Futebol – medidas e curiosidades

Tudo sobre as medidas no futebol

Sintetizamos nesta página alguns posts, mesmo antigos, que abordam o tema “futebol” sob o aspecto da metrologia, ou seja, das medidas envolvidas na prática desse esporte tão popular no Brasil e no mundo. Aqui falamos, entre outras coisas, das medidas oficiais do campo, das dimensões das bolas e até da potência dos chutes.

O peso da Taça.

11 de junho de 2014 por 

jogadortrofeu

A Taça FIFA foi apresentada pela primeira vez no campeonato mundial de futebol de 1974. Foi criada pelo escultor italiano Silvio Gazzaniga para substituir a Taça Jules Rimet, depois que esta passou a pertencer definitivamente ao Brasil.

As dimensões da taça são as seguintes: 36,8 cm de altura, 13 cm de diâmetro na base e massa de 6,175 quilogramas. Seu corpo é feito em ouro 18 quilates.  Na base, as duas faixas verdes são de malaquita semipreciosa, um mineral do grupo dos carbonatos de cobre.

A FIFA declara que a taça é feita de ouro sólido (solid gold), o que muita gente acaba interpretando como “ouro maciço”. Acontece que se a taça fosse, mesmo, de ouro maciço pesaria muito mais do que seis quilogramas.Veja só:

A massa específica (densidade) do ouro puro (24 quilates) é de 19,32 g/cm³, o que significa que um cubo com 10 cm de lado (um litro) de ouro puro pesa quase vinte quilogramas (19,32 kg).

Por outro lado, o ouro 18 quilates não é puro, e sim uma liga feita com 75% de ouro e 25% de outros metais. Existem muitos tipos de ouro 18 quilates. As ligas mais comuns pesam aproximadamente 16 kg por litro (densidade de 16 g/cm³).

Para descobrirmos se a taça é de ouro maciço (com o seu volume todo em ouro, sem nenhuma parte oca) precisamos conhecer esse volume. Um jeito fácil seria usar o método de Arquimedes, mas a taça não está conosco, não é? Por isso, vamos estimar o volume a partir das suas dimensões.

trofeufifa

Sabe-se que a taça tem 36,8 cm de altura e o diâmetro de 13 cm na base. Como a taça tem formato irregular, vamos supor que o seu volume seja mais ou menos equivalente a um cilindro com 10 cm de diâmetro e 36 centímetros de altura. Obtemos o volume do cilindro multiplicando Pi (3,14l6) pelo raio ao quadrado, pela altura (π.r².h) ou seja: 3,1416 X 5² X 36 = 2.827 cm³, que arredondamos para 2,8 litros.

Agora que já estimamos o volume da taça, basta lembrar que densidade é massa (peso) sobre volume: d =  m/v. Substituindo os valores, teremos: 16 = m/2,8 ou… m = 16 x 2,8 o que dá … 44,8 quilogramas!

Fica claro que quando a FIFA diz “ouro sólido” não devemos interpretar como “ouro maciço”, e é bem provável que a taça seja oca, ou então, feita de uma liga de metal leve revestida com ouro sólido.

Brazuca: Estamos com a bola toda!

bola brazuca

Desta vez, a bola é mesmo nossa! Brazuca é o nome que foi dado à bola oficial do campeonato mundial de futebol de  2014!  O nome foi escolhido por votação pública realizada em setembro de 2012 e envolveu um milhão de brasileiros fãs de futebol. As cores e o design dos seis painéis da bola foram inspirados nas fitas da sorte do Senhor do Bonfim da Bahia.

A primeira vez que se deu nome à bola que seria usada na competição foi em 1970. O nome “Telstar” e o desenho da bola foram inspirados no satélite esférico de mesmo nome, lançado na época para fazer a transmissão dos jogos.

A Brazuca passou por um intenso programa de testes durante mais de dois anos e envolveu mais de 600 dos melhores jogadores do mundo, além de 30 equipes de 10 países como o Milan, o Bayern de Munique, o Palmeiras e o Fluminense. Craques como Messi, Casillas, Schweinsteiger e Zidane foram alguns dos jogadores que testaram a bola.

A tecnologia utilizada na construção da Brazuca é a mesma da Tango 12, bola da última Eurocopa, e da Cafusa, bola criada para a Copa das Confederações. A estrutura, entretanto, é nova, com seis painéis simétricos idênticos, cujo formato lembra uma cruz, e superfície com textura exclusiva para dar maior aderência e melhor aerodinâmica.

É a Fifa ( Fédération Internationale de Football Association) quem estabelece as dimensões e os requisitos oficiais do campo, dos equipamentos e dos acessórios para a prática de futebol. A bola oficial deve ter pressão entre 60,8 kilopascal a 111,5 kilopascal. O peso deve ficar entre 410 gramas e 450 gramas (no começo da partida)  e a circunferência deve estar entre 68 centímetros e 70 centímetros.

Entretanto, para receber o aval mais elevado da Fifa, o Selo de Qualidade FIFA APPROVED, a bola deve respeitar os seguintes parâmetros: Peso entre 420 g  e 445 g. Circunferência entre 68,5 cm a 69,5 cm. Pressão de teste de 80 kPa.

Além disso, a bola deve ser aprovada em rigorosos testes de redondeza, repique, absorção de água, perda de pressão, balanceamento e preservação do tamanho e do formato. Dê uma olhada nos requisitos técnicos e em como são feitos os testes. Entre no site da Fifa. 

A Brazuca passou em todos esses testes e recebeu o FIFA APPROVED. Agora, fazer gol só dependo dos nossos jogadores.

Medidas do Campo de Futebol Internacional: Como se chegou a elas.

 

futebol

Uma das nossas visitantes  fez uma pergunta simples, mas que mereceu este post especial: Por que os campos para jogos internacionais precisam ser maiores que os outros?

Na verdade, as medidas do campo para jogos internacionais definidas pela FIFA não são maiores, porém são mais rígidas, e foram obtidas a partir dos valores médios das medidas aceitas para jogos regionais. Veja a tabela a seguir:

Dimensões oficiais do campo de futebol
Jardas (yards) Metros (arredondado) Metros
Comprimento mínimo

100

90

91,44

Comprimento máximo

130

120

118,87

Largura mínima

50

45

45,72

Largura máxima

100

90

91,44

Dimensões oficiais do campo de futebol para jogos internacionais
Jardas (yards) Metros (arredondado) Metros
Comprimento mínimo

110

100

100,58

Comprimento máximo

120

110

109,72

Largura mínima

70

64

64,00

Largura máxima

80

75

73,15

Observe que a FIFA define as dimensões do campo em jardas (yards), medida de comprimento inglesa, e depois as converte para metros e arredonda o resultado. Na última coluna acrescentei o resultado da conversão sem arredondamento para mostrar a diferença.

Acontece que o futebol foi criado na Inglaterra, onde a jarda é unidade tradicional de comprimento. Entretanto, como a FIFA é entidade internacional, precisava estabelecer as dimensões também em metros, unidade de comprimento adotada pela maioria dos outros países filiados. Ao fazer isso a FIFA precisou converter as dimensões de jardas para metros e, naturalmente, arredondou o resultado para facilitar as medições.

Mas, voltando à questão inicial, como será que a FIFA calculou as dimensões do campo para jogos internacionais partindo das dimensões aceitas para jogos regionais? Veja:

Primeiro, a FIFA calculou a média entre as dimensões máximas e mínimas adotadas para comprimento e largura, em jardas:

Comprimento:  (100 + 130) : 2 = 115 jardas

Largura: (50 + 100) : 2 = 75 jardas

Aí, para obter as novas dimensões máximas e mínimas foi só somar ou subtrair 5 jardas dos valores obtidos:

Comprimento mínimo: 115 – 5 = 110 jardas

Comprimento máximo:  115 + 5 = 120 jardas

Largura mínima:  75 – 5 = 70 jardas

Largura máxima: 75 + 5 = 80 jardas               

O resultado também foi convertido para metros e arredondado. Veja a tabela acima.

Com isso foram obtidas dimensões máximas e mínimas mais próximas umas das outras, de modo a preservar uma relação de proporcionalidade mais rígida. Simples, não é?

Medidas do campo de futebol

A Fifa (Federação Internacional de Futebol Association) define quais as dimensões que o campo de jogo deve ter, obrigatoriamente.

O documento de referência é o The Laws of the Game, estabelecido pela Internacional Football Association Board, entidade fundada em 1886, com sede no Reino Unido, reconhecida pela Fifa como a guardiã das Regras do Jogo.

O campo de jogo deve ser retangular e marcado com linhas. As linhas que determinam a extensão ou o comprimento do campo são chamadas de laterais e a largura é determinada pela linhas de meta. Os limites máximos e mínimos são definidos pelo documento As Regras do Jogo, da seguinte forma:

Comprimento (linha lateral):

mínimo de 90 m

máximo de 120 m

Largura (linha de meta):

mínima de 45 m

máxima de 90 m

O campo deve ser dividido em duas metades iguais e o centro deve ser marcado com um ponto na metade da linha de meio-campo. As dimensões da Grande Área (área de Pênalti) e Pequena Área (Área de Meta) também têm valores fixos definidos.

A Área Penal é delimitada por duas linhas perpendiculares de 16,5 m, unidas por uma linha paralela à linha de meta. A Pequena Área, como o nome indica, é menor, e está contida na Área Penal. É delimitada por duas linhas perpendiculares de 5,5 m, unidas por uma linha paralela à linha de meta.

As traves, mais apropriadamente chamadas de metas, devem ser colocadas no centro de cada linha de meta e consistem de dois postes verticais encimados por um travessão.

A distância (horizontal) entre os dois postes deve ser de 7,32 m e a altura (vertical) definida em relação ao solo é de 2,44 m, de acordo com as Regras do Jogo, endossadas pela Fifa.

Pesquisa Inmetro

Na época do campeonato de 2006, o Inmetro realizou uma análise em nove estádios utilizados para os jogos da Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro.

O resultado foi que todos os estádios apresentaram uma pequena diferença em alguma dimensão do campo (pelo menos 1%) entre o valor medido pelos técnicos e o valor oficial, estabelecido no documento de regras do jogo do futebol.

Além disso, oito estádios apresentaram também diferenças de 1 cm a 3 cm em uma das medições feitas na altura da trave (o que em parte foi creditado à irregularidades do terreno nos campos de futebol analisados).

A Fifa, entretanto, não estabelece, oficialmente, padrões de tolerância para as medidas (valores máximo e mínimo aceitáveis, em cada parâmetro).

Portanto, apesar das diferenças encontradas, o exame não apontou não-conformidades. Porém, informada dos resultados, a CBF se posicionou favorável a que correções fossem feitas no caso das marcações mais críticas, como linhas da Grande Área e dimensões das traves.

Leia o relatório completo da pesquisa em campos de futebol feita em 2006 no site do Inmetro.

Potência de chute se mede mas não se conquista

Vasto é o mundo da metrologia, e lá vai ela medir a potência dos chutes dos craques a fim de compreender e melhorar o rendimento dos jogadores no campo de futebol. Afinal, torcedor gosta de ver gols, mas, acima de tudo, gosta de ver jogo bonito e com golaços. Nessa matéria compilada da revista superinteressante podemos conferir como essas medições são feitas e as características de um jogador que consegue, através do chute, fazer uma bola de 450 gramas chegar a incríveis 120 km/h em décimos de segundos.

No laboratório da Faculdade de Educação Física da USP, os atletas andam sobre plataformas altamente sensíveis, saltam diante de câmaras fotográficas estroboscópicas ou ainda correm em esteiras ligadas a tubos e eletrodos. Esse autêntico campo de provas, que conjuga experimentos de três disciplinas – Fisiologia, Biomecânica e Antropometria – constitui um dos mais modernos centros brasileiros de estudo do desempenho da máquina humana. Equipamentos da ordem de 300 mil dólares fornecem dados para mais de uma dezena de pesquisas, em cada uma das áreas de estudo, abrangidas pelos testes, incluindo serviços de medição de esforço físico para clubes.

Os experimentos são simples. Uma plataforma, que ocupa quase toda a extensão do laboratório, indica por meio de balanças precisas a intensidade de todas as forças em jogo nos movimentos executados sobre ela. Isso permite identificar os momentos em que o corpo está mais sujeito a sobrecargas de força e possíveis contusões. Os movimentos são registrados em uma série de fotos, que mostram a posição do corpo em cada fração de segundo, facilitando a análise. A tecnologia do vídeo entra em cena também para gravar as atividades em 5 mil quadros a cada segundo. A eletromiografia é outro sistema de medição biomecânico, que mede a contração muscular, por meio de eletrodos presos à pele. É assim que se sabe qual músculo está em ação no movimento, o que torna possível corrigir a coordenação motora e identificar a potência do chute de cada jogador.

A força muscular, a resistência, a boa forma física e a eficácia nos chutes a gol são itens obrigatoriamente trabalhados nos programas de treinamento que visam a aumentar o rendimento de qualquer jogador. Por que, então, só uns poucos se destacam como canhoneiros?

Dos mais de 14 mil profissionais de futebol do país, os “canhoneiros”, como são chamados os chutadores mais potentes, são poucos.

O segredo dos profissionais de super chute é que a velocidade de contração do sistema muscular desses jogadores é extremamente alta. Esta capacidade suplementar é algo com que não se pode competir nem imitar – eles já nasceram com músculos super-rápidos.

Mas não é só a Biologia e a lei da Física que impõe limites à arte do superchute. Os pesquisadores do futebol descobriram que o psiquismo do jogador também influencia os músculos do seu corpo.

O craque das copas de 74 e 78 , Nelinho, deu um bom exemplo de superação de bloqueio psicológico após operar o joelho e a coluna no auge da carreira. Ele prometeu – e cumpriu – que chutaria uma bola para fora do estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, a uma altura de mais de 25 metros. O jogador Rivelino, outro chutador forte contemporâneo de Nelinho, conhecido como “patada atômica”, não se lembra de já ter se machucado em campo e atribui sua resistência ao futebol de rua, praticado desde a infância.

As bolas utilizadas nas 5 Copas em que o Brasil foi campeão

A primeira edição da  Copa do Mundo de Futebol da FIFA (abreviação de Federation International Football Association) ocorreu em 1930, após ser criada pelo então comandante da instituição, Jules Rimet. A primeira competição ocorreu no Uruguai, tendo a participação de 13 equipes convidadas. Nos anos de 1942 e 1946, a Copa não ocorreu devido à Segunda Guerra Mundial.

Desde 1998 , são 32 times que participam da competição.  O Brasil é o país que alcançou mais títulos mundiais, cinco – 1958 na Suécia, em 62 no Chile, em 70 no México, em 94 nos Estados Unidos e 2002 na Copa da Córeia/Japão.

Futebol é uma vocação do Brasil, e torcer com muita garra e uma pitada de superstição também são características do nosso povo. A bola é a peça chave nesse jogo, e ela também faz milagre, ela enche a rede, ela ganha Copa e acima de tudo, conta história. Confira!

Suécia – 1958

Jmunuste Fontaine, da França, alcançou o recorde do torneio de 13 gols nestas finais e ainda o mantém, mas, apesar disto, foi o Brasil e o país anfitrião, a Suécia, que se encontraram na final em Estocolmo.
A Suécia, surpreendentemente, marcou primeiro, mas Garrincha desviou miraculosamente, passando dois zagueiros e cruzando de volta para Vavá marcar. Vinte minutos depois, ele fez a mesma coisa de novo. Pelé, com somente 17 anos, marcou o terceiro, armando a bola em sua coxa, fisgando ela para cima de sua cabeça, girando e rebatendo fora do alcance de Svensson. Para o segundo, ele pulou alto acima do zagueiro para dar uma majestosa cabeceada. O Brasil venceu por 5-2 e estava a caminho de se tornar o melhor time de futebol do mundo, com aquele que seria depois nomeado o melhor jogador de futebol dodo de todos os tempos.
A bola de 18 gomos foi desenhada com costura interlaçada em zig-zag, para que houvesse menos tensão na costura.

CHILE – 1962

As bolas de futebol usadas no Chile em 1962 não correspondem, de forma nenhuma, às do padrão europeu. No período das chuvas, havia reclamações de que as bolas estavam “bebendo” água e, no sol, estavam perdendo sua cor. De fato, antes do chute inicial, bem no início da partida entre Chile e Suíça, o árbitro, Ken Aston da Inglaterra, pediu para ver as cinco bolas de futebol que seriam usadas no jogo. Ele ficou tão horrorizado com as péssimas condições em que estavam, inclusive descascadas, que pediu uma bola nova que chegou somente aos dez minutos do segundo tempo. Assim, várias bolas européias foram usadas como substitutas das marcas locais em muitas das partidas restantes.
Na Final, o Campeão Brasil teve a surpresa de encontrar como finalista a Tchecoslováquia em Santiago. Os tchecos marcaram primeiro. Eles supostamente eram mais fortes na defesa, mas, na partida, foi o goleiro deles, Shrojf, quem foi culpado por todos os gols brasileiros. Primeiro, ele permitiu que Amarildo colocasse a bola entre ele e a trave em um ângulo impossível, depois ficou fora da posição no segundo – uma cabeceada de Zito, e, finalmente, falhou ao segurar a bola e deixou uma confiante cruzada de Djalma Santos para Vavá que lançou alegremente para dentro da rede para a vitória de 3-1.

Mexico – 1970

O México viu o nascer de uma nova era quando a adidas começou sua parceria, já há muito existente, com a FIFA para fornecer bolas de futebol para todos os torneios da FIFA. Também foi a primeira vez que uma bola recebia um nome especial para Copa do Mundo FIFA, apropriado para a época. “Telstar” foi um pequeno satélite esférico de comunicações lançado da Flórida em 1962, mas que se tornou, provavelmente, o satélite mais famoso de todos os tempos por causa do instrumental pop com o mesmo nome que foi sucesso no mundo todo pelo The Tornados. A bola de couro de 32 gomos com seus hexágonos brancos e seus pentágonos pretos tinha uma grande semelhança com o satélite, que tinha fundo iluminado coberto de painéis escuros. A Telstar foi substituída por novos projetos, mas continuou sendo o desenho definitivo usado pelos artistas, desenhistas gráficos e cartunistas quando queriam ilustrar o futebol. A Adidas distribuiu somente 20 bolas para uso nas finais e vendeu cerca de 600.000 bolas oficiais e réplicas após o campeonato. É interessante comparar este número com os de 2004!
Brasil e Itália jogaram ataque contra defesa na Final. O Brasil tomou a frente quando Pelé pulou alto acima do zagueiro para marcar com uma cabeceada espetacular. Um descuido de Clodoaldo na marcação fez a Itália empatar, mas, logo, Gerson bateu num cruzamento baixo para fazer 2-1. Jairzinho, o único jogador a marcar gol em todas as partidas, correu com a bola para dentro da rede para o terceiro, e o capitão, Carlos Alberto, fez o quarto com um magnífico e poderoso chute.

Estados Unidos 1994

A bola chamou-se a “Questra”, a partir da palavra “quest”,para indicar a busca dos EUA por estrelas, e estrelas foram incorporadas na tríade. A bola foi desenvolvida na França e, depois, totalmente testada pelos times e jogadores tanto da Europa quanto dos EUA. A bola foi fabricada com cinco materiais diferentes com uma camada externa final durável, mas flexível, feita de poliuretano.
O Brasil encontrou a Itália na Final – repetindo 1970. O Brasil não foi capaz de romper a defesa italiana, embora tivessem ocorrido alguns chutes a gol. Roberto Baggio foi o atacante-estrela italiano nas primeiras partidas, mas sofreu uma lesão no tendão e não estava bem. No final dos 120 minutos, o placar era 0 x 0.
Então, pela primeira vez, o resultado do jogo foi decidido nos pênaltis. Márcio Santos perdeu para o Brasil, assim como Barese e Massaro para a Itália. Biagio preparou-se para igualar o placar, mas atirou a bola diretamente sobre a trave superior do gol de Tafarel, e o Brasil levou a quarta Taça do Mundo FIFA.

Copa da Córeia/Japão 2002

A bola para a FIFA World Cup Korea/Japan™, conhecida como a “Fevernova”, era o resultado de três anos de aperfeiçoamento na “Tricolore” no centro de pesquisa da Adidas em Scheinfeld, no sul da Alemanha. O material consiste em seis camadas ou revestimentos, começando com uma bexiga de látex natural dentro, depois um tecido de malha Raschel com três camadas, a espuma sintática, uma camada de poliuretano, uma impressão protegida com tinta Iriodin e, finalmente, uma camada de poliuretano transparente resistente ao rasgo. O desenho da tríade adidas se tornou, agora, duas tríades simples ampliadas, com as setas para o sentido horário nas cores cinza, vermelha e dourada. O fundo não era mais o branco puro tradicional, mas mais uma cor champanhe. Mais de 2500 bolas foram fornecidas para as finais e cerca de seis milhões de bolas oficiais de alta qualidade e bolas réplicas já foram vendidas em todo o mundo.
A final foi entre as duas nações mais famosas da FIFA World Cup™ de todos os tempos – Brasil versus Alemanha. Os dois gols no segundo tempo de Ronaldo deram ao Brasil seu quinto campeonato da FIFA World Cup™ e, definitivamente, espantaram os fantasmas da final na França de 98. Foi uma briga dura num jogo de igualdade, próprio de um duelo de titãs do mundo do futebol, mas Ronaldo deu o toque de grandeza que separou os dois times em Yokohama, Japão.

Agora só falta incluir a Brazuca!

Testes em bolas de futebol

Os jogadores profissionais e estrelas em ascensão precisam da melhor bola possível para aperfeiçoar suas habilidades. Uma bola deve responder da mesma maneira todas as vezes que for batida, seja nos 90 minutos de jogo ou no pontapé inicial. O menor defeito afeta o vôo da bola, o ângulo de batida e, consequentemente, a partida inteira.

Para garantir a maior qualidade possível para bolas de futebol de campo, de praia e futsal, e para fazer com que seja reconhecida no mundo inteiro instantaneamente, a FIFA introduziu o Conceito de Qualidade da FIFA. As bolas são testadas num laboratório e apenas as que atingem os altos padrões da FIFA recebem um dos logotipos de qualidade da FIFA: `FIFA INSPECTED ’ ou o padrão mais alto `FIFA APPROVED ’. Veja aqui quais são os testes.

Fonte: Fifa.com

8 Respostas to “Futebol – medidas e curiosidades”

  1. edu Says:

    A medida da bola não está exagerada? está mais para 1/3 dessa medida

    • Montini Says:

      Caro Edu,
      As dimensões oficiais da bola são mesmo essas: A circunferência deve ter entre 68 cm e 70 cm. Confira você mesmo usando um barbante e uma régua. Mas talvez você esteja pensando no diâmetro da bola. Aí, de fato, ele terá cerca de 1/3 dessa medida, já que a medida da circunferência é o seu diâmetro vezes pi: C = d x 3,14.

  2. felipeta Says:

    muito legal mesmo vendo agora,kkkkkk gostei vou divulgar o blog ou site. ;)

  3. bbbcbcb Says:

    qual é o link

  4. Naathy Souza Says:

    podia ter a bola a copa aberta e com as medidas ,

    • Montini Says:

      Cara Naathy,
      Talvez você não tenha notado, mas o post traz as medidas da Brazuca, a bola oficial desta copa. Também tem um link para o site da Fifa, onde todos os aspectos técnicos das bolas são explicados. Confira.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: