A Metrologia das Tempestades

21 de janeiro de 2019 by

Formação de cúmulo-nimbo com formato típico de “bigorna” Photo by Hussein Kefel, licensed under Creative Commons

Estamos em pleno verão, época em que as tempestades costumam se formar com mais frequência. Cerca de 70% das nuvens de tempestade, as famosas cúmulo-nimbo (ou cumulonimbus) ocorrem na primavera e no verão, quando a irradiação solar aquece intensamente a superfície e provoca grande evaporação de água. O interior dessa gigantesca formação de nuvens, cuja base escura é o prenúncio de tempestade, abriga ventos fortíssimos, raios e trovões, granizo e muita água.

A metrologia

Tamanho: As nuvens cúmulo-nimbo são enormes. Podem ter entre 10 km e 20km de diâmetro e chegar a mais de 12 km de altura e, excepcionalmente, atingir 20 km de altitude (um avião comercial voa a uma altitude média de 11 km).

Velocidade dos ventos: rajadas que podem chegar a mais de 100 km/h.

Temperatura: a partir de temperaturas de até a 40 °C próximo ao chão, chegam a 0 °C acima da base, aos 4 000 m de altitude, e até a 70 °C negativos no topo.

Precipitação (chuva): Cumulonimbus podem precipitar mais de 60 mm/h. Significa que em apenas 10 minutos a chuva produz uma lâmina de água de 10 mm de altura por metro quadrado. Em uma área de apenas 4 km² esse volume de água equivale a 40 000 000 litros, ou seja, 16 piscinas olímpicas.

Tempo de vida: O ciclo médio de vida entre a formação e a dissipação do cumulonimbus varia entre 30 min a 40 min.

Raios e trovões

Os raios e trovões são um capítulo à parte. As nuvens se eletrificam a partir da colisão entre cristais de gelo, água e granizo no seu interior. A maioria das descargas elétricas fica restrita ao interior da nuvem, mas cerca de 20% delas tocam o solo. Quando ocorre um relâmpago (parte luminosa visível do raio), a tensão elétrica associada pode chegar a 100 milhões de volts, e a corrente elétrica pode chegar a 30 kA (trinta quiloamperes), suficiente para acender 300 000 lâmpadas de LED de 800 lúmens!

Parte dessa energia é convertida em calor. A temperatura do canal ionizado, criado pelo percurso da descarga, é de 30 000 °C (mais de cinco vezes a temperatura na superfície do Sol, que é de, aproximadamente, 5 500 °C .  O calor expande o ar ao seu redor de maneira repentina e, após a descarga, o ar se resfria rapidamente e se contrai abruptamente. A brusca expansão e contração da massa de ar produz as ondas sonoras características do trovão.

Dependendo da intensidade do raio, da topografia do local e da distância, o trovão pode ser percebido como um simples estampido de curta duração ou por um ribombar cujas frequências ficam entre os 20 Hz a 120 Hz (20 hertz a 120 hertz), ou seja, sons muito graves. Próximo ao local da descarga o trovão pode exceder os 120 dB (cento e vinte decibels), um nível de potência sonora equivalente a uma banda de “heavy metal”. A propósito, o decibel (cujo plural pode ser decibels ou decibéis) é uma unidade logarítmica “em uso com o SI”.

A duração média do raio é cerca de 0,2 s (dois décimos de segundo). Como a velocidade da luz na atmosfera é de 1 080 000 000 km/h (arredondados) e a velocidade do som é de apenas cerca de 1 200 km/h (quase um milhão de vezes menor), nós vemos o relâmpago antes de escutarmos o trovão.

Mitos

Os raios e os trovões gerados pelas tempestades sempre despertaram o temor e a curiosidade, e aparecem com frequência em muitos mitos e lendas das antigas civilizações. Uma das mais pitorescas crenças da Europa medieval, e que perdurou até um passado recente, afirmava que a presença do sino protegia contra os raios, e o seu badalar os repelia. Acontece que na maioria das aldeias a igreja ou capela era a construção mais alta, e o campanário que abrigava o sino ficava muito exposto aos raios.

 

O sino, por esse motivo, protegia de fato a aldeia na medida em que recebia a maioria dos raios, mas a crença de que estes eram repelidos pelo dobrar dos sinos acabou vitimando centenas de monges incautos. Essa crença era tão arraigada que muitos sinos traziam uma gravação em seu corpo com a seguinte frase, em latim: Vivos voco, mortuos plango, fulgura frango. A frase significa: Convoco os vivos, pranteio os mortos, rompo os relâmpagos.

Anúncios

Metrologia em Revista – Ano II – número 4

2 de janeiro de 2019 by

clique na imagem para acessar

Esta edição da Metrologia em Revista encerra o ano de 2018 com uma interessante matéria sobre as balanças utilizadas no comércio e na indústria, e o modo como o Ipem-SP controla o seu desempenho metrológico. Além disso, a Revista aborda as novas definições do quilograma, do ampere, do mol e do kelvin, que passarão a ser adotadas a partir de 20 de maio de 2019 conforme decisão da 26ª Conferência Geral de Pesos e Medidas. Vale a pena conferir!

 

Boas Festas e um Feliz 2019!

20 de dezembro de 2018 by

Este ano chega ao fim com a perspectiva de que, provavelmente, muita coisa irá mudar no novo ano. Mas independentemente do modo como as mudanças se apresentarem, o melhor a fazer é continuar trabalhando com dedicação e honestidade, pois esses valores nunca saem de moda.

Aqui no Almanaque continuaremos informando os consumidores e os empresários, continuaremos trabalhando pelo cidadão e pela cidadania, e continuaremos divulgando o Ipem-SP. Essa tem sido a nossa missão, e pretendemos cumpri-la, fielmente, também em 2019! 

Boas Festas e um Feliz Ano Novo!

70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos!

10 de dezembro de 2018 by

A Declaração Universal dos Direitos Humanos -DUDH é um marco na história da humanidade. O documento foi elaborado por representantes de diferentes origens jurídicas e culturais de todas as regiões do mundo, e foi proclamado pela Assembleia Geral das Nações Unidas em Paris, em 10 de dezembro de 1948, há exatos 70 anos, por meio da Resolução 217 A (III) da Assembleia Geral.

A DUDH estabeleceu, pela primeira vez, os direitos mínimos a que todo ser humano faz jus, bem como a proteção universal desses direitos, como um objetivo comum a ser alcançado por todos os povos e nações, e todos os países membros da Organização das Nações Unidas estão comprometidos com o seu fiel cumprimento. Vale a pena ler a Declaração Universal dos Direitos Humanos, na íntegra.

Campanha #PiratariaNão: De olho no selo

26 de novembro de 2018 by

O selo de verificação inicial do Inmetro demonstra que a balança passou por verificação metrológica realizada pelos fiscais do Ipem-SP nas dependências do fabricante ou importador. Apenas as balanças fabricadas de acordo com a legislação (Portaria 236/94 do Inmetro) recebem o selo de verificação inicial. Fique atento. Ao comprar balança observe o lacre e o selo do Inmetro.

Visite o site do Ipem-SP e mídias sociais. Acesse, confira e compartilhe.

 

 

Agora é oficial! A 26ª CGPM aprovou a nova definição do quilograma!

23 de novembro de 2018 by

E não apenas isto! Em uma decisão histórica, representantes dos 54 Estados Membros do  Bureau Internacional de Pesos e Medidas (BIPM) votaram e aprovaram, em 16 de novembro deste ano, uma das mais importantes revisões do Sistema Internacional de Unidades (SI), mudando a definição do quilograma, do ampere, do kelvin e do mol.

A decisão ocorreu na 26ª reunião da Conferência Geral de Pesos e Medidas (CGPM) em Versalhes, na França. Doravante todas as unidades do SI passam a ser definidas em termos de constantes fundamentais da natureza. Isso garante a estabilidade do SI para as futuras gerações e possibilita seu uso para o desenvolvimento de novas tecnologias, incluindo tecnologias quânticas.

As mudanças entrarão em vigor em 20 de maio de 2019, e porão fim ao uso de artefatos físicos para definir as unidades de medida do SI.

A consequência mais marcante dessa decisão diz respeito ao Protótipo Internacional do Quilograma (IPK), o famoso cilindro de platina e irídio conservado no BIPM e usado como definição do quilograma por quase 130 anos! Emblematicamente, o bom e velho IPK será finalmente aposentado e substituído por uma definição baseada na constante de Planck – a constante fundamental da física quântica.

Campanha #PiratariaNão: Cuidado com os Piratas

14 de novembro de 2018 by

Balança ilegal só traz dor de cabeça. Você paga por um produto de qualidade inferior e sem nenhuma confiabilidade metrológica. Sem querer você pode acabar lesando os seus clientes ou entregando mais produto do que deveria. E além disso está sujeito a ser autuado, multado e ter a sua balança apreendida. Antes de comprar balança verifique se ela apresenta o selo do Inmetro, o lacre e a placa de identificação da balança, onde constam uma série de informações sobre o fabricante e sobre o instrumento.  O selo do Inmetro e o lacre amarelo são colocados na balança pelos fiscais do Ipem-SP, quando da verificação inicial do instrumento, e comprovam que a balança foi fabricada de acordo com a legislação (Portaria 236/94 do Inmetro). Balança sem lacre e sem o selo de verificação inicial é pirata! Na dúvida, não compre!

Visite o site do Ipem-SP e mídias sociais. Acesse, confira e compartilhe.

 

Lançamento da Campanha #PiratariaNão

7 de novembro de 2018 by

Já há algum tempo o Ipem-SP vem constatando que balanças de uso no comércio como padarias, supermercados, feiras livres etc. vêm sendo importadas e comercializadas irregularmente. A comercialização de balanças irregulares, sem aprovação do Inmetro, vem sendo feita, principalmente, por empresas de e-commerce (venda pela internet).

Todas as balanças utilizadas para compra e venda de mercadorias precisam cumprir uma série de requisitos técnicos e legais (Portaria 236/94 do Inmetro). Apenas as balanças fabricadas de acordo com as normas atendem aos elevados padrões de qualidade metrológica e apresentam resultados confiáveis na pesagem dos produtos.

O Ipem-SP apreende as balanças irregulares e autua o responsável pelo instrumento. Mas isso não basta. É preciso que os comerciantes sejam alertados sobre o risco de comprar e usar balanças ilegais. Assim, o Ipem-SP decidiu criar uma campanha de esclarecimento aos usuários para alertá-los sobre o problema. Assista, abaixo, ao vídeo produzido especialmente para esse fim.

clique na imagem para assistir

A Campanha foi lançada oficialmente no dia 6 de novembro, durante o 1° Seminário de Metrologia Legal que ocorre simultaneamente à ENQUALAB 2018, e será veiculada também no site do Ipem-SP e nas redes sociais. Acesse, confira e compartilhe!

 

Metrologia em Revista ano II, números 2 e 3.

5 de novembro de 2018 by

clique na imagem para acessar a revista

clique na imagem para acessar a revista

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Desta vez, como você pode notar, estamos apresentando duas revistas ao mesmo tempo. Aconteceu o seguinte: No momento de lançarmos a Metrologia em Revista Ano II n° 2 (julho de 2018) aqui no Almanaque, a Lei Eleitoral que acabara de entrar em vigor nos impedia de promover qualquer alteração no blog. Da mesma forma, quando pretendemos lançar a Metrologia em Revista Ano II n° 3 (outubro de 2018), a citada Lei ainda vigorava, pois aqui no Estado de São Paulo a disputa eleitoral se estendeu ao segundo turno. Mas veja pelo lado bom. Você poderá ler ambas as revistas na sequência! Boa leitura!

 

 

26 de Junho, Dia do Metrologista e da Metrologista!

22 de junho de 2018 by

Urânia
Cópia romana restaurada, baseada em original grego do século IV a.C.

Urânia, uma das nove musas gregas, representa a astronomia, a geometria, as medições… Urânia é, talvez, a primeira entidade mítica cuja atividade era medir, e que é tradicionalmente representada com um compasso e com o globo terrestre. Os antigos gregos eram realmente sábios: não apenas criaram uma musa para a metrologia, criaram uma metrologista musa!

Em uma representação mais moderna, o globo de Urânia exibe meridianos e paralelos.

A metrologia está em toda a parte, e as atividades que exigem a presença de metrologistas não são poucas. Aqui no Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo, metrologistas são a própria alma da instituição, e trabalham duramente para que haja lisura nas transações comerciais, proteção ao consumidor, leal concorrência e suporte técnico metrológico às forças produtivas do Estado de São Paulo e do País.

O Almanaque do Ipem-SP, em cujas veias virtuais correm bits e bytes metrológicos, parabeniza a todos os metrologistas, de todas as áreas, de todos os tempos e de todos os cantos do planeta! Pede licença, entretanto, para registrar aqui um abraço especial aos Especialistas em Metrologia e Qualidade do Ipem-SP, homens e mulheres que são o esteio do Instituto. Parabéns, colegas! Que Urânia, a Celestial, nos inspire a todos.