é muito resistente para piso, podendo rachar e passar água.

    • Montini Says:

      Cara Ialane,
      Existem normas técnicas para a especificação e o aterramento de dutos de GLP. Entretanto, em instalação doméstica, basta que sejam tomados alguns cuidados. Os tubos e conexões de cobre devem estar protegidos contra a umidade. Eletroduto corrugado flexível não é exatamente a melhor opção para evitar corrosão. Recomendo revestir o encanamento de cobre com fita adesiva anticorrosiva, tipo a “Scotchrap”. Será preciso enterrar o encanamento a uma profundidade mínima de 50 cm. Deve-se usar terra limpa (sem pedras, pedregulhos, cacos, cascalho) para compactar o fundo da vala e também para fazer a cobertura do aterramento. É muito importante sinalizar o local onde ficará a tubulação.

  115. Ialane Rocha Says:

    Olá, acho a chama do meu cooktop 5 bocas baixa. O botijao p13 fica a uns 7 metros de distância na horizontal. Pode ser esse o motivo? Estamos reformando e pensamos em colocar o botijao mais longe ainda, cerca de 17 metros ao todo. Vai haver perda de pressão que gere enfraquecimento da chama ou desperdício?

    • Montini Says:

      Cara Ialane,
      Chama baixa pode ter mais de uma causa, como a regulagem dos queimadores do fogão, por exemplo. De fato, quanto mais distante o botijão estiver, maior a perda de carga (pressão). Também contribuem o número de curvas, cotovelos, registros, etc. Entretanto, 7 metros na horizontal não chega a comprometer o tamanho da chama, a menos que o gás esteja chegando ao fim ou o dia esteja frio. O tubo de cobre é o mais recomendado para fazer instalações extensas, pois são resistentes e relativamente flexíveis. Sim, talvez ocorra perda de carga, sobretudo nos dias frios. Recomendo consultar um técnico especializado em instalações para avaliar melhor o problema.

  116. Braulio Says:

    Boa tarde amigo o meu apartamento fica aproximadamente 12 metros de altura da casa do gás, onde utilizamos botijão de 13 kg, sabe me informa se terei pressão para a chegada do gás no meu imovel.

    • Montini Says:

      Caro Braulio,
      12 metros é uma altura considerável. É provável que em dias mais frios, ou quando o gás for chegando ao fim, a pressão não seja suficiente e parte do gás fique retido no botijão. Recomendo consultar técnico especializado para verificar a possibilidade de instalação de regulador próximo ao fogão, ou regulador especial.

  117. Antony Constancio Says:

    Bom posso instalar o botijão a uma distancia de aproximadamente 4mts longe do fogão? iria colocar uma tubulação até perto desta distancia e a mangueira plástica de 1.25 para ligação no botijão P13 e no fogão, isso é correto? e quanto a perca de pressão eles iriam ficar na mesma altura teria desperdício mesmo assim pela distancia? grato.

    • Montini Says:

      CAro Antony,
      Sim, está correto. Lembre-se de usar a mangueira e o regulador aprovados pelo Inmetro. Não creio que haja perda significativa de pressão (e consequente retenção de produto) a essa distância.

  118. Ivani Says:

    Prezado Montini,
    Parabéns pelo profundo conhecimento do assunto.

    Por gentileza, esclareça minha dúvida:
    Mudei de um apartamento com gas encanado para uma casa onde usarei gas de botijão.
    Uma empresa fez a conversão do fogão, entretanto deixou a mangueira (parece ser de cobre) Posso utilizar essa mangueira com o gas de botijão?

    • Montini Says:

      Cara Ivani,
      Obrigado pela gentileza do seu comentário!
      Antes de aproveitar a instalação já existente, confirme se tubulação é de cobre e se está em boas condições. Você poderá fazer a parte final da ligação (entre a tubulação de cobre e o botijão) com a mangueira aprovada pelo Inmetro. Na dúvida, faça nova instalação. O custo é baixo em relação à segurança.

  119. André da Paz Says:

    Parabéns pelo trabalho e pela atenção! Preciso comprar um regulador para Botijão P13 e quando fui à procura percebi vários modelos: 504/01, 505/01, 506/01, 506/09, 506/10, como também 1Kg/H e 2Kg/H. Qual a diferença entre eles e qual a melhor opção? Grato.

    • Montini Says:

      Obrigado, André!
      Existem, basicamente, dois tipos de reguladores: Baixa pressão e alta pressão. O botijão P 13 destina-se a fogões, fornos e churrasqueiras que utilizam gás a baixa pressão. Reguladores de baixa pressão para USO DOMÉSTICO têm vazão de 1 kg/h (um quilograma por hora). Esses modelos que você cita (504; 505, etc.) são designações comerciais de um fabricante em particular. Ou seja, se você precisa de um regulador para uso doméstico, compre um modelo com vazão de 1 kg/h (é o mais comum) que seja certificado pelo Inmetro. Normalmente esse regulador é oferecido sozinho, ou acompanhado de mangueira (kit) com 80 cm ou com 125 cm. Basta escolher uma boa marca.

  120. Carlos Veiga Says:

    Bom dia.

    Eu gostaria de saber qual o peso total (botijão+gás) do cilindro P-20 utilizado em empilhadeiras.

    Obrigado.

    • Montini Says:

      Prezado Carlos,
      Um cilindro P 20 vazio pesa, em média, cerca de 27 quilogramas. Logo, o cilindro cheio deverá pesar cerca de 47 quilogramas. O peso do casco (cilindro) pode variar consideravelmente de acordo com o fabricante, com o número de válvulas ou, mesmo, com eventuais resíduos.

  121. Kathleen Says:

    Boa noite!
    Sempre usei o regulador de gás simples, mas este deu um problema e precisei trocá-lo. Comprei um regulador com manômetro, e ele faz um ruído agudo, às vezes, quando ligo o gás. Isso é normal? O que devo fazer? Agradeço a ajuda desde já.

    • Montini Says:

      Prezada Kathleen
      Se você usa o botijão mais comum, de 13 kg (P 13), então deve utilizar apenas reguladores e mangueiras aprovadas pelo Inmetro. No post explicamos e exemplificamos as características que o regulador e a mangueira devem ter. O regulador é um dispositivo relativamente simples, porém, quanto mais acessórios tiver, maior a probabilidade de apresentar algum problema. É difícil dizer se o ruído que você ouve significa, de fato, alguma falha de funcionamento. É possível verificar se o sistema está vazando pelo cheiro característico do gás ou, então, com espuma de sabão. Por via das dúvidas, recomendo substituir o regulador com manômetro por um regulador comum, de boa marca. Ademais, o manômetro registra apenas a pressão interna do botijão, e não a quantidade de GLP, que é feita por analogia com a pressão. Ou seja, a indicação do manômetro é bastante imprecisa.

  122. Evandro Says:

    Para conseguir colocar o botijão P 13 fora do estabelecimento, em local ventilado, necessito fazer uma tubulação de cobre. Uma distância muito grande desta tubulação poderia criar transtorno, desperdício ou risco no caso do uso de botijão P13.

    • Montini Says:

      Bem, Evandro, quando maior a distância, altura ou o número de curvas ou registros intermediários, maior a perda de carga. No caso do P13, o regulador de pressão é colocado diretamente sobre o botijão, de modo que a pressão fica muito reduzida. Distâncias muito longas ou grandes diferenças de altura podem fazer com que haja desperdício, ou seja, você não consegue consumir todo o gás do botijão por falta de pressão no sistema.

  123. Evandro Says:

    Td bem. A titulo de orientação, em alguns locais verificou-se que consumidores tendo em vista do P 13 ser de menor custo que GLP em cilindro, utilizarem P13 em fornos industriais. Tendo em vista que a vaporização é muito rápida, ocorre o congelamento do cilindro. Usam do expediente de colocar o botijão sobre uma bacia com água para evitar o congelamento. Pergunto, quais os riscos que tal fato pode gerar?

    • Montini Says:

      Caro Evandro,
      Em primeiro lugar o GLP comercializado em P13 destina-se exclusivamente ao uso doméstico. Aqui no Estado de São Paulo, por exemplo, o uso do P13 em atividades comerciais é proibido por lei. Em segundo lugar, expedientes como bacia de água não resolvem o problema, tornam o sistema instável e aceleram a oxidação do casco. Como você identificou corretamente, quando o consumo é muito elevado o botijão P 13 não consegue vaporizar o GLP necessário, pois não tem superfície suficiente para que haja troca de calor com o ambiente. Recomendo evitar o uso de P13 para equipamento de alta pressão (fogões e fornos industriais) e dar preferência para instalação de cilindros P 45.

  124. Fernanda Says:

    Boa noite Montini,
    Compramos uma casa e o botijão fica próximo a churrasqueira, foi feito um projeto para que o botijão fique dentro do balcão da pia. Achei estranho essa disposição e quero saber se é possível usar o botijão neste lugar. Pelo que li o botijão não pode ficar fechado em um móvel, armário e é onde esta previsto e quanto a proximidade da parede da churrasqueira, ao meu ver isso não é perigoso pelo aquecimento do ambiente. Gostaria que respondesse minhas dúvidas pois, estamos reformando a casa e se for necessário mudaremos a instalação. Grata Fernanda

    • Montini Says:

      Cara Fernanda.
      De fato, não é recomendável confinar o botijão de gás, e existe uma boa razão para isso. Pequenos vazamentos costumam acontecer, quer na válvula, quer no regulador ou na mangueira. Se o botijão estiver confinado fica mais difícil identificar o vazamento e, o que é pior, o gás se acumula naquele local (sob o balcão da pia, exemplo) pois o GLP é mais pesado do que o ar. Isso pode provocar um acidente sério. Se não for possível colocar o botijão em local mais adequado, recomendo manter o balcão da pia aberto ou, pelo menos, que as suas portas sejam dotadas de uma boa quantidade de respiros, principalmente na base (se a porta for treliça, melhor).

  125. Karen Vitoria Says:

    Boa noite , o botijão de gás da minha casa esta vazando , mas n na mangueira , o que devo fazer ? posso desenroscar apenas e retira-lo ? quando eu fecho ele vaza ainda mais , o que devo fazer?

    • Montini Says:

      Prezada Karen.
      Ter identificado o local de vazamento já é muito bom. Como é na mangueira, faça o seguinte: Desenrosque o regulador de pressão (basta usar as mãos sobre a borboleta). O gás deverá parar de vazar, por ao retirar o regulador a válvula do botijão é imediatamente acionada. Aí você precisará comprar um novo kit (regulador e mangueira), que precisará ser instalado primeiro no seu fogão (no duto de entrada de gás). aí bastará recolocar o regulador no botijão (é só rosqueá-lo). Na dúvida quanto à substituição do kit, chame uma assistência técnica de fogões.

  126. Sandra Sampaio Rodrigues Says:

    Comprei o gás de 13 kg no último dia 28 de outubro e na noite de hoje, percebi um som diferente, dá uns 3 toques, como se batesse algo dentro do botijão, pára e volta a bater de novo, isso enquanto estou usando o gás. Desde já agradeço.

    • Montini Says:

      Cara Sandra,
      O interior do botijão não tem partes móveis, a não ser na válvula. O ruído por ser dessa válvula ou, o que é mais provável, do regulador de pressão. Faça o seguinte: Retire e recoloque o regulador de pressão. Se o ruído continuar talvez esteja na hora de substituí-lo. Quando for comprar o novo kit (regulador e mangueira), verifique se é aprovado pelo Inmetro e escolha uma boa marca. Caso o problema persista entre em contato com o distribuidor que lhe vendeu o botijão de gás.

  127. ama Says:

    prezados,
    Meu botijão fica fora de casa, separado por 5 metros de tubo de cobre. A minha dúvida é sobre o seguinte comentário, visto acima”-a pressão que chega ao seu fogão vai depender de muitos fatores. Um deles é a posição do regulador de pressão. Se o regulador estiver acoplado ao botijão, como normalmente ocorre, aí a pressão fica muito reduzida. Se o encanamento for de metal (provavelmente é de cobre), uma possibilidade seria acoplar o botijão diretamente ao encanamento e colocar o regulador de gás na outra ponta do encanamento, ou seja, próximo ao seu fogão”. PERGUNTO: Este é um problema comum? Acho que esta solução de inverter a localização do regulador dependerá de conectores específicos. Eles existe no Brasil?

    • Montini Says:

      Bem, Ama Yumi, no caso que você comenta, o botijão ficava numa posição bem abaixo do fogão, de modo que a gravidade acaba tendo alguma influência. Ou seja, se a distância de 5 metros a que você se refere for “altura de 5 metros” é possível que a pressão fique comprometida. Entretanto, se essa distância for no plano, não há problema. Situações como essa ocorrem por exceção. Não é recomendável “inventar” quando se trata de GLP. Existem, sim, adaptadores para isso, mas a inversão do regulador deve ser avaliada e feita por profissional qualificado e especializado.

  128. Leonardo Says:

    Olá, Tenho uma produção de refeições congeladas em casa e comprei um botijão industrial da Tron de 4 bocas e baixa pressão (2 quimadores duplos e 2 simples). Pensei em utilizar 2 botijões P13. Esse tipo de botijão (o P13) é compatível com fogões industriais de baixa pressão? Corro o risco do botijão congelar? No manual fala que eu deveria utilizar cerca de 4 a 6 botijões P13. São necessários tantos assim?

    • Montini Says:

      Caro Leonardo,
      Botijões congelam quando a vazão é superior à capacidade de vaporização do sistema. Ou seja, se o consumo for muito alto, você precisará de mais botijões fornecendo o GLP e trocando calor com o ambiente. É por esse motivo que recomenda-se utilizar os cilindros P 45 para fogões industriais (mesmo de baixa pressão), pois esses cilindros tem capacidade de vaporização maior que os P 13. Para você ter uma ideia, o P 13 vaporiza cerca de 500 gramas de GLP por hora, enquanto o P 45 vaporiza o dobro, cerca de 1 kg por hora.

  129. Sara Azevedo Says:

    Caro Montini;

    Estou projetando um pequeno edifício de três pavimentos e doze unidades imobiliárias. Qual a NBR que dimensiona o número de botijões necessários para instalar uma centra de GLP?

    • Montini Says:

      Prezada Sara,
      Você pode consultar as normas ABNT NBR 15526:2012; NBR 13523:2008; NBR 15514:2007 e NBR 14024:2006. Cada uma dessas normas trata de um aspecto importante, principalmente as duas primeiras. Lembre-se de que o dimensionamento dependerá do consumo estimado de GLP por unidade, o que implicará no tipo de equipamentos à gás(fogão, aquecedor, forno etc.) projetados por unidade. Na dúvida, você pode consultar uma distribuidora de GLP.

  130. Guiherme Says:

    Boa tarde,
    comprei um fogão de 5 bocas e na hora de comprar o regulador alguns vendedores disseram que há diferença para o de 4 bocas.
    Isso procede ou é papo de vendedor?

    • Montini Says:

      Caro Guilherme,
      O regulador de pressão para botijão de 13 Kg, de 8 kg ou de 5 kg é o mesmo. Também não importa onde será usado, desde que o equipamento seja de baixa pressão. Ou seja, você pode usá-lo em fogões com qualquer número de bocas, ou churrasqueira a gás, ou aquecedor, desde que sejam de baixa pressão. A coisa muda se o fogão for de alta pressão como os industriais, por exemplo. Aí você teria que usar um botijão de 45 quilogramas com regulador específico. Aliás, ao comprar o regulador veja se tem o selo do Inmetro e só use a mangueira aprovada, conforme informamos neste post.

  131. marcus victor faria santo Says:

    o botijão p13 tem capacidade de subir 2 metros?

  132. clayton Says:

    gostaria de saber sobre a requalificaçao de reservatorios de glp como P190 , p500, p100, p2000 e assim vai … sobre prazo de validade dos cascos?

    • Montini Says:

      Prezado Clayton
      Esse assunto é muito vasto e complexo para ser respondido aqui. Os recipientes para acondicionamento de GLP são de dois tipos: Os transportáveis, com capacidade de até 250 kg; e os estacionários, de grande capacidade. Os primeiros são requalificados segundo as normas ABNT NBR 8460; 8865 e 8866, além de outras normas NBR associadas. Para os estacionários você pode consultar a NR 13, que trata de vasos sob pressão, e a NBR 13523, que trata de central de GLP. Boa pesquisa!

  133. Denise Costa Says:

    Acabamos de comprar um fogão brastemp gourmand 4 bocas.
    Gostaria de comprar um botijão
    menor, pois o de 13 kg vai ficar
    horroroso na minha cozinha, além
    de qur cozinhamos muito pouco
    – geralmente apenas aos finais de
    semana – há algum problema?

    • Montini Says:

      Nenhum problema, Denise!
      Você pode escolher entre dois tipos: O botijão de 8 kg (P8) ou o botijão de 5kg (P5), sendo que este último o menor dos dois. Veja no site da liquigás ou da ultragás onde encontrar esses botijões. Eles operam da mesma maneira que um botijão convencional de 13 kg, ou seja, com o mesmo regulador de pressão.

  134. Gabriela Says:

    Boa noite!
    Moro em cima da casa da minha mãe e não tenho como colocar o gás do lado de fora da casa e vou comprar um fogão de 6 bocas(o que tenho é de 4) e o espaço que tenho não cabe o fogão de 6 bocas mais o botijão. Minha dúvida é: posso colocar o botijão na área da minha mãe e comprar uma borracha que leve o gás até minha cozinha, ficaria na mesma direção só que no andar de baixo?? Obrigada!!

    • Montini Says:

      Cara Gabriela,
      Em primeiro lugar, não use mangueira para fazer essa ligação. Será necessário instalar tubulação de metal (cobre, por exemplo). Talvez, em função da altura, haja retenção de gás no botijão quando se aproximar a hora da troca, ou seja, você talvez não consiga consumir todo o gás, dependendo da pressão do sistema. Tirando esses inconvenientes, não há problema.

  135. Alberto Libanio Says:

    Caro Montini

    boa tarde

    Tenho um fogão de 4 bocas (novo), com forno comum que fica em um pavimento com 10,5 m de altura de onde será construído o abrigo de gás. A instalação é de cobre com diâmetro de 3/8 ” e está embutida na parede bem na vertical. Gostaria de saber se o botijão de 13 Kg tem pressão suficiente para suprir essa altura e funcionar corretamente ??

    • Montini Says:

      Caro Alberto,
      O GLP é mais pesado que o ar e, portanto, sensível à gravidade. O diâmetro da tubulação é mais que suficiente. A pressão interna do botijão de GLP (de 4 a 7 kgf/cm²) também é mais que suficiente para superar essa altura. Entretanto temos que considerar o regulador de pressão vai reduzi-la a cerca de 0,02 kgf/cm². Isso fará com que exista uma possível retenção de gás no botijão quando se aproximar da hora da troca, principalmente nos dias frios. Recomendo consulta a técnico especializado.

  136. Luciane Thiel Holbig Says:

    Boa noite!
    Gostaria de saber qual a forma mais segura para eu poder estar colocando um forno elétrico em um nicho abaixo do cooktop, visto que a mangueira do gás fica em torno de 8 cm acima do forno, o meu medo é que o forno aqueça demais e de algum problema, não teria algum isolante térmico para revestir a mangueira para dar maior segurança…e é o unico local que tenho para insatalar o forno, é que qd fiz o projeto não me dei de conta que a saida de gas e no lado direito do cooktop e a entrada do botijão no meu caso vem pelo lado esquerdo por isso acaba ficando logo acima do forno. Que profissional posso procurar para me auxiliar, um eletricista?
    Muito obrigada.

    • Montini Says:

      Cara Luciene,
      De fato, não é aconselhável passar a mangueira padrão para GLP (cristal, com faixa amarela e inscrição Inmetro) por atrás ou muito próxima ao forno, pois isso pode provocar acidentes. Essa mangueira não foi concebida para permanecer próxima à fontes de calor. No seu caso, se não for possível alterar a entrada de gás no fogão (em muitos modelos isso é possível, e seria a melhor solução), talvez seja viável fazer a conexão entre o botijão e o forno utilizando encanamento metálico (de cobre, por exemplo) revestido de lã de rocha ou outro isolante térmico não inflamável. Recomendo que você consulte um profissional especializado (assistências técnicas para fogão, por exemplo).

      • Luciane Thiel Holbig Says:

        Muito obrigada pela resposta!Não sabia que tem fogões que é possivel alterar a entrada do gás, será que o cooktop da fischer é possivel?vou procurar um especialista então, porque a segurança tem que estar em primeiro lugar.

  137. Luiz Antonio Says:

    Por favor, me tire uma dúvida: Ao procurar a empresa de revenda de gás na minha cidade com o intuito de adquirir o botijão P2, fiquei surpreso ao ser informado que este já não mais existe devido ao proibição de ser comercializado. É fato? Por quê?

  138. daniel fernande Says:

    boa tarde montini, comprei um fogão industrial a gas de alta pressa de duas bocas mais um forno tb a gás,gostaria de saber se uma tubulação rígida de 3/8 a uma distancia de 15 metros com um botijão P13 vai ser suficiente para o conjunto funcionar perfeitamente?

    • Montini Says:

      Caro Daniel,
      A tubulação desse calibre é suficiente e a distância não será problema. Entretanto, como o fogão e o forno utilizam GLP a alta pressão, o P13 deixa de ser o botijão adequado, pois foi concebido para uso doméstico em fogões de baixa pressão. Além de ser necessário adaptar as conexões é provável que o sistema “congele” devido a alta demanda. Recomendo a utilização de um ou mais cilindros P 45, dependendo do nível de consumo estimado. Além disso, se a instalação for para uso comercial (restaurante, lanchonete etc.), a legislação proíbe o uso de P13 aqui em São Paulo.

  139. Lacyr Says:

    Por favor, poderia me dizer se um botijão de 2kg pode ser usado em um cooktop de duas bocas? Precisarei de regulador ou algo parecido?

    • Montini Says:

      Bem, Lacyr, o botijão de 2 kg (P2)foi projetado para fogareiros, lampiões, maçaricos e outros dispositivos que utilizam GLP a alta pressão. Se o seu fogão trabalha com alta pressão, então tudo bem, é só acoplar ao fogão sem usar regulador. Entretanto, se o seu fogão trabalhar com baixa pressão, você não deve utilizar o P2. Use o P5 (5 kg); o P8 (8 kg) ou o P13 (13 kg) que são utilizados com regulador de pressão. Por isso é muito importante descobrir se o seu fogão é de alta pressão ou de baixa pressão.

  140. margarida Says:

    Obrigado pelas orientações, fiquei muito satisfeita com a rapidez da resposta, parabéns pelo almanaque.

  141. Lucas Rosario Says:

    Olá,Quando acendo a boca do fogão, depois de algum tempo apagada, a pressão parece ser maior nos primeiros 5 segundos, depois estabiliza na pressão normal. Meu fogão é um cooktop, utilizo mangueira (amarela INMETRO) com regulador de pressão e botijão p13. Isso passou a acontecer após uma troca de posição do botijão, desconectei o regulador, e voltei a conecta-lo. Poderia ser ar na mangueira??? Algum problema no regulador, fogão ou mesmo botijão??? Desde ja agradeço atenção.

    • Montini Says:

      Caro Lucas,
      Pelo seu relato, parece haver algum tipo de problema no regulador. Recomendo a sua substituição, já que o item não é caro. Ao adquirir o regulador novo, confira a presença do símbolo do Inmetro.

  142. Margarida Guimaraes de Araujo Says:

    Gostaria de tirar uma dúvida: preciso transportar um botijão de gas de 13 kg, do Estado da Bahia pra Sergipe uma média de 550 km de distancia, como posso levar esse bojão em carro pequeno? existe algum risco? como devo leva-lo cheio ou vazio, preciso urgente dessa resposta pois vou viajar em breve e não sei como levar esses botijão, já que tenho dificuldade de comprar um outro lá.
    Obrigado e parabéns pelo blog.

    • Montini Says:

      Cara Margarida,
      A segurança do transporte vai depender do modo como você for transportar o botijão. Transporte o botijão vazio, de preferência em pé e amarrado ou calçado para que ele não se movimente. De resto o botijão é bastante seguro. Boa viagem.

  143. ANDREIA Says:

    comprei um Layr Platinyum De Mesa 2 Bocas Inox,posso usar ele com gás encanado?ou só com botijão?

    • Montini Says:

      Cara Andreia,
      Normalmente, esse tipo de fogão é projetado para operar com GLP (gás de botijão). Recomendo que você entre em contato com o fabricante para saber se o fogão opera com botijão a alta pressão ou baixa pressão. Se for alta pressão você poderia usar botijão de P2 (2 kg), sem regulador de pressão. Se for baixa pressão, o que é mais provável, poderia usar um botijão maior P5 (5 kg), P8 (8 kg) ou P13 (13 kg) com regulador de pressão.

  144. Ezequiel Carvalho Says:

    Boa tarde, estou duvida a respeito da instalacao da mangeira de gás , cooktop e forno, o forno está logo abaixo do cooktop e o botgao esta na a
    área de serviço arejado como recomendado, mas o problema é que a mangueira do cooktop passa por um T (que liga a o forno e o cooktop) que ficaria por trás do forno para depois ir para o fogao.. minha pergunta é, comprei uma mangueira de cobre a fim de evitar o aquecimento, isso resolveria o meu problema ou nao??

    • Montini Says:

      Caro Ezequiel,
      A utilização de condutor de cobre não evitará o aquecimento do sistema. Entretanto, o cobre é muito mais resiste ao calor do que a mangueira de GLP, de modo que o risco fica muito reduzido, desde que o duto seja dimensionado corretamente e, se possível, revestido com isolante térmico. Recomendo consulta a um técnico especializado.

  145. Geraldo Felix Says:

    Prezado.

    … Procuro por ideias de marketing para trabalhar com as revendas de gás do Brasil.
    Estou desenvolvendo uma consultoria e gostaria de aperfeiçoar na área que estou trabalhando e testando essa consultoria de marketing. A área é de Gás (GLP) de um modo geral…

    • Montini Says:

      Caro Geraldo,
      Este blog é de utilidade pública patrocinado pelo Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo. Por isso nos limitamos aos aspectos técnicos que envolvem o tema GLP, sem nos atermos às questões mercadológicas. Sinto não poder ajudar.

  146. marcio emidio dos santos Says:

    onde denuncio que estão vendendo um botijão vencido

    • Montini Says:

      Caro Márcio,
      Se bem entendi, você quer denunciar um comércio onde se está vendendo botijão com o prazo de requalificação vencido. Se for esse o caso, ligue para a Ouvidoria do IPEM-SP no telefone 0800.013.05.22

  147. Ronildo Gerard Says:

    Boa tarde,
    Montini.
    Moro num apartamento térreo, num prédio de três andares,e como o CBMRJ, está exigindo q se coloque gas encanado, pergunto: Por morar no térreo e ter uma boa área descoberta, com a instalaçao embutita em cano de cobre de 3/8″, com o P13 localizado nessa área, com mais de três metro do ralo, é necessário fazer teste de pressão com laudo e projeto de instalação para esse tipo de uso do gas???
    Em tempo: moro no município de Niterói, bairro Icaraí Est. Rio

    • Montini Says:

      Caro Ronildo,
      O IPEM-SP fica em São Paulo, de modo que desconheço a legislação sobre uso de gás encanado em vigor nos outros estados. Aqui na cidade de São Paulo, por exemplo, existe uma lei municipal que proíbe o uso de botijão de gás nos apartamentos. Assim, todo prédio de apartamentos é obrigado a ter gás natural encanado. Por outro lado, você pergunta se é necessário inspecionar a sua instalação de GLP. Bem, essa é um outra questão.
      Do ponto de vista técnico, e levando em consideração o seu relato, parece que a sua instalação de GLP está ok. Aqui em São Paulo não é necessário aprovação do Corpo de Bombeiros para instalação doméstica de GLP. Entretanto, se entendi corretamente, a questão parece estar vinculada a legislação municipal. Recomendo consulta ao CBMRJ.

  148. Iolanda Says:

    Boa tarde. Em primeiro lugar seu site é excelente! Resolvi várias duvidas que tinha.
    Estou um pouco confusa quanto a uma instalação do aquecedor (lorenzetti LZ2500D) e fogão (cooktop comum). A principio iria colocar um unico P45 para atender os 2 pontos, posteriormente sugeriram 2 P45 para ter um reserva e fazer uma instalação para isso, mas pelo custo desisti.
    No final pensei em colocar 2 P13 com esse sistema de reserva (desliga um e aciona o outro, caso acabe).
    Porem, cada pessoa (inclusive assistencia) me passam informações diferentes.
    – Primeiro que o P13 não tem pressão suficiente para o aquecedor;
    – Caso coloque o P45 tenho que ter um regulador para diminuir a pressão (diminuir para chegar ao mesmo do P13 (?);
    – É perigoso fazer a instalação de 2 P13, pq o coletor não é seguro.
    – Uns recomendam cano de cobre 3/8 outros de meia;

    Enfim, estou perdida. Me parece ser uma instalação simples, residencial 2 pontos de gas. A distancia do botijão ao aquecedor é de 6 mts e ate o fogão de 12 mts. Voce me ajudar a entender melhor qual opção usar?

    Muito obrigada

    • Montini Says:

      Obrigado, Iolanda, pelo feedback positivo!!
      Em primeiro lugar é preciso considerar as características técnicas do aquecedor. Pelo pouco que pude apurar, esse aquecedor consome 2,79 kg de GLP por hora! Um P 13 vaporiza apenas 600 gramas de GLP por hora, enquanto um P 45 vaporiza 1 kg por hora. Se a informação que obtive estiver correta, não há como fugir de uma instalação com P 45.
      Também será necessário saber se o aparelho funciona com baixa pressão ou alta pressão (não pude obter essa informação). Se for alta pressão o P 13 não pode ser utilizado, pois é dimensionado para equipamentos de baixa pressão.
      Quanto à tubulação e conexões de cobre para o aquecedor, o melhor é utilizar meia polegada.
      Quanto ao seu fogão, é provável que trabalhe a baixa pressão. Então será necessário utilizar regulador de gás antes da entrada. Se a tubulação for separada, poderá ser de bitola menor.
      Bem, espero ter ajudado. Recomendo consultar uma boa empresa de instalação de GLP. Boa sorte.

  149. Roberto Freitas Says:

    Boa tarde!
    Como posso separar o encanamento (parte do cano de cobre e a mangueira de baixa pressão), da instalação de um coktop, de um forno elétrico que fica no nicho do armário abaixo do coktop? Existe alguma placa para isolamento térmico de móveis nesse caso, para evitar acidentes com o cano do gás que fica acima do forno (móvel embutido).

    • Montini Says:

      Caro Roberto,
      De fato, não é recomendável que os dutos do gás, principalmente a mangueira, fiquem próximos a fonte de calor. Existem mantas de lã de rocha ou lã de vidro que funcionam como isolantes, entretanto recomendo consultar um técnico especializado para verificar a possibilidade de utilizar tais recursos.

  150. Ana Claudia Says:

    Estou estudando a substituição do consumo de btj P45 por a distribuição feita com o sistema granel só que não sei como devo calcular a quantidade de m³ que irei consumir com essa substituição. poderia conseguir essa ajuda?

    • Montini Says:

      Cara Ana Claudia,
      O GLP a granel tem apresentado vantagens em relação ao gás engarrafado (P45). Entretanto, é difícil avaliar o seu caso em particular. Solicite uma visita técnica de um distribuidor que forneça o produto. Eles farão o dimensionamento adequado e lhe darão todas as informações necessárias.

  151. Roberto Freitas Says:

    Caro Montini! Primeiramente muito obrigado pela pronta resposta. Só para esclarecer, eu usava o fogão com mangueira plástica reforçada, mas não sabia que ela não é própria para alta pressão. Nesse caso, o que posso usar das extremidades do cano de cobre (válvulas de bloqueio) até o fogão e botijão? Tem que ser a mangueira metalisada?

    • Montini Says:

      Caro Roberto,
      Você não deve usar aquela mangueira transparente com tarja amarela, pois é certificada para uso em baixa pressão. Nas lojas especializadas você encontrará mangueiras para uso em alta pressão (geralmente utilizadas em fogões industriais). A pressão interna de um botijão de gás é de cerca de 7 kgf/cm², mais ou menos 100 psi. Peça orientação aos vendedores técnicos para que forneçam uma mangueira adequada. Abraço e boa sorte.

  152. Roberto Freitas Says:

    Bom dia! Tenho um fogão tipo camping, duas bocas, que usava ligado diretamente ao P13, com a mangueira própria, mas sem regulador de pressão. Como precisei de espaço, mandei fazer uma tubulação de cobre e coloquei o botijão a uma distância de 6 metros, passando pelo teto da cozinha e usando o regulador de pressão. O problema é que não sai gás. Pode ser o uso do regulador de pressão para fogões de cozinha?

    • Montini Says:

      Caro Roberto.
      Sem dúvida, a causa desse problema em particular está em você usar regulador de pressão para conectar um fogareiro de camping. Acontece que esses fogareiros (e também lampiões, maçaricos, etc) funcionam com alta pressão, enquanto um fogão comum funciona com baixa pressão. O regulador serve, justamente, para reduzir a pressão do GLP quando este for utilizado em fogões comuns. Em tese, bastará retirar o regulador e ligar o fogareiro diretamente ao botijão. Entretanto é bom lembrar que as mangueiras para GLP não foram projetadas para trabalhar com alta pressão. Aliás, o botijão P13 também não foi projetado para isso. É arriscado usar um P 13 com o fogareiro diretamente sobre a válvula, como você fazia. Existe o risco do calor derreter o plug fusível (que os botijões P2, usados nesses fogareiros, não têm) e causar um acidente sério. Também é arriscado usar a mangueira. Se possível, talvez seja melhor substituir o seu fogão de camping por um pequeno fogão convencional de baixa pressão.

  153. Marcelo Araujo Says:

    Montini, mudei para uma residência em que a proprietária anterior embutiu um cano plástico de diam. 1″ na parede como conduíte para passagem da mangueira de gás. Porém, a posição em que fica o fogão da área externa mais próxima é de uns 3 metros, porque em ambos os lados tem casas construídas e eu não tenho corredor. Gostaria de saber se é um problema instalar uma mangueira com esta metragem passando por dentro deste tubo até o regulador (sem emendas)? Muito obrigado.

    • Montini Says:

      Caro Marcelo,
      O Inmetro recomenda que as mangueiras para GLP de uso doméstico não devam ter comprimento maior que 80 centímetros. De fato, as mangueiras aprovadas não são vendidas em tamanho maior que 1,20 metros, ou seja, você terá dificuldade em encontrar uma mangueira certificada com 3 metros de comprimento. Recomendo que você utilize um tubo flexível de cobre (se for possível passá-lo pelo conduíte) e usar uma mangueira para conectar o tubo ao fogão e outra ao regulador de gás que será ligado ao botijão. O ideal é que essa instalação seja feita por técnico habilitado.

  154. Edgar Says:

    Ola, em casa utilizamos o P13 porem as vezes o gas nao acaba completamente, entao removemos o butijao ate a garagem e cxolocamos detergente no seu bico isso é

    confiavel?

    • Montini Says:

      Caro Edgar,
      De fato, algumas vezes não é possível utilizar todo o gás do botijão, principalmente no inverno. O gás que permanece é pouco, mas temos a impressão de que ele poderá escapar e causar algum acidente. Não é provável que isso aconteça porque, mesmo que haja algum problema na válvula, a quantidade de gás que vazaria seria irrelevante. Entretanto, por via das dúvidas, você pode continuar a verificar com espuma de detergente se a válvula está ou não está vazando, mesmo com o botijão vazio. Prudência nunca é demais quando se lida com GLP.

  155. Lucia Says:

    Ola, irei me mudar para uma casa ha uns 400metros de obde estou, moro en um sitio sozinha. Para levar o fogão ja com o gás seria pesado. Poderia desligar o gás e levar separado do fogão e o.botijão depois?

    • Montini Says:

      Cara Lucia,
      Sim, você pode desconectar o botijão do fogão. Basta desatarraxar a borboleta e retirar o botijão. Não se assuste se sair um pouquinho de gás. Aí, depois de mudar, bastará rosquear novamente a borboleta do regulador no botijão. Não esqueça de fazer o teste da espuma de sabão para ver se não há vazamento. Boa sorte!

  156. Raphael Says:

    Boa tarde,
    Qual o diâmetro ideal de uma tubulação de cobre para o abastecimento de um fogão industrial de 6 ou 8 bocas e um aquecedor, sendo que a “estação” de gás fica a aproximadamente a 35 metros de distância dos equipamentos.Serão utilizados dois P45 para o abastecimento.

    • Montini Says:

      Cara Lucia,
      Sim, você pode desconectar o botijão do fogão. Basta desatarraxar a borboleta e retirar o botijão. Não se assuste se sair um pouquinho de gás. Aí, depois de mudar, bastará rosquear novamente a borboleta do regulador no botijão. Não esqueça de fazer o teste da espuma de sabão para ver se não há vazamento. Boa sorte!

    • Montini Says:

      Olá, Raphael
      Instalações desse porte exigem projeto específico que deverá seguir as recomendações das normas técnicas envolvidas:
      NBR 13.932 – Instalação internas de gás Liquefeito de petróleo GLP. As especificações para tubos e conexões de cobre citadas pela norma para redes primárias e secundárias são:
      a) Tubos de condução de cobre rígido, sem costura, com espessura mínima de 0,8 mm para baixa pressão e classes A ou I para média pressão que atendam as especificações da NBR 13.206. Não se deve dobrar tubos rígidos.
      b) conexões de cobre ou bronze para acoplamento dos tubos de cobre conforme a NBR 11.720
      Recomendo consultar um técnico especializado para fazer o projeto e a instalação.

  157. César Says:

    Prezado Montini, aqui na região onde moro (interior do RS), existem dois tipos de distribuidora de gás, algumas picaretas e outras sérias. As que trabalham com botijão P-2 “oficial”, engarrafado na Alberto Pasqualini em Canoas, não aceitam mais trocar aquele botijão P-2 que não tenha uma espécie de pé (similar ao do P-13) e nem uma espécie de lábio ao redor da válvula, por que razão? Qual é a diferença entre os botijões? Abraços.

    • Montini Says:

      Caro César,
      A norma ABNT 8460/2003 estabelece as especificações e os ensaios a que todos os recipientes transportáveis de GLP até 500 litros de capacidade devem atender. Veja o que diz os itens 7.2 e 7.3 dessa norma.
      7.2 Alça
      Os recipientes transportáveis têm alças que protegem suas válvulas e/ou dispositivos de segurança de impactos diretos,
      durante seu transporte e manuseio. As alças devem ser parte integrante dos recipientes.
      7.3 Bases
      Os recipientes têm bases integrantes que permitem assentamento estável em plano nivelado.

      Ou seja, aqueles botijões antigos que não têm base e nem proteção do bocal da rosca não são aceitos para requalificação pois estão em desacordo com a norma.

  158. Rejane Bau Says:

    Olá!
    Ouvi dizer que é perigoso usar o botijão de 2 kg porque ele não tem válvula de segurança e pode explodir. Temos um fogareiro que enrosca diretamente neste botijão. É correto isso? Como posso ter mais segurança neste caso?

    • Montini Says:

      Cara Rejane,
      De fato, o botijão de 2 kg (também conhecido como P2) não tem válvula de segurança, pois foi concebido para trabalhar com dispositivos de alta pressão diretamente rosqueados no botijão, como o seu fogareiro, por exemplo. Os acidentes que ocorrem com os P2 se devem principalmente à operação incorreta ou à origem duvidosa do botijão ou dos dispositivos acoplados. A melhor maneira de evitar acidentes é comprar o P2 em distribuidores idôneos, verificar se o botijão está íntegro (não aceite botijão amassado, enferrujado ou com rosca defeituosa) e só utilize dispositivos (fogareiros, lampiões) de boa qualidade. Aí, siga corretamente as orientações do fabricante quanto à operação e manutenção do equipamento.

  159. Laila Says:

    A respeito de minh pergunta anteriormente sobre os cilindros P-20 ,busco entender pois sou estagiaria de engenharia quimica e estou realizando uma análise de riscos da central de armazenamento de cilindros de Glp P-20 e estou querendo somenre entender mais uma informacao como as emiplhadeiras utilizam o glp ainda liquido e o p-20 pode ser utilizado na horizontal entao a sua composição gas liquido (fração de cada no cilindro) e diferente da composição dos outros cilindros?

    • Montini Says:

      Olá, Laila.
      O GLP dos cilindros P20 é exatamente o mesmo dos P13, P45, e outros disponíveis no mercado. O que muda não é a composição do GLP, que como você sabe é de cerca de 50% de butano e 50% de propano, além, naturalmente, de traços insignificantes de outros derivados de petróleo. A diferença está no modo como o GLP é utilizado pelas empilhadeiras. Veja, o GLP encontra-se em fase líquida dentro de todos os botijões, não importa a capacidade. Acontece que o GLP precisa estar em fase gasosa para ser utilizado em fogões, aquecedores, lampiões etc.o que implica que esses botijões só possam ser usados na vertical e com reguladores de pressão. O mesmo não acontece com os motores das empilhadeiras, cujo sistema de alimentação é composto por um “pescador” que “pega” o GLP ainda na fase líquida (se estiver em fase gasosa, o pescador não consegue apanhar o GLP) e o joga dentro do carburador, onde ele se vaporiza e pode ser queimado. Por esse motivo o P20 precisa ser usado na horizontal, para que o GLP saia apenas na fase líquida, caso contrário não pode ser aproveitado pelo sistema de alimentação da empilhadeira.

  160. Laila Says:

    tenho uma dúvida, no manuseio do botijoes cilindros P-20 como é o procedimento que devo tomar para manuseá-lo até a empilhadeira e instalá-lo?E como funciona sua válvula de retenção?

    • Montini Says:

      Cara Laila,
      O que diferencia o P 20 dos demais botijões é o fato dele ter sido concebido para trabalhar na horizontal, pois os motores das empilhadeiras utilizam o GLP ainda na fase líquida e o vaporizam quando este chega ao carburador. Existem dois modelos de cilindro: O tradicional P 20, retornável, tem três válvulas, enquanto o P 20i, que pode ser reabastecido sem ser retirado da empilhadeira (sistema pit-stop) tem cinco válvulas. Nos dois casos as válvulas têm sistema de segurança que liberam o gás caso a pressão interna ultrapasse 17,5 kgf/cm².
      Quanto à troca do cilindro ou o seu reabastecimento (sistema pit-stop), esta NÃO DEVE SER FEITA POR PESSOA SEM TREINAMENTO ESPECÍFICO.
      Existe uma posição correta para se colocar o cilindro sobre os encaixes e as travas de segurança. Os cilindros P 20 são pesados, então é preciso mais de uma pessoa para carregá-lo e acoplá-lo à empilhadeira. Além disso, quem for trocar ou reabastecer o cilindro precisa estar treinado para saber como agir em situações de emergência, como vazamentos, por exemplo. Ou seja, recomendo que você consulte a assistência técnica da empilhadeira ou o seu fornecedor de GLP sobre como obter treinamento para manusear esses cilindros.

  161. Nonato Says:

    Primeiro parabens pelo blog, esta me ajudando bastante. Seguinte, comprei uma churrasqueira a gas da Arke com porta de vidro que não gera fumaca pois moro em apartamento e não vivo sem churrasco. Pois bem, ao ver o manual dela me deparei com a informacao de que deveria usar P13, que droga!!! Uma das principais razoes da minha compra foi puder usa-la e guarda-la sempre pois o apartamento não tem um espaco exclusivo pra ela como eh o caso do fogao. Queria usar um P5 ou P8, mas to com medo de congelar. O que faco? Tem como eu usar um destes 2 sem risco a seguranca? O manual diz o seguinte: 1.que a vazao maxima sera de 190gramas de gas a cada hora. 2. A pressao de entrada de gas na churrasqueira devera ser de 2,8Kpa/280mmCA. Pensei que poderia usar um butijao menor e ir testando com o regulador da churrasqueira pra não congelar, isso aumentaria o tempo de assamento da carne mas resolveria o meu problema. E ai? Sera que você pode me ajudar de forma a garantir a seguranca na minha residencia? Obrigado desde ja.

    • Montini Says:

      Caro Nonato!
      Antes de tudo, obrigado pelo feedback positivo!
      Pois bem, não há nenhum problema em substituir um P13 por um P5 ou um P8. Isso porque ambos funcionam com a mesma pressão de um P 13 e usam o mesmo tipo de regulador. Aliás, foram concebidos para substituir o P13 em unidades domésticas de baixo consumo. Quanto à vazão, não se preocupe. Um botijão P5 vaporiza cerca de 400 gramas de gás por hora à temperatura ambiente (um P13 vaporiza cerca de 600 g). Como você precisará de 190 gramas a cada hora, estará usando apenas metade da capacidade potencial de um P5 (o mesmo vale para um P 8). Ou seja, não é provável que você tenha qualquer problema com congelamento. Lembre-se, apenas, de instalar o botijão de maneira segura, e bom churrasco!!

      • Georges Almeida Says:

        Bom dia Montini!!!! Sobre a mesma questao do Nonato… Pode se usar o botijao de 2kg???

      • Montini Says:

        Bom dia, Georges!
        Não! Acontece que o botijão de 2 kg, também conhecido como P2, foi concebido para trabalhar com dispositivos de alta pressão, como fogareiros, lampiões e maçaricos acoplados diretamente ao botijão, sem a intermediação de regulador de gás. Aliás, a rosca da válvula do P2 não aceita os reguladores do mercado. Para churrasqueiras, fogões e outros dispositivos que operam a baixa pressão, o melhor é usar o P5, o P8 ou o P13.

  162. Crislane Says:

    Boa tarde, moro no terceiro andar de um prédio e o sistema de gás é canalizado,porém uso o botijão de 13 kilos e esse botijão fica na parte externa do predio no chão, tenho a duvida se isso faz com que a pressão seja menos pois meu fogão está com as chamas fracas, ja testamos trocando a mangueira e o registro mas não resolveu será possivel ser por causa da altura? ou será a canalização? Obrigada.Se possivel me responda por e- mail crissousa6@hotmail.com

    • Montini Says:

      Cara Crislane,
      A pressão interna de um botijão de 13 kg é suficiente para superar os três andares de um prédio. Entretanto, a pressão que chega ao seu fogão vai depender de muitos fatores. Um deles é a posição do regulador de pressão. Se o regulador estiver acoplado ao botijão, como normalmente ocorre, aí a pressão fica muito reduzida. Se o encanamento for de metal (provavelmente é de cobre), uma possibilidade seria acoplar o botijão diretamente ao encanamento e colocar o regulador de gás na outra ponta do encanamento, ou seja, próximo ao seu fogão. Porém, consulte um técnico especializado para fazer esse tipo de alteração. Também pode ocorrer dos queimadores do seu fogão estarem desregulados ou obstruídos. Nesse caso, chame um técnico.

  163. Karin Fernandes Says:

    Boa tarde, gostaria de saber se tem algum problema em deixa o botijão de gás dentro de um armário de madeira? É que quando fizemos os móveis planejados, nos indicaram deixar uma parte para o botijão, pois nossa cozinha é pequena.
    Muito obrigada.
    Karin.

    • Montini Says:

      Prezada Karin,
      Não é recomendável confinar o botijão de GLP. Ele deve ficar em local ventilado, pois caso haja vazamento o gás poderá se dispersar. Caso o botijão esteja confinado num armário, por exemplo, num eventual vazamento o gás não se dissipa e pode causar acidentes sérios, como explosão e incêndio.

      • Rone Says:

        sai um forte cheiro de gás próximo a válvula de ligar e desligar, já usei espuma de sabão, mas não vi formar espuma. passei sabão pelo contorno da válvula, apesar de saber que não é recomendável, o cheiro diminuiu na cozinha, ainda assim perto da válvula sinto cheiro forte de gás. isso é vazamento? será que posso deixar a válvula desligada e esperar até o dia seguinte para chamar o rapaz que me vendeu o botijão da nacional gás revendedora? é que eu morro de medo de retirar o registro.

      • Montini Says:

        Bem, Rone, se você não notou a formação de bolhas na espuma de sabão, talvez exista vazamento no regulador de pressão ou na mangueira. Veja a data de validade de ambos e substitua. Não tenha medo de retirar o regulador (registro). Faça o seguinte: Certifique-se de que nenhuma boca do fogão esteja acesa. Desenrosque a borboleta do regulador usando apenas as mãos. A válvula do botijão tem acionamento automático e se fecha quando o regulador é retirado. Não se assunte se sair um pouco de gás. Lembre-se de que o GLP não é venenoso. Leve o botijão para um local ventilado e chame a assistência técnica.

  164. Robson Says:

    Tenho mais que um P45 ligados no sistema do prédio. Se eu deixar um carregado e um descarregado, abertos ao mesmo tempo, o gás pode entra no botijão descarregado ou ele tem um sistema que só permite sair?

    • Montini Says:

      Caro Robson,
      O registro do P 45, de abertura manual, contém a penas um dispositivo de segurança que libera o GLP em caso de incêndio para evitar explosão. Por outro lado, o P 45 é ligado ao sistema por um duto (rabicho), pelo qual o gás é conduzido ao regulador de primeiro estágio. Ou seja, dificilmente o GLP retorna ao botijão vazio. Entretanto, por segurança, é recomendável fechar o registro dos botijões vazios.

  165. ipê Says:

    Olá montini ganhei um fogão industrial de alta pressão gostaria de saber se é possível utilizar um butijão p13

    • Montini Says:

      Bem, é possível usar botijão P 13 em fogão industrial de alta pressão, desde que tomados os seguintes cuidados:
      1- Não o utilize para fins comerciais (restaurante, lanchonete), pois é proibido por Lei.
      2- Não use o regulador de gás convencional. Você terá que verificar qual a pressão de trabalho do fogão e utilizar um regulador compatível.
      3- Existe uma boa chance do sistema congelar em função da maior vazão a ser exigida do botijão. Se isso acontecer você terá que reduzir o consumo (usar apenas uma ou duas bocas) ou mudar para um P 45.
      4- Peça a um técnico especializado para fazer a instalação, pois ao utilizar alta pressão você precisará usar adaptadores, dutos e conexões não convencionais.

  166. Victor Says:

    Montini, obrigado pela pronta resposta, mas ainda ficou uma dúvida: cada P13 com regulador de pressão normal tem uma vazão de 1kg/h, portanto com 2 P13 simultâneos eu atinjo 2kg/h, correto? Isso fica abaixo do consumo máximo do aquecedor (sem contar usar o fogão em conjunto). Não terei problemas de pouco gás para os aparelhos ou de congelamento?

    Se por outro lado, eu colocar um P45, a vazão não poderia ser melhor adequada (acho que tem regulador de pressão para 2, 3, 4, 6, 8kg/h etc)?

    Novamente, obrigado!

    PS – os técnicos que chamei tem opniões divergentes!

    • Montini Says:

      Sim, Victor, se o consumo for elevado (principalmente se houver a utilização simultânea de vários aparelhos a gás), é recomendável utilizar o P 45 para garantir uma vazão maior e evitar o congelamento do sistema.

  167. Victor Says:

    Olá, gostaria de saber qual melhor montagem para uso de gás com um aquecedor (consumo até 3kg/h) e um fogão/forno padrão? Tenho espaço para 2 P13 ou 1 P45.

    Se forem 2 P13, deve ser com 1 regulador apenas ou cada um com um regulador?

    Qual seria o regulador de pressão adequado nestes casos?

    • Montini Says:

      Caro Victor,
      No seu caso, a utilização do P 13 ou P 45 dependerá mais do fator econômico e da praticidade do que de limitações técnicas. O P 45 exige reguladores especias (um primário e um secundário). Já o P 13 deve ser usado com regulador de pressão específico certificado pelo Inmetro. Se você colocar os P 13 em bateria, use um regulador de pressão para cada botijão. É sempre recomendável consultar um profissional especializado na montagem desses sistemas.

  168. jean Says:

    Qual botijão vale mais a pena para uma residência com fogão e aquecedor a gás, p13 ou p45? Posso fazer fazer um abrigo para os botijões tipo p45 e depois se resolver usar os p13? O encanamento deve ser de cobre com soldas? Obrigado.

    • Montini Says:

      Caro Jean,
      Se o consumo da sua residência for elevado, principalmente com a utilização simultânea de vários aparelhos a gás, é recomendável utilizar o P 45. Caso contrário, você poderá usar o P 13. Se os botijões ficam distantes, fora da residência, é recomendável fazer um abrigo e utilizar um sistema de dutos adequado (cobre, latão ou similar). O botijão P 45 exige reguladores especiais para reduzir a pressão. Sim, você poderá usar os dutos do sistema do P 45 para o P 13, desde que utilize reguladores de pressão adequados para cada caso e, naturalmente, conectores adequados. Nem sempre é necessário usar solda. Recomendo consulta a profissional especializado na montagem desses sistemas.

  169. Elaine de Oliveira Rodrigues Says:

    Preciso de uma informação numa maquina de assar frangos utiliza-se botijão de 13kg, mas o gás esta congelando o que pode estar ocorrendo.

    • Montini Says:

      Cara Elaine,
      O sistema (botijão, mangueiras, regulados) congela quando o consumo de gás é muito elevado e muito rápido, não dando tempo para o sistema trocar calor com o ambiente. Isso costuma acontecer quando são usados muitos queimadores ao mesmo tempo. Consulte profissional especializado para redimensionar o sistema (usando cilindros P 45, por exemplo). Aliás, lembre-se de que o botijão de 13 kg é restrito ao uso doméstico, não é dimensionado para altas vazões de gás.

  170. Walysson Damasceno Says:

    Boa tarde , trabalho em uma pastelaria e aqui usamos o p45 ligado em rede , mas com certa frequência o gás congela , já me falaram de ligar dois p45 na mesma saída e me disseram também sobre o glp a granel qual a sua opinião ?

    • Montini Says:

      Caro Walysson,
      O motivo do P 45 congelar se deve à vazão elevada do GLP. Veja, o gás está em estado líquido, sob grande pressão, dentro do botijão. O GLP em estado líquido usa a temperatura ambiente para passar para o estado gasoso. Quando o consumo é muito grande o gás é retirado do botijão em grande quantidade e muito depressa, de modo que a retirada de calor do ambiente é muito rápida, o que acarreta o congelamento do sistema.
      Uma solução viável é acoplar mais um cilindro de P 45 ao sistema (faça isso com um profissional qualificado). O GLP a granel também é uma opção, pois o reservatório fornecido pelas distribuidoras costuma possibilitar grandes vazões. Consulte a sua distribuidora de GLP a respeito para ver qual medida é economicamente mais vantajosa.

  171. César Roëntgen Says:

    Prezado Montini, muito informativo este blog.
    Vou me aproveitar dos seus conhecimentos e da sua disponibilidade em responder.
    Tenho um aquecedor de passagem da Bosch e um fogão de 6 bocas no terceiro andar, alimentados por um botijão P45 com regulador de pressão “amarelo”, que fica na garagem (em torno de 8 metros abaixo), com tubulação de cobre embutida na parede. Só que o botijão P45 está ficando muito caro e uma pessoa me falou da possibilidade de conjugar dois P13 com um só regulador (que logicamente não seria o mesmo do P45), pois o valor em kg sai quase pela metade; será que teria pressão suficiente para substituir o P45? E será que o conteúdo dos P13 poderia ser extraído até o final? Pois o resíduo do P45, a distribuidora me credita para a próxima compra. E aquelas mangueiras duplicadoras de P13 são seguras? Obrigado e um abraço.

    • Montini Says:

      Caro César
      É complicado substituir o P 45 por P 13 quando a instalação foi projetada para uso do P 45. Você teria que redimensioná-la, ou seja, seria necessário usar um regulador para bateria de P 13, o que não é comum. As mangueiras terão de ser de mesmo tipo das usadas no P 45, porém com adaptador nas rosca (que no P 13 é diferente). Talvez você possa utilizar o próprio regulador de primeiro estágio do P 45. Enfim, creio que a adaptação é possível e, se bem conduzida, segura. Recomendo, entretanto, consulta a um profissional qualificado.

  172. Ileonison Says:

    Montini, aqui na minha cidade ainda a gente encontra botijões p2 para comprar, mas o preço é meio salgado, pois enquanto a recarga de um botijão p13 custa R$ 50,00, a de um p2 custa R$ 25,00, completamente desproporcional.

    Ocorre que por razão de economia eu pretendo fazer a transferência do gás do P13 para o P2. No entanto, a maioria das pessoas que fazem isso usam um transferidor de gás com dois registros, um para entrada do gás no p2 e outra para expelir o ar existente no p2, os quais são abertos e fechados de forma alternadas, mas essa liberação de ar do p2 exala um cheiro de gás terrível.

    A dúvida é a seguinte: em sendo o GLP mais pesado que o ar natural, o gás do p13 não entraria no p2 apenas por pressão do P13 sem a necessidade de liberar o ar existente no p2, deixando assim de liberar aquele ar mau-cheiroso? Nesse caso seria usado dois registros, um em cada ponta da mangueira, mas sem liberador de ar.

    Outra dúvida: O ar existente o p2 não subiria pela mangueira e entraria no p13 enquanto o GLP líquido desce até o fundo o p2 sem a necessidade de libera o ar?

    • Montini Says:

      Caro Ileonison
      Lembre-se de que o GLP está na fase líquida justamente porque está a alta pressão. A pressão no interior do P 13 é muito maior a pressão dentro do P 2. A gravidade tem o seu papel, mas não creio que seja superior à pressão do sistema. De todo modo, não recomendo que você faça esse tipo de transferência. Compreendo que você economizaria bastante, mas o risco de acidente é muito alto. Por favor, reconsidere.

  173. Valéria J. Pereira Says:

    Montini,
    Sou professora de Química e trabalho na Fundação CECIERJ como bolsista. No momento preparo junto com uma equipe material didático, sem fins lucrativos, para os alunos do Estado do Rio de Janeiro. Eu gostaria de saber se você autorizaria utilizarmos uma de suas tirinhas da coluna “Pesos e Medidas” no nosso material (creditando-a ao Ipem e à sua pessoa). Eu aproveitaria a imagem, super divertida, para trabalhar os gases liquefeitos do petróleo. Independente da sua resposta, eu achei demais as suas tirinhas!!! Abraços,
    Valéria

    • Montini Says:

      Cara Valéira,
      Obrigado! É um prazer participar de projetos educativos! Enviarei uma mensagem a respeito diretamente para o seu e-mail. Abraço.

  174. Douglas Says:

    Bom Dia…Parabens pelo blog…excelente!! Amigo, ganhei uma churrasqueira a gás da marca Arke, e só estou com dúvidas quanto a qual botijão utilizar…um de 5kg seria seguro e suficiente?
    Abraços e Obrigado. Douglas

    • Montini Says:

      Obrigado, Douglas!
      Quanto à sua pergunta, isso vai depender do modelo da churrasqueira. Churrasqueiras a gás geralmente consomem cerca de 600 a 800 gramas de gás por hora. Então, um botijão de 5 kg durará entre sete a oito horas de uso ininterrupto. Portanto, a menos que você faça churrascos extremamente longos, um botijão de 5 kg será suficiente. Quanto à segurança, o botijão de 5 kg é tão seguro quanto o de 13 kg, desde que você tome os mesmos cuidados.

  175. Frantiesco Pessoa Says:

    Olá,
    Estou com 02 P45 instalados para suprir o meu aquecedor para 02 chuveiros, 01 torneira e 01 fogão, o técnico que fez a instalação alega que há vazamento de gás na tubulação realizando o seguinte teste: Instalou um regulador e 01 manômetro para os 02 P45, abriu os 02 P45 até o manômetro acusar a pressão total e carregar o sistema, após a pressão estabilizar ele fechou os 02 P45, após o fechamento a pressão no manômetro vai baixando até zerar, leva em torno de 20 minutos para zerar o manômetro, segundo o técnico o sistema está com vazamento pois mesmo como os P45 fechados a pressão do manômetro deveria permanecer a mesma, estou muito confuso pois já foram realizados diversos testes e não foram localizados nenhum vazamento, poderiam me ajudar pois não sei se realmente este teste é válido para dizer que existe um vazamento no sistema ou não, ou seja, é normal a pressão do manômetro baixar quando se fecha os P45? Grato pelo retorno.

    • Montini Says:

      Caro Frantiesco
      Em tese, o teste realizado conforme você descreveu é uma boa maneira de saber se há vazamento. De fato, se você pressurizar um sistema e o mantiver fechado após a pressurização, ele só perderá pressão se houver vazamento em algum lugar. O problema, naturalmente, será descobrir onde está o vazamento. Como você tem vários aparelhos ligados ao sistema, talvez algum deles apresente falha de vedação nas conexões. Se a conexão com cada aparelho (fogão, aquecedor, etc.) for precedida de registro, recomendo repetir o teste com todos os registros fechados. Assim, se não houver perda de carga você saberá que o problema está em um dos aparelhos. Caso contrário, estará na tubulação. Por medida de segurança, verifique a possibilidade de fazer os testes com ar comprimido em vez de GLP.

  176. Pedro kolb Says:

    Quantos psi ou Kpa tem um botijão de gás preciso saber para comprar uma solenoide pra gás

    • Montini Says:

      Caro Pedro,
      A pressão interna de um botijão de GLP, independentemente da quantidade nominal de gás (P 5, P 13, P 45) varia entre 4 kgf/cm² a 8 kgf/cm² ou seja, entre 390 kPa a 780 kPa. Essa diferença reflete as condições ambientais, principalmente temperatura, além da redução da pressão pelo consumo. Você poderá considerar, para um botijão cheio, cerca de 7 kgf/cm² (690 kPa). Nos botijões P 5 e P 13 é preciso reduzir essa pressão elevada por meio de reguladores de pressão antes de conectá-los a um fogão doméstico de baixa pressão, de modo a reduzi-la para cerca de 2,8 kPa. Botijões P 45 podem ser utilizados com reguladores primários que reduzem a pressão para 1,5 kgf/cm² (147 kPa).

  177. Osvaldo da Cunha Caldeira Says:

    Prezados Sr.s, utilizo em minha casa o botijão de gaz P45. Gostaria de saber se existe algum dispositivo que permita informar o quanto de gaz tem no botijão. Já troquei algumas vezes o botijão, sempre com dúvidas se havia utilizado todo seu conteúdo. Grato por toda atenção.

    • Montini Says:

      Caro Oswaldo,
      De fato, existem alguns manômetros (medidores de pressão) fazem esse papel. Não são recomendados para P13, mas para P45 existem manômetros especialmente dimensionados. Consulte uma empresa especializada na instalação de sistemas de GLP.

  178. Marcelo Viola Says:

    Olá,possuo um botijão P2 e comprei um adaptador para rosquear no registro do fogão residencial, mas andei pesquisando que não é recomendável, gostaria de saber sua opinião pois somente usaria quando o P13 acabar para não ficar sem gás até comprar outro botijão. Grato

    • Montini Says:

      Caro Marcelo,
      O único inconveniente é que o P2 não tem plug fusível, um dispositivo de segurança existente no P13 que impede explosão em caso de incêndio. Entretanto, se você usar durante curto período, e desde que tome os cuidados necessários (adquirir o botijão de revendedor autorizado, usar regulador e mangueira aprovados pelo Inmetro, não expor o botijão ao calor, etc.) não há problema.

  179. Wellignton Cruvinel (@wlcruvinel) Says:

    Excelente Post Informativo! Li todas as perguntas e respostas tenho uma existe no mercado dispositivos clasificados como economizadores de gas GLP em media 30% de economia! Sera que fuciona mesmo é legal? segue link para referencia! Obrigado. http://inveg.com.br/index.php/economizador-de-gas.html

    • Montini Says:

      Caro Wellington,
      Não recomendo utilizar qualquer tipo de dispositivo acoplado ao botijão que não seja aprovado pelo Inmetro. O regulador de gás, a mangueira e o próprio botijão são certificados obrigatoriamente, e há uma razão para isso: Precisam atender normas rígidas de segurança. Qualquer dispositivo estranho coloca em risco todo o sistema e, naturalmente, o consumidor.

  180. Jacob Miguel Says:

    Prezado Montini:
    Parabéns pela postagem. Muito elucidativa.
    Gostaria de aproveitar o espaço para uma pergunta:
    Li, tempos atrás, que havia um projeto para botijões de gás natural para uso residencial. A notícia procede? Se procede, sabe onde posso encontrar?
    Agradecido antecipadamente,

    • Montini Says:

      Caro Jacob Miguel,
      Obrigado pela gentileza. Quanto à sua pergunta, não tenho notícia de que o gás natural esteja sendo comercializado em botijões para uso residencial. Até onde sei, o GN só é acondicionado em cilindros quando para uso veicular (GNV) ou para transferência de grandes volumes, em estado líquido (GNL). Sinto não poder esclarecer melhor.

  181. Creusa Ribeiro Says:

    A comgás esta ” chegando” na minha rua, tenho dúvidas referente ao consumo, como devo calcular :-

    1 – A quantidade do botijão de gás 13 kg, proporcional em metros cúbicos. (A comgás cobra R$7,52 o metro cúbico, quanto custará a mesma quantidade em um botijão normal de gás de cozinha?).
    Exemplo:- utilizo 01 botijão por mês e pago R$37,00, quanto pagarei como o GN?

    2 – No mesmo pensamento para energia elétrica (bandeirante Energia), quanto em custo de R$, ficará cada kwH de energia, em proporção ao gás natural no mesmo valor do metro cúbico acima?

    Exemplo : meu consumo de energia é 345 KWH, preço médio R$0,40611594 , total R$140,11

    Grata.

    • Montini Says:

      Prezada Creusa,
      Considere o seguinte: O poder calorífico de 1 kg de GLP equivale a aproximadamente 1,26 m³ de GN. Ou seja, se você usa 13 kg de GLP por mês, precisará de cerca de 16 m³ de GN para obter a mesma energia. Multiplicando-se essa quantidade pelo valor do metro cúbico que você está informando, seu custo será de 120 reais! Com relação à energia elétrica, a equivalência é a seguinte: 1 m³ de GN equivale, aproximadamente, a 10,8 kWh. Logo, 345 kWh equivalem a cerca de 32 m³ de GN, o que dá 240 reais. Entretanto, talvez o modo como a distribuidora de GN calcula o preço do produto não seja exatamente esse. Recomendo consultar a Congás sobre o custo dessas quantidades de GN.

  182. Cássio Says:

    Prezado Montini,
    Estou morando nos EUA e volto para o Brasil em 2014. Irei levar um fogão, mas aqui é usado o Propano. Gostaria de saber se posso usar o fogão com o nosso butijão de 13ks e válvula apropiada ou tenho que fazer alguma transformação.

    Outra pergunta é em relaçào as secadoras a gás, posso usa-las com o P13.
    Desde já agrdeço e parabenizo pelo Site.
    Cássio
    Se pudesse madar a resposta para cassioadriana@hotmail.com, agradeceria.

    • Montini Says:

      Caro Cássio,
      Se o fogão for de baixa pressão não haverá problema. Bastará usar o botijão de 13 kg com regulador de pressão e mangueira (aprovados pelo Inmetro, naturalmente). É bom lembrar que o GLP tem poder calorífico inferior ao propano, o que talvez comprometa o desempenho do fogão. Então, se for o caso, talvez seja necessário regular os queimadores e a mistura gá/ar. O mesmo vale, naturalmente, para as secadoras. boa viagem!

  183. Lais Angela Payeras Says:

    Aqui no RS, estamos procurando recarga para botijão de 2kg (tipo liquinho) e em todas as revendas dizem que não trocam mais por que não vai mais ser comercializado! E nós consumidores vamos ser penalizados? Como fica? Onde vamos poder trocar? Onde posso me informar?

  184. alexsander Says:

    Pergunta!

    desenvolvi uma maquina de solda por sistema de brasagem com glp , estou utilizando um botijão de empilhadeira com registro com regulador ,de alta pressão a pressão que eu utilizo para rodar a maquina é de 1 bar , porem esta congelando o sistema e esta saindo gás em forma liquida.

    • Montini Says:

      Caro Alexsander,
      Não há inconveniente em utilizar o GLP como combustível para processos de soldagem, a despeito do seu poder calorífico menor do que concorrentes como o acetileno, por exemplo. No caso de solda por brasagem o resultado vai depender, naturalmente, do tipo de material de adição. O problema, entretanto, está em utilizar um cilindro desenvolvido exclusivamente para empilhadeiras e afins. Tudo indica que a vazão do sistema está acima da capacidade de fornecimento de GLP, de modo que o gás é retirado do cilindro muito rapidamente, sem tempo para que haja troca de calor com o ambiente. Isso faz com que o sistema congele e o GLP saia na fase líquida. É sempre arriscado (e as vezes bastante perigoso) fazer adaptações desse tipo. Recomendo substituir o cilindro P 20 por um P 45, com maior capacidade de vaporização. Recomendo, também, muita cautela.

  185. Leonan Ramos Says:

    preciso de Especificações e processos de sodagem de um botijão de gás de 13 Kg ou algum site que posso achar

    • Montini Says:

      Caro Leonan,
      Não compreendi bem se você pretende utilizar o GLP como combustível para solda ou se pretende soldar um botijão P 13. No primeiro caso, se for soldagem oxi-gás o GLP, embora com poder calorífico menor, pode ser utilizado com vantagens pois seu custo é bem menor que o acetileno. Recomendo utilizar o P 45, pois botijão P 13 é restrito a uso doméstico.
      No segundo caso, as soldas nos botijões de GLP são do tipo solda por fusão. As especificações técnicas são dadas pelas normas ABNT. Não podemos reproduzi-las aqui pois estas são controladas. Veja o link: http://www.abntcatalogo.com.br/normagrid.aspx

  186. Humberto Says:

    Parabéns Montini esse blog é ótimo. Estou sentindo um cheiro tipo de querosene, mesmo quando o botijão é novo quando ligo o fogão e/ou a lareira . Gostaria de saber tchê o que pode estar ocorrendo. Obrigado e um baita abraço.

    • Montini Says:

      Obrigado, Humberto!
      Quanto à tua dúvida, cheiro de querosene pode ser da pintura do botijão ou, eventualmente, de algum componente do teu sistema de abastecimento. O cheiro de gás é bastante típico e certamente reconhecerias se fosse vazamento. Entretanto, por via das dúvidas, faça o teste da espuma de sabão.
      Um abraço pra ti!

  187. ademar Says:

    ola …e obrigado por esta pagina,gostaria muito de saber se realmente esta proibido em sp o gas de 2 kilos e onde encontrar ou ao menos existe alongador ???? preisiso para ligar meu lampiao como faco posso usar alongador e colocar no de 13 k obrigado……

    • Montini Says:

      Caro Ademar,
      Desconheço qualquer proibição para a utilização de botijão de 2 kg. As distribuidoras de GLP podem informá-lo onde encontrar o P2 para aquisição. Procure nos sites das principais distribuidoras. Se você for utilizar um P 13, precisará mesmo de um alongador. Existem lojas especializadas que comercializam equipamentos para GLP e que podem ser encontradas na internet.

  188. Thiago Ferezini Says:

    Gostaria de saber o preço de um botijão 45kg para residência.

    • Montini Says:

      Caro Thiago,
      O IPEM-SP é um organismo de fiscalização. Não comercializamos GLP. Recomendo consulta às distribuidoras do produto.

      • valdecir Says:

        Montini, estou saindo de um apto onde usava um fogão com botijão de 13kg, indo para um apto onde o gás é encanado, porém existem reservatorios de botijão de 45kg.
        é necessário fazer a coversão ?
        Grato,

      • Montini Says:

        Caro Valdecir,
        Normalmente os edifícios que utilizam as baterias de P 45 possuem sistema de redução de pressão. É comum que o GLP passe por um regulador de pressão primário antes de chegar às unidades residenciais. Ou seja, o GLP chega ao apartamento com pressão próxima a de um botijão P 13, o que exigirá apenas um regulador de pressão comum, desses utilizados em fogão de baixa pressão. Nesse caso, não será necessário converter o fogão. Entretanto, recomendo que você consulte o síndico ou zelador do prédio sobre o sistema instalado.

  189. Victor Bacellar Says:

    Bom dia! Tenho um pequeno restaurante e uso dois P 45. Tudo funcionava pereitamente até que depois de dois anos as chamas do fogão ficaram queimando vermelho. Chamei um técnico, e ele além de limpar os queimadores do fogão disse que eu tinha que trocar o regulador de gáz porque o que eu tinha era para os de 13kg. Pois bem, ele trocou o regulador de gáz colocando um grande, amarelo do tipo FH 2. Após a colocação desse regulador os cilindros começaram a congelar e tenho perdido cerca de 30% do cilindro.
    Qual o regulador adequado para o meu comércio, levando-se em conta que é usado apenas para um fogão industrial de baixa pressão de 6 bocas.
    No aguardo,
    Bacellar

    • Montini Says:

      Caro Victor,
      Os cilindros congelam quando a vazão do GLP é muito alta, ou seja, quando o gás sai muito rapidamente dos cilindros. Parece que você está usando um equipamento para alta pressão em um fogão de baixa pressão. Talvez você tenha que instalar um regulador compatível com o seu fogão. Infelizmente não posso recomendar tipos ou marcas de reguladores. Recomendo nova vistoria por técnico especializado.

  190. Amauri Says:

    Já procurei a resposta para mina pergunta em vários lugares e até agora não achei,…É o seguinte,..: Um botijão de gás glp cheio, tem a mesma pressão interna de outro pela metade ou menos, estando os dois na mesma temperatura,ou seja,…Enquanto tiver gas em estado liquido dentro do botijão, a pressão interna permanecerá igual??? Duvido que alguém responda e mais ainda, possa explicar.

    Por favor mande a resposta para o meu e-mail
    amauriaurani@yahoo.com.br

    Obrigado!!
    Amauri

    • Montini Says:

      Caro Amauri
      De fato, a pressão no interior do botijão vai sendo reduzida lenta e proporcionalmente na medida em que o produto é consumido. A explicação é a seguinte: O GLP é armazenado no botijão a uma pressão aproximada de 0,78 MPa (megapascal), o que equivale a cerca de 8 kgf/cm². Cerca de 85% do volume de um botijão cheio é ocupado por GLP na fase líquida, enquanto os outros 15% são ocupados pela fase gasosa.
      É bom lembrar que o volume ocupado por um gás é função da temperatura e da pressão. Quando o GLP é consumido há redução na sua massa. Como o volume do recipiente é constante, a retirada de gás reduz a pressão interna, o que possibilita a passagem de GLP do estado líquido para o estado gasoso até o sistema voltar ao equilíbrio. Na medida em que o gás é consumido, mais gás é convertido da fase líquida para a gasosa, até que praticamente todo o gás é consumido. Aliás, o consumo de gás também reduz a temperatura interna, porém isso só é perceptível caso haja uma vazão considerável de gás (alto consumo em curto intervalo de tempo). Na prática a queda da temperatura é compensada pela absorção de calor do ambiente.

  191. Luis Fernando Says:

    Boa tarde!
    Gostaria de saber se o botijão p 13, ao ser conectado a mangueira do fogão, pode ser colocado de lado, ao invés de deixa lo de pé? Existe algum perigo?
    Obrigado
    Luis Fernando

    • Montini Says:

      Caro Luis Fernando,
      Não é recomendável deitar o botijão, pois o gás pode sair em sua fase líquida e causar acidentes sérios. Mantenha o botijão sempre na posição vertical. Entretanto, se você tem pouco espaço para rosquear o regulador de pressão, pode inclinar ligeiramente o botijão, colocando-o novamente na posição vertical após conectar o regulador.

  192. viviane Says:

    olá,coloquei meu botijão do lado de fora da cozinha,mas ele fica por mais ou menos uma hora e meia exposto ao sol,á algum risco quanto a isso?

    • Montini Says:

      Cara Viviane,
      Não há problema quanto a exposição ao sol por um curto período como esse. Recomendo, entretanto, que você faça uma cobertura para o seu botijão, a fim de protegê-lo das intempéries..

  193. simone Says:

    Quanto tempo tem que durar um gás de 13 kg em uma casa com 3 pessoas?

    • Montini Says:

      É difícil dizer, Simone. Depende do consumo. Se você utilizar o forno poucas vezes e cozinhar de modo corriqueiro (almoço e jantar, diariamente) creio que deve durar pouco menos de dois meses. Mas isso é apenas uma estimativa.

  194. Bruno Says:

    Caros,
    utilizo aqueles fogões de alta pressão com diversos caulins… anteriormente utilizava os botijões P13 sem regulador de pressão… estou mudando para o P45, e adquiri um regulador de alta pressão, porem a chama ficou muito pequena… não sendo viável a sua utilização… posso utilizar o P45 sem o regulador de pressão, para obter aquela chama potente para fervuras de grandes volumes…??

    • Montini Says:

      Caro Bruno,
      A pressão interna do GLP nos botijões de 45 kg é a mesma dos botijões de 13 kg, portanto, se você já utilizava o P 13 sem regulador também poderá, em tese, utilizar o P 45. Entretanto, é sempre aconselhável utilizar o regulador adequado ao seu fogão e ao uso que você dará a ele.

      • Gilberto Canano Says:

        tenho o mesmo problema e os tecnicos no sabem qual o regulador apropiado no meu caso so duas palmas cada uma com 5 caulins qual o modelo de regulador adequado

        Date: Tue, 28 May 2013 17:27:39 +0000 To: gilbertocanano@hotmail.com

      • Montini Says:

        Caro Gilberto,
        A instalação vai depender do uso. Normalmente são utilizados dois reguladores, de primeiro e de segundo estágios. Também é possível utilizar apenas o de primeiro estágio. Infelizmente não posso dar esse tipo de conselho. Recomendo que você procure um profissional competente para fazer a instalação.

  195. Elizangela C. Says:

    Boa Tarde,
    Estamos construindo uma cantina na fazenda e gostaria de saber se utilizarmos o P45 teremos uma econômia com relação ao P13???

    • Montini Says:

      Cara Elizangela,
      Essa decisão depende de alguns fatores:
      1- Se a fazenda for no Estado de São Paulo, você só poderá usar o P 13 para fins domésticos. Então, se a cantina for de uso privado, não haverá problema em usa o P 13, caso contrário você terá que usar o P 45.
      2- Se o fogão instalado na cantina for de uso doméstico, e se não houver um grande consumo de gás, será mais cômodo usar o P 13.
      3- Se, como eu suponho, o seu fogão for industrial (de alta pressão) e você tiver um consumo elevado de GLP, é recomendável usar o P 45, pois é mais prático, mais econômico e você evitará o congelamento das instalações, fenômeno comum quando se utiliza P 13 em altas vazões. Recomendo consultar um técnico especializado para instalar o sistema de alimentação para P 45, pois os reguladores de pressão vão depender do modelo de fogão adotado.

  196. gilberto gonçalves canano Says:

    tenho um fogão de alta pressão vou utilizar o p45 é preciso um regulador de pressão tenho medo de perder calor

    • Montini Says:

      Caro Gilberto,
      Fogões industriais necessitam, de fato, que se use o P 45. O cilindros P 45 requer regulador de pressão específico. Não é possível utilizar o P 45 sem o regulador de pressão, pois embora pressão de gás num fogão industrial seja maior que nos fogões comuns, mesmo assim é muito inferior à pressão na qual o gás é armazenado no cilindro. Ou seja, não se preocupe que uma possível perda de pressão reduza o desempenho do seu fogão. Recomendo que a instalação do gás seja feita por profissional capacitado, que saberá escolher os reguladores de pressão adequados para o seu caso.

  197. Alaní Says:

    Olá tudo bem?
    Posso usar o P45 na horizontal, tem alguma restrição quanto a isso? o mesmo é utilizado para o Fogão e os Chuveiros.

    • Montini Says:

      Bem, Alaní, não se deve colocar botijões de GLP na horizontal, com exceção do P20 usado em empilhadeiras. O Gás contido nos botijões pode sair ainda na fase líquida e comprometer os dutos, além de ser potencialmente perigoso. Recomendo manter o cilindro na vertical.

  198. Nanda Says:

    Gostaria de saber se posso colocar o botijão de gás dentro do armário embutido?

    • Montini Says:

      Cara Nanda,
      É arriscado confinar o botijão de gás. Quando o botijão é colocado num recinto fechado, caso haja algum vazamento o gás irá se acumular e poderá causar um acidente sério. Por isso é recomendável que o botijão fique sempre em local ventilado.

  199. Fábio Says:

    Boa Tarde!
    Estou reformando minha casa e estou colocando o botijão que é de 13 kg para fora, porém ele terá que ficar há uma distancia de 15 a 20 metros aproximadamente, e tenho dúvidas referente a expessura do cano de cobre que posso utilizar? pensei em comprar dos tubos flexíveis, há algum problema? e quel expessura deco comprar?

    Obrigado

    • Montini Says:

      Caro Fábio,
      Sim, você pode optar por tubo flexível de cobre. Se o consumo de gás for o de uma residência padrão, um tubo de 3/8″ (8 mm) ou, no máximo, de 5/8″ (16 mm) será suficiente. O tubo de 3/8″ (8 mm) é mais flexível. Qualquer desses tubos exige cuidado ao ser curvado. Evite fazer curvas mais fechadas que 90° pois corre-se o risco de estrangular o tubo. Use conexões de cobre ou latão e chame um profissional experiente para fazer a instalação.

  200. Alexandre Borjaili Says:

    caros amigos,

    Gostaria de saber detalhes sobre a validade do botijão de gas de cozinha, pelo que vi, o gas nao tem validade mas o botijão tem? caso positivo, onde fica a data e quais os riscos de ter um botijao vencido?

    Obrigado

    Alexandre

    • Montini Says:

      Caro Alexandre,
      O botijão de gás (recipiente transportável para GLP) tem, sim, validade. A validade de um botijão de gás é de 15 anos após a fabricação. Vencido esse prazo o botijão precisa passar por um processo de requalificação, que consiste na avaliação, recuperação e validação do botijão. Botijões requalificados tem validade de 10 anos, após o quê precisam passar por novo processo. A data de fabricação ou requalificação é gravada no corpo ou na alça superior do botijão.

  201. Sabrina Rocha Says:

    Prezados,
    Comprei um fogão semi industrial para minha residência, no manual do fogão recomenda o uso do botijão 45kg. Minha pergunta é: quais os riscos de eu continuar a usar o botijão de 13kg? Para eu instalar o de 45 devo comprar alguma válvula de segurança especial?
    Obrigada.
    Sabrina

    • ipemsp Says:

      Cara Sabrina,
      Fogões industriais costumam trabalhar com alta pressão de gás, daí a recomendação para que se use o P45. Os botijões P13 são concebidos para fogões domésticos, por isso usam regulador de gás para baixa pressão. O inconveniente de se usar botijão P13 num fogão industrial de alta pressão é a necessidade de se adaptar um regulador especial. Além disso, o grande volume de gás consumido frequentemente “congela” o botijão e o sistema, reduzindo e até interrompendo o fornecimento de gás.

  202. ADILSON Says:

    Boa noite . Porque os postos de GNV não poderiam abastecer os nossos botijões ? É o mesmo gás ? isso evitaria máfias e fraudes no peso, não é ? Grato a todos pelos informativos !!!

    • ipemsp Says:

      Caro Adilson,
      O gás dos botijões é o GLP, gás liquefeito de petróleo. O gás dos postos de combustível, que é usado para abastecer os veículos, é o GNV, ou gás natural veicular. São gases muito diferentes com características distintas. O GLP é formado por butano e propano (gases do petróleo). É mais pesado que o ar e o seu uso é proibido como combustível para veículos (exceto empilhadeiras). GNV é gás natural fóssil formado basicamente por metano, mais leve que o ar. Por essa razão (além de uma série de questões técnicas, logísticas e de segurança) não é possível encher botijões de GLP nos postos de GNV.

  203. Michele Says:

    Esse almanaque é fantástico, meu trabalho de conclusão de curso é voltado para donas de casa e as dúvidas da maioria das pessoas,adorei…

  204. camilo Says:

    quantos glp p13 posso ter em casa para consumo a um limite

    • ipemsp Says:

      Desconheço se existe limite legal para estocar botijões P13, em casa, para consumo próprio. Porém, como é sabido que dois botijões são suficientes, ficaria difícil para você explicar, ao corpo de bombeiros ou prefeitura, a razão de estocar muitos botijões em casa, caso algum vizinho resolver denunciá-lo. Estocar botijões em casa em grande quantidade é muito perigoso e põe em risco toda a vizinhança.

      • Michele Says:

        Na instrução técnica do Corpo de Bombeiro n°28,aborda o tema de estocagem, mas não fala quanto ao uso em residências, como explicado isso seria muito perigoso

  205. Luiza Ribeiro Says:

    O que faz o gás congelar na tubulação (cozinha industrial)?

    • ipemsp Says:

      O resfriamento do sistema (tubulação, cilindros, válvulas, registros, etc) se deve, geralmente, à vazão superior àquela projetada para o sistema. O GLP permanece em estado líquido dentro do cilindro e é mantido assim em razão da elevada pressão interna. Quando essa pressão é liberada rapidamente (no caso de consumo elevado em curto tempo) o sistema perde calor para o ambiente, o que ocasiona acúmulo de gelo na superfície dos cilindros e dutos. Isso não provoca, necessariamente, a interrupção imediata no fluxo do gás, porém este fica cada vez menor, já que o gás precisa de calor para passar do estado líquido ao gasoso. Recomendo a revisão da instalação por técnico especializado, para que a alimentação do fogão seja redimensionada de acordo com o consumo.

  206. marcomeds Says:

    Caro Montini! Blog nota 10!
    Moro no Canadá e estou me mudando de volta para o Brasil. Gostaria de levar uma churrasqueira à gas (GLP – propano). Vai funcionar? O que eu precisaria saber sobre os cilindros de gás daqui ou da churrasqueira para poder ter certeza?
    Um abraço

    • ipemsp Says:

      Obrigado pela nota, Marco! Não há melhor estímulo do que ser bem avaliado!
      A primeira coisa a fazer é descobrir se a churrasqueira opera com baixa ou alta pressão de Gás. Disso dependerá o tipo de regulador de pressão a ser utilizado. Outro aspecto é o fato do equipamento funcionar com propano. O GLP, como você sabe, é uma mistura de propano e butano, portanto é “menos limpo” e tem eficiência energética inferior ao propano puro. Talvez seja preciso regular os queimadores. Recomendo consultar o vendedor a respeito.
      As roscas ou dispositivos de acoplamento do cilindro com a churrasqueira podem ser um problema. Talvez seja necessário usar um adaptador. Aqui os cilindros de GLP mais comuns disponíveis no mercado brasileiro são os seguintes:
      De 2kg, com rosca diferenciada que não permite acoplar regulador de pressão. Esse botijão é usado geralmente em lampiões e fogões de camping que operam com alta pressão.
      De 5kg; 8kg e 13kg (o mais comum), cujas roscas permitem acoplar o regulador de gás para operar em baixa pressão.
      De 45kg, mais usado em restaurantes, que operam com reguladores de pressão diferenciados.
      De todo modo, a menos que as churrasqueiras canadenses sejam realmente muito mais baratas e melhores que as brasileiras, seria mais seguro comprar uma por aqui. Boa viagem e bons churrascos!

      • marcomeds Says:

        Caro Montini, pesquisei um pouco mais. A especificação da pressão interna (imagino que isso seja o que “manifold pressure” quer dizer) é da em coluna de água: 11″. Abaixo incluo o texto exato:
        “The gas pressure regulator supplied with this grill must be used.The inlet (supply) pressure to the regulator should be as followsfor proper operation:
        LP Gas:
        Operating pressure: 11″ (27.9 cm) WCP
        Inlet (supply) pressure: 11″ to 14″ (27.9 cm to 35.5 cm) WCP”

        Imagino que uma válvula reguladora de pressão seria suficiente para a churrasqueira operar com botijão de 13kg, correto?

      • ipemsp Says:

        Caro Marco,
        11″ coluna d´água equivale a 2,74 kPa, justamente a pressão de trabalho dos fogões de baixa pressão. Portanto, basta utilizar um regulador de pressão comum no botijão de gás (use regulador e mangueira aprovados pelo Inmetro). Abraço.

  207. Gabriel Junio Says:

    Atuo na área da eletrônica gostaria de saber se posso desenvolver um sensor de pressão para um P-13, tendo auxilio do corpo de bombeiros. Se não, o porquê, pois já vi projetos envolvendo GLP onde atuo.

    • ipemsp Says:

      Caro Gabriel,
      Qualquer dispositivo desenvolvido para ser acoplado ao botijão de gás, principalmente para o P13, precisa ser aprovado pelo Inmetro. Atualmente o Inmetro aprova apenas o regulador de pressão e a mangueira para GLP, e recomenda aos usuários que não utilizem qualquer outro tipo de dispositivo acoplado ao botijão, isso porque tais dispositivos teriam que ser submetidos a uma série de estudos e ensaios a ver se não acrescentam risco à utilização do botijão.

  208. Fernando Says:

    Quero colocar os botijões fora da cozinha da minha lanchonete usando tubos de cobre. Quero saber se existe uma distancia minima e maxima para isso? E se a eficiência cai se a distancia for muito grande ? Obrigado

    • ipemsp Says:

      Caro Fernando,
      Não existe distância definida. Você certamente usará botijões P45 pois os P13 não podem ser usados em lanchonetes. A pressão no interior desses botijões é suficiente para enviar o GLP a distâncias razoáveis. Lembre-se que será necessário utilizar um regulador de pressão adequado. Recomendo consulta a um profissional na instalação desses sistemas.

  209. Lilian kelly Bastos Says:

    Olá. Mais uma vez eu pergunto e espero por favor que alguém me responda…Um botijão de 13 kg que está sendo usado pode ficar em cima de outro botijão que não está sendo usado?

    • ipemsp Says:

      Cara Lilian
      O problema do botijão em uso ficar sobre outro (cheio ou vazio) é que ambos fiquem instáveis e o de cima pode cair ao chão caso alguém esbarre na pilha. A queda do botijão em uso, mesmo de pequena altura, é um risco que se deve evitar. O melhor é evitar o empilhamento.

  210. AQUINO CORREIA JAPIASSÚ FERRO Says:

    BOA NOITE. A VÁLVULA ACIMA DO BOTIJÃO DE 13 KILOS ESTÁ FAZENDO BARULHO E COM UMA PRESSÃO MUITO GRANDE. O QUE FAZER?

    • ipemsp Says:

      Se a válvula do botijão estiver fazendo barulho sem que o botijão tenha sido instalado, coloque-o em lugar ventilado e chame o seu distribuidor de GLP. Caso o barulho ocorra enquanto o botijão estiver em uso, pode ser que o fogão esteja com o queimador desregulado e consumindo muito gás (o fogo é muito forte). Nesse caso será preciso regular o queimador do fogão.

  211. Klaus Says:

    Bom Dia
    Tenho um comercio (padaria) e fiz as instalaçoes (GLP) de acordo com as normas e materiais, pois sou qualificado, porem gostaria de saber que documentos da instalaçao devo ter para apresentar, e a quem devo apresentar? Oque será exigido para o funcionamento?

    • ipemsp Says:

      Instalações profissionais geralmente são inspecionadas pelo corpo de bombeiros. Entretanto, recomendo que você entre em contato com a sua distribuidora de GLP e solicite informações a respeito.

      • klaus Says:

        Obrigado pela resposta! Tenho mais uma duvida, montei as baterias de gas com tubos e conexoes de aço galvanizado pois dimensionei o projeto para alta pressao (150kPa) no inicio e depois para para baixa no regulador de segundo estagio, gostaria de saber se eu poderia utilizar o cobre em algum trecho da minha instalacao???
        Att,

      • ipemsp Says:

        Caro Klaus,
        Os dutos de cobre têm sido bastante utilizados para conduzir GLP. Não creio que haja qualquer inconveniente utilizá-los juntamente com os dutos de aço galvanizado, desde que a conexão entre os dutos de aço e os de cobre seja feita de maneira adequada. A esse respeito, recomendo que você consulte um especialista na matéria.

  212. Alano Guedes Says:

    Tenho em minha residência um conjunto de dois P45 para o fogão da cozinha. Recentemente observei que estou pagando muito mais por um P45 que pagaria pela mesma quantidade de gás comprando P13. Posso, simplesmente, trocar os botijões P45 por P13 e colocar na mesma instalação que tenho em casa? Há compatibilidade?

    • ipemsp Says:

      Caro Alano,
      Se o seu fogão for de baixa pressão, ou seja, um fogão comum, não há problema. É provável que você tenha que trocar o regulador de pressão, pois em geral os reguladores para P 45 são diferentes daqueles apropriados para P 13. Ao substituir o regulador veja se ele traz o símbolo do Inmetro. Aproveite e substitua a mangueira, principalmente se ela estiver fora do prazo de validade.

  213. Leandro Says:

    Ok, agora sim, essa é a resposta que eu queria. Muito obrigado.
    Aqui o GNV só é vendido em postos de combustiveis. Mas ficou bem claro a diferença.
    Valeu.

  214. Leandro Says:

    Obrigado pela resposta, mas ainda não ficou claro em relação ao m³ do gas. Isso significa que o gas de cozinha glp 13kg, não é o mesmo de apartamentos? Aqueles cilindros grandes?

    • ipemsp Says:

      O GLP dos botijões de 13 kg é o mesmo dos botijões de 45 kg (aqueles botijões grandes). Eu me referia ao gás natural encanado que é distribuído, aqui em São Paulo, pela Comgás. Se o seu prédio utiliza uma bateria de botijões P 45 para fornecimento de gás, então a situação é outra. A densidade do GLP à temperatura de 15°C e à pressão atmosférica varia entre 2,1 kg/m³ a 2,5 kg/m³. Para facilitar, vamos trabalhar com o valor médio, de 2,3 kg/m³.Isso significa que 1 metro cúbico de GLP pesa cerca de 2,3 kg. Então, 13 kg de GLP equivaleria, em tese, cerca de 5,6 m³.

  215. Raimundo Borges Says:

    Gostaria de saber porque é proibido o uso do glp em veiculos? Há algum perigo ou é somente por causa da proibição (lei)

    • ipemsp Says:

      Bem, Raimundo, a proibição legal se baseava, em princípio, numa questão econômica. Como os derivados de petróleo eram escassos o GLP era subvencionado e era reservado, principalmente, para uso na cozinha das residências. Entretanto, justamente por causa dessa proibição, nunca foram desenvolvidos sistemas de abastecimento com GLP para veículos comuns (com exceção das empilhadeiras, únicas a usar GLP como combustível). Desse modo, o que se faz são as famosas gambiarras, que são perigosíssimas e já causaram muitos acidentes fatais.

  216. Rafael Says:

    Olá! Quero saber Quantos litros de gás Existem Aproximadamente Num botijão,tendo em vista que seco pesa 13 kg e cheio o botijão pesa 26 kg

    • ipemsp Says:

      Caro Rafael
      O volume (capacidade) do um botijão de P 13 é de cerca de 31,5 litros. Ele comporta, por Lei, a quantidade de 13 quiligramas de GLP. O GLP fica sob pressão. O peso do botijão vazio pode variar de 13 kg até 16 kg, dependendo da espessura da chapa, tipo de costura, ou do acúmulo de borra no fundo do recipiente. É esse peso que é gravado no colarinho do botijão (tara). Assim, um botijão que cujo peso vazio for de 15 kg, deverá pesar 28 kg quando cheio.

  217. Rosana Says:

    Acabei de chegar em casa e minha mãe tinha deixado o gás ligado. Quando abri aporta o cheiro muito forte (minha pressão até caiu). Tive que entrar com um pano úmido. Agora que já saiu o cheiro posso usar o fogão ou não???

    • ipemsp Says:

      O GLP é mais pesado que o ar, o que significa que ele fica junto ao chão quando há vazament (ou quando a gente esquece o gás aberto). É preciso ventilar muito bem o local e esperar até que o cheiro característico do gás deixe de ser sentido. Só então o fogão poderá ser utilizado novamente. Aliás, quando há cheiro de gás, o melhor é não acender nenhuma chama nem acionar o interruptor de luz.

  218. JULIANO PRADO Says:

    na verdade tenho uma duvida gostaria de saber qual a norma brasileira que regulamenta as dimensões e distancia das cazinha de gás para maior segurança e como esta casinha deve ser construida

    • ipemsp Says:

      Existem normas e procedimentos técnicos para o armazenamento de GLP engarrafado (botijões), porém estas restringem-se aos locais onde o produto é envazado ou comercializado, tais como as plantas de GLP, os distribuidores, os depósitos e os pontos de venda. Existem também recomendações quanto à construção de abrigos para baterias de GLP P 45 em prédios, restaurantes e outros locais que utilizam o produto em escala comercial. Quanto ao abrigo de botijões P 13 utilizado em unidades familiares (doméstico) fora da residência, não há norma. É recomendável, entretanto, que esses abrigos sejam construídos em alvenaria, para no máximo dois botijões. Caso sejam colocadas portas, estas devem possuir orifícios para farta ventilação. É recomendável que a conexão entre o botijão e o fogão seja intermediada por encanamento apropriado (cobre). Não se deve utilizar mangueira com comprimento superior a 1 metro. É recomendável que a instalação seja feita por técnico especializado.

  219. Wagner Vitorino de Oliveira Says:

    Estou construido um prédinho de (3) andares, gostaria de saber se o botijão de gas p13, tem pressão pra levar o gas até o último andar.
    Atenciosamente,
    Wagner

    • ipemsp Says:

      Tem sim, Wagner. O problema é que o regulador de gás acoplado ao botijão reduz necessariamente a pressão para que o GLP possa ser utilizado em queimadores de baixa pressão. Ou seja, você deve providenciar um encanamento apropriado (de cobre) para fazer a instalação e, talvez, utilizar um regulador primário no botijão e um secundário antes do fogão. Esse tipo de ligação é geralmente feita para botijões P 45. Recomendo consultar um técnico especializado.

  220. fra Says:

    oi gostaria de saber porque o meu botijão de gás costuma vibrar na válvula de pressão toda vez que ligo o fogÃO. Isso é normal?

    • ipemsp Says:

      A vibração se deve à passagem do GLP, que está submetido à alta pressão, pelo regulador de pressão cuja função é, justamente, a de reduzir a pressão. Uma vibração considerada normal quase não dá para perceber. Por isso, se a vibração for intensa, verifique a data de validade do regulador de gás e, se for necessário, troque-o. Lembre-se que ao comprar o regulador de gás você deve verificar se ele tem o símbolo do Inmetro.

  221. Leandro Says:

    Bom dia
    Tenho duas perguntas sobre o botijão de 13kg.
    Vamos lá.
    1° Em apartamentos, o gas é cobrado por metro cubico, então, quantos metros cubicos vem num botijão de 13 kg?
    2° Tenho um suporte para fogão portatil, que o botijão fica deitado abaixo desse suporte (quase um metro longe da chama), logicamente o gas sobe no estado gasoso. E uma pessoa que veio fazer a troca do gas disse que não é recomendado a posição deitada do botijão. Pesquisando aqui no site, li que não se pode usar obotijão deitado, mas tem uma explicação mais clara o porque disso?

    • ipemsp Says:

      Caro Leandro,
      Respondendo a sua primeira questão:
      O gás comercializado em metros cúbicos é o gás natural (metano), que tem características bem diferentes do GLP. Não é possível fazer a comparação que você pretende, pois o GLP está sob intensa pressão dentro do botijão, cuja capacidade volumétrica é de apenas 31,5 litros. O modo de comparar ambos os gases é verificando a sua equivalência energética. Assim, 1m³ (um metro cúbico) de metano equivale a, aproximadamente, 400 gramas de GLP. Então, 13 kg equivale, em termos energéticos, a aproximadamente 32 metros cúbicos de gás natural.
      Respondendo a segunda questão:
      Quando o botijão está em pé o GLP em estado líquido (que é a maior parte) fica no fundo do botijão, enquanto a fase gasosa fica em contato com a abertura da válvula, por onde irá sair e passar pelo regulador de pressão. Quando o botijão é deitado, a parte gasosa vai para o corpo do botijão, enquanto a fase líquida fica em contato com a válvula por onde sai o gás. Então, pode ocorrer do GLP sair na fase líquida, o que é muito perigoso pois danifica o regulador, a mangueira, provoca vazamentos e até incêndios.

  222. fabricio Says:

    Ñ estou conseguindo passar gas de um botijão de 13 k p/ um de 2k, como faço?

    • ipemsp Says:

      Caro fabrício,
      Por favor, não faça!! É muito perigoso fazer isso domesticamente. Você teria que dispor de um sistema de manômetros para controlar a pressão, além de balança adequada e sistema de traslado do produto. É melhor deixar isso para as distribuidores de GLP, que dispõem dos equipamentos e dos sistemas de segurança adequados.

  223. Karin Says:

    Parabéns pelo site, muito bom mesmo, resolvi várias dúvidas, e recomendarei. Gostaria de aproveitar e tirar 2 dúvidas.
    1- Os medidores de gás obrigatoriamente devem ficar próximos aos apartamentos pois trabalham somente com baixa pressão ou pode existir uma central de medidores para facilitar a leitura. Sei que haverão várias tubulações subindo este seria o risco maior? Ou existem outros motivos?
    2- O gás propano é misturado ao butano por uma questão de custo? pois pelo que entendi poderíamos utilizar somente o propano que seria mais “limpo”.

    • ipemsp Says:

      Prezada Karin,
      Antes de tudo, desculpe a demora em responder. Estivemos fora da rede em razão de problemas operacionais.
      Obrigado! É muito estimulante receber um retorno como o seu! Agora vamos às suas dúvidas.
      1- Os medidores de gás natural não precisam ficar próximos aos apartamentos. Não há nenhuma restrição técnica que obrigue a isso. Na verdade, é comum que os medidores de gás natural fiquem todos juntos num único local, na parte térrea do edifício, de modo a facilitar o acesso do leitor da empresa distribuidora de gás.
      2- Sim, poderíamos utilizar apenas o propano. O Gás butano é misturado ao propano por uma questão econômica, ou seja, para baratear o GLP. O butano tem poder calorífico menor, contém mais impurezas e congela a temperaturas mais altas. Logo, é menos utilizado nos países do primeiro mundo, quase todos no hemisfério norte onde os invernos são rigorosos. Por isso é mais barato. O gás propano é mais limpo, tem maior poder calorífico e congela a temperaturas mais baixas, motivo pelo qual é utilizado nonde o inverno é muito rigoroso e inviabiliza o uso do butano.

  224. jacqueline Says:

    oi eu quero abrir uma empresa pra vender butijão com gás.mas nao sei qual primeiro passo que tenho que dar.sei que eu vou precisar de licença mas onde eu faço isso?

    • ipemsp Says:

      Cara Jacqueline
      Você provavelmente precisará de alvará da prefeitura da sua cidade e de vistoria do Corpo de Bombeiros. Entre em contato com a distribuidora de GLP que fornecerá os botijões para revenda. As Distribuidoras conhecem bem esses trâmites. Boa sorte!

  225. vair vieira Says:

    trabalho em uma empresa no qual utilizam gas glp p45 no conjunto oxicorte tradicional no lugar do acetilelo . Existe alguma restrição quanto a utilização com relação as normas de segurança ,CLT e etc…?

    • ipemsp Says:

      O uso de GLP em botijões de 45 kg é autorizado para esses fins. Os cuidados são os mesmos que se deve tomar quando se trabalha com corte e solda: Uso dos EPIs adequados pelos operadores, cuidados especiais na estocagem dos cilindros, ambiente ventilado, etc. Quanto às questões trabalhistas (periculosidade, insalubridade) será melhor consultar um especialista. Ou seja, até onde sei o uso do GLP no lugar do acetileno não aumenta o risco característico desse tipo de operação.

  226. Thiago A. Says:

    Prezado,

    Eu gostaria de saber se posso utilizar em minha residência o botijão P5, ou o P2, pois não disponho de muito espaço?

    • ipemsp Says:

      Não há inconveniente em utilizar o P 5. Ele dispõe de dispositivo de segurança (plug fusível) semelhante ao P 13, e os cuidados a serem tomados com com o P 5 são os mesmos recomendados para o P 13. Já o P 2 é diferente. Não tem de plug fusível e a rosca não aceita regulador de pressão, o que inviabiliza o seu uso em queimadores de baixa pressão (fogões comuns). Prefira o P 5!

  227. marcio Says:

    Eu vendo hot dog no porta malas do meu carro, na rua, e uso uma botija de 13 kg. Ela fica dentro do carro. isso é correto? Se não for o quê devo fazer? Qual devo usar?

    • ipemsp Says:

      Desculpe a demora em responder, Marcio. Não é nada seguro usar botijão de gás para fazer hot dog dentro do porta-malas do carro. Na verdade, é proibido usar botijão de 13 kg em atividade comercial. Talvez seja melhor você usar um botijão de 5 kg e evitar deixá-lo dentro do porta-malas enquanto ele está em uso.

  228. marcelo Says:

    pretendo fazer um artesanato com um botijão pequeno de gás, para isso teria que fazer um solda elétrica neste, o mesmo, já se encontra vazio ha algum tempo, assim mesmo gostaria de saber se há risco neste procedimento e qual os cuidados que deveria tomar.
    obrigado.

    • ipemsp Says:

      Desculpe a demora, Marcelo. Se você pretende cortar um botijão com solda elétrica deve, antes, esgotar todo o gás, retirar a válvula (com cuidado) e lavar o botijão por dentro com água. Nunca se sabe quanto de resíduo ficou lá dentro, não é? Tenha muito cuidado.

  229. agnaldo Says:

    ola amigo em primeiro lugar gostei muito de ter encontrado este site e ja le dou por ele nota 10 ok muito bom e eu gostaria que vçs me tiraci umas duvida ou ate mesmo alguma orientaçoes quem sabe ne algum tempo a traz recebe de um tio uma umas peças que hoje em dia sao concideradas reliquias ganhei um casal composto por um lampiao e um fogareiro de uma boca acoprado ao botijao anbos possui botijoes de 3 kilos cada um e os mesmo apesar de ser antigos eles estao vasios e estao como novos pois foi bem guardados e junto deste presente venho tabem uma mangueira dizeno ser propria para encher o botijao de 2 Kg a partis de um de 13 Kg A mangueira possui um adaptador para o botijão grande em uma das estremidades e na outra um adaptador com 2 valvulas para o botijão pequeno este kit de recarga mei tio me falou que ganhou de brinde na combra dos ditos auns 30 anos atraz gostaria de saber se posso esta usano esta mangueira para esta fuçao de recarga e junto tabem veio uma banlaça para recargar do botijao de 2 kilos no manual diz que tenho que pesar o botijao vasio antes e tabem nunca por os 3 kilos no botijao pequeno sempre de 2.800 gramas para baixo por segurança gostaria que vç comentaci sobre este meu texto e me de alguma orientaçao algo asim muito obrigado e novamente parabens pelo site bom de mais

    • ipemsp Says:

      Caro Agnaldo. Desculpe a demora em responder. Fazer recarga em botijão P2, P3 etc a partir de P13 é muito perigoso. Pelo que você diz, o “kit” para a transferência que você herdou é muito antigo, o que só piora a situação. A mangueira deve estar deteriorada. Os Botijões antigos também não são seguros, pois não dá pra saber como estão por dentro. Eu, no seu lugar, guardaria o “kit” como lembrança, mas não usaria de jeito nenhum.

  230. Ana Miltzman Says:

    Preciso saber qual é o procedimento correto para administrar baterias de gás P45.Ao término de 1 bateria desligo a mesma para ligar a consecutiva ou deixo aberta a mesma?

  231. Raimundo Borges Says:

    Meus caros, boa noite estou precisando saber a pressao psi ou em bar do botijao de 13kg.

    • ipemsp Says:

      A pressão interna de um botijão de GLP é de 690 kPa (quilopascal), que equivale, em valores arredondados a 6,9 bar; 7 kgf/cm² (quilograma força por centímetro quadrado e 100 psi (pound force per square inch). Já a pressão de tráfego na rede primária, no caso de bateria de botijões, é de 150 kPa (1,5 bar; 1,53 Kgf/cm²; 21,7 psi). A pressão de segundo estágio, já reduzida pelo regulador de pressão é de 2,8 kPa (0,03 bar; 0,03 kgf/c²; 0,3 psi). Para conversões mais precisas acesse o nosso conversor de unidades no link:

      http://www.ipemsp.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=2687&Itemid=462

  232. Thaís Marchi Says:

    Gostaria de saber se é verdade que o botijão de 2kg foi proibido de vender, pois acampo, e possuo um botijão desse, e não estou conseguindo encontrar para comprar?! Att, Thaís

    • ipemsp Says:

      Cara Thaís
      Desconheço qualquer proibição na comercialização de botijões P2. Visite o site das grandes distribuidoras de GLP, como Ultragáz, Liquigás, Supergasbras etc. e verifique quais revendedores têm o produto.

  233. Katia Regina Says:

    Vou mudar de estado e a transportadora só leva o botijão se estiver vazio. Como faço para esvaziar?

  234. rafael Says:

    Venho por intermédio do presente, solicitar informações sobre consumo de gás (GLP P13 e GLP P45), pois estou tentando verificar a proporção de consumo de gás para um forno convencional de 4 bocas (fogo médio) durante 3 horas ao dia (café, almoço e janta) para 30 pessoas durante 365 dias. Com isso gostaria de obter informações sobre a quantidade de butijões (GLP-13 e GLP P 45) que serão utilizados no período citado. E se o gás utilizado é o butano ou propano, ou tanto faz? E se o poder calorifico dos gases mencionados possuem alguma relação direta com o consumo já estabelecido acima.

    • ipemsp Says:

      Caro Rafael,
      O propano tem poder calorífico maior que o butano, porém o GLP é uma mistura desses dois gases, na proporção aproximada de 50%. Quando ao consumo, infelizmente não dispomos de dados a respeito.

  235. Bruno Says:

    Boa Noite!

    Troquei o bujão de cozinha em casa á alguns dias, o mesmo não apresentou e nem apresenta nenhum vazamento, mas hj (18/10/12) percebi que o mesmo apresenta um leve barulho ( parecendo quando a pessoa esta com soluço ou engasgada) fica fazendo uma oscilação mas não vaza. O QUE PODE SER?

    Muito Obrigado pela ajuda.

    Aguardo retorno.

    Boa noite!!!!!!!!!

    • ipemsp Says:

      Desculpe, Bruno, só responder agora. Tivemos problemas administrativos e não pudemos responder às questões formuladas em 2012.
      Quanto à sua questão, o problema deve ser no regulador de pressão. Verifique se ele está dentro do prazo de validade e troque se for necessário.

  236. Marcel Says:

    Estou utilizando um P13 com um regulador de 2 kg/h para um pequeno fogao industrial de duas bocas, o botijao esta suando

    • ipemsp Says:

      Desculpe, Marcel, só responder agora. Tivemos problemas administrativos durante 2012 que nos impediram de responder as questões.
      O botijão fica “suado” quando o gás sai muito rápido, ou seja, quando o consumo por unidade de tempo é muito grande. Isso causa um diferencial de pressão que reduz a temperatura do botijão, fazendo com que o ar que o circunda se condense em sua superfície. Isso costuma acontecer quando se utiliza P13 para abastecer fogões industriais que consomem muito gás nos queimadores. Recomendo que você passe a utilizar botijões P 45.

  237. latercio rocha Says:

    Gostaria de saber se é fato a mudança do aço na fabricação do botijão de gás.

    • ipemsp Says:

      Os Botijões de Gás continuam a ser fabricados de acordo com a NBR 8460 de 2011. As chapas de aço seguem especificações da NBR 7460/1984.Ambas essas normas estão em vigor.

  238. Lesndro Says:

    Comprei uma churrasqueira a gás e estava pensando em utilizar o p2 porém lendo alguns comentários seus vi q a pressão nao eh adequada . O p5 resolve o meu problema?

  239. Luis Cesar Says:

    Tenho uma revenda de gás em Curitiba/PR.
    Percebi que se tratando de GLP (Gás Liquefeito de Petróleo) existem várias dúvidas quanto sua utilização, armazenamento.
    Parabens por seu trabalho Montini…um abraço.

  240. Vanessa Says:

    Boa Noite. Estou reformando minha casa e fiz a instalação do butijão de gás no terraço, sendo minha casa abaixo do local onde ele ficará instalado. Fizemos uma casa para que ele não tenha contato com sol, calor e chuva, enfim, gostaria de saber se existe algum risco do butijão ficar na parte de cima da casa. Obrigada

    • ipemsp Says:

      Antes de tudo, desculpe a demora em responder. O site esteve inoperante em 2012.
      Não há nenhum inconveniente, desde que o botijão fique protegido como você informou. É importante, também que o regulador de pressão seja certificado pelo Inmetro e esteja no prazo de validade. E evite fazer a ligação do botijão com o fogão mediante mangueira se a distância for longa.

  241. Renata Cadena Says:

    Boa tarde,

    Tenho gás encanado em meu apartamento e ultimamente a chama está saindo muito alta, mesmo em fogo baixo, e deixado as panelas pretas com fuligem.
    Já chamei a companhia de gás e disseram que estava tudo ok e pediram para chamar um tecnico.
    Porem o tecnico disse que o fogão não tem regulador de pressão do ar, então poderia ser baixa pressao do gás.
    Existe alguma peça no mercado, ou devo chamar novamente a companhia de gás?

    Obrigada

    • ipemsp Says:

      Cara Renata. Desculpe a demora em responder, o site esteve inoperante em 2012.
      Tudo indica que o problema é mesmo no seu fogão. Talvez seja preciso substituir os queimadores. Recomendo consultar um técnico especializado.

  242. Maria Conceição Sene Says:

    Minha irmã e dois filhos moram em um prédio na Santa Cecilia, com a nova lei foi obrigada a ligar gaz de rua, ela já possuía aquecedor em um dos banheiros e usam pouco o fogão por trabalharem fora, ela gastava em media 1 e 1/2 botijão de gaz.
    Agora chegou a conta de gaz R$ 120,00 reais ela esta indignada, gostaria de saber por que a diferença de preço.
    Eu tinha pensado em mudar também, estão instalando aqui em meu bairro, mas pelo que vi é inviável somos em 6 pessoas em casa.
    Grata Conceição

    • ipemsp Says:

      Cara Maria, desculpe a demora em responder. O site ficou inoperante em 2012.
      Aqui na cidade de São Paulo a Lei municipal obriga os consumidores a usarem o gás encanado onde este é oferecido pela concessionária (Congás). Como a questão não é opcional, talvez seja o caso de verificar porque o consumo foi tão elevado naquele período.

  243. Greice Says:

    Olá, gostaria de saber se realmente é seguro fazer a conecção de dois P13 com um unico regulador de pressão. (aqueles kits, que tem um regulador que bifurcam duas mangueiras e os reguladores individuais são com uns “registros de rosca” – que não regulam a pressão. Se puderem me ajudar agradeço, pois como deu vazamento nesse kit troquei as “ponteiras” individuais por mini reguladores de pressão e agora a água não aquece….
    Obrigada

    • ipemsp Says:

      Cara Greice, desculpe a demora em responder. O site esteve inoperante em 2012.
      Não é recomendável utilizar nenhum dispositivo no botijão que não o regulador de gás a provado pelo Inmetro. Esses kits não são seguros, podem por em risco a segurança da sua família e reduzir a eficiência do sistema. Use apenas regulador de pressão e mangueira de GLP aprovados pelo Inmetro.

  244. Bruna Says:

    OLÁ!

    Eu gostaria de saber como a espuma vai indicar se existe vazamento de gás

    • ipemsp Says:

      Antes de tudo, desculpe a demora em responder. O site esteve inoperante em 2012.
      É simples. Quando há vazamento a espuma de sabão começa a borbulhar, indicando que existe gás saindo pela conexão (rosca). Nesse caso, retire o regulador de gás, rosqueie novamente e faça novo teste. Se o problema persistir leve o botijão para local ventilado e chame a distribuidora de gás.

  245. rodrigo Says:

    Boa tarde,

    Qual a restrição quanto ao uso de 2 p. 13 kg para abastecer um forno de uso comercial ? Há alguma NBR vedando ou cada estado regula ao seu modo?

    • ipemsp Says:

      Caro Rodrigo, desculpe a demora em responder. O site ficou inoperante em 2012.
      Aqui no Estado de São Paulo, em razão da Lei nº 9.494 de 4 de Março de 1997, o P13 só pode ser usado para consumo doméstico. Se você reside em outro Estado precisará verificar se há restrições ao uso do P13 para atividade comercial. Recomendo consulta ao Corpo de Bombeiros da sua cidade.

  246. argemiro alves Says:

    Uso em minha lanchonete o gas canalizado, são 05 pontos (chapas, forno p pizza, fogão ind 8 bocas etc) e 03 p13 conectados.
    O problema e q congelam frequentemente, e pior, antes de acabar o gás tenho q trocar os bujões por falta de pressão. O q fazer?

    • ipemsp Says:

      Desculpe, Argemiro, a demora em responder. O site esteve inoperante em 2012.
      O congelamento externo se deve à saída muito rápida do GLP. Quando o consumo é muito intenso (fogões profissionais com queimadores grandes e que funcionam à alta pressão) isso costuma acontecer. Recomendo a troca dos P13 por P45 e reguladores de pressão adequados. Consulte um profissional a respeito. A propósito, se você reside no Estado de São Paulo não pode usar botijões P13 em atividade comercial (Lei Estadual nº 9.494/1997).

  247. fagner Says:

    gostaria de saber se foi proibido o gas p2 no estado de sao Paulo e / ou no brasil, e se foi qual o decreto lei que regulamenta esta Lei.

    • ipemsp Says:

      Caro Fagner. Desculpe a demora em responder, o site esteve inoperante em 2012.
      Não há, que eu saiba, nenhuma restrição ao uso ou a comercialização do P12. O produto continua sendo oferecido normalmente nas distribuidoras.

  248. jansey Says:

    moro num sobrado e tenho que deixar o p13 com 6metros de distancia do fogao tem que colocar algum equipamento para almentar a pressao

    • ipemsp Says:

      Antes de tudo, desculpe a demora em responder. O site esteve inoperante em 2012.
      A pressão não será problema. Recomendo o uso de encanamento metálico (de cobre ou aço galvanizado) para fazer a conexão e só usar mangueira para conectar o encanamento ao fogão usando o regulador de gás.

  249. norberto dutra Says:

    a colocação de tubos de cobre de 06mm a uma distãncia de aproximadamente 12m dos botijões ate o aquecedor pode ocasinar o congelamento deste gás dentro dos tubos e impedir que ele chegue até o aquecedor?

    • ipemsp Says:

      Antes de tudo, desculpe a demora em responder. O site esteve inoperante em 2012.
      Se o consumo por unidade de tempo for expressivo pode haver formação de gotículas de condensação (suor) ou mesmo de gelo fora dos dutos e, até, no exterior dos botijões. Porém, não haverá congelamento do produto dentro dos dutos. Recomendo o suo de reguladores de pressão adequados.

  250. Nilson T. Saito Says:

    Olá.
    Parabéns pelo blog. Muito instrutivo.
    Tenho a seguinte pergunta:
    Sou voluntário em um grupo de escoteiros de Curitiba/PR e usamos um forno a gás grande de panificadora com um botijão P13.
    Já aconteceu de percebermos que a chama estava muito fraca mas o botijão estava com meia carga. Troquei por outro ainda mais vazio e a chama voltou ao normal.
    Levei o botijão até o ponto de venda e comprei outro e o proprietário me disse que era congelamento do GLP no interior do botijão devido à vazão ser maior que o de um fogão normal e perguntou se o botijão ficava direto no piso e que isto estaria causando o congelamento do GLP devido ao frio do piso. Recomendou que eu o elevasse e colocasse em cima de alguma tábua por exemplo.
    Acabei fazendo por desencargo e realmente, a tábua ficou toda molhada depois de horas de funcionamento e a chama não diminuiu…
    Como sou engenheiro, desconfio dessas explicações “técnicas” e procuro uma explicação científica. A temperatura do botijão não ficaria maior somente por estar separado do piso (cerâmico) por madeira (mais quente disse o vendedor) e ao contrário, a madeira por ser um isolante térmico melhor que o piso cerâmico, deixaria o botijão mais frio pela perda de calor resultante da transformação do GLP em gás.
    Desconfio que realmente a vazão esteja acima do que o P13 suporta e que talvez por causa disso esteja havendo congelamento, mas na válvula reguladora. Isso está correto? E caso seja mesmo por causa da válvula, existem válvulas que permitam uma vazão maior para o P13?
    Sim, eu sei que a máxima vazão do P13 é de 0,6kg/h.
    Ou deveria trocar o P13 por um P45?

    Grato e desculpe pelo texto enorme…

    • ipemsp Says:

      Antes de tudo, desculpe a demora em responder. O site esteve inoperante durante o ano de 2012 por motivos alheios à minha vontade. E obrigado pela avaliação positiva do Blog (voltamos a operar recentemente).
      Sim, você tem razão. A vazão está acima da capacidade do P13. A formação de “suor” ou mesmo gelo no exterior dos botijões se deve à vazão excessiva. Recomendo substituir por P45, cujo regulador de pressão pode ser adequado à vazão exigida pelo forno.

  251. Líllian Says:

    pmontine, Boa tarde

    Montei um restaurante de massas, e só cozinhamos macarrões e molhos. Para se economizar mais gás, você sugeriria um fogão industrial de alta ou baixa pressão? Att., Líllian Rocha

    • ipemsp Says:

      Antes de tudo, desculpe a demora em responder. O site esteve inoperante em 2012.
      A escolha do fogão irá depender da quantidade de produto a ser processado. Fogões de baixa pressão gastam menos gás mas demoram mais para preparar os alimentos. Se a demanda não for muito grande, talvez sejam a melhor opção. Recomendo, também, uso de botijões P45, principalmente se o restaurante for em São Paulo, onde o P13 é proibido para fins comerciais.

  252. criscia Says:

    Fui a casa de uma amiga e o butijao estava gelado, é normal?

    • ipemsp Says:

      Antes de tudo, desculpe a demora em responder. O site esteve inoperante em 2012.
      Sim,é normal, sobretudo quando se está usando o fogo alto, onde a vazão de gás é maior.

  253. Flavia Says:

    meu botijão de gás está fazendo um barulhinho, quase imperceptivel, só dá pra ouvir bem perto dele, eu só ouvi quando fui limpar o chão perto. Já verifiquei com sabão e não esta vazando. O que pode ser?

    • ipemsp Says:

      Antes de tudo, desculpe a demora em responder. O site esteve inoperante em 2012.
      Se o ruído foi percebido enquanto o botijão estava em uso, é normal. Caso contrário, é possível que haja vazamento no fogão.

  254. Anderson Says:

    É possível ter o congelamento do líquido ou gás no interior da botija devido a dias frios ou alto consumo (saída rápida de gás) ?

    • ipemsp Says:

      Antes de tudo, desculpe a demora em responder. O site esteve inoperante em 2012.
      Não há congelamento do produto dentro do botijão. O alto consumo, ou vazão elevada do produto faz apenas com que haja a formação de “suor” ou mesmo gelo no exterior do botijão.

  255. valter dos santos Says:

    porque não devemos usar o botijão deitado e qual o risco que corro?

    • ipemsp Says:

      Antes de tudo, desculpe a demora em responder. O site esteve inoperante em 2012.
      O GLP fica armazenado na fase líquida dentro do botijão. Deitar o botijão pode fazer com que o produto saia ainda líquido e a baixíssima temperatura, havendo sério risco de incêndio. Nunca deite o botijão, mesmo que o gás esteja no fim.

  256. Ricardo Guerreiro Says:

    Tenho dois P45 e vou mudar para dois P13(é casa não comércio)vou substituir as 2 mangueiras por apropriadas para usar nos P13… o regulador do P45 posso deixar para usar nos P13 ou tambem tenho que substituir.Obrigado.

    • ipemsp Says:

      Antes de tudo, desculpe a demora em responder. O site esteve inoperante em 2012.
      Você precisará substituir também os reguladores, pois estes são diferentes dos usados em P13.

  257. Lilian Says:

    Olá,
    Em minha casa, onde vão morar duas pessoas, terei aquecimento a gás para dois banheiros e pia de cozinha além de um fogão de 4 bocas. Não sei calcular qual botijão mais adequado para esta futura demanda. Vocês poderiam me aconselhar ou me indicar onde posso ter esta informação.
    Agradeço antecipadamente,
    Lilian

  258. andre Says:

    Gostaria de saber se em churrasqueiras americanas, se eu usar o GLP ele vai deixar algum gosto no alimento ou não tem diferença para o propano?

    • ipemsp Says:

      Antes de tudo, desculpe a demora em responder. O site esteve inoperante em 2012.
      O GLP é uma mistura de propano e butano. É “menos limpa” e menos eficiente. Se a chama ficar diretamente em contato com o alimento poderá haver problemas. Recomendo que os queimadores sejam regulados para uso com GLP.

  259. Elaine Oliveira Says:

    Olá, eu tenho um botijão em área externa devidamente instalado com mangueira própria para longa distancia. Fiz uma churrasqueira e gostaria de ligar um cooktop de duas bocas no mesmo botijão… comprei um ”T” para a válvula, mas uma das ligações quebrou… creio que porque o instalador colocou cola de cano + vedarrosca e ao puxar o botijão um dos encaixes se rompeu… É seguro ligar dois fogoes em um unico botijão?

    • ipemsp Says:

      Antes de tudo, desculpe a demora em responder. O site esteve inoperante em 2012.
      Desde que as conexões sejam feitas de maneira correta, não há problema. Recomendo revisão na instalação e uso de material adequado. Se a churrasqueira e o fogão forem utilizados simultaneamente poderá haver excesso de vazão e formação de gelo no exterior do botijão.

  260. Stefan Sousa Says:

    Boa tarde,

    Estou de mudança para uma nova casa e percebi que na cozinha não há espaço para o botijão de gás. Gostaria de saber se posso instalar esse botijão em uma posição que fique a uns 2M de altura (a cima do fogão) com cerca de 3M de borracha?

    • ipemsp Says:

      Antes de tudo, desculpe a demora em responder. O site esteve inoperante em 2012.
      Não é recomendável utilizar mangueira superior a um metro, mesmo que a mangueira em questão seja aprovada pelo Inmetro. Recomendo utilizar dutos metálicos (cobre ou aço galvanizado).

  261. angela Says:

    Boa tarde!
    Gostaria de saber se tem algum perigo guardar dois botijoes p13 vazios dentro de um banheiro que uso como despensa para prod de limpeza e q tem somente uma pequena janela para ventilacao. É normal as vezes sentir cheiro de gas? ja fiz p teste do sabao e nao ha vazamento no “bico”. obrigada pela atencao!
    Angela

    • ipemsp Says:

      Desculpe a demora em responder. O site esteve inoperante em 2012. Botijões vazios são bastante seguros, desde que não sejam expostos ao calor excessivo. O GLP não tem cheiro. O cheiro que sentimos é devido a um produto de cheiro desagradável (mercaptano) que é colocado no gás, de modo que possamos sentir quando há vazamento. Esse produto fica impregnado no botijão, de modo que quando o confinamos em ambiente fechado sentimos o “cheiro de gás”, mesmo quando não há vazamento.

  262. Gabriel Muzy Says:

    Boa tarde Srs. Gostaria de saber se vocês têm algum tipo de estatísticas sobre acidentes com gás GLP ou se sabem algum site onde eu posso buscar este tipo de informação. Muito obrigado

  263. Priscielle Hecavei Says:

    ola! Compraram um aquecedor a gás aqui em casa, daqueles que funcionam com um botijão bem pequeno (da marca jackwal) e um negocio estranho em cima que fica aquecendo o ambiente, achei isso o cúmulo e muito perigoso… gostaria de saber se realmente estou certa de que corremos um risco enorme de deixar esse trambolho em uma sala para nos aquecer! Obrigado!! Aguardo resposta…

  264. alexandre andrade Says:

    Tenho uma dúvida qto a conversão dos fogões. Posso converter um fagão de botijão para encanado e depopis retornar para o botijão sem correr riscos?
    Att

    • ipemsp Says:

      Desculpe a demora em responder. O site esteve inoperante em 2012.
      Sim, não há problema, desde que a conversão seja feita por profissional especializado.

  265. Luiz Says:

    Srs, boa tarde, Gostaria de saber se a instalação do botijão de gás pode ser realizada abaixo do nível do solo? ou seja, quero colocá-los no pátio, mas como não tenho epaço, gostaria de colocá-los tipo numa fossa, mas com ventilação pela parte superior. Isso pode ser feito?
    Obrigado

    • ipemsp Says:

      Desculpe a demora em responder. O site esteve inoperante em 2012.
      O problema com esse tipo de confinamento é que o GLP é mais pesado que o ar, de modo que a ventilação superior não seria eficiente caso houvesse vazamento. Recomendo reconsiderar.

  266. Marcia Ribeiro Says:

    Temos um reservatorio de 8 cilindros de P-45, funcionam 4 ao mesmo tempo, quando termina essa cota, passamos para os outros 4, minha duvida é a seguinte: quando temos queda na temperatura ambiente (outono e inverno, ou ate mesmo quando chove durante a noite) o gas que está sendo utilizado congela, utilizamos agua pra descongelar e, enquanto isso, mudamos para outra cota, existe outro procedimento para agilizar o descongelamento do gás, e qual o ambiente e instalação ideal para que esse congelamento nao ocorra.

    • ipemsp Says:

      Desculpe a demora em responder, o site esteve inoperante em 2012. O resfriamento do sistema (tubulação, cilindros, válvulas, registros, etc) se deve, geralmente, à vazão superior àquela projetada para o sistema. O GLP permanece em estado líquido dentro do cilindro e é mantido assim em razão da elevada pressão interna. Quando essa pressão é liberada rapidamente (no caso de consumo elevado em curto tempo) o sistema perde calor para o ambiente, o que ocasiona acúmulo de gelo na superfície dos cilindros e dutos. Isso não provoca, necessariamente, a interrupção imediata no fluxo do gás, porém este fica cada vez menor, já que o gás precisa de calor para passar do estado líquido ao gasoso. Recomendo a revisão da instalação por técnico especializado para que a alimentação do fogão seja redimensionada de acordo com o consumo.

  267. Gás Liquefeito de Petróleo (Botijão-de-Gás) Says:

    [...]  Fonte: http://ipemsp.wordpress.com/botijao-de-gas/ [...]

  268. ivanildo mendes da silva Says:

    ivanildo. BOA noite. porque não e recomendado utilização de manômetro na valvula redutora do bujão de 13kg .muito obrigado.

    • ipemsp Says:

      Desculpe a demora em responder. O site esteve inoperante em 2012. O Inmetro não recomenda a utilização de manômetro ou qualquer outro dispositivo que não seja o regulador de pressão. O regulador de pressão é aprovado pelo Inmetro, ou seja, é construído segundo normas rigorosas de segurança e submetido a testes e ensaios que garantem a segurança do produto. Ao acoplar qualquer dispositivo não aprovado pelo Inmetro ao regulador, este pode fragilizar todo o sistema e causar acidentes.

  269. Adriano Says:

    Boa Noite,
    Estou fazendo uma instalação para minha residência e gostaria de saber qual e´o mais indicado, P13 ou P45?
    A linha de cobre terá 12 metros do botijão ou cilindro até o fogão, sem desníveis de solo e não haverá forno. a estimativa é que um P13 dure 3 meses.
    Perguntas: O P13 tem pressão suficiente pra esta distância? Qual a estimativa de perda de gás residual no P13?
    Me disseram que o P13 não tem pressão suficiente e que fica muito gás residual, impossibilitando o seu uso. Isso procede?
    Pelo que pesquisei o custo/benefício do P13 é melhor comparado ao P45, nesta situação…

    Obrigado pela atenção e parabéns pela iniciativa do site!

    • ipemsp Says:

      Desculpe a demora em responder. O site esteve inoperante em 2012. Pelo seu nível de consumo é melhor usar o P13. A pressão não será problema e a quantidade de gás residual não será maior do que a retida por um P45.

  270. Evandro Says:

    Boa tarde Montini.
    Em um fogão indústrial foram instalados 2 P13. Pelo excesso de pressão estes congelam os cilindros. Instruiram o proprietário a colocar os botijões sobre um recipiente com água para inibir o congelamento. Quais os riscos destes procedimentos? Existe reguladores de gás que resolveriam o problema de pressão, viabilizando a utilização de P13, pois a proprietária não possui espaço fisico adequado para instalar um P 45.

    • ipemsp Says:

      Caro Evandro. Desculpe a demora em responder. O site permaneceu inoperante durante o ano de 2012 e só agora o reativamos.
      O resfriamento do sistema (botijão, tubulação, válvulas, registros, etc) acontece quando a vazão solicitada é superior àquela que o sistema suporta. Veja, o GLP permanece em estado líquido dentro do botijão e é mantido assim em razão da elevada pressão interna. Quando essa pressão é liberada muito depressa (no caso de consumo por fogão industrial) o sistema perde calor para o ambiente muito rapidamente, o que ocasiona o congelamento. Isso não provoca, necessariamente, a interrupção imediata no fluxo do gás, porém este fica cada vez menor, já que o gás precisa de calor para passar do estado líquido ao gasoso. Recipientes com água não causam risco, porém não resolvem o problema, apenas o retardam. Aqui em São Paulo o P13 é de uso proibido para atividades comerciais, e não é à toa. Fogões industriais exigem grande vazão de gás, o que costuma ser resolvido com o uso de baterias de P45.

  271. mikaelle Says:

    gente eu moro em são paulo e no quintal onde eu moro tem 16 casas e não tem muita ventilaçao e gostaria de tar denunciando as pessoas que vendem gas glandestino aqui dentro pq eles colocam mas de dez gaz de conziha no corredor como faço para denunciar qual e o numero (são paulo ;guarulhos)

    • ipemsp Says:

      Desculpe a demora em responder. O site esteve inoperante em 2012. Você pode ligar para a Defesa Civil do Estado de São Paulo (011 – 2193-8066) ou para o Corpo de Bombeiros da sua cidade.

  272. Elaine Says:

    Moro em apartamento e tenho gás encanado, meu fogão funcionava normalmente, mas recentemente troquei os queimadores e desde entao o fundo das panelas começou a pretejar. Vi que respondeu a outra pergunta que pode ser o regulador, mas nao tenho regulador, ha apenas uma valvula de abrir e fechar. Seria isso? Os reguladores para gás encanado são diferentes dos reguladores para botijão? É fácil de encontrar para trocar? Grata

    • ipemsp Says:

      Desculpe a demora em responder, o site esteve inoperante em 2012.
      O gás encanado é o Gás Natural, diferente do GLP, que é gás liquefeito de petróleo. No seu caso será preciso regular os queimadores do fogão, pois talvez a entrada de ar esteja desregulada. Chame um técnico especializado.

  273. Letícia Cidreira Says:

    Boa tarde!

    No meu apê tem gás canalizado, mas o lugar onde a construtora deixou para encaixar o fogão não é o local onde eu desejo que o fogão fique! Eu posso alterar a saída do gás para o ponto da cozinha que eu quiser? Existe adaptadores para isso? Teria que comprar uma mangueira maior para adaptar?

    Obrigada!

    • ipemsp Says:

      Desculpe a demora em responder, o site esteve inoperante em 2012. Normalmente as concessionárias de gás não autorizam a alteração das tubulações. Recomendo entrar em contato com a concessionária e solicitar a mudança da tubulação.

  274. Andre Says:

    Olá. Por que ao balançar um botijão P13 pode-se ouvir um barulho “metálico” vindo de dentro do botijão? Me disseram que é a oleina. O que é oleina? Pode haver resíduos dentro de um P13 velho? Obrigado.

    • ipemsp Says:

      Desculpe a demora em responder. O site esteve inoperante em 2012. Sim, pode haver resíduos dentro dos botijões de GLP. A oleína é um desses resíduos. Oleínas são óleos condensáveis que se forma dentro das tubulações que transportam o GLP dos tanques de armazenamento até os botijões.A GLP também possui partículas sólidas que se depositam no fundo do recipiente e provocam aquele ruído característico a que você se refere. Quanto mais antigo o botijão em uso, mais resíduos terá. É por esse motivo que os botijões de GLP precisam ser requalificados (limpos, examinados e testados) periodicamente.

  275. Ana Cristina da Silva Says:

    Bom dia!

    Gostaria de saber qual o risco que corro ao guardar dentro de casa em um cômodo próximo a cozinha um botijão de gás vazio? É verdade que um vazio se torna mais perigoso que um cheio quando está dentro de casa?

    Abraços.

    • ipemsp Says:

      Desculpe a demora em responder. O site esteve inoperante em 2012. Não há risco em guardar botijão vazio, desde que ele esteja, mesmo, vazio. O botijão vazio não é perigoso e certamente não é mais perigoso que um botijão cheio. O botijão cheio pode vazar, enquanto o botijão vazio não. Se você tiver dúvidas sobre o botijão estar ou não vazio, ou seja, se ainda contiver algum gás, faça o teste da espuma de sabão sobre a válvula. Se borbulhar leve o botijão para local ventilado, chame a distribuidora de gás e troque o botijão.

  276. Nadi Says:

    Olá, por gentileza, gostaria de saber qual o tempo médio de duração de um botijão de 13 kg de gás de petróleo liquefeito hidrocarboneto, pra uma famila de 3 pessoas.

    • ipemsp Says:

      Desculpe a demora em responder. O site esteve inoperante em 2012. A duração de um botijão de GLP (gás liquefeito de petróleo) depende do tipo de consumo. Infelizmente não dispomos de estatísticas a respeito.

  277. alessandro Says:

    estou fazendo curso de logistica,gostaria de saber com estocar botijoes de corretamente em uma distribuidora de gas.

    • ipemsp Says:

      Desculpe a demora em responder. O site esteve inoperante em 2012. Não dispomos dessa informação. Recomendo consulta às próprias distribuidoras de GLP fracionado.

  278. claudio Says:

    ja tive alguns carros movido a glp no passado agora adquiri um movido a gnv porem minha cidade nao dispoe desse tipo de produto gostaria de saber se seria possivel utilizar glp no mesmo aperelho de gnv ??e se existe diferença entre o produto p20 eo p45 se os gases sao o mesmo ??pois ouvi dizer q o p45 nao presta para veiculos gostaria de saber o motivo??e por fim se existe algum meio ou aparelho de transferir glp de um botijao p20 para um botijao 25 de gnv…desde ja muito agradeçido e parabens pelo site;;;

    • ipemsp Says:

      Desculpe a demora em responder, Claudio, e obrigado pelos parabéns. Infelizmente o site esteve inoperante em 2012.
      O uso de GLP em veículos automotivos é proibido por Lei. Apenas alguns modelos de empilhadeiras são autorizados a utilizá-lo e usam botijões específicos (P20). Botijões P20, P45, P13 etc. acondicionam o mesmo produto, o GLP. Desconheço meios para transferir GLP para cilindro de GNV, e recomendo vivamente que você NÃO faça isso! É extremamente perigoso (e ilegal) fazer gambiarras nessa área. Muitos acidentes fatais já ocorreram. O melhor é manter o seu veículo movido à GNV (regularmente instalado) ou então retornar ao combustível líquido.

  279. Roberto Says:

    Prezado,

    sou síndico de um condomínio e compro botijões de 45 kg. Eles formam uma rede que sai para os medidores individuais dos apartamentos. Estou pagando R$ 195,00 pelo botijão de 45 kg. Mas os medidores individuais medem o consumo em metros cúbicos. Pergunta: se o preço por kg é de R$ 4,33 (195,00 / 45) quanto é o preço por metro cúbico ? Quantos metros cúbicos de gás há em um botijão de 45 kg ?

    Muito obrigado.
    Roberto.

    • ipemsp Says:

      Desculpe a demora em responder. O Site ficou inoperante em 2013.
      A correspondência entre quilogramas e metros cúbicos em um cilindro de GLP não é fixa, pois depende da pressão e da temperatura do produto. Lembre-se de que o GLP permanece em fase líquida dentro dos cilindros e só retoma à fase gasosa quando liberado no sistema de dutos de distribuição. Podemos estimar um valor médio de 2,4 kg por metro cúbico. Assim, cilindros de GLP de 45 kg fornecem, em média, cerca de 108 m³ de GLP.

  280. Eduardo Says:

    Boa noite!!! Gostaria de saber se quando o botijão vai se submeter ao teste hidrostatico é retirado do botijão o plug fusivel é colocado um outro dispositivo, para realizar o teste. Pois o plug fusivel se rompe a 15 Kgf/cm2 e a pressão de teste é de 21 Kgf/cm2. com isso, antes da realização do teste o plug fusivel iria romper.

    att,

    Eduardo

    • ipemsp Says:

      Caro Eduardo. Antes de tudo, desculpe a longa demora em responder. O blog esteve inoperante em 2012 por motivos alheios à nossa vontade.
      Você está se referindo, suponho, ao teste hidrostático exigido no processo de requalificação. Pois bem. Para testar o corpo do botijão todas as partes rosqueadas são removidas (inclusive o plug fusível) e o botijão é ligado à aparelhagem de teste, onde é pressurizado com água a 3 Mpa (megapascal). Isso equivale a 30,6 kgf/cm². Os ensaios de estanqueidade dos componente rosqueados (válvula, plug fusível) são feitos quando estes componentes já foram instalados normalmente no botijão. Aplica-se ar comprimido à pressão de 0,7 Mpa (7 kgf/cm2) para verificar a vedação das roscas e 1,7 Mpa (17 kgf/cm²) para estanqueidade do botijão. Esses ensaios são prescritos pela NBR 8865 – Recipiente transportável de aço para gás liquefeito de petróleo (GLP) – Requalificação – Procedimentos; e descrito na NBR 8460- Recipiente transportável de aço para gás liquefeito de petróleo (GLP) – Requisitos e métodos de ensaios.

  281. Levi Barros Says:

    Bom dia,
    Por favor, gostaria de saber na fabricação de botijões, qual seria esses profissionais ( ajudantes, específicos, preparadores de maquina, gerente )

    E qual o tempo gasto para cada confecção do botijão de gás ?

    agradeço

    abraço

    • Montini Says:

      Prezado Levi
      Infelizmente não dispomos de informação tão específica. Os botijões de gás são fabricados em indústrias metalúrgicas as quais, é de supor, utilizam processos, metodologias, equipamentos e pessoal qualificado típicos dessa atividade. Recomendo consulta aos distribuidores de GLP ou aos fabricantes de botijões.

  282. israel Says:

    ola! estou fazendo faculdade faço mecatronica e não consigo achar um prototipo de botijao de gas de 13 kilos.PODERIA me ajudar??

    • Montini Says:

      Caro Israel,
      Não sei se compreendi a sua necessidade. Você precisa de um protótipo de botijão? Não seria um projeto, ou mesmo a norma de fabricação NBR-8460? Infelizmente não dispomos de protótipos aqui no Ipem. Os fabricantes trabalham com protótipos como corpos de prova, mas aí será preciso recorrer a alguns deles como a Mangels, por exemplo. Sinto não poder ajudar.

  283. Angelo Says:

    Muito obrigado pelas informações,certamente será muito útil.

    • Montini Says:

      Disponha, Angelo, e boa sorte!

      • Carlos Eduardo Penazzi Filho Says:

        Caro Montini, boa tarde. Sou perito criminal do IC de São Paulo e acabamos de receber um caso interessante: trata-se de um dispositivo para transferir GLP de um botijão P13 para um P2. Eu tinha informação de que essa prática não era permitida, mas não consegui encontrar a FORMALIZAÇÃO dessa proibição (ABNT, INMETRO, IPEM, etc). Será que vc pode me ajudar nisso?, ou então essa prática é permitida?
        O tal dispositivo foi construído com um bico que se engata no P13, sem qualquer tipo de registro de fechamento ou de válvula redutora, mangueira plástica ABNT 8460 (para conectar o fogão) e registro de agulha na outra extremidade, para conectar o P2. Na “instrução de uso” o fabricante ainda RECOMENDA que se incline o botijão P13 para transferir a fase líquida para o P2… Se vc procurar no Google, vai achar a fotografia do tal dispositivo sendo vendido no “mercado livre”.
        Antecipadamente agradeço a atenção,
        Carlos Penazzi.

      • ipemsp Says:

        Caro Carlos Eduardo,
        Antes de tudo peço desculpas pela longa demora em responder. O blog permaneceu inoperante (contra a nossa vontade) durante boa parte de 2012 e só recentemente foi possível retomá-lo. A questão que você coloca é muito pertinente, pois a utilização desse tipo de dispositivo coloca em risco quem realiza a transferência e possibilita o mercado clandestino de botijões de 1 kg e 2 kg, o que é no mínimo preocupante. Infelizmente não existe norma legal baixada pelo Inmetro que proíba essa prática, e desconheço legislação que o faça. A nós, do IPEM-SP, resta alertar sobre o risco de utilizar esse dispositivo e orientar os consumidores a só adquirir P1 e P2 de revendedores idôneos.

  284. Angelo de O. Cruz Says:

    Olá Montini,sou estudante universitário,estou com uma ATPS(Atividade Disciplinar),cujo o tema se trata no Processo de fabricação de um Butijão de gás P13,bem como normas ,desenvolvimento e materias,tudo detalhado,vc teria algo que pudesse me ajudar?Ou onde seria possível encontar este tipo de material?Por favor me ajude,desde já um muito obrigado

  285. carlos Says:

    estou com duvida qual implica~ção de utilizar dois P13 em paralelo ao inves de um P45 para um aquecedor a gas.

    • Montini Says:

      Prezado Carlos,
      Essa decisão depende de uma série de fatores, como espaço para acomodar os botijões, tipo de instalação, distância do aquecedor, nivel de consumo etc. Botijões P13 tem sido usados exclusivamente para cocção de alimentos, enquanto os botijões P45 são recomendados para multiplos usos, ou quando há um consumo significativo de gás por unidade de tempo, já que o P45 vaporiza 1kg de gás por hora (60% a mais que o P13). Há também a questão da praticidade e do custo. Recomendo consulta a um técnico especializado na instalação desses sistemas.

  286. Vinicius Says:

    Uma central de 3 + 3 de P45 no térreo de um prédio com 13 aptos,sendo 7 andares, qual o local mais indicado para os reguladores de 2º estágio, Será que um só lá na central é suficiente? ou tem que ter um para cada apto? Tem necessidade de regulador de 1º estágio? Ou não altera em nada na pressão.

    • Montini Says:

      Caro Vinícius,
      O regulador de primeiro estágio é fundamental, pois reduz a pressão interna dos botijões de GLP, de cerca de 690 kPa (7 kgf/cm²) para cerca de 150 kPa, (1,53 Kgf/cm²). Essa é a pressão de tráfego na rede primária, e graças a ela o gás consegue chegar aos apartamentos. Entretanto, nenhum queimador pode ser usado diretamente na rede primária. Para usá-lo em queimadores de baixa pressão é preciso instalar o regulador de segundo estágio, que reduz a pressão de tráfego para 2,8 kPa. Os reguladores de segundo estágio são instalados no fim tubulação primária e antes do flexível que fará a ligação ao fogão. Por isso será preciso instalar o regulador de pressão de segundo estágio em cada apartamento. Recomendo consulta a um técnico especializado para avaliar o projeto de instalação.

  287. cjeletronica Says:

    Amigo, tenho um hotel e utiliza o P45.Gostaria de saber se a saida é de mesma pressao que um de p13.http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-225767566-manmetro-para-botijo-de-gas-_JM
    Gostaria de aber se posso colocar essse manometro acima citado nele.abs

    • Montini Says:

      Bem, a pressão interna em todos os botijões de GLP varia entre 390 kPa até 690 kPa, algo em torno de 4 à 7 kgf/cm². Botijões P 45 geralmente são acoplados em rede. A pressão da rede é a mesma do interior dos botijões, cerca de 7 kgf/cm². O Uso de reguladores de pressão primários mudam essa pressão para cerca de 150 kPa, ou 1,53 Kgf/c². Essa é a pressão de tráfego na rede primária. Para usá-lo em queimadores de alta ou de baixa pressão é preciso usar outro regulador, adequado ao queimador a ser utilizado (de alta ou baixa pressão). Por outro lado, O P13 foi concebido para ser utilizado, principalmente, em fogões domésticos de baixa pressão (2,8 kPa), o quê exige o uso do regulador de pressão específico, aprovado pelo Inmetro.
      Quanto ao manômetro, evite! Não é recomendável que se acople qualquer dispositivo no P13 além do regulador de gás. Manômetros desse tipo não são confiáveis. Finalmente, se você é do Estado de São Paulo, lembre-se que a Lei 9494/97 proíbe o uso de P13 para fins comerciais.

      • souza Says:

        Montini, deixa ver , não sei se fui claro ou não entendi sua resposta.é O seguinte: possuo tres botijões de P45 e fiz o seguinte: coloquei em cada um uma válvula de bloqueio e uma saída para cada um manometro para me indicar se o cilindro está vazio, ou cheio. entendeu.O fogão utilizzado é um industrrial .Qt a valvula reguladora usada na saida dos tres botijoes, já é dimensionada para tal.Coloquei um mnometro de 40kg mas não me deu nenhuma leitura ok.Então o eu quero saber se esse manometro indicado acima , que é de um P13 , eu possa usar pra me indicar o valor no de P45. oK .ABS e grato pela compreeenção.

      • Montini Says:

        Ok, Souza. Mesmo assim, não é recomendável. Manômetros fabricados para serem usados em P13 não são confiáveis. Mesmo que ele funcione, você pode fragilizar toda a sua instalação. Veja, a pressão interna num sistema de botijões P45 gira em torno de 7 kgf/cm². Ou seja, um manômetro para 40 kgf/cm² está superdimensionado. Recomendo que você consulte uma assistência técnica especializada a respeito.

  288. Sandoval Meireles Says:

    Bom Dia….Utilizo o Glp p13 para uso de maçarico para solda em banca de ourives. Sei que não é permetido. Qual botijão devo utilizar sendo que minha oficina é pequena ?

    • Montini Says:

      Caro Sandoval,
      A restrição imposta pela Lei 9494/97 diz respeito apenas ao P13. Logo, você pode utilizar o botijão P5, de 5 quilogramas. Esse botijão tem o mesmo tipo de válvula e rosca que o P13 e costuma ser utilizado em maçaricos. Naturalmente você terá que tomar todos os cuidados com relação à segurança. Recomendo, entretanto, que você consulte as distribuidoras de GLP, pois é possível que alguém tenha lançado algum modelo alternativo, como o P8, por exemplo, de 8 quilogramas.

  289. João Batista Says:

    Minha esposa tem um pequeno restaurante e utilizamos 4 fogões industriais com 4 botijões P13, preciso acomodar os botijões em um só local para isso terei que confeccionar um manifold com 4 saídas para ligar os 4 botijões juntos.vc me auxiliaria em qual tubo e qual conexão poderei utilizar nesse equipamento? Precisarei instalar tbm manômetros para indicar qual botijão esta vazio para efetuar a troca. No caso de um manifold, tem como evitar que um botijão cheio passe a pressão para um botijão quase vazio?

    Desde ja fico muito grato por seu auxilio. João Batista/RJ

    • Montini Says:

      Caro João Batista
      Aqui em São Paulo, por exemplo, você nem poderia utilizar botijões P13 para fins comerciais, teria que usar botijões P45. Aliás, no seu caso seria recomendável que você substituísse os botijões P13 por P45 (caso haja espaço) e verificasse se existe alguma restrição com relação ao uso de botijões P13. Por questões de segurança, instalações como a que você pretende fazer exigem um projeto profissional. Recomendo consulta a um técnico especializado ou ao seu distribuidor de GLP.

  290. Luiz Claudio Bartolassi Says:

    Caro amigo, tenho uma instalaçao com butjao p 45 que alimenta aquecedor de agua e gostaria de saber se posso usar para a alimentação de fogao comum.
    Tenho que colocar uma valvula na saida bo butijao de quanto? ou somente instalar uma valvula de p 13 na entrada do fogao?

    Grato

    Luiz

    • Montini Says:

      Prezado Luiz Claudio
      Sim, é possível utilizar o botijão P45 no seu fogão. O problema, como você apontou, é que a válvula do P45 não é compatível com o regulador de pressão comum. Em tese bastaria fazer um encanamento do botijão até o seu fogão, onde seria acoplado o regulador de pressão para fogão de baixa pressão. Recomendo que você consulte um técnico especializado nessas instalações, que em geral não são caras.

  291. Paulo Says:

    É preciso tomar cuidado com o que se escreve. “O IPEM-SP fiscaliza diariamente as distribuidoras e os revendedores de gás em todo o Estado de São Paulo.” Ora, o assunto é sério mas, vamos e venhamos, tive de rir muito.

    • Montini Says:

      Caro Paulo,
      Se você entendeu que o Ipem percorre e fiscaliza todas e cada uma das distribuidoras e revendedoras de gás do Estado de São Paulo a cada dia, todos os dias, então o seu comentário faz sentido. Entretanto, o que dissemos foi que o Ipem fiscaliza, diariamente, as distribuidoras e revendedores da gás, assim como fiscaliza diariamente as padarias, postos de combustível, supermercados etc. Ou seja, todos os dias nós fiscalizamos GLP. A fiscalização em GLP é contínua, como é contínua a fiscalização nos demais produtos pré-medidos, nos instrumentos de medir, nos produtos sujeitos à avaliação da conformidade etc.

  292. aline henrique Says:

    oi, estou reformando minha casa e vou deixar meus moveis guardado em um deposito e meu botijão de gas ainda esta cheio, mas vou ter q guardar ele, e não vai estar ligado no fogão, tem algum procedimento q devo tomar.

    • Montini Says:

      Prezada Aline,
      Antes de enviar o botijão ao depósito, certifique-se de que ele não esteja com algum vazamento. Desconecte o regulador de pressão e coloque espuma de sabão sobre a válvula do botijão. Se não fizer bolhas, tudo bem. Além disso, certifique-se de que o botijão ficará armazenado em lugar ventilado e coberto.

  293. 66666666666 Says:

    esse site é muito interresante deveria ser mais divulgado

  294. jayne Says:

    tenho dúvidas em relaçao ao transporte dos botijões P13, quais os procedimentos de segurança?

  295. Rafael Boechat Says:

    Boa tarde Montini. Primeiramente, excelente blog. Parabens. Eu vi alguns comentarios sobre churrasqueiras a gas compradas nos EUA. Pelo que entendi nao ha problema em utilizar o GLP, uma vez que eh composto por butano e propano. Fui a uma loja aqui e me indicaram que o gas utilizado aqui eh o propano. Me falaram que a conexao do butijao de propano eh igual para todas as conexoes de butijao de gas propano no mundo inteiro. Minha pergunta eh se o bocal de conexao com o butijao eh o mesmo do GLP e do propano? Posso comprar a churrasqueira sem nenhum problema? Somente como exemplo segue uma churrasqueira encontrada na amazon: http://www.amazon.com/Weber-586002-Portable-Outdoor-Propane/dp/B000WOVZ26/ref=sr_1_5?s=garden&ie=UTF8&qid=1330471345&sr=1-5

    Muito Obrigado,

    Rafael

    • Montini Says:

      Obrigado, Rafael! Legal que você gostou do blog.
      Quanto à sua pergunta, a resposta é não. Os botijões de propano comercializados nos EUA, Europa etc. trazem válvula e registro, o que não ocorre com os botijões de GLP de uso doméstico. Estes têm apenas uma válvula interna onde a conexão é rosqueada. Botijões de GLP de 5 kg e 13 kg possuem rosca compatível com regulador de gás para uso em fogões de baixa pressão. Já o botijão de 2 kg tem rosca diferente, que só serve em fogareiros e lampiões de alta pressão. O problema do engate, porém, não é o principal. Afinal é possível encontrar adaptadores no mercado. Será preciso, porém, ver se a churrasqueira opera com alta ou baixa pressão. Além disso, talvez seja preciso regular os queimadores para uso com GLP. Ou seja, melhor pensar bem antes de comprar esse tipo de churrasqueira…

      • Renato Says:

        Montini,
        Estou de mudanca para o Brasil e comigo levo uma churrasqueira Weber Q220 que usa gas propano a 2,76 kPa. Qual o adaptador que devo comprar para que eu possa usar o botijao de GLP 13kg?
        Desde ja agradeco sua ajuda.

      • ipemsp Says:

        Desculpe a demora em responder, Renato. Aqui no Brasil é difícil encontra o propano. Usa-se o GLP, que é uma mistura de propano e butano. O resultado é quase o mesmo, porém o GLP tem menor poder colorífico e é menos limpo. A sua churrasqueira é de baixa pressão, portanto você pode utilizar o GLP em botijões de 5 kg, 8 kg ou 13 kg com regulador de pressão acoplado à válvula. É fácil de encontrar nas lojas de material de construção. Antes de comprar veja se o regulador de pressão traz o símbolo do Inmetro e a data de validade.

  296. Mauro Freire Says:

    Muito bom o site!!! Posso tirar uma dúvida?

    Comprei nos EUA uma churrasqueira portátil a gás ( veja o link https://www.cuisinart.com/products/grilling_tools/cgg-180t.html ) e no manual diz que devo usar gas propano. É uma churrasqueira pequena, fácil de transportar.

    VocÊ sabe me dizer se só funciona com gas propano mesmo? S eu tentar GLP corro risco de explosão ou de a churrasqueira não funcionar?

    Pesqueisei na internet e só achei pra vender o gas propano da Coleman. (cartucho de 465g)

    Encontrei um cartucho da Nautika que é gas propano/butano , veja link http://www.acampivale.com.br/shopping_cart.php?osCsid=0d6202783566042fc6a2011f2dc63b9a

    VocÊ pode me ajudar, por favor? Só consigo usar o propano da Coleman? É possivel usar o nosso GLP? É possivel comprar esse da Nautika que tem butano e propano (o preço é muito mais em conta).

    abraços

    • Montini Says:

      Obrigado, Mauro!
      Quanto à sua dúvida, bem, o link em questão não traz muita informação… É de supor que seja alimentada com propano a alta pressão. Seria bom verificar a pressão de trabalho (se baixa ou alta) antes de colocar qualquer cartucho. Quanto ao tipo de gás, a substituição por GLP não causará problema de segurança. O que acontece é que o propano é mais leve e tem maior poder calórico que o butano. Não creio que o desempenho piore consideravelmente caso você use GLP. Talvez você tenha apenas que regular a mistura de oxigênio nos queimadores e limpá-los com mais frequência (consulte um técnico a respeito). No hemisfério norte dá-se preferência ao propano pois ele congela a temperaturas bem mais baixas que o butano, mas não temos esse problema aqui…

    • Renato Says:

      Mauro, tb comprei o mesmo grill. Vc fez a adaptação para o GLP? se sim, como vc fez?

  297. nuno84 Says:

    Olá,

    comprei um fogão industrial dako speed fire, porém verifiquei agora que se trata de um fogão de baixa pressão.
    Há algum tipo de conversão que eu possa fazer para transformá-lo em alta pressão? Pergunto pois para a finalidade que eu preciso, a chama deste fogão de baixa pressão mostrou-se insuficiente.

    • Montini Says:

      Caro,
      Até onde sei, todos os fogões Dako são concebidos para serem alimentados por botijões de GLP, seja o P13, sejam baterias de P45, e em todos os casos é necessário utilizar o regulador de gás (doméstico) ou válvula reguladora de pressão (para bateria de botijões). Recomendo uma consulta aos técnicos da empresa sobre a possibilidade de conversão.

  298. Eliane Says:

    Já ví algumas pessoas utilizarem o fogareiro com botijão de 2 kg dentro de churrasqueiras de alvenaria (para fazer frituras por exemplo). Gostaria da saber se há riscos em utilizar desta forma?

    • Montini Says:

      Cara Eliane,
      Não é recomendável confinar o botijão de 2 kg. É possível utilizá-lo numa churrasqueira de alvenaria apenas se esta permitir boa ventilação, de modo a não esquentar o botijão. O melhor é utilizá-lo em local aberto e ventilado.

  299. Marcia Choueri Says:

    Um amigo estrangeiro me pediu que verificasse fornecedores brasileiros de envase de gás butano, mas nem sei por onde começar. Podem me ajudar?

  300. Danilo Barbosa Says:

    Olá, eu gostaria de saber onde posso comprar o vasilhame de GLP P13 , tenho a intenção de montar uma revenda de gas e água mineral, aqui em minha cidade.Certo do pronto atendimento , desde já neus agradecimentos.Atenciosamente, Danilo Barbosa

    • Montini Says:

      Caro Danilo,
      Se você pretende montar uma revendedora de GLP, deverá entrar em contato com as distribuidoras de GLP engarrafado. Será preciso verificar quais delas operam na sua cidade ou próximo a ela. Veja as principais distribuidoras do país no link: http://www.sindigas.com.br/Sindigas/RelacaoAssociadas.aspx
      A propósito, é bom consultar a prefeitura e o corpo de bombeiros da sua cidade, pois revendas de GLP exigem instalações especiais. Boa sorte.

  301. edailton dos santos nascimento Says:

    não tinha visto ainda este site muio bom

  302. Junior Says:

    Ola, tenho um compartimento em casa, com duas mangueiras para 2 botijões P13, gostaria de saber se posso colocar um botijão de 2kg, de “camping” em uma mangueira, e o P13 em outra, se é possivel passar a carga do P13 para o de 2kg abrindo as 2 valvulas, sendo assim nao preciso trocar o botijao sem ter acabado todo o gás, ou correr o risco de ficar sem gás na hora de acampar.. ? Em casa sempre quando acaba o gás de um eu fecho a vavula e abro a outra do otro botijão para não jogar a carga para o outro.. a pressão do P13 é suficente para encher o de 2kg?

    • Montini Says:

      Caro Junior,
      Em tese, é possível encher um botijão P2 a partir de um P13. Também em tese é possível conectar botijões em bateria. O problema, naturalmente, é que essas coisas exigem extremo cuidado e não devem ser feitas domesticamente. Veja só: O botijão P2 foi concebido para uso em fogareiros e lampiões que trabalham com alta pressão. Por isso, a rosca da válvula do P2 não é compatível com as roscas dos reguladores de gás. O fogão doméstico, ao contrário, trabalha com baixa pressão, e é por isso que usamos o regulador de gás acoplado ao P13. Então, embora seja possível, você precisará fazer uma série de adaptações que tornam o sistema muito inseguro.
      Da mesma forma, é muuuuito perigoso encher P2 a partir de P13. Para começar, além de todo o risco presente quando se manuseia GLP, não há como saber quanto gás você passou de um botijão para o outro. O P2 pode explodir durante o processo. É justamente por isso que recomendamos só comprar P2 de revendedores autorizados e verificar se o botijão está lacrado.

      • JÚLIO SEMPÉRE Says:

        Minha situação é parecida com a do Júnior. Só que, pelo espaço disponível no apartamento, manuseio 2 botijões para abastecer o fogão, conectado numa bifurcação a um P13 e a um P2. Cada um deles tem um registro: deixo aberto o do P13 e fechado o do P2. Só uso o P2 quando o P13 esvazia e até sua troca (fecho seu registro). Prestei muita atenção às explicações e causou-me curiosidade a frase: “a rosca da válvula do P2 não é compatível com as roscas dos reguladores de gás”. O P2 que tenho – só o troquei por um cheio, uma vez, nos últimos 2 anos – tem a rosca exatamente igual ao do P13. Poderia isso significar que a pressão é igual nos dois? Estou tendo os cuidados devidos?

      • ipemsp Says:

        Desculpe a demora em responder, Júlio, tivemos uns problemas por aqui. Pois bem. Botijões P2 com “rosca grossa” são pouco comuns, pois são utilizados principalmente em lampiões, fogareiros e queimadores que usam alta pressão. Na verdade, a pressão interna do GLP nos botijões é a mesma, independentemente da capacidade. Ou seja, tanto o P2 como o P5, P13, P45 etc tem a mesma pressão. É por isso que é necessário usar o regulador de pressão quando se conecta esses botijões a um fogão que trabalha com baixa pressão. Por outro lado, mesmo que na região onde você mora seja fácil encontrar botijões de gás P2 com rosca compatível com regulador de gás, eu teria cautela em utilizá-lo acoplado ao P 13. Quanto mais conexões você fizer nos seus botijões maior o risco de vazamentos, e o P2 não tem plug fusível…

  303. vitoria Says:

    gostaria de saber qual pode ser a causa do gas esta sujando as panelas como se fosse carvao?

    • Montini Says:

      Prezada Vitoria,
      O fundo da panela fica preto porque a combustão (porcesso de queima do gás) está incompleto. Para que haja uma queima limpa é preciso que a quantidade de gás e de oxigênio esteja bem equilibrada. Existem pelo menos duas causas mais prováveis para que isso ocorra:
      1- Se o problema vem acontencendo há algum tempo, então o vilão é o queimador do fogão (essa é, de longe, a causa mais comum). Os orifícios do espalhador (aquela peça cheia de furinhos que fica sobre a boca) podem estar entupidos, ou o queimador pode estar desregulado. Isso resulta numa chama avermelhada que preteja as panelas. Limpe cuidadosamente o espalhador e veja se melhora. Caso contrário, chame um técnico.
      2- Se o problema é recente, e “por acaso” está na hora de trocar o botijão, é porque o GLP está acabando. O GLP é uma mistura de propano e butano, mas também de outros gases em quantidades pequenas. Às vezes, quando o GLP está no fim, esses gases mais “pesados” (moléculas com mais átomos de carbono) e partículas de borra são queimados no fogão. Sua queima, entretanto, é incompleta, resultando numa chama avermelhada (ao contrário da chama azul do GLP) que preteja as panelas. Nesse caso o problema é passageiro e se resolve quando o botijão for trocado.

  304. Luiz Antonio Says:

    Procurei outra pergunta igual às minhas mas não encontrei ou não enxerguei (são muitas). Minhas dúvidas são as seguintes:
    1º Em que lugar do botijão fica esse plugin fusível de segurança?
    2º Afinal, botijões explodem sem nenhuma ação externa. Do tipo “explodiu sozinho?

    Obrigado.

    Acho que vc deveria criar uma classificação ou ordem alfabética para as perguntas, pois são de grande valia para a população.

    • Montini Says:

      Caro Luiz Antonio
      O plugue fusível é um item de segurança importante. O aspecto externo é o de um parafuso com cabeça sextavada, instalado bem próximo à válvula do botijão. O seu interior, entretanto, é uma liga metálica que se funde aos 70° C, o que permite que o gás escape evitando a explosão do botijão. A propósito, botijões P13 raramente explodem, mesmo num incêndio, justamente por conta do plug fusível. Outros botijões como o P2 (de dois quilogramas), por exemplo, podem explodir devido a fatores externos como incêndios ou choques violentos. O botijão P13, quando bem conservado, é bastante seguro. Por isso é sempre bom inspecionar as condições de conservação do botijão (ferrugem, alças soltas, amassados, etc) antes de comprar. Agradeço a sua sugestão. Vamos estudar a possibilidade de organizar as perguntas por categorias.

  305. gilvan Says:

    Ola, eu uso para funcionar o motor de um carro, eu ja vi que o botijao nao explode, apenas se ouver vazamentos, então eu uso o botijao ligado ao regulador com um cano de cobre, existe algum risco dele explodir apenas por estar conectado e passando o gás pelo regulador para o motor? pois na minha cidade desde que eu me lembre, sempre usaram gás glp pra carros.

    • Montini Says:

      Prezado Gilvan,
      O problema em instalar botijão de gás no carro é que nem o botijão nem o carro foram projetados para isso. As adaptações necessárias não levam em consideração uma porção de aspectos técnicos e de segurança. Existe um risco real em fazer “gambiarra” com GLP. Além disso, com excessão das empilhadeiras, é ilegal usar GLP como combustível para veículos.

  306. Ivan De Sousa Neto Says:

    Comprei um maçarico com a recomendação de sómente utilizá-lo em botijões de 5kg. Ocorre, que em contato com distribuidores de gás, me informaram que o botijão pequeno não é mais fabricado, e, que eu deveria mandar fazer uma válvula, para adaptar no botijão de 13 kg. Curiosamente, um dos fabricantes destas válvulas adaptadoras é meu amigo, mas ….
    Esta informação me deixou inseguro, pois, não me agrada adotar um procedimento que me parece mais um improviso.
    Minhas perguntas:
    – O Botjão de 5 kg não é mais fabricado ?
    – Se a resposta anterior for sim, existe alguma válvula no mercado (aprovada pelo IPEM) para que eu faça esta adaptação ?
    Agradeço antecipadamente a resposta.

    • Montini Says:

      Caro Ivan,
      Você faz muito bem em ser cuidadoso! Veja, tanto o botijão de 5kg (P5) como o de 13kg (P13) têm o mesmo tipo de válvula e de rosca, onde é possível conectar o regulador de pressão. Isso porque ambos são utilizados em fogões domésticos que trabalham com baixa pressão. Ou seja, o botijão de 5kg, que aliás continua sendo comercializado, não é diferente de um P13 a não ser pela capacidade de armazenamento. Entretanto, talvez o maçarico que você comprou opere com alta pressão, e nesse caso o botijão correto seria o P2, de dois quilogramas, cuja válvula é diferente das do P5 e do P13. Botijões P2 são comercializados normalmente. Existem no mercado adaptadores para rosca, mas estes não são aprovados pelo Inmetro. Recomendo que você procure o fabricante do maçarico e peça a ele informações mais precisas.

  307. Paulo Oliveira Says:

    Boa tarde,

    Gostaria de saber se vc tem algum tipo de projeto para armazenar botijões de gás de 20kg, normas e obrigações, etc. Eles são utilizados em empilhadeiras na empresa em que trabalho… preciso normalizar o armazenamento desse material e estou com dificuldade para achar esse material…

  308. Paulo Says:

    porque razão não se pode deitar uma garrafa de gás de uso doméstico, pois ao fazê-lo consegue-se aproveitar mais o fim da mesma?qual o perigo?

    • Montini Says:

      Prezado Paulo,
      O gás contido no botijão está sob intensa pressão e em estado líquido. O botijão P13, de 13 quilogramas, foi concebido para ser utilizado em pé, com o regulador de gás para reduzir a pressão de modo compatível com os fogões domésticos. Dentro do botijão apenas uma pequena parte do gás fica em estado gasoso e permanece, naturalmente, próxima à válvula de saída, que fica na parte superior. Quando o botijão é deitado, a porção gasosa migra para o corpo do botijão, deixando o gás liquefeito em contato direto com a válvula de saída. É aí que mora o perigo, pois a pressão interna pode fazer com que o gás saia na fase líquida. O risco de incêndio nesse caso é muito grande. O único botijão concebido para trabalhar deitado é o botijão P20, de uso exclusivo em empilhadeiras.

  309. Rosangela Freitas Says:

    Boa tarde,

    Gostaria de saber como deve ser feita a instalação de um botijão de 13k em uma casa térrea:
    1 – A casa de gás fica 3 metros distante do fogão. Pode ser instalado apenas a mangueira autorizada ou é necessário colocar um cano de cobre para a mangueira não ser tão comprida?
    2 – Basta um regulador de pressão? E, se for um regulador, deve ficar próximo ao fogão ou ao butijão?

    Desde já agradeço a atenção.

    • Montini Says:

      Cara Rosangela,
      Sim, você deve providenciar um encanamento, que pode ser de cobre, do local onde ficará o botijão até o seu fogão. Em cada uma das pontas você poderá acoplar uma mangueira de modelo aprovado pelo Inmetro. O regulador de pressão é atarrachado, normalmente, no botijão de gás. De fato, o encanamento funciona com uma extensão da mangueira, pois esta não pode ser tão comprida assim. Recomendo que você recorra a um técnico especilaizado nesse tipo de instalação.

  310. Lucianno Says:

    Meu irmão tem uma pizzaria e o gás fica ligado direto por umas três horas, notei q quando a botija está ligada por esse tempo todo fica suada e gelada isso é normal???
    Tenho medo de explosão…..

    • Montini Says:

      Caro Lucianno,
      Fogões de restaurante geralmente consomem muito gás rapidamente, pois são abastecidos por botijões P45 que não utilizam regulador de gás. Assim, os queimadores trabalham sob alta pressão. Quando há uma retirada intensa de gás em pouco tempo, como nesse caso, é normal que o botijão de gás fique suado e gelado por fora. Isso acontece porque o gás contido no botijão está em estado líquido, e para torná-lo líquido foi necessário aplicar uma grande pressão. Quando há a liberação rápida do gás a pressão diminui abruptamente, o que provoca o esfriamento do vasilhame.

  311. artur Says:

    boa noite moro em portugal e acho que no inverno gasto mais gaz na residencia que no verao.. mas utilizo apenas o fogao e o esquentador para banhos ( duches ) como no verao
    nos ultimos 2 meses gasto mais 50% que gastei no verao
    alguem tem uma resposta para iste assunto?
    desde ja obrigado

    • Montini Says:

      Prezado Artur,
      É difícil dizer assim, à distância. Se não aumentaste o consumo, o que seria natural no inverno, então talvez haja algum tipo de vazamento no sistema. Antes de tudo, recomendo que faças uma inspeção a ver se não há vazamento. Também seria bom avaliar quanto gastaste no inverno passado e comparar com o que gastas agora. Sinto não te poder ajudar melhor. Boa sorte!

    • Jose Carbonesi Says:

      Porque no inverno a água está mais fria e, para atingir a mesma temperatura utilizada no verão, gasta-se mais energia.

  312. Andreia Silva Says:

    por favor tire uma duvida… troquei meu registro e tbm comprei o gás no mesmo dia, então não sei onde esta o problema. este registro não tem nada do inmetro e ao acender o fogo sai um barulho do botijão. Dá para ouvir o gás saindo. Não tem nenhum cheiro, o que realmete me deixa preocupada é este barulho as vezes como um sopro e outras como um assofio. O que será?? obrigada

    • Montini Says:

      Cara Andreia,
      Se o regulador de gás novo que você comprou não tem nada do Inmetro, então existe uma boa chance do problema ser nele mesmo! Recomendo que você troque urgentemente o seu registro por outro aprovado pelo Inmetro. A mangueira também precisa ser a correta. Veja aqui no post a aparência que essas peças devem ter.

    • marcos barros Says:

      Se você testou com espuma de sabão e não está vazando, mas se o registro estiver vibrando ou vazendo um ruído semelhante ao de uma abelha, isso é normal. É o registro regulando a saída de gás. Pode fica tranquilo.

      • Montini Says:

        Ok, Marcos, obrigado pela dica. Vale lembrar que tanto a pequena vibração no regulador de gás quanto o zumbido, só são perceptíveis para quem está muito próximo do regulador e, naturalmente, com o fogão funcionando.

  313. Aline Viana Says:

    Bom dia! Hoje acordei sentindo forte cheiro de gás. Ao chegar na cozinha ouvi um barulho de escapamento, verifiquei que o gás estava devidamente desligado (o que me deixou abismada), abri todas as janelas, acordei minha familia e solicitei que mantivessem a calma e nao acendessem as luzes. Liguei para os bombeiros, que me passaram o procedimento (colocar o botijão do lado de fora da casa) e saimos de casa para respirarmos, até que o cheiro se dissipasse.

    Chamamos o fornecedor, que vistoriou o botijão e nada constatou de errado…

    Minha dúvida é: Troquei o botijão há dois dias e estava tudo certo. O que pode ter acontecido? Por que o vazamento dois dias depois?

    Abraço!

    • Montini Says:

      Prezada Aline,
      É difícil dizer, com certeza, o que pode ter ocorrido. A válvula do botijão funciona com uma mola. Quando o regulador de gás é rosqueado, empurra a mola para baixo e libera o gás. No caso de uma das volutas da rosca do regulador não encaixar corretamente na rosca do botijão, pode haver falha na vedação. Recomendo verificar o regulador de gás para ver se a rosca não foi danificada.

  314. Mariza Ribeiro Says:

    Comprei uma churrasqueria a gas americana da marca CHAR-BROIL onde existe um compartimento abaixo dos queimadores para o botijão de gás. O botijão brasileiro recomendado pelo representante é o de 5 kg, único que caberia com folta dentro do compartimento. No entanto, fui informada por alguns distribuidores de gas que este botijão não foi aprovado pelo INMETRO e nem válvula de segurança. Isto é verdade?

    • Montini Says:

      Cara Mariza,
      Os botijões de gás, inclusive o botijão com capacidade para 5kg (P5), são fabricados de acordo com a norma NBR8460 e inspecionados de acordo com a norma NIE-DIMQP-105 do INMETRO. O botijão P5 é tão seguro quanto o P13, desde que, naturalmente, a sua instalação e operação seja feita de maneira adequada. É importante observar se o compartimento existente na sua churrasqueira permitirá ventilação adequada. Veja as dicas que damos aqui no blog sobre a instalação de botijões de GLP.

  315. genesio Says:

    qual a lei que obriga a usar gas de rua?

    • Montini Says:

      Caro Genesio,
      Já respondemos essa questão aqui no blog. No caso do município de São Paulo, o Decreto Municipal nº 24.714, de 7 de outubro de 1987 proíbe o uso de botijões dentro do apartamento. Portanto, obriga que os edifícios instalem gás encanado (não precisa ser necessariamente o gás natural, pode ser GLP encanado). Esse decreto só vale para o Município de São Paulo. Se você não mora em São Paulo, recorra à prefeitura do seu município para obter infromação a respeito.

  316. Camila Gaya Says:

    Bom dia! Tenho uma dúvida: o meu botijão fica encostado ao forno. Nunca mais utilizei o forno por medo do calor explodir o botijão. Esse medo procede? O que devo fazer? Não há espaço em minha cozinha e nem área externa para coloca-lo.

    • Montini Says:

      Prezada Camila,
      Botijões não explodem facilmente. Entretanto, o excesso de calor aumenta a pressão interna podendo provoar vazamento ou a ruptura do plug fusível (dispositivo de segurança presente no botijão P13 para evitar que este exploda). Em ambos os casos o risco de incêndio é muito grande. Se o botijão de gás ficar encostado ao forno, tanto o botijão quanto a mangueira de gás poderão ser afetados pela elevação da temperatura. Naturalmente, tudo vai depender do tipo de fogão e da eficiência do revestimento térmico do forno. A interposição de uma camada de isolante térmico não inflamável entre o botijão e o forno talvez solucionasse o problema, mas é difícil avaliar a situação apenas a partir do seu relato. Porém, não improvise. Consulte um técnico especializado a esse respeito.

  317. cinthia santos Says:

    Boa Tarde. Possuo uma área externa (varanda) com churrasqueira premoldada, localizada entre 2 bancadas de alvenaria. Pretendo instalar um fogão cooktop. A minha preocupação é a seguinte, existe risco de se ter um botijão de gás (logo abaixo da bancada, porém dentro de uma área fechada, mas ventilada, e protegida por paredes de alvenaria) relativamente próximo da churrasqueira?Agradeço desde já!Obrigada!

    • Montini Says:

      Prezada Cinthia,
      É difícil avaliar assim, sem ver o local. Entretanto, desde que você tome alguns cuidados, não havera problema. Portanto, confira:
      1- Não é recomendável confinar o botijão. Por isso, certifique-se de que o local onde o botijão vai ficar é, de fato, bem ventilado e de fácil acesso (em caso de vazamento é fundamental removê-lo rapidamente para lugar aberto).
      2- Certifique-se de que tanto o botijão como a mangueira não ficarão próximos ao calor excessivo. Lembre-se de que a mangueira não pode ultrapassar 80cm de comprimento. Caso a distância seja maior, será necessário fazer a ligação com encanamento metálico apropriado, e para isso é melhor contratar um técnico especializado.
      3- Ao comprar e instalar o botijão, siga todos os passos recomendados para fazê-lo com segurança. Aqui no blog você pode pode ver essas recomendações.
      Boa diversão!

  318. Joar Gelli Says:

    Qual o correspondente do Ipen aqui no Rio de Janeiro. Estou com dúvidas quanto a pressão do P13. Cada fornecedor fornece uma pressão diferente e já observei que quando a pressão é menor a durabilidade tambem. Qual é o mistério?
    Obrigado
    Joar Gelli

    • Montini Says:

      Caro Joar,
      De fato, botijão P13 com pouca pressão é um indicativo de gás a menos. O gás é comercializado por quilograma. A melhor maneira de saber se o botijão contém mesmo os 13 kg que deveria ter é pesando-o numa balança adequada e descontando o peso do botijão vazio (tara) que fica anotada no colarinho. O equivalnete do IPEM-SP aí no Rio de janeiro é o IPEM-RJ. O site deles é: http://www.ipem.rj.gov.br e a ouvidoria é:
      ouvidoria@ipem.rj.gov.br
      Telefone: (21)2332-4191
      Rua Padre Manoel da Nóbrega, 539
      Piedade – Rio de Janeiro-RJ
      Horário de Atendimento: 9h às 18h

  319. Mário Says:

    Como faço para saber a quantia de gás que ainda resta em um botijão P2 para não “ficar na mão” ?
    Grato

    • Montini Says:

      Bem, Mário, essa é uma questão difícil de responder. Um indicativo de que o gás está acabando é a mudança na cor da chama. Se aquele azul característico da chama mudar para amarelado ou avermelhado, é sinal de que o gás está no fim. Infelizmente, não é um método infalível, principalmente nos botijões P2. O ideal, mesmo, é você ter um botijão sobressalente…

    • marta Says:

      Gostaria de uma informacão: minha irmã chegou lá em
      casa e sentiu cheiro de gas. O que devo fazer?

      • Montini Says:

        Cara Marta,
        Pelo que entendi o cheiro é bastante fraco. Mesmo assim, cheiro de gás significa vazamento. Será preciso identificar por onde o gás está vazando. Faça o seguinte:
        1- Coloque espuma de sabão em volta da válvula do botijão, ali onde o regulador de gás é rosqueado. Se formar bolhas, desenrosque o regulador e rosqueie novamente. Se mesmo assim continuar vazando, retire o regulador, leve o botijão para fora de casa e entre em contato com o seu distribuidor de gás. Aproveite e verifique se o regulador de pressão e a mangueira estão no prazo de validade.
        2- Se o problema não for na junção entre o regulador e o botijão, talvez seja no fogão. Feche a válvula do regulador, ventile bem o ambiente e, quando o cheiro de gás desaparecer por completo, abra novamente a válvula do regulador. Veja se o cheiro retorna junto ao fogão. Se o problema for ali, chame um técnico especializado. Boa sorte.

  320. Thiago Says:

    Boa tarde,

    Comprei um fogão Brastemp BF750 e notei que o gás que chega no meu apartamento vem de uma central que contem Botijões do tipo P45. É necessário a instalação de uma reguladora? Fiz a instalação com a mangueira e as braçadeiras e funcionou normal.

    Thiago

    • Montini Says:

      Boa tarde, Thiago.
      O fogão que você comprou foi projetado, provavelmente, para trabalhar com GLP de botijão P13, ou seja, com baixa pressão. Quando instalado no fogão, o botijão P13 precisa de um regulador de gás justamente para reduzir a pressão. No seu caso, parece que a central de GLP em botijões P45 do seu prédio já foi regulada para fornecer o gás a uma pressão compatível com fogões que utilizam GLP, caso contrário você teria tido problemas. A transformação do fogão também seria necessária caso o seu apartamento fosse servido por gás natural. De todo modo, recomendo que você consulte o Síndico ou o responsável pela central de P45 do seu prédio.

  321. Evandro Says:

    Em termos práticos os botijões P 45 oferecem maior segurança que os botijões P13? Saberia me dizer porque os P 13 são proibidos para uso comercial como no caso de São Paulo ? Um grande abraço.

    • Montini Says:

      Caro Evandro
      Tanto o P13 como o P45 são igualmente seguros quando usados corretamente. O botijão P13 foi concebido para uso doméstico e é mais adequado para esse fim, o que não impede que se utilize domesticamente também o botijão P45. O contrário, como você lembrou, não é permitido. A proibição do uso do P13 é de 1997 e supotamente tinha como objetivo, na origem, privilegiar o consumidor doméstico, uma vez que o GLP em botijões P13 era considerado gênero de primeira necessidade. É preciso lembrar que, na época, ainda havia risco de desabastecimento do produto.

  322. Geni Santos Says:

    Existe uma mangueira e conector exclusivo para usar com o p2 já que não se faz uso de regulador de pressão?

    • Montini Says:

      Prezada Geni,
      Não existe mangueira e conector para botijão P2, pois este foi concebido para ser utilizado em lampiões e fogareiros a serem acoplados diretamente sobre a válvula e que trabalham com alta pressão de gás. O regulador é utilizado para reduzir a pressão do gás, de modo a utilizá-lo nos fogões que trabalham com baixa pressão. Existe no mercado um adaptador de rosca para P2, entretanto não recomendamos o uso desse tipo de dispositivo.

  323. eduardo bernardes Says:

    Olá, tudo bem? Quando ligo o meu fogão a chama explode, parece que tem pressão de gas, depois deste evento a chama fica normal e em todas as bocas acontece isso, o que pode ser?

    • Montini Says:

      Bem, Eduardo, quando há indício de alteração na pressão do gás, é bom inspecionar o regulador de pressão a ver se está dentro do prazo de validade e funcionando corretamente. Também pode ser um problema no seu fogão. Recomendo consultar um técnico especializado.

  324. katia silva Says:

    gostaria de saber quais dos dois gases ( propano ou butano) deverá estar presente em maior quantidade no gás de cozinha, afim de baratear o custo de energia.

    • Montini Says:

      Olá, Katia
      O Gás de Cozinha ou GLP (Gás Liquefeito de Petróleo) é composto principalmente por butano e propano numa proproção aproximada de 50% cada. Esse percentual pode variar, geralmente em favor do butano. O Propano tem algumas vantagens sobre o butano: É mais leve e congela a temperaturas mais baixas, sendo ideal para uso nos países com inverno rigoroso. Também tem maior eficiência energética. A desvantagem é que é um pouco mais caro que o butano. Ou seja, a mistura desses dois gases para formar o GLP funciona bastante bem, pois barateia o produto e não compromete o seu desempenho energético.

  325. Valéria Says:

    Boa tarde!
    Tenho dois bujões de gás vazios e um em uso na área externa da minha cozinha. Existe risco de explosão afetando meus vizinhos?Posso mantê-los do lado de fora?

    • Montini Says:

      Cara Valéria. Botijões raramente explodem. Quanto a eles ficarem ao relento, não há problema com os botijões vazios. Mas seria aconselhável proteger do calor, pelo menos, o botijão cheio. Aliás, o melhor é evitar deixá-los ao relento, pois a exposição ao tempo acelera o desgaste (ferrugem, por exemplo).

  326. Lisandro Says:

    Cordiais saudações.
    Moro no 4º andar de um prédio. Os botijões de 13 kg de GLP ficam no térreo e a uma tubulação até a cozinha. Usando um regulador de 2,8 kPa, poderia haver importante queda na pressão até chegar ao fogão? Lembrando que a pressão recomendada no fogão é de 2,75 kPa.
    Se necessário, há reguladores de baixa pressão um pouco mais fortes que eu poderia usar? Todos os que achei eram de 2,8.
    Desde já grato.

    • Montini Says:

      Prezado Lizandro,
      Os reguladores para GLP existentes no mercado são concebidos para conexões próximas. Todos eles trabalham com a mesma pressão, compatível com os fogões para GLP. Baterias para prédios costuma utilizar botijões P45 (de 45 quilogramas), pois estes podem ser instalados conforme as condições do prédio e do tipo de uso que se dará ao GLP. Recomendo consulta a um técnico especializado.

  327. Emerson Says:

    Gostaria de saber como trasforma um fogão de gas de cozinha em gas de rua

    • Montini Says:

      Caro Emerson
      Gás de rua e gás natural são produtos diferentes. O gás de rua era fabricado a partir do carvão e armazenado nos gasômetros. Tem o hidrogênio como principal componente. Já o gás natural, composto basicamente de metano, é o gás distribuido pela Congás aqui em São Paulo. Suponho que você queira saber como converter fogão que queima GLP (gás de cozinha) em fogão que queima Gás Natural.
      Para fazer a conversão é preciso substituir a ponteira de conexão, os registros e termostatos e os injetores. Também é preciso regular tudo, inclusive a entrada de ar. Os fabricantes de fogão comercializam kits de conversão, e cada modelo de fogão tem seu próprio kit. Recomendo que você chame um técnico especializado.

  328. isamara Says:

    se esquecermos o botão do fogão ligado e ocorrer vazamento de gás é perigoso ocorrer uma explosão

    • Montini Says:

      Sim, Isamara, vazamento de gás é muito perigoso e pode causar explosão. Dependendo do tempo que o queimador do fogão permaneceu aberto, o gás pode tomar conta do ambiente. Aí, basta uma faísca provocada por um interruptor de luz e pronto. É preciso lembrar que o GLP é mais pesado do que o ar, ou seja, ele se acumula no chão e pode entrar até pelo ralo e pelo encanamento de esgoto. Por isso, ao sentir cheiro de gás, não acenda interruptores de luz, nem provoque nenhuma chama. Abra imediatamente portas e janelas para ventilar o ambiente e, se o vazamento for no botijão, leve-o para um lugar ventilado e chame o seu distribuidor de gás.

  329. Isaías Says:

    Rsrsrsrsrs vlw montini não vou nem tentar rsrsrsrsrs

  330. Jorge Says:

    Um parente mantem seu bujão de gás P13 do lado de fora da casa, bem arejado, mas toma sol.
    Pus a mão no bujão e chega a queimar de tão quente.
    Existe risco?

    • Montini Says:

      Caro Jorge.
      De fato, o calor aumenta a pressão do GLP dentro do botijão. Embora os botijões de GLP sejam bem resistentes e projetados para suportar a pressão do gás, o aumento excessivo da temperatura pode afetar o funcionamento do regulador de gás. É importante manter o botijão protegido da luz direta do sol e, também, da chuva e da humidade.

  331. Isaías Says:

    Só por curiosidade, se eu pegar um botijão de gás de gnv (gás natural veicular) e a ponta de uma mangueira resistente, encaixa-la na boca do botijão de cozinha e enche-lo um pouco corro o risco de explosão? Por parte dele ser menor que o botijão de 21 mnetros cúbicos? Da para usar o gás natural de veículos na cozinha?

    • Montini Says:

      Caro Isaías,
      A pressão do GNV veicular dentro do cilindro é muito superior à pressão do GLP no botijão de 13 kg. O botijão de GLP não foi concebido para resisitir tal pressão. O risco é MUITO GRANDE! Por favor, nem pense em fazer isso! Fogões que queimam GLP poderiam, em tese, queimar GNV, mas não foram concebidos para essa finalidade. Teriam que ser adaptados. O problema seria, mais uma vez, a pressão. GLP e GNV, embora gases inflamáveis, têm características físico-químicas diferentes e exigem tratamento diferenciado. Repito, NÃO VALE A PENA mexer com essas coisas, ok?

  332. Lipe Says:

    É possivel utilizar o botijao P13 para oxicorte (pequenas soldas)?
    Porque?
    Obrigado

    • Montini Says:

      Conforme já dissemos algures, aqui no Estado de São Paulo, a Lei 9.494 de 4 de março de 1997 proíbe o uso de botijões P13 para atividade comercial. Isso significa que não é permitido usar o botijão de 13 quilogramas (P13) em restaurantes, lanchonetes, oficinas etc. No âmbito federal, a Lei 8.176 de 8 de fevereiro de 1991 determina outras restrições para o uso do GLP (em quaisquer tipos de vasilhame) como combustível para veículos, caldeiras, etc… Entretanto, o uso de GLP em botijões de 45 quilogramas (P45) é permitido.

  333. Elaine Vasconcelos Cosme Says:

    Gostaria muito de saber se posso utilizar ou não o botijão de cozinha para solda com oxigenio? se não porque. Qual o ideal e porque.

    • Montini Says:

      Cara Elaine.
      Conforme já dissemos algures, aqui no Estado de São Paulo, a Lei 9.494 de 4 de março de 1997 proíbe o uso de botijões P13 para atividade comercial. Isso significa que não é permitido usar o botijão de 13 quilogramas (P13) em restaurantes, lanchonetes, oficinas etc. No âmbito federal, a Lei 8.176 de 8 de fevereiro de 1991 determina outras restrições para o uso do GLP (em quaisquer tipos de vasilhame) como combustível para veículos, caldeiras, etc… Entretanto, o uso de GLP em botijões de 45 quilogramas (P45) é permitido.

  334. Giovani Balbinot Says:

    Estou com um problema com o P45, uma vez que o fornecedor de gas meu pesa o gas residual e me devolve em dinheiro, ele sempre alega que sobra em torno de 300 gramas de gas no P45, gostaria de saber qual o minimo de gas em kg tem de haver dentro do botijao para ter pressao para um funcionamento normal de um fogao industrial 8 bocas de baixa pressao.

  335. Tino Says:

    Quais os riscos de utilização do butijão de 2kg ocorrer uma explosão? Como manuzea-lo com segurança?

    • Montini Says:

      Prezado Tino,
      Botijões raramente explodem. A maioria dos acidentes acontece devido à sua instalação e utilização inadequadas. O manuseio do botijão de GLP de dois quilogramas é bastante seguro. Entretanto, sempre é bom ter cuidado.
      O P2 foi concebido para uso em fogareiros de campping e lampiões e só deve ser utilizado para essa finalidade. Os queimadores utilizados nesse botijão devem ser aqueles fabricados de acordo com a norma NBR 12.313. Portanto, o P2 não deve ser utilizado em fogões comuns. Além disso, a rosca da válvula do P2 não é compatível com a rosca dos reguladores de gás.
      É importante seguir as recomendações dos fabricantes dos lampiões e fogareiros quanto à sua montagem e acoplamento no botijão. O botijão P2 precisa estar protegido de fontes de calor ou choques mecânicos. Também é aconselhável utilizá-lo em ambiente ventilado. A queima do gás de cozinha emite CO2 que pode causar asfixia. Não compre botijão de depósitos ou caminhões clandestinos e observe o estado de conservação do botijão. Recuse botijões amassados, enferrujados ou com válvula danificada.

  336. roberson Says:

    fiquei sabendo que o uso de glp de 13k somente pode ser usado em residencia; se a pessoa fritar um ovo para vender ,ela esta fora da lei.
    está informação procede;se procede em qual lei posso consultar.

    • Montini Says:

      Caro Roberson,
      Aqui no Estado de São Paulo, a Lei 9.494 de 4 de março de 1997 proíbe o uso de botijões P13 para atividade comercial. Isso significa que não é permitido usar P13 em restaurantes, lanchonetes, oficinas etc. No âmbito federal, a Lei 8.176 de 8 de fevereiro de 1991 determina outras restrições para o uso do GLP (em quaisquer tipos de vasilhame) como combustível para veículos, caldeiras, etc…

  337. Evandro Says:

    Sabe-se que a NBR 13523 da ABNT exige central de GLP,. bem como define distâncias de segurança para recipientes com capacidade acima de 32 l, ou seja, não é aplicada aos P 13.Existe restrição legal em utilizar P13 em área residêncial que se encontra em rebaixo de uma edificação maior?
    Quantos P13 posso utilizar em estabelecimento comercial ?
    O que deve-se observar para substituir um P45 por um P13? É possivel canalizar o uso de um P13 à 5 mt de altura, com aproveitamento total do botijão. Abço

    • Montini Says:

      Caro Evandro,
      A Lei Estadual 9.494 de 4 de março de 1997 proíbe o uso de GLP acondicionado em botijões com capacidade inferior a 32 kg para uso comercial. Isso significa que, no Estado de São Paulo, é proibido o uso de P13 para atividade comercial. Ou seja, tem-se que instalar botijões P45. Quanto a canalizar GLP a partir de P13, mesmo para residência, não é recomendável em razão dos cuidados com a segurança da instalação. Recomendo consulta a técnico especializado ou ao seu distribuidor de GLP.

  338. valeria silva Says:

    Tenho como trabalho para uma feira de ciencias a criaçao de gas de cozinha atraves de restos de alimentos em decomposiçao,porem tenho medo de que ocorra algum vazamento.Quas os cuidados que devo tomar,ja que a feira sera em um lugar fechado e envolvera varios projetos cujos materiais em contato com o gas podem causar uma explosâo?

    • Montini Says:

      Bem, Valéria, o gás de cozinha de que tratamos aqui no blog é o GLP, gás liquefeito de petróleo, composto por propano e butano e engarrafado em botijões. Se você pretende obter gás inflamável a partir de resíduos orgânicos, irá produzir Metano, ou gás natural, que tem características bastante diferentes do GLP. Para produzir metano você terá que construir um biodigestor. Recomendo que você pesquise tudo isso primeiro e peça orientação ao seu professor. Boa sorte…

  339. Jorge Valente Says:

    Tenho uma questão: o botijão para gás é considerado uma MÁQUINA OU EQUIPAMENTO?
    Em que material poderia aprofundar esta pesquisa?
    Grato pela atenção.

    • Montini Says:

      Caro Jorge,
      Do ponto de vista conceitual, máquina é um dispositivo que altera uma força. De fato, mesmo que a máquina seja mecânica, orgânica ou virtual, ela utiliza energia para alterar algo. Desse ponto de vista, um botijão de gás não é uma máquina, ele apenas armazena energia para ser utilizada em máquinas. A válvula do botijão, entretanto, se tomada isoladamente, poderia ser considerada uma máquina… Recomendo consulta aos fabricantes de botijão de gás ou distrinuidores de GLP.

  340. Flávio Cordeiro Says:

    Olá, comprei um fogao industrial marca Roa de alta pressão. Ele já vem com a mangueira de 300psi e regulador de saida de gas. Posso usar esse fogão com um botijão de 13 kg? Estou reparando que a chama é bem mais forte.

  341. Rachid José Elias Ghiggi Says:

    Bom dia.Um vizinho,que tem um restaurante bem frequentado,improvisou uma central de gás com botijões de 13 Kg empilhados,estando de 7,00 a 10,00 m dos fogões.Sabe-se que está errado.Esta distância e considerando-se os botijões acoplados,de 2 em 2 pode ser perigósa não é ? Ademais deveram ser usados os P45.Obrigado.Aguardo.
    Rachir-Nova Prata (RS)

    • Montini Says:

      Caro Rachid,
      Sim, pelo que você diz, parece algo amador e perigoso. Recomendo que você denuncie ao corpo de bombeiros da sua cidade. Se a situação estiver de fato irregular, eles saberão como agir. Obrigado pela consulta.

  342. Gabriel Says:

    entendi, porém gostaria de saber se eu poderia utiliza-la (churrasqueira)com um regulador de pressão ao conecta-la ao p13 e funcionaria normal?

    • Montini Says:

      Bem, Gabriel, se a sua churrasqueira funcionar com baixa pressão, tudo bem. Porém, desconfio que ela só trabalhe com alta pressão, e então não vai funcionar, porque o regulador reduz a pressão do gás. Por outro lado, você NÃO deve acoplar a churrasqueira diretamente na válvula do P13. Esse tipo de botijão não foi concebido para isso. A presença do calor causado pela churrasqueira poderia acionar o plug fusível e provocar um incêndio sério. Acho melhor você consultar um técnico especializado ou o fabricante da churrasqueira.

  343. Vicente Says:

    Primeiro parabéns a vcs! E gostaria de saber se há diferença de pressão interna entre um P 45 e um P 13, pois pretendo substituir um P 45 por um P 13 ( tá bem mais barato). A instalação do P 45 está a +/- 2,5 m do fogão e usa tubulação de cobre.
    Muito obrigado

    • Montini Says:

      Obrigado, Vicente!
      A pressão interna nos botijões de GLP varia entre 0,4 à 0,7 Mpa, ou seja, de 4 à 7 kgf/cm². Botijões P13 e P45 trabalham, respectivamente, com uma vaporização de 0,6 kg por hora e 1kg por hora. Se a instalação do botijão está distante apenas 2,5 m do fogão, creio que não haverá problema em substituir o P45 por P13. A diferença, na verdade, reside no fato de que o P13 exige regulador de gás para uso em fogões domésticos. Será preciso verificar se o seu fogão trabalha com alta ou baixa pressão. Recomendo cautela! Consulte um técnico ou o seu revendedor de GLP.

  344. Gabriel Says:

    Minha churrasqueira é para botijões Liquinhos. O que devo fazer para utiliza-la com botijão p13?

    • Montini Says:

      Caro Gabriel,
      Pelo que entendi, você tem uma churrasqueira tipo fogareiro, desses que são acoplados diretamente sobre a válvula dos botijões de 1kg ou 2kg. Se for o caso, esses fogareiros trabalham com alta pressão. Em tese, é possível utilizá-los em botijões P13 (de 13kg), também diretamente sobre a válvula (sem utilizar o regulador de pressão). É preciso verificar se as roscas são compatíveis. RECOMENDO, ENTRETANTO, EXTREMA CAUTELA!! Sugiro que você entre em contato com o fabricante do fogareiro. Não dá para fazer experiências domésticas com GLP. É muuuito perigoso.
      Obrigado pela consulta.

  345. Luciana Says:

    Boa tarde…

    Trabalho na área de ergonomia e gostaria de saber se existe algum treinamento, norma ou até mesmo manual de orientação para levantamento e transporte de botijão de gás.

    Temos uma vasta literatura sobre transporte e manuseio de carga em geral, principalmente caixas, mas existe algo específico para botijão de gás?

    • Montini Says:

      Olá, Luciana.
      Nós aqui do IPEM não dispomos desssa informação. Talvez os revendedores de GLP conheçam literatura a respeito. Tente contactar a área de relações industriais de alguns dos principais revendedores. Sinto não poder ajudar.

  346. silas Says:

    quais autorizaçoes que eu preciso ter para fabricar os botijoes de 15 quilos

    • Montini Says:

      Caro Silas,
      Se entendi a sua questão, você pretende fabricar botijões de gás para conter 15 kg do produto. Bem, até onde sei, esse tipo de botijão não é utilizado no País. Os botijões tradicionalmente utilizados para acondicionamento de GLP, com capacidade próxima a 15 kg, são os de 13 kg (os mais comuns) ou de 20kg (para empilhadeiras). De todo modo, para fabricar os Recipientes Transportáveis para Gás Liquefeito de Petróleo, é necessário cumprir os requisitos técnicos estabelecidos pela legislação do Inmetro. Acesse o link http://www.inmetro.gov.br/legislacao/ e digite, como palavra-chave, a sigla GLP.
      Obrigado pela consulta.

  347. JOSÉ ANTONIO VALIM Says:

    Meu nome é José ANTONIO ,gostaria de saber onde acho os dados pertinentes á norma que diz ser proibido o uso de ferramenta para abrir ou fechar o regulador de gas .

    • Montini Says:

      Caro Jose Antonio
      Não existe nenhuma proibição de uso de ferramenta. O que existe é uma RECOMENDAÇÃO dos revendedores de GLP e dos prórpios fabricantes de botijão. Acontece que a rosca da válvula do botijão e a rosca do regulador de pressão são de metais diferentes. O uso de uma ferramenta (chave inglesa, alicate, etc.) aumenta consideravelmente o torque no rosqueamento, podendo danificar e comprometer a eficácia da rosca do botijão ou do regulador e causar vazamento de gás. Além disso, é desnecessário utilizar um torque maior do que aquele aplicado com as mãos sobre a borboleta, pois a válvula do botijão foi projetada para isso.
      Obrigado pela consulta.

  348. gladison Says:

    quai as lei para costrução de um deposito de butijão eo que deve ter nele.

    • Montini Says:

      Depósitos de GLP engarrafado devem obedecer à legislação municipal para serem autorizados a funcionar. O Corpo de Bombeiros também deve se pronunciar a respeito. Recomendo uma consulta ao Corpo de Bombeiros do seu minicípio, para começar.
      Obrigado pela consulta.

  349. Fernanda de Oliveira Says:

    Este site é muito ruim pois nao fala do que eu quero!!!!

  350. Mariana da Silva Santos Says:

    Este site não fala do que é feito o botijão de gás, então este site so tirou meu tempo!

    Obrigada por nada!!!!!!

  351. Montini Says:

    Caro Douglas,
    A legislação estadual para o transporte fracionado de GLP é extensa. Por favor, acesse o nosso site pelo link http://www.ipem.sp.gov.br/7srv/lei-geral.asp?vpro=glp e veja a lei e as normas pertinentes.
    Obrigado.

  352. Fernanda Says:

    Prezados,

    vou abrir uma pousada e queria saber como faço pra estimar a duração de um botijão P45.
    Teremos 10 chuveiros e 1 fogão de 6 bocas, com forno convencional.
    Quantos botijões eu precisaria pra fazer uma única reposição por mês? Como faço esse calculo?

    Obrigada,
    Fernanda

    • Montini Says:

      Cara Fernanda.
      Nós, aqui do IPEM, não fazemos projetos ou instalações para abastecimento de GLP. Somos um órgão público que fiscaliza os fornecedores de GLP. Recomendo que você converse com o seu fornecedor de GLP. Ele poderá prestar as informações que você precisa ou recomendar uma empresa especializada na instalação de sistemas de fornecimento de GLP.

  353. adilson movilla nunez Says:

    Comprei uma churrasqueira a gás. Fui informado que o certo é utilizar o botijão de 13kg, contudo, em função do espaço existente gostaria de utilizar o botijão de 2kg. Como devo proceder.
    Sds.

    • Montini Says:

      Caro Adilson,
      O botijão de dois quilogramas (P2) é usado apenas com fogareiro de camping ou lampião. Por isso, não pode ser usado em fogão doméstico ou similar (no caso, a sua churrasqueira nova). Isso porque não é possível utilizá-lo com o regulador de gás, a rosca não é compatível, além de não ter plug fusível de segurança. Se você tem pouco espaço, tente o botijão de cinco quilogramas (P5), pois este aceita regulador de gás e pode ser utilizado da mesma maneira que o botijão de 13 quilogramas (P13).
      Obrigado pela consulta.

  354. Sandra Says:

    Olá,
    Na empresa onde trabalho fazemos atividade com maçarico com oxiacetileno, fizemos um treinamento onde o palestrante informou que não se pode usar glp para maçarico, pois é só de uso doméstico. Como o glp é mais em conta , a empresa instalou em 2 maçaricos de glp p45 para teste.Gostaria de saber se esta informação procede, e se possuem algum material para esclareciemento.

    • Montini Says:

      Cara Sandra,
      Muitas empresas utilizam GLP. No caso da solda o maçarico deve ser apropriado. Os botijões P45 são comercializados, justamente, para empresas. Portanto, não há nenhuma regulamentação que restrinja o GLP apenas ao uso doméstico. Nós não dispomos de literatua sobre o tema. Recomendo consulta ao seu revendedor de GLP.
      Obrigado.

  355. roberto Says:

    Gostaria de um exclarecimento tenho um abrigo com dois GLP de 45 com manometro winters .Pressuriso com o gas e fecho os registros da barra e do fogão fica gas só no cano e o manometro varia para mais e para menos conforme muda o tempo, é normal não encontrei vazamento.obrigado

    • Montini Says:

      Caro Roberto,
      Uma pequena oscilação é normal, pois o gás sofre alteração de volume com a variação de temperatura, acarretando oscilação na pressão. Entretanto, por via das dúvidas, recomendo consulta a técnico qualificado na montagem desses sistemas.
      Obrigado pela consulta.

  356. Mauro Says:

    Olá, tenho duas dúvidas:
    1- Eu moro sozinho e fico pouco em casa, e por tabela, acabo usando muito pouco gás. Isso faz com que um botijão dure “eras”. Existe um limite de tempo que o botijão pode ser utilizado?
    2- No estado de SP existe alguma lei que obrigue que os prédios tenham apenas gás encanado e proíba o uso de botijões?

    • Montini Says:

      Caro Mauro,
      GLP não tem prazo de validade, mas tudo depende de quanto tempo você deixa de usar o gás. Isso porque o regulador de pressão e a mangueira de gás tem prazo de validade e podem sofrer danos com o tempo, mesmo quando não estão em uso. Também é prudente manter o botijão em lugar seco e ventilado para evitar corrosão.
      Com relação à outra questão, o Decreto Municipal nº 24.714, de 7 de outubro de 1987 proíbe o uso de botijões dentro do apartamento. Portanto, obriga que os edifícios instalem gás encanado (não precisa ser necessariamente o gás de rua, pode ser GLP encanado). Esse decreto só vale para o Município de São Paulo. Obrigado pela consulta.

    • Montini Says:

      Caro Mauro,
      GLP não tem prazo de validade, mas tudo depende de quanto tempo você deixa de usar o gás. Isso porque o regulador de pressão e a mangueira de gás tem prazo de validade e podem sofrer danos com o tempo, mesmo quando não estão em uso. Também é prudente manter o botijão em lugar seco e ventilado para evitar corrosão.
      Com relação à outra questão, o Decreto Municipal nº 24.714, de 7 de outubro de 1987 proíbe o uso de botijões dentro do apartamento. Portanto, obriga que os edifícios instalem gás encanado (não precisa ser necessariamente o gás de rua, pode ser GLP encanado). Esse decreto só vale para o Município de São Paulo. Obrigado pela consulta.

  357. Mariah Says:

    Olá,

    Notei que a pressão do gás (botijão p-13) que sai no fogão e no aquecedor é muito alta quando fico algumas horas sem utilizar estes aparelhos. Após cerca de 30 segundos de uso, a pressão volta ao normal. O regulador de pressão está dentro do prazo de validade (2015). O que pode estar ocorrendo?

    Muito obrigada

    • Montini Says:

      Mesmo estando dentro do prazo de validade, parece que o regulador de pressão está com mau funcionamento. Recomendo contato com um técnico especilaizado ou a substituição do regulador.
      Obrigado pela consulta.

  358. Suely Gonçalves Says:

    Bom dia. Estou com um problema. Hoje de manhã notei que está vazando gás entre o botijão e a cozinha, ou seja, a mangueira que passa debaixo do piso do quintal deve estar danificada. O gas está saindo pelo ralo do quintal. Quem eu chamo para reparar isso? Pode ser um pedreiro?

    • ipemsp Says:

      Boa tarde!

      prezada Suely, pelo que entendemos, o seu gás é encanado, né? Então você precisa entrar em contato com a comgás, empresa responsável por esse serviço. VocÊ também pode consultar o site da distribuidora do próprio fornecedor do gás que você utiliza para obter tais orientações, ok?

  359. esequiel Says:

    olá
    gostaria de saber procedimentos a serem feitos caso tenha vazamento de gás sem fogo num deposito de butijão p/45?
    desde ja agradeço…

  360. Lissandro Says:

    Bom dia, gostaria de saber se a alguma norma ou regulamentação para se construir um abrigo para botijão de GLP P13?
    Fico no aguardo, obrigado.

    • ipemsp Says:

      Boa Tarde Lissandro!

      Os técnicos do Ipem-SP me responderam que não há normas do Inmetro para isso. Talvez você deva checar diretamente com a ABNT.

      Atenciosamente,

      Almanaque.

  361. Jorge Moreira Says:

    Quero saber se existe algum tipo de manômetro para controle de consumo do botijão.

    • Montini Says:

      Existe sim, mas esse tipo de dispositivo não é aprovado pelo Inmetro e pode causar acidentes sérios. Nunca se deve acoplar qualquer dispositivo estranho ao regulador de gás. Além do mais, manômetros registram a pressão interna e não a quantidade de gás. Não há uma correlação direta entre a massa e a pressão do gás, pois seria necessário considerar as alterações de temperatura. Nós NÃO recomendamos a utilização desse tipo de manômetro.
      Obrigado pela consulta.

  362. Roger Says:

    Ola!
    Gostaria de saber se podem me informar qual a pressão estatica e dinamica dos cilindros de P-13 e P-45.
    Eu trabalho com equipamentos de gases e venho encontrando problemas a alguns tempo com relação a isso.
    Os reguladores de gás de baixa pressão, tem como orientação dos fabricantes, uma pressão de entrada de 5 kgf/cm², porem não sei se é essa a pressão que vem nos botijões.
    outra duvida é quanto a temperatura ambiente, existe uma variação de pressão inerente a toda matéria, no caso do GLP essa pressão aumenta ou diminue?

    Grato

    Roger Baptista

    • Montini Says:

      Caro Roger
      Como já foi dito aqui, a pressão interna de um botijão de P13 cheio pode variar entre 0,4 Mpa (megapascal) até 0,7 Mpa, o que equivale a mais ou menos 4 à 7 kgf/cm² (quilograma força por centímetro quadrado). A elevação da temperatura ambiente aumenta a pressão do GLP dentro do botijão. Fogões e fornos domésticos utilizam baixa pressão (em torno de 2,7 kpa (quilopascal), por isso é fundamental a utilização do regulador de pressão. Entretanto, se você utiliza botijões P45 em instalação comercial, em condomìnio ou para uso profissional em maçarico, por exemplo, recomendo que você consulte o seu fornecedor de GLP.

  363. Felipe Says:

    Caros, obrigado pelo canal criado para tirar dúvidas e parabéns pelo trabalho. Tenho uma dúvida: no frio, há mais riscos de vazamento de gás, devido à contração do conector da mangueira ao botijão? É recomendável o uso de fitas de vedação na conexão? Pergunto isso pois, recentemente, ao chegar em casa, senti um leve cheiro de gás, segui as recomendações da distribuidora, desaparafusei a borboleta e vi que não havia vazamento (embora a válvula não tenha fechado imediatamente e ainda tenha sentido alguma pressão logo depois à retirada). A minha dúvida é se o cheiro que eu senti tem relação com a brusca mudança de temperatura dos últimos dias, e a minha cozinha fica numa parte muito fria da casa.

    Obrigado,
    Felipe

    • Montini Says:

      Caro Felipe,
      Obrigado pelo incentivo.
      Com relação à sua pergunta, entendi que você se refere à conexão entre o regulador de gás e a válvula do botijão. Pois bem, a vedação é feita pela pressão do terminal do regulador sobre o anel de vedação da vávula do botijão. Portanto, se o regulador foi rosqueado com torque suficiente, e se o anel de vedação da válvula estiver ok , dificilmente haverá vazamento, mesmo com queda de temperatura. Afinal, a válvula do botijão foi projetada para ser eficiente e não permitir vazamento, mesmo sem a utilização de vedante na rosca.
      Obrigado pela consulta.

  364. Leandro Says:

    Bom dia, tenho uma duvida sobre o gas residual dentro dos botijoes. Sei que no inverno fica mais gas residual dentro do botijao do que nos dias quentes de verao. Gostaria saber se o revendedor é obrigado a pesar o botijao vazio e ressarcir este gas que fica dentro do botijao, e se existe amparo legal para cobrar esta indenizaçao pelo gas que retorna a companhia distribuidora.

    • Montini Says:

      Caro Leandro
      De fato, caso o gás acabe justamente num dia mais frio, pode haver uma retenção um pouco maior de produto. Não existe, entretanto, documento legal que obrigue o revendedor a pesar o botijão vazio e ressarcir o gás residual. Naturalmente, nada impede que o consumidor solicite esse procedimento do revendedor, mas este não é obrigado a atender. Mesmo assim, nem pense em aquecer o botijão para aproveitar esse restinho. Não vale a pena correr o risco.
      Obrigado pela consulta.

  365. Patricia Santos Says:

    As vezes desconfio que o botijão de 13 kilos realmente nao tem 13 kilos, como devo proceder para ter esta certeza?

    • Montini Says:

      Cara Patricia,
      Para saber se o botijão de gás tem 13 quilogramas de produto é necessário que você tenha acesso a uma balança. Os revendedores de gás costumam ter balanças apropriadas para conferir o peso do GLP, e o consumidor tem o direito de pedir que o peso do gás seja conferido. O procedimento é o seguinte:
      1- Procure, na alça superior do botijão (colarinho), a gravação do peso do botijão vazio (tara). Um botijão vazio pesa entre 13,5 quilogramas até 16,5 quilogramas, aproximadamente. Vamos supor que você tenha lido 15.100 g.
      2- Coloque o botijão na balança. Ela irá indicar o peso bruto do botijão. Vamos supor que seja 28.150 g.
      3- Do peso bruto você deverá subtrair o valor da tara que você leu no colarinho: (28.150 g – 15.100 g). O resultado será, no nosso exemplo, 13.050 g, ou seja, um pouco mais de 13 quilogramas.
      Se o seu botijão estiver com peso inferior, não compre. Exija botijão com peso correto. Se você tiver problemas com o revendedor de gás quanto à quantidade contida no botijão, você pode denunciá-lo ao IPEM. Ligue para a nossa Ouvidoria: 0800.01305.22. A ligação é gratuíta.
      Obrigado pela consulta.

  366. Nelson Alves de Araujo Says:

    Gostaria que voces mandace para mim as montagens do abrigos do gas glp em restaurantes

    • pmontini Says:

      Prezado Nelson,
      Não dispomos, aqui no IPEM-SP, do material que você procura. Entre em contato com a empresa distribuidora de GLP e solicite informações a respeito.
      Um abraço.

  367. Oliver Says:

    por favor me responda isso amigos… o gás acabou com a butija em pé certo!! então eu deito a botija pra consumir mais gás do restinho que tem , então minha pergunta é : a posibilidade pelo fato de ter pouco gás dentro pode correr o risco da chama correr para dentro do butijão ? sempre uso deitado depois que acaba o gás e um amigo disse que pode explodir e agora estou com receio porem isso me ajudava porque durava mas 15 dias usando kkkkkkkkkkkk.. me ajudai porque sei que terei uma resposta verdadeira. desde já obrigado pelo carinho. Abraço e feliz natal kkkkkk….

    • pmontini Says:

      Oliver,
      Como já dissemos, não é recomendável deitar o botijão pois o gás pode ser expelido na sua fase líquida. Quanto à possibilidade da chama entrar no botijão, Isso não acontece pois não há oxigênio dentro do botijão para alimentar o fogo. Seja como for, é melhor seguir as recomendações de segurança.
      Um abraço.

  368. Oliver Says:

    Minha mãe está usando o butijão deitando depois que acaba o gás, isso é perigoso? segundo a vizinha disse que pode explodir se usar deitado depois que acaba. abraço e aguardo ansioso antes que saio voando pelos ares kkkkkkk….

    • pmontini Says:

      Olá, Oliver.
      É sempre perigoso deitar o botijão, mesmo que o gás esteja acabando. O botijão não explode. O que acontece é que o gás no botijão está sob alta pressão. A pressão é tão grande que o gás permanece líquido. Quando o botijão é deitado, pode acontecer do gás sair ainda na fase líquida, o que transforma o botijão num maçarico e pode causar incêndio. Dia à sua mãe que não vale a pena correr o risco, ok?
      Obrigado por nos consultar e um abraço.

  369. célia regina de sá Says:

    gostaria de saber como fazer pra saber que o gás está quase no fim

    • ipemsp Says:

      Prezada Célia,
      você pode saber se o gás do botijão está acabando de algumas maneiras:
      A chama fica mais avermelhada; o fogo deixa o fundo da panela preto, levante o botijão de gás quando ele estiver novo, se achar que ele está para acabar, levante-o novamente, se estiver bem leve, já está no fim. O melhor mesmo para ter esse controle, é anotar a data de chegada do botijão novo e calcular o tempo que ele costuma durar em sua casa. Se você o utiliza com regularidade, pode se planejar com mais precisão.

    • Arildo Jandre Lopes Says:

      Ola a todos. Na minha opinião o método mais eficaz é por uma balança permanente embaixo do botijão, aquela comum que usamos para pesar as pessoa na residência. Espero ter ajudado.

  370. sebastiao manoel da silva Says:

    BRUNO O CORRETO É USAR P 45 NO CARRINHO DE MAÇARICO E UMA CENTRAL DE QUATRO CILINDRO COM REGULADORA DE PRESSÃO E QUATRO SAIDA PARA AS DEMAIS

  371. carlo Says:

    Eu tenho que montar dois fogões, um ao lado do outro. O lugar do botijão é ao lado esquerdo de um deles. Então eu conecto o botijão ao primeiro fogão do lado que está perto ao botijão. Como eu faço para alcançar o segundo fogão se não posso passar atrás do primeiro fogão, não tenho uma mangueira mais comprida para alcançar-lo sem passar por traz do primeiro e não tenho outro lugar para o botijão?
    Obrigado pela resposta porque não sei resolver este problema

    • ipemsp Says:

      Caro Carlo,
      pelo post você deve ter percebido que instalação de gás é coisa série. Recomendamos que faça uma extensão com tubos de cobre apropriados. Consulte um técnico especializado nesse tipo de instalação.

  372. Itamar Correa Barcelos Says:

    Senhores,

    Desejo saber qual a pressaõ interna do gás no botijão P13 residencial quando ele está completamente cheio?

    Obrigado

    • pmontini Says:

      A pressão interna de um botijão de GLP cheio depende da temperatura ambiente e pode variar entre 0,4 Mpa (megapascal) até 0,7 Mpa, o que equivale a mais ou menos 4 à 7 kgf/cm² (quilograma força por centímetro quadrado). Por isso, o botijão de gás é fabricado para resistir a pressões de até 15 kgf/cm².
      É bom lembrar que não se deve acoplar qualquer tipo de dispositivo ao botijão, como um manômetro, por exemplo. Recomendo contato com o seu revendedor de GLP para maiores informações. Obrigado pela consulta.

  373. Marcos Elia Says:

    Na verdade tenho uma dúvida, qual é a média de tempo de chama de um botijão de gás 13 kg?

    considerando chama média em um fogão padrão, bem regulado.

    • pmontini Says:

      Caro De Marco,
      É difícil dizer, pois as variáveis são muitas. De todo modo, não dispomos dessa informação aqui no Ipem. Recomendo contato com a sua distribuidora de GLP.
      Obrigado pela sua participação aqui no Almanaque.

  374. Adriana Says:

    Estou fazendo faculdade e presciso saber qual o processo de fabricação de um botijão de gas de 13 kg

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 169 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: